domingo, 1 de maio de 2011

Educação Positivista

A sociedade positivista precisa de um homem que responda as
exigências da sociedade industrial. Para isso necessita de uma educação
mais igualitária. Educação que possa de alguma forma ser usada no
dia a dia, feita para os problemas que estão na realidade.
As instituições da época de comte são consideradas como anarquia intelectual.
O proletariado é visto como uma classe que pode-se aplicar
o positivismo de uma forma melhor aproveitada.
No estudo de que o lema principal é fazer como tarefa principal,
a classe trabalhadora pode ser considerada a que tem maior
chance de se instituir o positivismo.

Fiquem com o que é bom

Está escrito na Bíblia: "ponham à prova todas as coisas e fiquem com o que é bom". Esse é um ótimo conselho a seguir ao estudar qualquer teórico. Podemos muito bem discordar de algumas ideias de Marx e aceitar outras de Comte, mesmo no 'superdemocrático' ambiente universitário. Não devemos nos sentir intimidados pelos discursos anti-tudo. Temos é que examinar tudo e aproveitar o que sobrar de melhor. Não devemos desprezar nem mesmo a invalidada (por muitos, não todos) Bíblia Sagrada.
Retenhamos o que é bom. Aproveitemos o aproveitável.

Rafaella Rodrigues - 1° SS noturno

(Imagem: addtoyourfaith.tumblr.com)

A utopia de Comte


Comte em seu saber positivista era contra as atitudes que batem de frente com o seu principio a ordem. Assim ele era contra a anarquia, e para evitar revoltas que ela causava ele achava que era dever do estado fornecer aguá, luz, esgoto e outras coisas basicas para a sobrevivência que trariam satisfação e manteriam o trabalhador longe da desordem. Também era contra a igreja em certos pontos, um deles é o " egoísmo " ( o homem reza para sua salvação, e por mais que reze não conseguiria a salvação do próximo ).
E como disse na postagem anterior, Comte queria uma nova sociedade em que existisse um novo homem e uma nova educação. E as pessoas mais propensas a essa nova educação seria o proletariado que naquela época não tinha um conhecimento muito amplo, assim estaria com a mente aberta a esse novo tipo de educação. E muitas vezes por essa falta de conhecimento o homem aceitaria mesmo aquilo que não fosse tão vantajoso para si próprio, tendo em mente a visão do bem comum.
Diferente da metafísica o positivismo também afasta o proletariado das ambições materiais, pois o trabalhador estaria satisfeito com sua condição.
Apesar dos "defeitos" do positivismo, ele é aceito até hoje por alguns, porque ele se aproxima do real, e são resultados, mesmo que pequenos que a grande massa quer ver.

Higor Mouro/ Noturno

E surgiu o positivismo...

...temos então uma ciência social voltada para a prática para colocar as coisas nos trilhos para que o progresso seja alçando. Progresso esse que não leva em consideração a profundidade dos problemas enfrentados pela humanidade, e sim algo visando soluções imediatas e superficiais. Ciência essa visando à total alienação das pessoas para que elas se contentem com o que tem para não abalar a ordem social na qual as pessoas que estão no poder mandam e as pobres obedecem. Ordem alienante, ordem condicionante, um progresso hipócrita...

Mais ordem!

O curso de filosofia de Augusto Comte surge a partir das revoluções. Um dos pontos trabalhados pelo Positivismo são os papeis detalhados da sociedade e a ordem de cada ordem, ou seja, cada órgão deve permanecer onde está (Ordem e progresso, que encontramos também na bandeira brasileira).

Na terceira parte – Condições do Estabelecimento do Regime positivo, Comte afirma que o espírito positivo é mais apto que a metafísica e a teologia para organizar a sociedade e que o saber positivo reforça e apóia o trabalho pratico e também a aceitação da ordem dos papeis sociais e suas classes.Comte acredita que a ciência deve ajudar o proletariado de imediato e não a longo prazo, afirma também que a classe mais carente, desprovida de tanta informação intelectual acatava as informações dos intelectuais na esperança de uma melhora de vida.

A música Construção de Chico Buarque fala sobre um operário e sua rotina e dificuldades. Esta música também engloba o capitalismo e a industrialização.

