domingo, 24 de abril de 2011

Comte no futuro

"Comte leva o método de Descartes das ciências naturais para as ciências humanas e sociais completando o método que seria seguido por muitos anos ainda." A interpretação da filosofia tradicional é muito abstrata a filosofia positiva busca o âmbito real. De Bacon e Descartes para Comte se passaram dois séculos de grandes acontecimentos como a revolução industrial.



Assim como no período em questão, que se buscava o crescimento satisfatorio de industrias sem analizar as concequencias, hoje o que presenciamos é a evolução da era virtual. Não existem leis para os abusos que se tem acesso nossos filhos, um assassino ou um pedófilo, estão todos interligados em uma só rede de acessos as mesmas informações. A punição oferecida para a sociedade é o desrespeito encontrado dentro das escolas praticado por nossas crianças, a violência sem precedentes relatada pela midia e o discórdia entre famílias dentro de seus próprios lares por opiniões divergentes. Observo que Comte lutava pelos seus ideais em favor de uma sociedade que foi esquecida pela evolução das maquinas, mas não seria necessário um "Comte" para o século XXI, que de alguma forma reorganizasse o sistema para que os direitos dessa nova geração que esta sendo recentimente criada fossem revistos.



Achei relevante essa colocação já que o assunto abrange o descaso, a falta de limites e de leis essenciais para a organização da ordem. Até onde vamos chegar? Se imaginava o "futuro" com robôs dominando o mundo, mas o que a Internet por exemplo tem influenciado na vida da sociedade? Enquanto uns compram televisores 3D de cinco mil reais outros ainda não tem acesso a agua potável para o consumo de sua família; e por outro lado somos todos iguais diante de uma tela de computador.








Guieni K. B. Castro

Uma ciência a serviço da sociedade



No positivismo de Augusto Comte vimos que antigamente não existia uma ciência que compreendesse a vida das pessoas.Como por exemplo porque ocorre o exôdo rural,outro exemplo seria a relação do homem sociedade. A partir disso nasce o positivismo.



Nesta cîência positivista prega o ato de interpretar a sociedade que seja possível e não aolgo utópico.



Comte observa a sociologia como um estudo complexo, pois lida com o ser humano que está em constante transformação.


Valdirene Viviane do Nascimento. 1° Ano Serviço Social Noturno

Um olhar metafísico do Positivismo


Em 1930, a sociedade européia começou a sofrer transformações com a introdução do capitalismo e a assunção do mercado. Diante desse momento histórico com transformações profundas e também diante dos "dominados", August Comte sentiu a necessidade de analisar a sociedade de maneira positiva, ou seja, do que ela tinha de mais concreta e com um olhar matafísico (além do físico), observando a sociedade em movimento. Assim se deu origem ao Positivismo. Para isso, Comte levou em consideração 3 princípios:

1) Vislumbrar as leis da física (estática=ordem) e (dinâmica=progresso).
Esse princípio visava diagnosticar se a sociedade caminhava na ordem, para consequentemente progredir. Para Comte tudo aquilo que dizia respeito a manutenção da ordem deveria ser mantido e não mutável. Por isso Comte é contestado atualmente, pois oferece pouca margem na evolução do ser humano e da sociedade.

2) Reforma da educação: Romper com o isolamento das ciências para que as pessoas cumprissem suas funções convencidas de que estavam exercendo seu papel na sociedade.
Nessa mesma época (1931/1932) nascia a USP para formar pessoas pensantes e também, (1932/1933) dava-se introdução ao SENAI, visando aumentar a mão-de-obra no mercado.

3)Conhecimento é uno: Seu objetivo era fazer com que as pessoas se sentissem importantes e que a sociedade de alguma forma precisavam delas para exterminar com aqueles que não trabalhavam nem estudavam e dessa forma, só davam prejuízos a sociedade.

Essa nova ideologia, o Positivismo, atingiu o Brasil de forma muito intensa, podendo ser notada na nossa bandeira (ordem e progresso); na ditadura militar (pois para o positivismo o estado deveria ser forte e antiliberal para cuidar de ambas as classes sociais). Porém as pessoas eram proibidas de se expressar e seus ideais de vida eram totalmente vetados.



Comte na sociedade brasileira.


