sábado, 7 de maio de 2011

A Sociedade e o Ser Social

Em 'As regras do Método Sociológico', Émile Durkheim nos mostra que a sociologia deve ser entendida como uma ciência definitiva, assim como a química e a biologia são. Segundo Durkheim, o sociólogo deve tomar seu objeto de estudo como "coisa", analisá-lo sem nenhum envolvimento, ou seja, com um distanciamento. O evitar contato sentimental na obervação do objeto estudado, tem por finalidade não alterar as conclusões a serem tomadas pelo observador, este deve ser imparcial. Os fatos sociais devem ser encarados como coisas, pois eles são o objeto estudado, e isso nos leva ao pensamento de Augusto Comte, o qual Durkheim acreditava não ser tão positivista, já que Comte possui um certo traço da metafísica em seus conceitos quando encara o 'Progresso Permanente' como uma ideia já concebida sem a análise do real, ou seja, parte do pressuposto das ideias para as coisas, enquanto Durkheim diz que devemos partir das coisas para as ideias. Devemos observar antes de tomar as conclusões finais do estudo, e não aplicar diretamente as que nos foram inculcadas, sobre o estudo que esta sendo realizado.

Temos que aprofundar a observação da realidade tal como ela é nua e crua, suas verdades, evitando o uso do juízo de valor, mesmo que o objeto estudado nos desperte sentimentos.

A Sociologia leva vantagem, segundo Durkheim, sobre a psicologia justamente por os 'fatos sociais' estarem no cotidiano, pois o "meio" (sociedade) forja o individuo, e esse meio é o objeto de estudo da sociologia. É a sociedade que determina a política e as várias áreas de atuação social, é ela quem barra os desejos que cada individuo tem pra si (instintos), e isso através da educação. Verificamos isso desde os primeiros anos de vida: neles já são demonstrados o como agir, vestir, alimentar, comportamentos estes e tantos outros que são impostos pela sociedade para a adequação do individuo.

Com isso, o papel da educação (que é de domínio da sociedade) é o de forjar o ser social, que deixa de ser individuo e passa a possuir o espírito coletivo, ou seja, um modelo do coletivo que se reproduz naturalmente entre as gerações, já que é demonstrado desde a infância a seus componentes. São exemplos de fatos sociais os casamentos, os nascimentos, estes, acontecimentos que carregam toda uma história, uma trajetória de imposições e doutrinas que devem ser seguidas (padrões), e que também devem ser repassadas.



Thaís Monteiro Braga 1º Serviço Social- diurno

Ser Humano = Ser Humano


Ao lidar com seres humanos, é impossivel o tratamento dos mesmos como objeto, mesmo que seja para um estudo científico, já que ao estudá-los, de alguma forma você está envolvido com o "objeto" de estudo. A ideologia de Durkheim é oposta a isso, dizendo que o humano deve ser analisado, literalmente, como uma coisa.
A essência do pensamento de Durkheim é inspirado no Positivismo de Comte, porém, ele tenta ultrapassar seu inspirador no sentido das ideias surgirem das coisas (deve-se estudar a vida de uma pessoa para identificar os motivos que a levaram a cometer um crime, por exemplo), e não o contrário, incluindo a noção metafisica ao utilizar o progresso como sentido da história.
Como última análise desse pensamento durkheimiano, é descartada a passionalidade em um trabalho de um cientista social, já que a mesma pode interferir negativamente. Esse ponto de vista é consideravel em partes, apenas para julgamentos, porém ao trabalhar com pessoas, como um assistente social, é impossível não se utilizar dela, tendo em vista o amor que deve se ter ao ser humano.


Jacqueline Janoszka Miani - 1 SS Noturno

"A visão"

Para estudar o fato social, Émile Durkheim exclui o sentimento de sua analise, passando a ver o individuo como ``coisa``.Ele acredita que caso envolvido o sentimento,o mesmo pode ``cegar`` o impedindo de ver a verdade cientifica, já que a nossa visão passional cria um preconceito a respeito das coisas.


Dessa forma Durkheim segue o ideal que vai `` das coisas para as idéias`` em que associo:


Coisas = realidade científica e idéias = conceito ( ou preconceito) .


Logo penso que: se todos seguissem esse ideal ,talvez não existisse o preconceito de qualquer tipo ( raça, opção sexual,religião etc...) ,mas claro que isso é apenas uma utopia , já que todos nós humanos, somos inevitavelmente seres passionais.



Amanda Inacio Faciroli 1º ano S.S noturno

Das coisas para as idéias...

Emile Durkheim propõe analisar o mundo com certo distanciamento , ou seja , sem envolvimento.

Observar os fenômenos como “coisas”, não nos deixando levar pelos substratos passionais da nossa consciência, pois estes afetariam nosso exame cientifico dos fenômenos sociais . Sendo que, tudo que é visto como coisa, não é capaz de estabelecer nenhum envolvimento.O que se assemelha muita à tão conhecida Ética Profissional.

