sexta-feira, 1 de abril de 2011

Novas Observações

primeira vez postando.... Vamos ver se sai algo...
O filme Ponto de Mutação aborda um tema que deve ser levado em consideração. Tentar enxergar as coisas com uma nova perspectiva, tentar trabalhar com o todo para melhor interpretação do funcionamento do nosso objecto de estudo, sem dissecar o objecto, observa-lo além dele: como ele se interage com o que está em sua volta, qual é o seu papel dentro de um sistema tanto ecológico, físico, social entre outros. Com isso caminharemos para um verdadeiro progresso sustentável e uma conexão mais saudável com a natureza seria estabelecida.

RELAÇÕES OU CONEXÕES?


O filme Ponto de Mutação sintetiza a reflexão a cerca da necessidade de uma mudança de paradigma no trato e conceitução da ciência contemporânea. Hoje se exige do cientista a compreensão dos fenômenos como sistêmicos e integrados. Torna-se enecessário que a interpretação da vida seja encarada de uma forma nova. Explicar a vida não mais a partir de suas partes fragmentedas e isoladas, mas o grande dasafio apontado na obra, reside em buscar uma percepção das conexões e associações sistêmicas do mundo com o ambiente ecológico. O roteiuro faz uma crítica a insxistência de uma ciência pura justificada em sí mesmo a partir da autonomia dos cienmtistas em fazer a escolha dos assuntos que mais os fascina isentos de qualquer influência externa de caráter político ou mercadológico. Os filósofos do século XVIII foram citados, a exemplo de Descartes e Newton, por serem representantes de uma forma de conceber a ciência dentro dos princípios e valores mecanicistas. Os pensadores racionalistas e mecanicistas, dessa forma, determinaram os rumos da ciência no ocidente, forma que permaneceu hegemônica até os dias atuais. Segundo o filme, é essa noção de mundo que já não basta para explicar o presente. O filme esboça a idéia de uma nova percepção científica denominada de Teoria dos Sistemas, segundo a qual todos seres vivos estão integrados através do sistema sociais e por ecossistemas. Essa visão holistica integra as partes com o todo e permite que sejam feitas as interconexões existentes entre a VIDA e as MATÉRIAS. É preciso que o mundo sja pensado como processos integrados e não como estruturas. O pensamento cartesiano elabora a sua percepção mecanicamente. A metáfora do relógio perfeito já não serve mais para analisar os padrões globais complexos do mundo contemporâneo. Com a mudança radical dos ideais e valores da humanidade, poderemos promover o avanço de um novo padrão de ciência que proponha a efetiva resolução de parte dos problemas da humanidade sem criar outros muito mais nocivos. Somente assim, a ciência alcançará um patamar ético aceitável para a convivência entre homem e natureza, entre a vida e a sua reprodução saudável. Um salto de qualidade, um "Ponto de Mutação". Lúcio Willian Mota Siqueira, 1ª ano de Serviço Social - Diurno

Uma nova percepção



O filme " PONTO DE MUTAÇÃO " aborda diversos assuntos. Analisa as teorias de René Descartes e Francis Bacon. Não diz que elas estavam erradas, mas como os tempos são outros precisamos de uma nova maneira de entender a vida.

Para Descartes a noção de universo vivo, foi substituído pelo mundo como uma máquina. Podendo assim fazer uma metáfora com o relógio. Que poderia ser desmontado reduzido a peças simples, fácil de compreender, para depois entender o todo. Ver o mundo como uma máquina pode ter sido útil a 3 séculos atrás.

Critica a maneira de Bacon, que acreditava que os cientistas com seus aparelhos deviam torturar a natureza para obter seus segredos, colocando-a para trabalhar a seu favor.

Podemos concluir com uma frase de Thomas Jefferson " É tolo uma sociedade apegar-se a velhas ideias em novos tempos, como é tolo um homem tentar vestir suas roupas de criança "





Livia de Paula Barbosa - 1° Serviço Social - Diurno

O Mundo e o Relógio


A trama se passa em um castelo medieval localizado no litoral da França ,com três personagens principais: um político, um poeta e uma cientista. Ambos frustrados com o seu modo de vida e trabalho.

O filme gira em torno de um diálogo,sobre vários assuntos, na tentativa de explicar a vida não mais a partir de suas partes fragmentadas e isoladas (pensamento MECANICISTA ), mas em buscar uma percepção das conexões e associações sistêmicas do mundo com o ambiente ecológico, uma visão integrada do mundo (pensamento HOLÍSTICO).

" No fim das contas, gostemos ou não, somos todos parte de uma teia inseparável de relações."


Mayara Laudares Costa 1°SS Diurno