domingo, 20 de março de 2011

As várias faces do dito fato.

Descartes evidencia muito o saber do homem que pensa já ter um conhecimento conclusivo, exato e real, ignorando assim a busca por maiores informações através de questionamentos que devem partir dele mesmo, o qual ressalta bastante a importância de subsidiarmos a dúvida, devemos duvidar de tudo para que criemos nosso próprio juízo e bom senso. Deixa muito bem explícito que conhecimento real só pode ser pleno se for resultado da nossa própria busca provando de novas experiências, não há nenhum conhecimento que já nos venha pronto que nos acrescente algo de forma positiva e verdadeira. Para Descartes, a busca pela verdade se inicia através de pesquisas que partem de conceitos primordiais, para que assim, nós mesmos demos forma a tal descoberta. Contudo, não deve haver pré-julgamento entre o mais sábio e o menos sábio, pois se deve levar em conta a diversidade de pensamentos de cada um, no que influencia apenas a boa aplicação deles. Porém, não descarta por total a importância dos estudos através dos livros, pois é a partir deles que surgem as indagações e nossa ignorância se aflora com mais evidência nos convocando a busca contínua do saber e nos traz a luz.

Ressalta fortemente em seu texto a humildade em reconhecer suas prováveis e também possíveis falhas por simplesmente ser um ser humano, o reconhecimento em não ser perfeito e a certeza de que há um ser maior e indescritivelmente superior a ele mesmo. Preocupa-se muito em realizar estudos benéficos a sociedade, e acredita convictamente na relevância em construir conhecimentos contínuos os quais uma pessoa acrescenta ao conhecimento da outra gerando o bem comum. Deixa explícito que se preocupa também em acrescentar algo valioso à medicina.

Finalmente coloca muito em questão os nossos sentidos ao transmitirem informações a nossa mente e formarmos interpretações do mundo e até mesmo do nosso próprio corpo. É um convite a refletirmos muito quanto ao nosso modo de viver, pensar e agir.


Marlu Barcaroli - 1º ano SS / Diurno

Visão de real e deus

Como a razão pode ser compreendida como a capacidade de julgar entre verdadeiro e falso  sendo que, verdade e falso  não podem ser tidas com sentido absoluto. Os fatos interpretados por uma pessoa tem a razão dela, outra pessoa pode ver nesses fatos outra razão, pois o interpretar é único de cada ser, que julga aquilo que lhe convém e não deixando de ser real se distinguindo para cada um deles. 
  Tudo aquilo que é tomado como verdade absoluta e usado para combater as demais verdades de cada um deve ser substituído pela probabilidade e  pela incerteza, pois  sendo o intelecto humano limitado ,  é encapais de chegar a uma verdade absoluta, para haver uma verdade absoluta seria preciso ter a compreensão e interpretação de todo pensamento humano.
Cada um tem a razão de uma forma, interpretando as coisas que vê de um jeito, faz com que sejamos diferentes em partes um dos outros, mas grande parte da sociedade tem a visão de razão como um hábito ( senso comum).
  Quando Descartes diz:

 "Sei que penso, e existo; mas, por vezes, duvido, e engano-me; logo, não sou perfeito. No entanto, tenho a ideia de perfeição; caso contrário, como poderia pensar que não sou perfeito? Mas de onde me chegou a ideia de perfeição?
Ou a ideia de perfeição foi criada por mim, ou a recebi do mundo exterior, ou me chegou de outro sítio qualquer. Mas a ideia de perfeição não pode ter sido criada por mim; isto porque não sou perfeito, e o imperfeito não pode criar o perfeito. Pela mesma razão, não a recebi do mundo exterior, uma vez que no mundo exterior nada parece haver mais perfeito do que eu mesmo. Logo, a ideia de perfeição só pode ter sido posta em mim por um ser absolutamente perfeito: Deus, para tudo dizer numa palavra "(Ver Descartes, Discurso do Método, Lisboa, Sá da Costa, 1982, p. 29).
Tudo o que existe necessita de um propósito, inclusive a vida. As ações, os sentimentos, todos os fatos são vazios em si mesmos, sem qualquer significado, viver é algo tão sem sentido quanto morrer, e estamos aqui pelo mesmo motivo que as pedras: nenhum. O que enche as pessoas de medo é a possibilidade de descobrir que estão completamente equivocados em suas crenças a respeito da realidade, sendo aterrorizante saber que tudo aquilo que deram grande importância dedicando suas vidas nao existe.
Deus é movido pelo pensamento universal se pensarmos na morte de deus , ele entao deixa de existir,  é usado pelo homem para explicar as respostas com quais não sabe lidar. Se deus é perfeito e somos imagem e semelhança dele, como não poderíamos sermos perfeitos? 
Foram os homens que, sem nenhum motivo respeitável, inventaram a razão de ser . Se prestarem alguma atenção, vão perceber que a verdadeira razão  não é realmente uma razão, mas um fato, isso é tudo. 