O conceito positivista que hoje sofre tantos rótulos por parte de muitas pessoas ditou a regra em nosso país de forma evidente no período militar e ainda temos vestígios deste conceito até hoje. O conceito positivista é travado por ser conformista e ter na sociedade a idéia de estagnação das classes. Não é porque um pai operário teve um filho que este por destinação será operário também, depende de cada individuo mudar o curso de sua história. Na verdade Comte é interpretado como alguém que prega a proteção das elites, enriquecendo-os cada vez mais e à grande massa pobre, que é o “câncer” da sociedade, à ela é dado apenas um pequeno tratamento para que não atrapalhe o restante da sociedade. Mas como negar Comte na sociedade atual que vivemos? No período militar que foi a época em que o positivismo esteve presente na nossa sociedade de forma ativa, foram “conquistados” direitos aos cidadãos e até hoje os temos, talvez com nomes diferentes apenas. E mais ainda: ao vermos a grande massa empobrecida podemos dizer que é impossível acabar com a miséria que vemos atualmente e as atitudes de todos os governantes é justamente tratar esse “câncer” de forma bem leviana, para que se passe a impressão de que se está agindo para curar, quando é apenas para remediar as situações. Nós, que somos a grande massa negamos Comte, mas se as pessoas que realmente governam nosso país e mesmo todos os comandam os países capitalistas não negarem essa doutrina, sonho de uma sociedade igualitária não passará nunca de uma utopia.
Raquel Aparecida de Mesquita
1º Ano de Serviço Social Noturno.

Conexão Social


O espírito positivista consiste em compreender a idéia de justiça social como cada um em seu devido lugar dentro da sociedade, o pobre em seus lugares de pobres e os ricos em lugares de ricos, sem a existência da utopia. É a realidade de cada um, não fantasiando a organização de níveis sociais de forma superior, pois, para que haja progresso não é possível que todos estejam nas classes mais altas. Também é de suma importância a mão de obra da classe mais pobre.

Positivismo consiste em analisar aquilo que sai do abstrato, é o real, o concreto. Comte se propôs a dar um curso a fim de treinar a humanidade para a realidade, entender porque homens e mulheres saiam infelizes às ruas, porque se sentiam incomodados em serem comandados sendo que este tipo de dominância já existia há muito tempo.

Comte entendia a sociedade como um corpo, o qual consiste de uma mente no topo com a função de administrar sendo o intelecto; os braços e as mãos sendo as mãos-de-obra dos trabalhadores, pessoas de mais baixas classes; e sendo o corpo o órgão com capacidades de manter o equilíbrio das estruturas do todo, representadas pelos ministérios do trabalho, educação e saúde. Uma doença que afeta o corpo, seria na representação uma patologia social, a qual também necessita de métodos eficientes de cura.

Definiu como chegada ao estado positivo, o último estágio da construção do conhecimento, sendo esta dividida em: 1º estágio Teológico; 2º estágio metafísico. A Teologia se faz presente na nossa infância, a metafísica na nossa juventude, e física na nossa virilidade.

Para a aceitação da humanidade perante ao conceito positivista, compreendeu-se como necessário dar às pessoas conhecimento mais amplo afim deles compreenderem a importância da sua função/responsabilidade social, destacando que, conhecimento é uma combinação de várias ciências. Idéia de reeducar para implantar novos homens e mulheres no mercado.

Na sociedade moderna claramente concluímos que não mais é positivista, pois possui traços de emancipação e evolução. Algo que com toda certeza a curto prazo pode dificultar e até mesmo bloquear o progresso com qualidade de toda a sociedade. Podemos ter como conclusão a seguinte frase: “Para uma rede se organizar, ela precisa de um mínimo de estrutura, e, para tal, é natural que se estabeleça uma divisão de funções, e, portanto, uma certa hierarquia” (FRANCO, Augusto. "É possível, sem um mínimo de hierarquia?" Carta Rede Social 177 (20/11/08). Disponível em: <http://augustodefranco.locaweb.com.br/cartas_comments.php?id=299_0_2_0_C> Acesso em: 23 Abr. 2011.


Marlu Barcaroli - 1º SS diurno

Pensandores e operários

Conte, um sociólogo tão complexo,e ao mesmo tempo crítico.
Positivismo: anti-liberalismo; análise concreta da sociedade real, e não utópica.
Para ele, era preciso que a sociedade, fosse movida pela ordem, podemos exemplificar esse positivismo através do processo de modernização brasileira; também com a escrita da nossa bandeira nacional, "Ordem e Progresso" , e até mesmo no período da ditadura militar, isso deixa claro que o positivismo ainda continua presente nos dias atuais.
É bom relembrar que na década de 30, o Estado tinha que ser forte para comandar, para manter a ordem, e surge então: a USP (colaboração para os futuros pensadores), o SENAI (colaboração para os futuros operários), MT (Ministério do Trabalho), MS (Ministério da Saúde), ME (Ministério da Educação), ou seja cria-se a ordem que até hoje seguimos...




