quarta-feira, 20 de abril de 2011

"Progresso"

Segundo a visão positivista de “Comte” o progresso vem com a ordem; a mesma em que não existe mobilidade social. Um proletário por exemplo não deverá almejar uma ‘’posição’’ mais importante, em que somente os com estudo e todo um preparo estarão aptos a ocupar; Preparo esse que só os da alta sociedade recebem. E é nesse sistema que o progresso acontece.

Será que existe realmente progresso em um sistema onde somente alguns desfrutam e são favorecidos pelo mesmo, em quanto outros são usados de base permanecendo presos ‘’a margem’’ por esse ciclo vicioso?.




Amanda Inacio Faciroli 1º ano S.S noturno


Quem foi que disse, que Deus é Barsileiro e existe Ordem e Progresso ?


Ninguém mais, ninguém menos que Augusto Comte, que vem com sua filosofia positiva, nos convidar a compreender a sociedade.

Em seu" curso de filosofia positiva", ele explica segundo a sua própria visão, como ele interpreta a sociedade, como uma grande máquina, que necessita de todas as peças em seus devidos lugares, sempre fazendo seu papel, isso pra ele seria uma sociedade saudável...

Mas como todos sabem, nem todos na sociedade aceitam o papel que foi lhes dado, principalmente quando nesse papel inclui trabalhar durante horas em recinto fechado, em troca de migalhas, então quando essas pessoas decidem não executar os seus papeis, começam a fazer greves, viram revolucionários, ou simplesmente se recusam a trabalhar e se tornam mendigos, pedintes e mulheres da vida, nesse ponto é que a história se complica para Comte, essas camadas se tornam anomalias na sociedade, orgãos doentes que devem ser curados...

Assim como um apêndice não pode querer ser estômago, e estômago não pode querer ser cérebro, operários não podem querer ser patrões, cada um deve ficar aonde está e cumprir bem suas funções perante sua condição. Esse é o conservadorismo, que Augusto Comte achava que a sociedade deveria manter, conservar tudo na perfeita ordem para assim se obter progresso. ( com certeza ele não era um proletariado, até porque proletariados não tem tempo de estudar nem de escrever.)

Nos dias de hoje sofremos forte influência do Positivismo, que pode ser visto como braço direito do capitalismo. E o assistêncialismo ajuda na cura das camadas doentes da sociedade, atuando nos direitos sociais e no psicológicos dos cidadãos, para que eles possam continuar “cada um no seu quadrado”, porém com dignidade, já que o sistema nos obriga a fazer parte dele.


Bruna Daniély Martins 1° SS Noturno.

Quebra-cabeça social.

O Positivismo de Augusto Comte vem como uma "tentativa" de analisar e explicar a sociedade de modo que cada indivíduo ocupe o seu papel social. Nesta época a Europa estava passando por várias revoluções, Comte então traz a sua Filosofia Positiva despreendida de idéias teológicas e metafisícas, para que as pessoas pudessem entender o seu papel social e aceitá-lo. Ou seja você nasce filho de operário portanto deve continuar sendo operário e assim o filho do patrão deve continuar sendo patrão.
Seria basicamente ver a sociedade como um quebra-cabeça onde cada peça já veio moldada para exercer exatamente a sua função, portanto não pode ser mudada de lugar pois não encaixará.
Dentro da perspectiva positiva se uma pessoa se revolta é porque ela não está bem assistida socialmente para desempenhar sua função, então cabe ao Estado lhe assegurar todos os seus direitos para esta não tenha do que se queixar e continue a cumprir o seu papel social.
Apesar de ser uma idéia extremamente conservadora, não podemos ignorar que o positivismo foi uma primeira tentativa de ser criar uma ciência social, de se estudar a sociedade. E é por causa desta ciência, que se originaram as demais ciências sociais.