TER UM “BOM SENSO” EM SUA LIBERDADE DE PENSAMENTO


Para Descartes, o bom senso e a razão é o que nos diferencia dos animais, pelo menos era o que deveria ser, porém hoje em dia não é bem isso que acontece. Mas a questão a qual ele defende, é que cada um tem o seu modo de ser pensar e agir, cada qual com sua cultura,e esse modo de pensamento deve ser respeitado, mas isso não implica na questão onde devemos desconfiar sempre, onde especulações não são verdades, e mesmo que verdades sejam impostas a nós, como seres racionais devemos carregar com nossa razão a desconfiança, e buscarmos a nossa propria verdade, pois a razão é uma forma de superar a magia, a astrologia e a alquimia, onde não se deve enganar por meras especulações, cada um tem a sua verdade, e quem pode garantir o que é real?
A verdade deve ser algo concreto real e racional, então nada melhor que o convivio, a experiencia da presença e o respeito da liberdade de pensamento o "livre arbitrio", onde todos tem esse direito, agora cabe a nossa razão e nosso bom senso para avaliarmos o que é certo ou errado, e fundamentarmos nossas idéias de forma coerente para a realização de algo que seja concreto, que seja real!

Aline Cristina Parra
Primeiro ano - diurno

O Antes e O depois - Renê Descartes







Antes de Renê Descartes.... o mundo não questionava, apenas aceitava tudo,

sem pensar no porque e como tudo acontecia, e como tudo era feito,

e que tudo era uma providencia divina.

E tudo o que existia era irrefutável e sim uma verdade absoluta.....

Depois......de Renê Descartes......

Após ele escrever o seu famoso - Discurso do Método - O Mundo mudou....

A maneira de enxergar e agir das pessoas, o surgimento das ciências,

Ele trouxe o poder da dúvida...

e com isso os seus benefícios... de Inovar e renovar e recriar, de descobrir

e continuar a descobrir permanentemente. Imagine algo inimaginável

tornar-se concreto... ou seja se tornar real.

Mas acima de tudo, ele nunca deixou de acreditar em Deus,

pois para Descartes Deus é o arquiteto e nós somos seus aprendizes.

Cibeli Pacheco Melo Oliveira 1º ano Serviço Social noturno


A essência do pensar


Segundo Descartes o homem deve procurar incessantemente o conhecimento, porém este mesmo deve ser analisado com fundamentos.
Para este conhecimento ser concretizado é essencial que haja dúvida,que o indivíduo receba a informação e analise para ter a percepção se a mesma é verdadeira ou não. Por isso o mesmo relata que qualquer ser humano pode se enganar,para que isso não ocorra é necessário que ele busque o conhecimento.
Antigamente, a ciência era realizada no sentido de apenas gerar conhecimento próprio, sem servir para o avanço da sociedade, como por exemplo a criação novas tecnologias para seu desenvolvimento.
Descartes duvidava do conhecimento que lhe era transmitido, pois sabia que seus sentidos poderiam lhe enganar, visto que ele não era perfeito.
Segundo o autor, Deus é o ser perfeito que transmite sabedoria para o ser humano e o indivíduo que utiliza este conhecimento para transformar o universo.