Construção

Chico Buarque

Amou daquela vez como se fosse a última
Beijou sua mulher como se fosse a última
E cada filho seu como se fosse o único
E atravessou a rua com seu passo tímido
Subiu a construção como se fosse máquina
Ergueu no patamar quatro paredes sólidas
Tijolo com tijolo num desenho mágico
Seus olhos embotados de cimento e lágrima
Sentou pra descansar como se fosse sábado
Comeu feijão com arroz como se fosse um príncipe
Bebeu e soluçou como se fosse um náufrago
Dançou e gargalhou como se ouvisse música
E tropeçou no céu como se fosse um bêbado
E flutuou no ar como se fosse um pássaro
E se acabou no chão feito um pacote flácido
Agonizou no meio do passeio público
Morreu na contramão atrapalhando o tráfego

Amou daquela vez como se fosse o último
Beijou sua mulher como se fosse a única
E cada filho seu como se fosse o pródigo
E atravessou a rua com seu passo bêbado
Subiu a construção como se fosse sólido
Ergueu no patamar quatro paredes mágicas
Tijolo com tijolo num desenho lógico
Seus olhos embotados de cimento e tráfego
Sentou pra descansar como se fosse um príncipe
Comeu feijão com arroz como se fosse o máximo
Bebeu e soluçou como se fosse máquina
Dançou e gargalhou como se fosse o próximo
E tropeçou no céu como se ouvisse música
E flutuou no ar como se fosse sábado
E se acabou no chão feito um pacote tímido
Agonizou no meio do passeio náufrago
Morreu na contramão atrapalhando o público

Amou daquela vez como se fosse máquina
Beijou sua mulher como se fosse lógico
Ergueu no patamar quatro paredes flácidas
Sentou pra descansar como se fosse um pássaro
E flutuou no ar como se fosse um príncipe
E se acabou no chão feito um pacote bêbado
Morreu na contra-mão atrapalhando o sábado

Por esse pão pra comer, por esse chão prá dormir
A certidão pra nascer e a concessão pra sorrir
Por me deixar respirar, por me deixar existir,
Deus lhe pague
Pela cachaça de graça que a gente tem que engolir
Pela fumaça e a desgraça, que a gente tem que tossir
Pelos andaimes pingentes que a gente tem que cair,
Deus lhe pague
Pela mulher carpideira pra nos louvar e cuspir
E pelas moscas bicheiras a nos beijar e cobrir
E pela paz derradeira que enfim vai nos redimir,
Deus lhe pague

FERNANDA MENEGHEL JUSTI - 1º ANO - SERVIÇO SOCIAL DIURNO

A visão de Comte.

E um dia alcançaremos o novo
Começando pelo novo homem
O homem como um novo ser
Um ser mais social
Não pensaremos mais no “eu”
Seremos o “nós”, a sociedade racional
Morando neste mundo capitalista
Onde muitos lutam pelo poder
Que já se predomina pela minoria
Pobres trabalhadores trabalham até envelhecer
Seriam todos mais felizes, acredito eu
Se apenas trabalhassem para sobreviver
O mercado nos controla
Controla a mente e o coração
Fazendo que busquemos
O nascer de uma nova visão
Somos parte de um todo, e vivemos pela ambição
Que consome nosso tempo, com o poder da enganação
E aquele tão sonhado poder, jamais será de todos
Se não houver o equilíbrio, a terra para
Cada vez mais se torna necessário aquela nova sociedade
A sociedade moderna, reformada pela educação
Sendo formada por trabalhadores, homens unidos de uma nova lição
Que todos tenham o aprendizado da vida, e essa nova vida
Seja fruto de uma ação
E que o bem comum seja de acesso a todos
E que todos tenham essa felicidade desejada
Que bens públicos sejam de acesso a um coletivo
Com ações que sejam realmente úteis
Afim de beneficiar a quem precisa, não mais com tantas coisas fúteis
Que a nova sociedade seja útil, e que todos tenham esse novo ponto de vista
Que seja para o progresso na nação, e com o poder de uma concreta ação
Enfim desfrutaremos dessa nova visão positivista

Máquinas alienadas


A filosofia positivista prega que, cada indivíduo tem seu lugar na sociedade,que cada um deve se manter aonde está, pois seu trabalho contribuirá para o progresso. Com esse tipo de pensamento, temos uma sociedade alienada e escravizada. Sou operária, e depois de entender a filosofia de Comte, fiquei pensando que segundo o positivismo, eu estaria quebrando a ordem, pois não aceito a posição que ocupo, acho que se todos tivessem a oportunidade de ingressar na universidade pública, talvez nosso país não seria tão alienado, talvez não seríamos o país do futebol e do carnaval. No meu trabalho,tenho a prova viva dessa alienação, trabalhadores que simplesmente se conformam com o que tem, trabalham feito máquinas, aceitando tudo o que é imposto. Acho que todos deveriam ter o direito ao um estudo melhor, a uma melhor instrução, resumindo todos tem direito a sua carta de alforria.

