domingo, 15 de maio de 2011

Construção - Chico Buarque

Amou daquela vez como se fosse a última
Beijou sua mulher como se fosse a última
E cada filho seu como se fosse o único
E atravessou a rua com seu passo tímido
Subiu a construção como se fosse máquina
Ergueu no patamar quatro paredes sólidas
Tijolo com tijolo num desenho mágico
Seus olhos embotados de cimento e lágrima
Sentou pra descansar como se fosse sábado
Comeu feijão com arroz como se fosse um príncipe
Bebeu e soluçou como se fosse um náufrago
Dançou e gargalhou como se ouvisse música
E tropeçou no céu como se fosse um bêbado
E flutuou no ar como se fosse um pássaro
E se acabou no chão feito um pacote flácido
Agonizou no meio do passeio público
Morreu na contramão atrapalhando o tráfego

Amou daquela vez como se fosse o último
Beijou sua mulher como se fosse a única
E cada filho como se fosse o pródigo
E atravessou a rua com seu passo bêbado
Subiu a construção como se fosse sólido
Ergueu no patamar quatro paredes mágicas
Tijolo com tijolo num desenho lógico
Seus olhos embotados de cimento e tráfego
Sentou pra descansar como se fosse um príncipe
Comeu feijão com arroz como se fosse o máximo
Bebeu e soluçou como se fosse máquina
Dançou e gargalhou como se fosse o próximo
E tropeçou no céu como se ouvisse música
E flutuou no ar como se fosse sábado
E se acabou no chão feito um pacote tímido
Agonizou no meio do passeio náufrago
Morreu na contramão atrapalhando o público

Amou daquela vez como se fosse máquina
Beijou sua mulher como se fosse lógico
Ergueu no patamar quatro paredes flácidas
Sentou pra descansar como se fosse um pássaro
E flutuou no ar como se fosse um príncipe
E se acabou no chão feito um pacote bêbado
Morreu na contra-mão atrapalhando o sábado

Por esse pão pra comer, por esse chão prá dormir
A certidão pra nascer e a concessão pra sorrir
Por me deixar respirar, por me deixar existir,
Deus lhe pague
Pela cachaça de graça que a gente tem que engolir
Pela fumaça e a desgraça, que a gente tem que tossir
Pelos andaimes pingentes que a gente tem que cair,
Deus lhe pague Pela mulher carpideira pra nos louvar e cuspir
E pelas moscas bicheiras a nos beijar e cobrir
E pela paz derradeira que enfim vai nos redimir,
Deus lhe pague

Análise de Durkheim

Para Durkheim a sociedade para que ela seja plena e organizada há de ter um espírito coletivo entre as pessoas onde cada um deve cumprir seu papel social para o bem comum que é a própria sociedade a qual se encontram. Todos de certa forma somos educados a reproduzir os padrões de organização social, se não seguimos, há uma grande pressão sobre nós com a qual dificilmente conseguimos lutar contra ela. O individualismo para ele é um fator destrutivo dessa organização já para Durkheim a sociedade só sobrevive quando o individuo tem consciência do seu papel na sociedade para o bem de todos os outros. Seu método de analise social se baseia em observar o objeto de estudo, o ser humano, tal como qualquer outra coisa só assim, a de se fazer uma analise sem partir por opiniões pessoais que sempre derivam de culturas crenças etc.

Solidariedade em prol do todo.


Para Durkheim, apesar de fatos sociais semelhantes exercerem funções distintas de acordo com a sociedade em que se enquadram, no final, eles possuem a mesma razão: manter certa organização e continuidade no meio em que está.
Durkheim acreditava que a sociedade prevalecia sobre o indivíduo. Percebe-se isso no que pode ser considerado o princípio da sociedade, que é a divisão do trabalho. Divisão essa que se dá pela pré-disposição dos indivíduos e principalmente pelo sexo e tem como função, gerar certa “solidariedade”.

A solidariedade de acordo com Durkheim, tem sentido maior do que simplesmente uma ajuda de indivíduo para indivíduo, compreende é fazer o possível para contribuir para o todo em que se vive, ainda que essa solidariedade se manifesta sem ser percebida, ou sem a clara intenção pelo sujeito.