Valdirene Viviane do Nascimento - 1º ano de Serviço Social/ Noturno

O benefício da dúvida

Estamos a todo momento sendo induzidos a pensar e agir de acordo com um senso comum, onde o certo e o errado é inevitável. Mas, numa sociedade em que se tem um 'padrão' regional, como seria a opinião individual sobre o que é bom, ou ruim, das pessoas de determinado local?
É bem verdade que o homem é influenciado a chegar num conceito de verdade (ou mentira). Visto que cada país tem sua maneira de analisar determinado assunto - observando as leis, formas de penalizar, debater polêmicas, etc. - cada um teria uma conclusão diferente do outro.
Ora, se cada ser pensa de uma maneira diferente, pode-se dizer que não existe verdade absoluta, já que o que para mim é correto (depois de estudar e/ou vivenciar algo que me faça acreditar em tal idéia), pode não ser para qualquer outra pessoa ao fazer o mesmo.
Fato é que a dúvida, que para muitos é cruel, nos faz ir atrás do que queremos saber e descobrir coisas nunca antes imaginadas, nos faz perceber que a certeza não há e que estaremos sempre questionando algo por mais concreto que pareça, nos faz ver com outros olhos e interpretar de várias formas um mesmo acontecimento (tornando-nos, assim, pessoas completamente diferentes e sem preconceitos, abertas a novas culturas).
O respeito pela 'verdade' alheia é importantíssimo para o viver. Criticidade é essencial , pois nos torna capazes de formar nossa própria opinião, independente do que o outro acredita.
Um mundo aberto a coisas novas e sem discriminação ainda é um sonho, mas não é impossível se todos pudessem perceber que o conceito de certo ou errado muda de acordo com os pensamentos e conhecimentos de cada um.



(Priscila Costa de Souza - 1° ano S.S. noturno)

Em busca da razão


Em Discurso do Método,René Descartes nos mostra que todos têm opiniões diferentes uns dos outros,mas que deve ser respeitada afim que um aprende com o outro.Ninguém é mais perfeito que o outro ou sabe tudo,estamos em constante aprendizado em nossa vida e que precisamos procurar sempre adquirir experiências.
Ele busca a razão na verdade dentro da ciência que vai conduzir o pensamento humano e também prova a existência de Deus um ser perfeito.
E que para chegar a verdade ele ensina um método,e se quiser chegar a verdade tem que procurar em sim mesmo!
Lidiane M. O. Neves 1°SS - noturno

Conhecer ou duvidar?

A diversidade de pensamentos entre o certo e o errado nos torna humanos racionalmente capazes de avaliar de forma positiva as varias opiniões existentes do senso comum. Não como um diagnóstico conclusivo, mas para o esclarecimento de como é importante a necessidade de desigualdade comportamental entre as pessoas para que possamos definir que no entanto não há necessariamente o que é vitorioso e o que foi derrotado em suas escolhas.

O primeiro passo para sermos "senhores de nos mesmos", é acreditar que nada somos sem a presença de Deus sobre nosso espírito. Para conhece-Lo devemos trabalhar o espírito em favor da presença de quem nos criou. Só o que é perfeito não depende de Deus, e quem nesse mundo já adquiriu esse dom?

Antes de julgar , busque a verdade, o conhecimento, do que o preconceito sobre algo. Muitos pensam que só o que se imagina possível e concreto existe. No entanto nada é valido se não for provado. E é exatamente essa ação e reação que nos torna capazes de evoluir. Seria muito mais facil acreditar no que esta estabelecido (documentado) do que depender da reflexão. Claro que a verdade de uns não e soberana sobre as varias faces da humanidade.
O meu ponto de vista acaba onde o seu começa.

Guieni Kelly Bandin de Castro

Se não posso ter certeza... Duvido!!!


No texto “ O Discurso do Método “, René Descartes nos leva a pensar sobre tantas coisas que as vezes são simplesmente nos impostas por familiares ou amigos no qual cremos durante toda uma vida e que nem sempre é o correto a se pensar.

Descartes então, trás com seus pensamentos no extremo da racionalidade, uma provocação quanto a acreditar nesses conhecimentos transmitidos pelo habito, fazendo-nos assim refletir sobre isso também. Pois, não é só porque meus pais me ensinaram que algo seja certo ou errado que essa seja a única verdade. E instiga assim, a busca continua dessa verdade ou ao menos mais clareza, para que assim possamos tirar nossas próprias conclusões.

Quanto mais claro e nítido forem os detalhes sobre determinado assunto... mais fácil será entendê-lo e acreditar ou não em sua existência...

Além da Razão e Reflexão



O autor tinha um grande desejo de diferenciar entre o que é verdadeiro e o que é falso, para ver claramente as ações dele, caminhando com segurança na vida e evitar ser enganado. Depois de muita reflexão, ele chegou a uma conclusão de que tudo que existe é feito por Deus, pois somente um ser perfeito e infinito que é capaz de fazer esta obra, pois para Descartes é impossível que essas coisas possam surgir assim do nada.