Elvira Mendes Flóro 1º ano. Serviço Social Noturno

''A liberdade é o direito de fazer o próprio dever''

Em seu surgimento, Positivismo significava a criação de uma nova ciência, visando o progresso do conhecimento, baseado nos fatos e na experiência. Havia uma grande necessidade de compreensão e interpretação da sociedade, novas classes sociais surgiam, transformando a vida das pessoas, gerando insatisfações e pequenos grupos organizados. A Metafisica e pensamentos Teólogos empregados até então - sendo abstratos e profundos - pouco serviam para qualquer mudança válida.


Passava-se a analisar o real, suas utilidades para transformações, combatendo-as. Seus pontos chaves: Interpretação / Compreensão / Combate. Porém, a ideia era que existe lugares sociais definitivos, uma ordem e progresso. Não era ser neutro e sim fazer sentido. Para Comte era preciso observar a sociedade para que tivéssemos uma boa fundamentação e certezas com príncipios básicos. "O Real frente ao quimérico, o Útil frente ao inútil, o Certo frente ao incerto"






Joseane da Silva Poli - 1° SS - Noturno




Vamos manter a ordem!


Num cenário em que já existia ciência para compreender o corpo humano e os astros, o Positivismo de Augusto Comte surge da grande necessidade de uma ciência que estudasse e compreendesse a sociedade e seus fenômenos.


Nessa época, tínhamos a Filosofia que analisava a sociedade por uma visão abstrata, metafísica, similarmente à Teologia que interpretava a sociedade como dominada por uma força que a levava contra as vontades de Deus, uma vez que a Europa estava tomada por manifestações sociais nesse período. Insatisfeito com essas formas de analisar a sociedade, Comte propôs uma nova ciência que analisasse e interpretasse essa sociedade de forma concreta e não mais utópica.


Em sua obra “Curso de Filosofia Positiva” Comte defende que a sociedade deve funcionar de forma harmônica, seguindo o paradigma Newtoniano, isto é, na mesma sincronia que os planetas giram em torno do sol. Para isso a sociologia precisava desvendar a sociedade observando e detectando a “célula cancerígena” a fim de curá-la antes que essa contaminasse todo o organismo.


Isto é, operários ao saberem da possibilidade de uma mobilidade social logo organizavam manifestações e greves o que trazia prejuízos para seus patrões. Dessa forma, esses trabalhadores eram vistos como “células cancerígenas” que precisavam ser curadas.


O Positivismo é um Sistema onde não há mobilidade social, ou seja, a conservação das coisas como são, a ordem como pressuposto social. Essa sociologia tem uma finalidade política: auxiliar na manutenção do Sistema. Os operários assim como seus filhos devem continuar sendo operários, enquanto que os filhos de médicos, engenheiros, advogados continuem no mesmo ofício.


Cada membro da sociedade deve estar ciente de que sua função é de suma importância para o bom funcionamento do Sistema, dessa forma, os membros dessa sociedade, sobretudo, os operários, excluiriam de vez a possibilidade de crescimento, como por exemplo uma melhor remuneração e melhores condições de trabalho.


Sem dúvida, é um sistema extremamente cômodo para o Governo. Ele precisa apenas manter a ordem, ou seja, manter o proletariado satisfeito com sua atual situação, para isso foram criados os Ministérios do Trabalho, Saúde e Educação. O Positivismo proporciona ao Governo uma ordem para manter o capitalismo saudável e  a todo vapor.


Enfim, inquestionavelmente para manter a classe dos “burgueses”, aqueles que vivem de desperdícios e gastos exorbitantes, é preciso que nós, operários, continuemos cumprindo a nossa função no Sistema, ou seja, enquanto houver pobres, os ricos terão seus lugares garantidos. Devemos permanecer calados, comportados, limpinhos e com um lindo sorriso no rosto, assim segue o sistema na mais perfeita ordem rumo ao progresso.




