domingo, 10 de abril de 2011

O positivismo

Em seu curso de filosofia positiva, Auguste Comte, explica a marcha progressiva do espírito humano em seus três estados históricos. A primeira, filosofia teológica, que até o século XVII era atribuída à religião que pregava a vida após a morte, a salvação eterna, e que foi necessário a um ponto de partida para o inicio de todos os questionamentos acerca dos estudos filosóficos. A segunda, a metafísica, que trazia conceitos extra-físicos se orientava pela razão e pelo senso comum.
Essa filosofia, segundo Comte, serviu de ponte, transição necessária a uma mudança maior que levou a humanidade a seu estado fixo e definitivo: o pensamento positivo.
Ele descreve esse espírito positivo com um caráter generalista onde todos os fenômenos estão sujeitos a leis naturais invariáveis e ordena-os por seu grau de generalidade, simplicidade e independência visto que não atingiram seu grau de maioridade simultaneamente, citando-os por ordem de amadurecimento como fenômenos astronômicos, seguidos pelos fenômenos da física terrestre, da química e enfim os fenômenos fisiológicos, restando aí, uma lacuna referente às físicas sociais.
Segundo ele, essa lacuna deve ser preenchida afim de dar caráter de universalidade à filosofia positiva, e capacitando-a então a substituir definitivamente a teologia e a metafísica.
As características básicas dos estudos positivos seriam o trabalho intelectual aperfeiçoado progressivamente e a universalização dos estudos, com as ramificações das ciências se organizando em relações mútuas de trabalhos contínuos e instalando uma nova ordem de estudos integrados: o estudo das generalidades, descobrindo as relações existentes em cada uma das ciências, globalizando-as.
Quatro propriedades fundamentais foram determinadas para a instalação desse espírito positivo. A primeira seria o estudo de todas as faculdades intelectuais a partir de duas óticas: a estática e a dinâmica. A segundo seria a reforma geral do sistema de educação da época. A terceira, o progresso particular das diversas ciências positivas através do estudo das generalidades. E finalmente a reorganização social, combatendo a anarquia intelectual que causa a crise política e moral das sociedades. É preciso reunir todos os espíritos em princípios comuns de ética e moral, analisar a sociedade no que ela tem de mais concreto e pensá-la sob ótica da estática e da dinâmica, buscando a ordem em função do progresso, chegado-se ao máximo da evolução e do equilíbrio social.

O espírito positivo aplicado à sociedade

Dentro desse espírito cada indivíduo tem a clara noção de que é importante para o todo, e consciente disso, se propõe a colaborar para o bem comum dentro do seu papel na sociedade.
Para Comte, essa ordem social dá equilíbrio necessário à evolução da sociedade, assegura a segurança necessária para se produzir bens e riquezas. O papel da sociedade positiva é traçar fórmulas que expliquem os fatos sociais e que constituam leis, dar a impressão científica necessária às teorias sociais, analisar a real e o concreto, prever para planejar ações, traçar um padrão de conduta adequado à sociedade.
E para garantir essa ordem é necessário que se estabeleça o bem estar social para que cada um cumpra seu papel dentro de seu "lugar social". É preciso seduzir as massas com uma política popular efetiva; com educação positiva e universal, a educação pública seria o melhor meio de se estabelecer o positivismo, pois o proletariado, por não ter esse conteúdo metafísico, próprio da comunidade científica, está aberto a aprendizagem positiva.
Comte, lança assim, a idéia de uma organização social solidária onde a felicidade está ligada ao bem público e comum, numa sociedade ética e moralizada onde cada um cumpre o seu papel com satisfação.


Metafísico...Positivismo?


Segundo Comte, passamos por 3 etapas na vida: teológica, metafísica, e por ultimo positivismo. Positivismo é o método rigoroso de entender o que é a humanidade e tentar saber o por quê de estarmos insatisfeitos. Nessa etapa o espírito humano para de pensar na originalidade e destino do universo e passa a se preocupar com o uso do raciocínio e da observação; no que deixa de ser abstrato e passa a ser real.
Acho que todos temos nossa individualidade e o nosso modo de pensar, cada um tem suas crenças e fantasias e sonhar faz parte de nossas vidas e é com muitas lutas e esforço, que conseguimos um espaço e fazemos um mundo melhor...

Manter a ordem,obter progresso


Para entender o positivismo é preciso buscar pelos fatos históricos que ele surge.
O positivismo é a ''mãe'' da sociologia,dele surge as ciências sociais.
Não se pode desmerecer a ciência de uma sociedade que vem através do positivismo,é dele que vem a primeira tentativa de fazer análise da mesma.
A maneira mais concreta de analisar as vivências reais de perto é passando por aquilo que é analisado.Augusto Comte é um dos princípios do socialismo.A ideia de justiça para ele é uma distribuição de renda,não a utopia de um socialismo irreal onde de uma hora para outra todos ficam bons.Observar os elementos reais da sociedade faz parte do positivismo,ou seja,é buscar por uma ciência que sai do abstrato,que sai das minhas ideias e chega no real,no concreto,no positivo.
O positivismo entende o que está ''errado'' diante da ordem da sociedade,combate contra o errado a volta da ordem,trabalhando o social bem definido.Não basta acompanhar o comportamento de longe,é preciso chegar mais perto do acontecimento,dos fatos.
A principal ciência para Comte é a sociologia onde para o mesmo não existe conhecimento sem fatos observados.
Positivismo é uma ciência de combate e ação.Observo,compreendo e transformo.Cada qual tem o seu lugar e é preciso cuidarmos de cada ordem com o mesmo zelo,com a mesma solidariedade já que cada elemento liga uma pessoa á outra.
Para manter harmonia é necessário que cada um cumpra o seu papel.Toda transformação e mudança surge a partir da iniciativa de cada individuo.


Imagem retirada do site aprovadonovestibular.com