Ele também diz que muitas pessoas utilizam dos olhos, do olfato ou da audição para tentar compreender, mas isso é errado; com explicação de que a nossa imaginação ou os nossos sentidos jamais poderiam nos garantir, pois não somos perfeitos, por isso não possuímos esta capacidade. 

No principio o Descartes acreditava que tudo foi criado por Deus, mas depois mudou de ideia, porque achou que pode estar um pouco equivocado com as coisas, por isso refletiu novamente com cuidado para não cometer o mesmo erro e disse que não podemos acreditar em tudo, temos que ser um pouco duvidoso, porque muitas vezes a razão nos engana e tudo que ele aprendeu, não é quase nada, comparando com o que falta saber, o autor explica que todas as coisas tem seu fundamento de verdade, não podemos confiar totalmente em ciência, razão ou ser místico, ou seja, sempre ir atrás das coisas e tentar encontrar a resposta, pois somos seres racionais e é por isso que somos diferentes que os outros animais.


Chu Hsien Jung - 1º ano de Serviço Social / Diurno

Uma nova forma de fazer ciencia......


Realmente O MÉTODO é brilhante, não serve só como método na busca da razão, mas sim para varios outros quesitos como na busca da perfeicao,da sabedoria e etc....mas o que mais brilhantemente nos chama a atencão em sua obra é a humildade com que descartes se predispõe a estar aberto em debater sua obra,não se colocando como dono da verdade,tanto é que a razão de publicar a obra,como ele discorre,é que so a partir do momento em que outras pessoas tem conhecimento de sua obra é que ele poderá ver quai foram seus equívocos.


CERTAMENTE GRANDES OBRAS SAO ASSIM......


Além de tudo isso descartes pode ser considerado o pai do homem moderno,porque sua obra deixa de explicar as coisas e o mundo a partir do sobrenatural,mas sim,atraves da razao humana,isso nos legou sem dúvida uma nova forma de fazer ciência.

Andressa V Camargo ss-noturno

A busca pela verdade

A partir do renascimento cultural onde a razão se tornou mais importante que a mitologia, a busca pela verdade cresceu em grande proporção;
Segundo Descartes que diz " aprendi a não acreditar com demasiada convicção em nada do que me havia sido enculcado só pelo exemplo e pelo hábito", ou seja fugir do comum e passar a entender como de fato as coisas são, se questionar sobre tudo que existe e de poder comprovar a verdade por métodos de estudo, pesquisas e claro pela ciência. Ciência, essa que revolucionou o mundo, a partir dela é que podemos enxergar melhor as coisas e entende-las.
Essa busca pela verdade é infinita, pois o conhecimento nunca acaba, está em constante crescimento.
Visto que, o que nos diferencia dos outros animais é o poder de ter a razão, e usar dela para explicar as coisas dos homens , e explicar as coisas da Terra.
Sempre duvidar, pensar e ir além daquilo que se vê.

Bruna de Paula Mendes - 1º Ano SS - Noturno



Um bom senso para questionar


Após a leitura da obra " O Discurso do Método " de René Descartes, este nos faz refletir sobre a sua busca incessante sobre o conhecimento.O uso da razão, do bom senso e a busca pela verdade.

Faz com que tenhamos um olhar crítico sobre a realidade em que vivemos : um mundo capitalista onde todos são manipulados e moldados, aceitando tudo o que é imposto, sem perceber as reais intenções,nos tornando alienados.

E que passemos a utilizar o seu método; a desconfiança como forma de se obter uma verdade,mesmo esta não sendo absoluta.

Mayara Laudares Costa 1° SS diurno

Errar,errar e errar até acertar

No discurso de Descartes, ele afirma que há um período de sua juventude, onde o próprio busca as causas para várias questões concernentes á sua realidade.Porém, ele afirma que não chegaria té onde chegou a não ser pelos inúmeros erros cometidos em suas pesquisas, ou seja errar, não significa que não se chega a um lugar ou meta pois o erro nos proporciona novas descobertas novas rotas a seguir, e podemos ter certeza que ao buscarmos algo com afinco, o resultado pode até não ser o planejado, mas pode ser bem melhor o sabor de pesquisar, aprendendo aos poucos com os temas pequenos e depois indo se aprofundar em temas mais complexos.
O cientista social, estuda pessoas e a questão social em si, mas não deve se iludir com o que vê aparentemente, ou seja só a casca, assim como no discurso de Descartes, deve se esmiuçar o tema, estudar profundamente do que se trata para assim poder dar um diagnóstico, não significa que devamos colocar as pessoas em tubos de ensaio ou em gaiolas para estudá-las, mas enxergar a sua realidade, sua cultura e costumes.
Devemos ir despreendidos de pré-conceitos, podemos até errar mas na certa que em alguma solução iremos chegar e não cometeremos o mesmo erro.

