sexta-feira, 25 de março de 2011

Combinação rigorosa com a razão e o experimento

Para Francis Bancon apenas o pensamento e somente o labor da mente não pode guiar até a ciência, para que ela seja digna de confiança é preciso ser dita com experiência. Esse experimentar é simplismente ir além da teoria. Isso se torna extremamente necessário, ter que ir além do que eu posso fazer com minha mente porque quando ela segue por si mesmo, quando deixamos ela nós guiar ela pode seguir alguns caminhos equivocados . Ele sentia uma angustia assim como Descartes ao se lembrar dos homens gregos pois toda ciência deles não houve nem um experimento que serviu para melhorar a condição humana nada servia para o bem comum. Só tava tagarelado, eles não criavam, era incapazes de gerar. Para ele a ciência tem o dever de criar de inovar e para que haja inovação é preciso explorar , buscando a verdade em métodos científicos.



Não se aprende bem a não ser pela experiência. (Francis bacon)

Adrielly Bevilaqua Stefani 1°ano de SS -Diurno

Experiência e ação


O homem atual vive um período conhecido como pós modernidade, onde a constante busca, vai além de bens materiais, busca-se o imaterial, como grande exemplo, as redes sociais na internet, que gerou lucros incalculáveis se comparado com produtos materiais, que necessitam de um certo tempo, e de determinados métodos, para que exista.
Francis Bacon, nesse sentido, nos leva a pensar na importância da experiência, buscando sempre fazer uma ciência verdadeira, onde o intelecto deve agir de forma direta com as mãos e vice-versa.
E nesse contexto também, podemos perceber que é a ciência que se faz através de especulações, como diz Descartes, não é ciência. A verdadeira ciência é aquela que vai além das teorias, pois a experiência é parte integrante principal dessa busca do conhecimento. Cria-se assim uma ciência, com idéias de claro entendimento.
Interligando a natureza, com os conhecimentos científicos, chega-se a descobertas de grande utilidade ao homem, pois com as tecnologias, o homem consegue domar a natureza, que por si só seria violenta, sem grandes utilidades para o homem.

Josilene Facioli, 1º ano Serviço Social diurno





A Reelaboração da Ciência




Com o texto " NOVUM ORGANUM " escrito por Francis Bacon, sugere uma transformação da ciência, que ela deixasse de ser apenas o exercício da mente e passasse a ser uma aliança entre a razão e a experiência. Critica a filosofia grega , que era abundante em sabedoria e improdutiva em obras.
A boa ciência é aquela que combina o intelecto com as mãos. Tem que unir a teoria a pratica. Bacon propunha dois métodos para a ciência : um que contemplava a filosofia tradicional e outra que buscava conhecimento pela investigação sem limites.
Sendo que a primeira ocorria a antecipação da nossa mente, que são os preconceitos e as pré-noções que conhecemos. Já a segunda, busca a interpretação da natureza através da exploração, gerando novas descobertas cientificas. Pois as ciências devem ser a representação do mundo, não podendo ser algo ilusório.
O conjunto descrito acima nos remete a ideia do avanço como algo que não tem fim, pois a partir do momento em que buscamos o saber podemos utilizar os recursos da natureza em nosso favor.




Livia de Paula Barbosa 1° Serviço Social - Diurno

Saber é PODER!!!

O pensamento de Bacon representa a tentativa de realizar aquilo que ele mesmo chamou de Instauratio Magna (Grande Restauração). A realização deste plano compreendia uma série de tratados que partindo do estado em que se encontrava a ciência da época, acabaria por apresentar um novo método que deveria superar e substituir os métodos antigos. Ele levanta uma crítica contra aqueles que tentaram impedir que estudos mais experimentais fossem concretizados, ele reconhece a grandeza dos grandes filósofos e seus estudos, porém levanta um questionamento quanto a coerência dos métodos antigos que segundo o ator eram incorretos “Porque, com efeito não podemos, no uso do nosso direito que, de resto, é o mesmo de todos-, reprovar e apontar tudo o que, da parte daqueles, tenha sido estabelecido de modo incorreto?”.
O Novo método não vem para anular o antigo, segundo Bacon, mas para uma continuação daquilo que se interrompeu.
O conhecimento científico para o autor tem por finalidade servir ao homem e dar-lhe poder sobre a natureza. A ciência deve restabelecer o império do homem sobre as coisas, a filosofia verdadeira não é apenas a ciência das coisas divinas e humanas. Saber é poder. A mentalidade científica somente será alcançada através da liberdade de uma série de preconceitos por Bacon chamados de ídolos. O conhecimento, o saber é apenas um meio vigoroso e seguro de conquistar poder sobre a natureza.

Maiara Alif 1º Ano SS Noturno

O poder do saber.


Francis Bacon acreditava que deveria ocorrer uma modificação, propondo uma nova forma para filosofia vigente na época. Pois tudo que tal ciência havia escrito até então não contribuía para o bem estar do homem.

Ele pensava que a ciência deveria realizar algo de útil e estar sempre inovando, casando a capacidade teórica com a prática.

Somente ocorreria essa modificação através da exploração a fundo em busca de novas descobertas, se desprendendo do senso comum e gerando algo cientifico e com base confiável, porque quando se faz um trabalho de campo,obtemos respostas verdadeiras.

O avanço na ciência é infinito, pois sempre terá algo inovador, mas para isso acontecer, é preciso pesquisar, estudar, aprofundar, ou seja saber para poder concretizar.






Angélica Borges de Sousa Pessoni Capel 1° Serviço Social / Diurno