Possivel vitima do positivismo

Fui ao poupatempo nesse sábado, entrei e logo fui atendido por uma pessoa me perguntando o que eu desejava. Disse a ela que queria renovar meu licenciamento. Ela apontou para onde eu deveria ir. Chegando lá no balcão do DETRAN, veio uma moça me perguntado se era licenciamento que eu desejava pagar, eu disse que sim. Depois disse que eu deveria ir primeiramente ao correspondente bancário que tinha lá, fui então... Nem fila tinha foi muito rápido... Depois voltei para o balcão do DETRAN e dei a nota fiscal do pagamento do licenciamento... O rapaz do balcão disse pra eu aguardar 10 minutos contados (ele fez questão de dizer 10 minutos CONTADOS) que o documento estaria pronto. Sentei-me e, comecei a pensar no positivismo. De que talvez esse estabelecimento (o poupatempo) seguisse essa ciência social. Percebi certo tipo de sistematização, ordem, a fim de aumentar a agilidade nos processos e serviços que ocorrem lá. É claro que as pessoas que trabalham lá são gentis e tem sentimentos (aparentemente); não se integraram totalmente a essa sistematização. Indaguei também de que como a informatização dos sistemas ajuda a melhorar a velocidade das coisas. Temos ai uma informatização positivista onde, as leis da informática garantem a ordem dos sistemas de redes e todas as ramificações da era da informática. Claro que esses sistemas freqüentemente não atendem os desejos das pessoas em sua totalidade. Isso porque esses sistemas "pensam" apenas de maneira lógica, fazem uma analise superficial a cerca da situação a fim de resolver o problema sem levar em conta vários fatores próprios da entidade humana.

Realidade e Interpretação

O positivismo de Comte surge justamente no momento em que o povo não tinham direitos, onde havia na verdade uma vontade enorme de lutar por esses direitos, podemos dizer que era como uma panela de pressão a ponto de explodir.
Para Comte a importância do positivismo, está justamente aí: manter a ordem social para que tudo se volte ao normal e cada um cumpra seu devido papel na sociedade, não olhando para o mundo de forma abstrata. Assim podemos dizer que a filosofia positiva é a idade que sai do abstrato das minhas idéias para uma realidade, ou seja, observar o real. Comte propõe um estudo da sociedade.  
Um indivíduo que fosse por exemplo um catador de papelão não lutaria para se tornar um grande administrador, mas estudaria por exemplo, biologia, química e física e assim compreenderia o porque e a importância do seu papel na sociedade. Podemos concluir, portanto que para ele não basta interpretar os problemas sociais, é preciso ter ferramentas eficazes para transforma-lo.


A escola positivista...





A escola positivista surge como umas das primeiras escolas a se preocupar com o aspecto social,com as massas,os proletariados,e no geral com as camadas mais subalternas da sociedade.

Ela foi amplamente divulgada pois tem como um dos seus principais aspectos o princípio de universibilidade, e de ordem na política, na sociedade, e principalmente na moral.Pregava seu amplo ensino aos proletariados pois eles sao as "tabulas rasas"não estavam influenciados pelos sofismos, que influenciava os letrados.As massas tambem poderiam absorver melhor seus princípios pois não tinham preocupações com bens materiais,o que não acontece com as camadas mais altas da sociedade,pois precisam constantemente se preocupar com seus investimentos e com a administração dos seus bens.A universibilidade preconizada pelo positivismo reforça muito o princípio de solidariedade na humanidade pois no positivismo o homem não existe,existe somente a humanidade unida num todo.



Andressa V Camargo SS- noturno

Saber ordenar, não saber obedecer

Observar, criar teorias com fundamentos e por isso ordenar justificando que assim as coisas continuam nos eixos e todo mundo tem seu mínimo de direito. É assim que vejo o tal do "Positivismo''.Muita teoria e pouca ação e/ou ação falha.

Pra que reformar o pensamento da sociedade se ainda assim ela será comandada por pessoas que sempre ''ordenam'' mas nunca ''obedecem'' ?

Ver para prever ?