Yblia Menezes SS Diurno

Duvidar para alcançar conhecimento.

Desde os primórdios da sociedade, os seres humanos carregam consigo o conhecimento do senso comum, que nada mais é, o que todas as pessoas acreditam com base em fontes não científicas, conhecimento esse, que Descartes nos convida a repensar.
Todos nós seres humanos possuímos razão, ou seja bom senso, mas nem sempre usamos esse bom senso para refletir sobre certas coisas consideradas "verdades" pela maioria das pessoas. Em "O discurso do método", René Descartes, nos descreve como ele próprio criou um método para se chegar ao conhecimento científico, pois tudo que ele sabia até então, pela filosofia, pela religião ou pela mitologia, nada tinha de concreto pudesse convence-lo. Esse método se baseia na DÚVIDA, questionando tudo que se apresentava como expressão da verdade e dividindo todas as coisas em partes bem pequenas, para melhor entender cada parte separadamente e logo após conseguir decifrar as mesmas como um todo.
Hoje em dia vivemos a dualidade dessas duas formas de conhecimento, o do senso comum, e o científico, pois ao mesmo tempo que a ciência faz grandes descobertas, muitas pessoas ainda desviam de escadas postas na calçada e evitam usar roupas do lado avesso, tudo isso por medo do "atraso de vida que tais coisas possam acarretar ", convivemos com o comodismo que impede as pessoas de pensar por sí próprias, questionar porque elas fazem certas coisas, porque tem certos costumes... E o capitalismo se beneficia tanto com o método cartesiano, pois tem nas mãos a obra-prima e o conhecimento para modifica-las e transforma-las em mais produtos "interessantes" para o consumo da sociedade, quanto a falta de interesse das pessoas em conhecer aquilo que lhes é ofertado, aceitando sem hesitar tudo que o capitalismo julga ser bom, e compram excessivamente coisas que acreditam ser necessárias em suas vidas , mas não param para refletir se realmente são.
De toda forma , Descartes com seu modo sutil de nos mostrar seus pensamentos, revolucionou o modo de analisar as coisas de uma sociedade inteira através do tempo, e mesmo ele acreditando em Deus como um ser de natureza superior a nossa ," criou" cientistas ateus que se puseram a duvidar de tudo até mesmo da existência de Deus.
Há vários pontos de vista acerca desse assunto, mas analisando cada idéia do texto, e a realidade do nosso mundo hoje, cheguei a conclusão (não sei se certa, ou errônea) que : se há algo de "CONCRETO" nisso é que se a sociedade chegou no patamar de desenvolvimento que está, devemos muito a Descartes e seu método.

- Bruna Daniély Martins, 1 º SS Noturno.

Penso, às vezes desisto.

Os sentidos nos enganam
O método nos leva a verdadeira razão
O senso comum deve ser combatido
Não passa de ilusão.

A dúvida do ser
o leva a perceber
Que, se duvida... pensa
E, se pensa... existe.

Nem sempre as indagações,
Levam-nos a conclusões
Claras e objetivas.
Penso, logo existo,
Muito questiono,
E às vezes desisto.

Brunna de Paula Lima Bonizoli
Primeiro ano de SS- noturno

A razão como guia.



Compreendendo o pensamento de Descartes, e seguindo sua linha de raciocínio, Deus seria a gênese de tudo, e no fim daria origem ao bem comum.

Por exemplo: Deus daria origem à arquitetura divina, dela se originaria o homem e dele se originaria a razão, e assim por diante.

Deus > arquitetura divina > homem > razão > dúvida > negação dos sentidos > o fim das especulações > o pensar como principio da existência > verdade > conhecimento > utilidade > elevação da ciência > o desvendamento das interrogativas divinas > o bem comum.

O Discurso do Método pode ser associado diretamente a nossa realidade. Visto que a maioria das pessoas hoje já não faz uso da razão ou bom senso, não discernindo entre o falso e o verdadeiro.

Estamos tomados de superstições e utilizamos nossos sentidos como base para nossa orientação, nos enganando a todo o momento, acreditando absolutamente nos que é apresentado.