Vida de gado

Zé Ramalho

Vocês que fazem parte dessa massa,
Que passa nos projetos, do futuro
É duro tanto ter que caminhar
E dar muito mais, do que receber.

E ter que demonstrar, sua coragem
A margem do que possa aparecer.
E ver que toda essa, engrenagem
Já sente a ferrugem, lhe comer.

Lá fora faz um tempo confortável
A vigilância cuida do normal
Os automóveis ouvem a notícia
Os homens a publicam no jornal
E correm através da madrugada
A única velhice que chegou
Demoram-se na beira da estrada
E passam a contar o que sobrou.

O povo, foge da ignorância
Apesar de viver tão perto dela
E sonham com melhores, tempos idos
Contemplam essa vida, numa cela
Esperam nova possibilidade
De verem esse mundo, se acabar
A arca de Noé, o dirigível
Não voam, nem se pode flutuar,
Não voam nem se pode flutuar,
Não voam nem se pode flutuar.

Eh, ôô, vida de gado
Povo marcado e,
Povo feliz
Eh, ôô, vida de gado
Povo marcado e,
Povo feliz

Mentes e Braços da Sociedade


Percebe -se que o positivismo de Augusto Comte nos mostra que para haver ''ordem e progresso'' nessecita -se das diferenças sociais. Cada ser na sociedade precisa cumprir seu papel para que haja uma harmonia. Sendo uma das bases do capitalismo. Dito isso, no meu modo de pensar, acho que se para haver ''ordem e progresso'' precisa de uma sociedade em que pessoas são tratadas como um nada, para que possam exercer seu papel de submissão e que não tem os mesmos direitos,e que pessoas são tratadas como ''senhores'' para que possa comandar a massa de ''proletariado'', acho que uma sociedade sem esses dois preceitos poderia ser muito melhor.Esse video que estou postando junto é de uma banda que gosto muito, e mostra as mentes e os braços da sociedade,que mostra a relação da necessidade com o outro.
No final apresenta essa frase : Some things cost more than you realise (Algumas coisas custam mais do que você imagina).

Uma Prática Insustentável



Ao analisar mais afundo a Filosofia Positiva de Comte e seu método de estudo científico, notamos que sua base está fundamentada na filosofia de uma escola para todos, para que todos, inclusive o proletariado, adquiram conhecimento, consciência do papel que exercem e de sua importância para sociedade.

Juntamente como estudo para todos, nesta filosofia há uma Ordem Fundamental, na qual é determinada uma função fixa, estática para cada indivíduo do “corpo social”, pois sem seguir esta ordem não haveria possibilidade de Progresso, daí a importância, de principalmente o proletariado, conhecer sua função e considerá-la essencial para o funcionamento do todo.

A filosofia de Comte pode muito bem funcionar para com a astronomia, mas em relação à sociologia ela seria insustentável, pois ao contrário de muitos fenômenos astronômicos, a sociedade, assim como os indivíduos que a formam são totalmente instáveis, estão em constante mudança e evolução. A prática desta filosofia geraria uma “aparente ordem social”, enquanto os operários, adquirindo conhecimento da hierarquia a qual estariam sendo submetidos, resistiriam cada vez mais a este sistema, reivindicando mudanças. Podemos relacionar esta prática com a realidade dos dias de hoje, apesar de vagarosamente, as mudanças vêm acontecendo, e um sistema positivista antes estático, agora é moldado pela dinâmica da sociedade.

A Física da Complexidade



Comte constrói a Filosofia Positiva com base em uma ciência concreta, que já fora citada por Descartes e Bacon. Para o autor um dos fatores que faltava para completar sua filosofia era a criação de uma nova física: a Física Social, uma ciência capaz de preencher uma lacuna na sociedade. A proposta da criação desta nova física representa realmente um grande diferencial do autor, até então, o homem entendia tudo a sua volta utilizando a astronomia, a física, a química e a fisiologia, mas apesar de entender o que via faltava compreender o que vivenciava, mesmo sem notar (como a sua relação com os outros).

A física social se mostra uma ciência mais complexa em relação às outras e um bom exemplo está no trecho em que Comte cita que a astronomia cuida dos fenômenos mais gerais, mais simples, enquanto a física social dos complicados e particulares. Colocando em contradição muitos de nossos princípios, fundados no senso comum, o qual determina a complexidade do universo, embora o mais complexo seja estudar o relacionado ao mais íntimo de nosso ser, nossas relações, enfim a sociedade.