Creio que o ''Positivismo'' seja parcialmente falível.Podendo melhorar talvez com mais ''técnica''. Observar com todas as ferramentas necessárias e com todas as óticas possíveis é um primeiro e bom passo, criar teoria com fundamentos, lembrando que teorias se tornam ultrapassadas e que é preciso sempre ter atenção nesse quesito é algo de extrema importância que nem sempre tem a atenção que merece. Criar uma ação para que haja a ordem e obediência para que então possa haver um progresso coletivo talvez seja a conclusão momentânea. Por que quando se trata de bem estar, de direitos, de sociedade nunca se conclui nada, por que a sociedade muda, os pensamentos mudam e assim as ordens e quem as dá tem de seguir essa evolução.

A teoria na prática

Bom, entendido a filosofia Comtiana, como entender na prática como funciona? Teoricamente falando, pelo que eu entendi, primeiramente foi descoberta a filosofia positiva, que inicialmente seria usada nas outras esferas da ciência, Comte então viu que existia a necessidade de suprir uma lacuna e criou a física social(sociologia), e aplicou então sua filosofia à sociedade, reduzindo- a assim a mera aglomeração de indivíduos e que para se manter a ordem e obter o progresso era necessário que todos os cidadãos estivessem embuídos desse mesmo espírito, e caberia ao regime político fazer o homem ideal desse sistema.O Brasil no governo de Getúlio Vargas, adotou uma politíca positivista, que tem resquícios até hoje em nosso cotidiano. Para que tenha sucesso deve haver a primazia da sociedade sobre o indivíduo e todos tem que ter solidariedade ao coletivo.Cidadão tem a consciência e resignação  de que tem seu papel estabelecido na sociedade portanto não tem ambições no sentido de ocupar um posto que não lhe pertence, dessa forma se mantém a ordem, consequentemente se obtém o progresso.Essa é a filosofia positivista.

"Desordem e Progresso, Ordem e Retrocesso"


No texto “Condições do estabelecimento do regime positivo” Augusto Comte continua sua explicação sobre o positivismo e critica a “anarquia” intelectual. A necessidade de uma educação que unisse a técnica ao conhecimento metafísico para atender todas as classes o que seria fundamental para o progresso.
Vimos que para a manutenção do sistema é necessária que haja uma ordem, para isso cada membro da sociedade deve saber qual é o seu papel, sobretudo, a importância de sua função no sistema. Dessa forma, é criada a ilusão de que o trabalhador deve manter-se na sua atual função, pois isso resultará de certa forma, no bom funcionamento e no progresso do seu país e no seu crescimento profissional.
Mas o “proletário” necessita adquirir bens materiais. Ele sonha ser como seu patrão, ou então pelo menos chegar perto adquirindo bens iguais aos de seu patrão, utilizando do crédito e facilidades que o Governo oferece para esse feito. Para isso, ele sabe o caminho a ser percorrido, o sistema o orienta inconscientemente para buscar uma qualificação profissional e consequentemente vive a sensação de uma pseudo realização profissional e acredita estar migrando para uma situação melhor.
Enfim, seguindo a linha de pensamento de Comte o ser social deveria continuar na sua função e não pensar jamais na possibilidade de mudar de situação. No entanto, ele não considerou que há muitas possibilidades desse ser social “quebrar” a ordem independentemente de pertencer à determinada classe social ou não. São muitos os caminhos, múltiplas conexões que devem ser levadas em conta.
Concluo meu post com duas letras interessantíssimas que encontrei: “O samba do operário” do saudosíssimo Cartola e um pequeno trecho da música “Progresso pra quem?” da banda Nark. Acredito que estas contribuirão no entendimento da minha tentativa de explicar um pouco sobre o texto.

O Samba do Operário

Composição: Alfredo Português / Cartola / Nelson Sargento

Se o operário soubesse
Reconhecer o valor que tem seu dia
Por certo que valeria
Duas vezes mais o seu salário
Mas como não quer reconhecer
É ele escravo sem ser
De qualquer usurário
Abafa-se a voz do oprimido
Com a dor e o gemido
Não se pode desabafar
Trabalho feito por minha mão
Só encontrei exploração
Em todo lugar

Progresso Pra Quem?

Nark

“Ordem pro trabalhador!
Progresso é papo furado
Tudo é movido a interesse financeiro
Ordem e progresso é o caralho!”