Nós, seres humanos devemos fazer uso da nossa capacidade exclusiva: razão. Não simplesmente sermos seguidores de razões impostas.

Como seres oriundos da perfeição de Deus, devemos fazer uso da nossa própria capacidade de raciocínio. Deixando de apenas existir, passando a conhecer e inovar.

Iluminados pela luz divina, e guiados pela razão, devemos encontrar dentro de nós mesmos as respostas que tanto necessitamos.

Letícia Silva Gimenes - 1º ano SS - noturno

Na dúvida pergunte...


A dúvida e essencial para qualquer ser humano podemos perceber que Descartes incentiva todos a fazer perguntas a duvidar de tudo que está a em nossa volta.
A dúvida nos faz crescer, nos faz modificar enfim nos faz pensar. Não devemos ter vergonha de ter dúvida porque seria ter vergonha de crescer de nos tornarmos pessoas melhores e mais evoluídas.
Só conseguiremos chegar em uma verdade se duvidarmos de tudo que está ao nosso redor devemos nos dar o prazer da dúvida se quisermos chegar em algum lugar.

Bom Senso

A respeito do bom senso discutido por Descartes em seu texto “Discurso do Método”, quero deixar a minha opinião... Acredito que o bom senso seja algo um pouco complexo para ser definido. Acredito também que bom senso tenha a ver com a história de vida de cada indivíduo, com sua educação, suas opiniões, suas escolhas, etc., está relacionado com o que cada um viveu, vive e espera viver. E sobre essa definição individual, cada um acredita que a sua seja a mais adequada e mais correta, o que acarreta na maioria das vezes – se não sempre – na falta de bom senso.

"Raramente conhecemos alguém de bom senso, além daqueles que concordam conosco."

(François de La Rochefoucauld)

aceitação ou alienação?Eis a questão...


Desde o início de sua subsistência na terra o ser humano busca formas de aprimorar sua vivência e se utiliza das matérias primas que o exército natural lhe proporciona para isso.Ao longo dos séculos essa busca criou uma certa hierarquia sustentada pelo conhecimento,além de um certo poder sobre a mente dos demais,que se deixavam levar por tudo que ouviam e aceitavam o que lhes era passado.Vale ressaltar porém que os que ousavam desafiar esses poderes quando não eram abatidos acabavam por revolucionar um geração.

Parando para analisar pense: atualmente como está a aceitação do homem frente ao que lhe é passado?Será que estamos sendo capazes de observar de uma maneira crítica os que detém poder de influenciar nossas mentes?Embora existam muitos que buscam respostas e não aceitam o que não concordam,ainda existem milhões de pessoas que se deixam alienar pelo momento que se vive,como a moda manias e principalmente pelo que o outro faz.

Descartes em o "discurso do método" diz que é necessário uma melhor avaliação de tudo para que tanto o que é verdade ou o que é mito seja esclarecido e para que de uma forma geral o homem consiga conviver sem deixar suas opiniões a mercê do que o outro diz.O homem que por milhões de vezes se deixou levar pelo comum necessita hoje de um despertador que cause efeito positivo para o agora, pois a realidade poderia ser melhor do que é, se todos desenvolvessem uma opinião própria.Porém não é isso que as autoridades buscam,pelo contrário ,buscam medidas paliativas,que suportem seus 'submissos' por um período de tempo até que ele consigaSeu próprio bem estar.Infelizmente falta o bom senso...

"Duvido Sempre, por isso busco"

Em "O Discurso do método",Descartes, desenvolve um método que tem a dúvida como principal ferramenta na construção do conhecimento.Em determinada fase de sua vida, ele se encontra em meio a dúvidas sobre tudo o que aprendera desde a infancia, e então, deixa de lado as crenças, e a sabedoria de sua época, e passa a ver as coisas através da sua razão, sem se deixar enganar por aquilo que seus olhos veêm, pois muitas vezes eles nos enganam.Acho que nunca chegaremos a uma verdade absoluta, mas, acredito que através da razão ,podemos fugir das alienações que nos perseguem em toda parte, e assim teremos a possibilidade de um dia chegar ao menos, perto da verdade.
Mesmo sob tantas dúvidas, Descartes não se afasta da idéia de Deus, pois percebe que há algo de natureza maior ,possuidor de todo o conhecimento.Assim, pode-se fazer um paralelo com o livro do Gêneses, onde o homem é criado a imagem e semelhança do criador e então, percebe que pode dominar o todo.O homem domina o todo através das dúvidas,pois busca respostas para todas elas.