Segundo Durkeim , a sociedade prevalece perante o indivíduo , impondo à ele um enquadramento social.E é somente quando este indivíduo sai fora desse enquadramento que ele irá sentir a força da sociedade, ou seja, a coerção social.

Fonte : http://choquejovem.blogspot.com/2010/12/na-contra-mao-do-mundo-na-direcao-de.html

Através desse enquadramento social, é que a sociedade nos impõe comportamentos e visões. E é justamente isso que Durkheim propõe-se a observar e analisar, a fim de descobrir as condutas funcionais.

Fonte : http://rodrigorrsilva.blogspot.com/2008/02/simplesmente-mafalda.html


Letícia Silva Gimenes - 1º ano SS - noturno


Set me free " Liberta-me"

“Ainda que, de fato, eu possa libertar-me dessas regras e violá-las com sucesso, isso jamais ocorre sem que eu seja obrigado a lutar contra elas. E ainda que elas sejam finalmente vencidas, demonstram suficientemente sua força coercitiva pela resistência que opõem. Não há inovador, mesmo afortunado, cujos empreendimentos não venham a deparar com oposições desse tipo.” Durkheim, Émile.

A proposta que Durkheim nos revela é que através do método de estudo da sociedade como ‘coisa’, não haja envolvimento do cientista com o seu objeto de pesquisa; sem se envolver, portanto sentimentos, paixões, emoções, imaginário, entre outros; fazendo com que possamos avaliar a sociedade de maneira sóbria e equilibrada usando apenas a ciência e racionalidade como instrumentos desta pesquisa.
No primeiro momento ao depararmos com este método, a nossa reação é discordar totalmente e invalidar sua eficácia dentro do estudo da sociedade, mas ao estudarmos mais afundo é fácil perceber que há um lado positivo neste método, que é a nossa ética profissional. Como bons assistentes sociais, não poderemos defender somente as causas que desejamos, pois pelo que temos aprendido é nosso dever à defesa da igualdade social e à luta pelos direitos da sociedade, portanto defenderemos tanto presidiários que foram pedófilos,  homicidas ou traficantes na luta por cadeias que realmente recuperem os presos para que vivam novamente em sociedade, como defenderemos também  a luta das classes trabalhadoras por melhores salários.
Para Durkheim existem “fatos sociais” que impelem na atitude e comportamento dos indivíduos na sociedade. O autor define fato social como "cada maneira de agir, fixa ou não, capaz de exercer um constrangimento (uma coerção) externo sobre o individuo"Nós somos produto da educação que recebemos. Todos nós, segundo o pensamento do autor, agimos de acordo com as normas sociais já impostas antes de nós, pelos costumes e tradições de cada cultura e que perduram depois de nós. Por exemplo, na nossa cultura nos é imposto pela religião predominantemente católica que quando uma criança nasce é necessário que ela se batize, porém não foi perguntada a criança se ela quer ser católica, espírita, protestante ou ateu, simplesmente os pais a batizam por fazer parte da cultura da nossa sociedade.
Desde ao nascer já nos é imposto pela sociedade regras, normas e crenças a serem seguidas para que haja uma solidariedade básica, sem que nos seja dada a possibilidade de escolher o que queremos, tudo já está pronto para que nós como seres sociais cumpramos o nosso papel dentro da sociedade colaborando para o seu bom funcionamento. Assim podemos concluir que estamos presos a estas normas e por mais que tentássemos não conseguiríamos sair delas, pois já foi implantada dentro de nós através de seu poder coercitivo.

 Ps: Vídeo Set me free- Casting Crowns, este vídeo foi colocado para exemplificar. Precisamos de LIBERDADE !!!

Coisas

Para Émile Durkheim, fatos sociais é "todo aquele que independe do indivíduo e tem como substrato o agir do homem em sociedade, de acordo com as regras sociais (pp 1-2 ), e estes deveriam ser tratados como coisas, olhar esses fatos com distanciamento, para se obter uma compreensão real.
Uma análise sociológica, deveria ser feita das COISAS para as IDÉIAS- conhecer e aprofundar a realidade- ir na essência das coisas.
Durkheim compreende então o fato social de três modos: como coisa, como imposição da sociedade com indivíduos e como um fenômeno que cumpre uma função social.

Mayara Laudares Costa 1° SS diurno


Émile Durkheim defende em sua teoria Funcionalista que a consciência individual é determinada pela consciência coletiva. A sociedade nos impõe regras coercitivamente e aos poucos criamos hábitos que são fruto de uma imposição exterior. Para exemplificar isso, Durkheim cita a educação das crianças: “Quando se observam os fatos tais como são e tais como sempre foram, salta aos olhos que toda educação consiste num esforço contínuo de impor à criança maneiras de ver, de sentir, e de agir às quais ela não teria chegado espontaneamente”[pag 6]