A utopia de Comte


Comte era contra a anarquia intelectual, que poderia causar revoltas , ou qualquer outro dia de pensamento ou atitude que causasse a desordem, por isso ele achava que o estado deveria fornecer aguá, luz, esgoto e outras coisas basicas para a sobrevivência que trariam satisfação ao trabalhador. Além de ser contra a anarquia , também era "contra" a igreja que em certos pontos era egoísta ( ex: o homem reza e crê para ser salvo e ter seu lugar no céu, e por mais que reze não vai conseguir salvar ninguém ).
Como disse na outra publicação Comte queria um novo tipo de educação e um novo tipo de homem, e ele teria como objetivo atingir o proletário com essa teoria, pois os trabalhadores, muitas vezes sem um conhecimentos muito amplo naquela época , tinha a cabeça aberta para aprender esse novo tipo de educação, que seria o melhor para o bem comum, e não prejudicial ao estado. Diferente dos empreendedores que tinha outro modo de ver as coisas.
Oposto ao saber metafísico a filosofia positivista além de afastar o proletariado da anarquia intelectual, vai afasta-lo das ambições materiais, pois ele vai estar ciente que sua condição é parte do todo e que ela deve ser mantida. O trabalhador poderia se comparar a médicos, advogados e profissionais quem tem salário muito maior, e mesmo assim se sentir satisfeito, pois ele assim como o médico só esta cumprindo o seu papel.
A filosofia positivista por mais que tenha seus "defeitos" ela é aceita até hoje por alguns, pois ela assimila ao real, e é o resultado que a grande classe quer ver.

Higor Mouro/ Noturno

Uma filosofia "positiva"

Comte, fundador da física social, foi também fundador da filosofia positiva, que parte do pressuposto de que para entendê-la é preciso entender que o espírito humano passou por um processo de evolução que partiu do teológico( explicação divina aos fenômenos), e seguiu- se ao metafísico( explicação abstrata aos fenômenos), para enfim chegar ao positivo( explicação dos fatos reduzidas a seus termos reais). Sua filosofia tem o caráter fundamental  de tomar todos os fenômenos como sujeitos à leis invariáveis, os mesmos devem ser observados(se há ou não o desvio da ordem, que segue uma lei estática, necessária para que se chegue ao progresso, e este último deve seguir uma lei dinâmica), analisados e dado um diagnóstico para construir elementos de ação, sem se preocupar com as causas, dessa forma pode estar tentando resolver problemas inalcançáveis, correndo o risco de voltar à explicações metafísicas.

Relógio Mecânico...tic-tac!


Comte era contrário à Igreja, pois ela fazia com que existisse sábado, domingo e dias santos, onde os trabalhadores poderiam descansar, e era contrário também as idéias metafísicas, pois os trabalhadores não poderiam ter ilusões ou ambições de coisas diferentes ou trabalhos diferentes, evitando assim a anarquia.
A política adequada para Comte, era de que existisse educação para todos.
Os trabalhadores estudavam em escolas técnicas para aprender a fazer os trabalhos de produção das empresas. Para funcionar direito esse grande relógio, os trabalhadores tinham que se manter em seus devidos lugares, pois se todos resolvessem fazer a mesma função, esse relógio pararia de trabalhar não estando com as peças em seus devidos lugares.
Com isso eles criavam maneiras diferentes como lazer dentro das empresas para ludibriar os trabalhadores, assim eles não ficariam estressados pensando se o serviço era ruim ou não.

Fácil Compreensão do Positivismo

Encontrei, em minhas pesquisas, duas produções artísticas que trabalham diretamente a questão do positivismo. Uma é a musica do Biquini Cavadão, a é outra é uma vídeo aula, a qual apresenta uma ótima explicação do positivismo. Eu não sei vocês, mas ficou mais fácil compreender o positivismo depois que assisti esse vídeo.

Positivismo

http://www.youtube.com/watch?v=y6tb3q2FgRw

Biquini Cavadão

Quem foi que disse que amar é sofrer?
Quem foi que disse que Deus é brasileiro,
Que existe ordem e progresso,
Enquanto a zona continua no congresso?
Quem foi que disse que a justiça tarda mas não falha?
Que se eu não for um bom menino, Deus vai castigar!

Os dias passam lentos
Aos meses seguem os aumentos

Cada dia eu levo um tiro
Que sai pela culatra
Eu não sou ministro, eu não sou magnata
Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes
Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes

Quem foi que disse que os homens nascem iguais?
Quem foi que disse que dinheiro não traz felicidade?
Se tudo aqui acaba em samba,
no país da corda bamba, querem me derrubar!!
Quem foi que disse que os homens não podem chorar?
Quem foi que disse que a vida começa aos quarenta?
A minha acabou faz tempo, agora entendo por que ....