O pensar...

Segundo o dicionário, dentre outros significados, encontramos a seguinte definição para a palavra conhecimento: "Informação ou noção adquiridas pelo estudo ou pela experiência”; quando nos deparamos com a mesma fonte, o significado da palavra ciência possui uma certa familiaridade com o significado de conhecimento por se tratar de: "conjunto metódico de conhecimentos obtidos mediante a observação e a experiência". Conseguimos perceber, então, o que Descartes queria dizer quando se referia que a ciência se orienta pela razão do homem, homem esse dotado de hábitos, experiências e histórias que influenciam na maneira em que cada um formula seus conceitos para que deles absorvam o conhecimento e assim explicarem como funciona a sistemática do mundo.

Descartes vê o conhecimento de maneira universal e fragmentada pela realidade, que seja algo processual para que disso surja o aspecto de um todo e chegue assim a uma verdade absoluta. O conhecimento provém de Deus, sendo esse a base que dá coerência para que o homem compartilhe todo o saber. O ser humano depende então de seus conceitos, raciocínios, compreensões, interpretações, para que assim possa transformar o mundo associado a toda e qualquer natureza humana.

Enquanto me deparava com todas as informações, fui tão longe buscando entender toda a sistemática de Descartes que me veio a cabeça em algum momento o seguinte trecho de uma música de uma banda nacional," e o pensamento é o fundamento, eu ganho o mundo sem sair do pensar" (Pensamento - Cidade Negra), momento no qual me vi fazendo parte dessa teoria de conhecimento que ele cita, o qual anexo o endereço para a visualização do vídeo ao comentário.


http://www.youtube.com/watch?v=fLgd4j9LX5g


Rita de Cássia Fernandes Henrique. 1º Serviço social, noturno.


Razão expandiu a visão.


No principio o irreal conduzia
Embasado na astrologia e alquimia
Descartes introduz a razão
Transformando o pensar e sua construção.

Homem moderno produz tecnologia
Impulsionado pela dúvida que o guia
Todo conhecimento tem explicação
Deixando de lado hábitos e limitação.

Cabe ao homem utilizar a ciência
Como forma clara para sua sobrevivência
Nas rédeas do capitalismo a inovação
Proporcionada ao mundo pela criação.

Portanto, deixa de lado o sobrenatural
Inserindo a razão na sociedade do capital
Configurando ao amplo conhecimento
Impulsionado a todo desenvolvimento.



Larissa Barbin Gasola 1°ano SS - Noturno

A razão é adaptável

O verdadeiro conhecimento só se alcança e nem sempre plenamente através da busca motivada pela curiosidade.Um conhecimento nunca vai ser pleno em nenhuma área que se possa imaginar, a busca pela sabedoria se dá através de experiências que de algum modo podem e devem ser compreendidas pela razão.
A razão surge do incerto.A razão nem sempre é a mais apropriada, não a primeira vista, pode-se existir ''razões pessoais'' que na verdade são confundidas, são apenas opniões fortes e que o autor da mesma passa a acreditar como verdade absoluta.Ainda assim não podemos considerar a ''razão pessoal'' como errada e sim apenas como um modo diferente de enxergar a realidade.
E sendo assim a realidade se torna complexa pois apesar de existir apenas uma e ser a mesma para todos ela passa a se diferenciar conforme a visão de cada pessoa, e isso se deve a forma de educação e crenças, porém, para se chegar ao racionalismo é preciso estabelecer um pensamento em que todos concordem e aceitem o pensamento central.E como característica do ser humano ele adaptará o pensamento da forma que melhor lhe convém.
Racionalismo é um pensamento que procura ser o mais exato conforme as ciências.E que individualmente se mantém apenas as regras, medidas e exatidões igualitárias no saber de cada pessoa e de alguma forma passa a ser diferente pelo jeito que cada uma compreende.

Racionalismo, os primeiros passos!


Qual será o método de Descartes? Como observa e compreende o mundo? Filósofo, matemático, físico, teólogo. Muitas coisas em um homem só. Ao questionar a existência de tudo, assim como a própria, chegou a uma conclusão: “penso, logo existo”. Mas será mesmo que a existência está na consciência? E não o contrário? Será que se deve pensar para existir ou a existência é apenas um fim em si, ou seja, ela é nada além dela mesma? E por essa razão é que forma a consciência?

