quinta-feira, 21 de abril de 2011

Comte



É importante conhecer a biografia do aoutor antes de analizarmos sua obra, pois encontramos pistas para entender um pouco mais sobre sua linha de raciocinio. Sendo assim um pouquinho de Comte para vocês: Isidore Auguste Marie François Xavier Comte (1798-1857), já aos 16 anos ingressou na escola Politécnica de Paris. Foi secretário do conde Henri de Saint-Simon em 1817, expoente do socialismo utópico, que apos um periodo se separou por discordar de algumas ideias do mesmo.



Apos um colapso nevoso enquanto trabalhava na criação de uma filosoia positiva em 1826, se recuperou e iniciou a redação de Curso de Filosofia Positiva, trabalho que lhe tomou doze anos. Em 1842 perdeu o emprego de examinador de admissão á Escola Politécnica por critica a corporação universitaria francesa, passou a ser ajudado por adimiradores e se separou de Caroline Massin, apos 17 anos de casamento. Apaixonou-se por Clotilde de Vaux em 1845, ela morreria no ano seguinte por tuberculose.



Em 1851 e 1854 redigiu o Sistema de Politica Possitiva, no qual expôs algumas das principais consequencias de sua concepção de mundo não-teologica e não-metafisica. Em 1856 publicou o primeiro volume de Sintese Subjetiva, projetada para abarcar quatro volumes. Mas não pode concluir a obra ao falecer, possivelmente de cancer, em 5 de setembre de 1857 em paris. Sua ultima casa, na rua Monsieur-le-Prince, n. 10, foi posteriormente adquirida por positivistas e transformada no Museu Casa de Auguste Comte.



VALENTIM, Oséias Faustino. O Brasil e o positivismo. Rio de Janeiro: Publit, 2010. no site: http://pt.wikipedia.org/wiki/Auguste_Comte

Guieni Kelly Bandim de Castro

Voltando atrás

Antes de começar a falar sobre Comte, preciso me retratar sobre algumas colocações as quais tirei como base a minha ultima postagem. Confesso que estava confusa sobre o que de fato Bacon e Descartes representaram para a evolução humana; se para o bem ou para o mal. Estive pensando se você leitor do blog também não teve as mesmas duvidas, afinal que linha de pensamento seguir.


Com mais tempo para refletir sobre tal assunto cheguei a conclusão que , no mundo nada há de tão perfeito quanto Deus. Não basta julgar quem esteve certo ou errado mas analizar que sem tais métodos pré estabelecidos não haveria procura de novos horizontes, nem teríamos chegado onde chegamos da forma que chegamos; se bem que não sei se isso foi bom ou ruim mas... também não teríamos chegado em Comte , que por sua vez não merece nossa critica ou exaltação , mas a expressão lógica de seu raciocínio para uma futura compreensão do todo.


Espero ter sido clara, acho que ainda é muito cedo para tomarmos partido sobre um lado a seguir, é preciso conhecer mais. E eu em partes, me equivoquei na postagem anterior, colocando Bacon e Descartes como dois "monstros", ainda não tenho tanta certeza disso e devo esperar os próximos capítulos da historia, muita agua ainda vai rolar.


Guieni K. B. Castro