Cada dia eu levo um tiro
Que sai pela culatra
Eu não sou ministro, eu não sou magnata
Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes (4X)

Os dias passam lentos
Os dias passam lentos

Cada dia eu levo um tiro
Cada dia eu levo um tiro
Eu não sou ministro, eu não sou magnata
Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes...


Cristina Leal Sanches 1º ano de Serviço Social Diurno


O Olhar de Vinicius....


Lendo "Condições do estabelecimento do regime positivo" de Augusto Comte, me veio a cabeça um poema que aprecio muito do Vinicius de Moraes.

"Era ele que erguia casas
Onde antes só havia chão.
Como um pássaro sem asas
Ele subia com as casas
Que lhe brotavam da mão.
Mas tudo desconhecia
De sua grande missão:
Não sabia, por exemplo
Que a casa de um homem é um templo
Um templo sem religião
Como tampouco sabia
Que a casa que ele fazia
Sendo a sua liberdade
Era a sua escravidão.

De fato, como podia
Um operário em construção
Compreender por que um tijolo
Valia mais do que um pão?
Tijolos ele empilhava
Com pá, cimento e esquadria
Quanto ao pão, ele o comia...
Mas fosse comer tijolo!
E assim o operário ia
Com suor e com cimento
Erguendo uma casa aqui
Adiante um apartamento
Além uma igreja, à frente
Um quartel e uma prisão:
Prisão de que sofreria
Não fosse, eventualmente
Um operário em construção.

Mas ele desconhecia
Esse fato extraordinário:
Que o operário faz a coisa
E a coisa faz o operário.
De forma que, certo dia
À mesa, ao cortar o pão
O operário foi tomado
De uma súbita emoção
Ao constatar assombrado
Que tudo naquela mesa
- Garrafa, prato, facão -
Era ele quem os fazia
Ele, um humilde operário,
Um operário em construção".

(Trecho do poema "O operário em construção" - Vinicius de Moraes)

Rita de Cássia F. Henrique (1 ano, S.S noturno)

Alienação á ordem



O positivismo de Auguste Comte prega que cada indivíduo deve exercer um papel na sociedade.Onde o mesmo apenas se delimita a comprir aquilo, empregando uma ordem de classes sem mobilidade social, para que assim haja ordem para obter progresso.



Um exemplo de quebra do positivismo foi Luiz Inácio Lula da Silva que exercia a função de matalúrgico e depois se tornou presidente da república, deixando de haver uma estática da ordem.



Muitos se questionam porque o positivismo funcionou e o socialismo não. A explicação está em que o positivismo foi criado a partir da análise real da sociedade, ou seja, uma percepção do concreto. Já o socialismo fora algo utópico sem reais estudos infundados na sociedade.


Valdirene Viviane do Nascimento 1º Ano Serviço Social/Noturno

A prática positivista e a alienação.


Com o advento do positivismo, onde August Comte sentiu a necessidade de analisar a sociedade de uma forma mais concreta, seu objetivo era colocar em prática o que antes era teoria.

Comte faz uma crítica à anarquia intelectual, pois para ele tudo deveria estar em perfeita ordem para alcançar o progresso. O positivismo substituiria a estéril agitação política por um movimento mental, ou seja, uma reforma das mentalidades.

Segundo o positivismo, o homem que é positivo consegue responder melhor às necessidades do mercado, pois essa ideologia visa forjar homens e mulheres que se ajustem voluntariamente.

Para Comte, era de extrema importância transformar o tipo de educação existente na época por uma mais abrangente tanto para os proletariados como para as classes governantes, pois até então só se estudava a literatura e a metafísica, consideradas mais importantes. A ideia era fazer com que a educação fosse capaz de selecionar os problemas reais, unindo o conhecimento e a técnica para transformar a sociedade.

De acordo com a ordem e o progresso, Comte defendia a tese de que o governo deveria ser forte e efetivo para atender todas as necessidades dos cidadãos e estes deveriam trabalhar com a sensação de alívio e dever cumprido. Isso reforçava o gosto pelo trabalho prático e tornava o trabalhador mais propenso a aceitar o seu lugar na sociedade, afastando-os da anarquia e das ambições materiais.

Moral religiosa não se encaixava no plano de ideias de Comte, pois o positivismo visa a coletividade enquanto o contexto de salvação seria individual. A ideia de felicidade para Comte está associado ao bem estar público.