O modelo proposto por René Descartes no “Discurso do Método” não rompe com a metafísica, entretanto funda as bases de uma nova perspectiva; a da lógica e do raciocínio. Este é o principal legado deixado pelo racionalismo para as gerações que o precederam. E, por isso mesmo que Descartes é considerado o “pai da modernidade”, pois propôs a um mundo ainda mergulhado em crenças e dogmas, caminhos inteligíveis, privilegiando, dessa maneira, a razão.

Pedro Fernandes Russo - 1º SS - diurno

Um paradóxo chamado Descartes.

Descartes, em suas proposições do "Discurso do Método", inaugura conceitos que agora são banais, mas que anteriormente causavam reações.
A falseabilidade foi um dos paradigmas primordiais em suas ideias, juntamente com a fragmentação dos pensamentos, das teses, a fim de se chegar num resultado específico, numa síntese; que posteriormente tornar-se-ia em uma nova ideia e em uma nova conclusão, inaugurando, dessa forma, uma espécie de dialética.
Entretanto, seus conceitos também carregam contradições. Uma delas é a afirmação e inquietação de se chegar em uma verdade, tal como explica em "... discernir entre o verdadeiro e o falso, que é justamente o que é denominado bom senso ou razão...", uma vez que ao citar o conhecimento como fragmentado e progressivo é impossível concluir uma verdade absoluta.
Outro preceito contraditório é a afirmação da existência e perfeição de Deus. Descartes não rompe com a religião e planifica o postulado do livro dos Gêneses, em que o homem, sendo a imagem e semelhança de Deus, percebe e domina o todo. Porém, rompe como conhecimento revelado pelo misticismo, ou seja, se faz contraditório, uma vez que não cita um método que comprove a existência de um Deus, mas sim acredita nesse Deus, mesmo Ele sendo mistico.

Maria Isabel Baldo Gorno 1° Ano SS/Noturno

"Saber que a consciência anda sobre o plano de fundo do desconhecido"


René Descartes desenvolveu toda uma metodologia de análise matemática, representando um passo a mais no conhecimento de sua época. Trazendo novas posições de como conhecer e o porque conhecer com sentido lógico. Reformando o conhecimento. Descartando alguns pensamentos que desde pequenos as crianças de sua época foram influenciadas a acreditar. Foi algo decisivo pra ciência que temos hoje...Nisso ele foi muito lúcido.
Para ele, dúvidarmos da verdade também é existir. O fato de criarmos uma idéia de Deus já é significante a sua existência. "Ela acreditava em anjos, e por acreditar, eles existiam" (Clarice Lispector)

Seu método serve pra esmiuçar o raciocínio de forma que não haja erro, já que sua fonte é especialmente a matéria de "exatas" o que já deixa claro seu objetivo.

Todos os homens possui o ato de julgar. Seja com opiniões diferentes ou não. Como sendo a dúvida natural até encontrarmos a evidência: avaliamos, intuimos, imaginamos, deduzimos e demonstramos. E mesmo assim, por muitas vezes tanto os sentidos como a razão nos enganam. Ele afirma que temos então que sermos consciente, acreditar na possibilidade do pensamento chegar quando "ele" quer, e não quando "eu" quero. Mas "ele" quem? a razão ou quando ELE o todo poderoso quiser? Acredito que assim como Friedrich Nietzsche: "Por detrás de teus pensamentos e sentimentos, meu irmão, se encontra um poderoso senhor e um sábio desconhecido - ele se chama si mesmo. Ele habita o teu corpo, ele é o teu corpo. Há mais razão em teu corpo do que em tua melhor sabedoria. E quem sabe, aliás, para que o teu corpo necessita justamente da tua melhor sabedoria? Teu si mesmo se ri do teu eu e de seus saltos orgulhosos. 'O que são para mim esses saltos e asas do pensamento'?, diz ele consigo. Um desvio para as minhas finalidades. Eu sou a andadeira do eu e aquele que infla os seus conceitos."

Em outras palavras, somos o pensamento da "massa" em muitas situações de nossa vida. Pensamos, sentimos, agimos e criamos aquilo que é de muitos e não da nossa originalidade. Falamos da possibilidade de superar e descobrir a nossa singularidade até hoje, o primeiro passo seria descobrir que a consciência é um instrumento da sociedade e saber as armadilhas que ela se encarrega em seus processos, depois disso quem sabe cria-se uma nova ideia de "Penso, logo existo".



Joseane da Silva Poli - 1º ano SS - Noturno