Individualidade X Solidariedade


Cada individuo deve ter uma função na sociedade,
por isso deve ser coeso e não se importar com o sacrifício
do ser individual pra a satisfação de um todo, para Durkheim
a felicidade está em viver em um mundo onde tudo funciona
harmoniosamente,harmonia esta que depende da solidariedade
de cada individuo para com a sociedade...
A educação, a honestidade, o trabalho, a família e mais tantos
outros fatos sociais, são essenciais para o funcionamento e fortalecimento
da sociedade como um todo, pois somos todos como pequenas células que constituem
um órgão vital.


Leticia Nascimento Silva ,1ºSS - Noturno



O HOMEM QUE QUIS DAR HARMONIA AO MUNDO

Para o sociólogo francês, desde a infância deveríamos ser educados para desenvolver os atributos físicos e morais que fossem requeridos pela sociedade. Caracterizou a educação como um bem social e foi pioneiro em relacioná-la com às normas sociais e a cultura local, diminuindo o individualismo no sentido egocentrista em prol do desenvolvimento coletivo. A educação teria a função de socializar os futuros cidadãos e quanto mais eficiente ela fosse melhor seria a sociedade em que esta escola estivesse inserida.

Em sua ótica funcionalista, vislumbrou a "moralidade" gerada através do trabalho, devendo ir além-sentido ético-religioso, que introjetada em nós representaria um "espírito de conduta" em todas as instâncias de nossa vida. A divisão das funções trabalhistas não deveria ser baseada unicamente nos interesses econômicos, pois assim não chegaria à almejada "solidariedade". A moral meramente produtiva não era benéfica aos trabalhadores, a arte moderna de seu contexto era supéflua, não gerava algo relevante, os aperfeiçoamentos das tecnologias só despertavam à individualidade, não existindo um sentido mais amplo, o indivíduo não era levado a uma coesão (sentido) social.

O princípio básico que vai engendrar a divisão do trabalho é : "O que é semelhante nos atrai e o que é diferente também, pois nos completa naquilo que não temos". As pessoas estão unidas exatamente pela "individualide vocacional"( diferente de ser individualista dentro da comunidade em que se vive), onde cada ser ocupa seu espaço dentro da comunidade, independente de crença, etnia, opção sexual, etc... A diferenciação é aceita a fim de que todos sobrevivam bem, cada qual ocupando sua função social (solidariedade orgânica: órgãos diferentes que se complementam), sendo assim se introduzirmos o diferente nesta sociedade ela se fortalece através do princípio de solidariedade orgânica, o que em contrapartida seria motivo para um desajuste dentro de uma sociedade moldada pela solidariedade mecânica (é preciso fazer o que é "imposto" pelo coletivo), que fatalmente se desintegraria.

Dessa forma, para Durkheim o homem seria mais do que um formador da sociedade, seria o resultado dela, contribuindo com o que tivesse de melhor à oferecê-la. Neste contexto, a sociedade seria harmônica e desfrutando das virtudes de cada indivíduo alcançaria o bem comum.

Danusa Barbosa Diniz - 1º Ano SS / Diurno

A divisão.


No texto de Durkhein, ele expõe a divisão do trabalho como uma forma de neutralidade e equilíbrio da sociedade, destacando sempre o papel do coletivo, mesmo esse mantendo e seguindo valores morais incumbidos desde o inicio da formação.
A divisão do trabalho é fundamental para que as pessoas se situem na sociedade, de uma maneira mais consciente. Enfatiza a solidariedade social, mesmo que essa de maneira particular apareça em situações corriqueiras do dia a dia.
Mesmo afirmando a solidariedade social como ponto fundamental para a formação moral, afirma também o quanto o individualismo degrada toda a formação, sendo tratado por ele como patologia.
Interessante imaginar que segundo a visão dele, a sociedade seja um grande "corpo vivo". Onde cada parte do corpo tem sua função e importância, para se ter assim um harmonioso todo.

Rita de Cássia F. Henrique, 1ano s.s noturno.

A moral gerada pelo trabalho

A negação de si, uma idéia democrática, que para Durkhein traria o funcionalismo da sociedade, onde a principal idéia de solidariedade que trás o sentido ao homem, é a edificação que é dada através do trabalho, onde é preciso negar os impulsos, em nome de um beneficio maior, tornando um bem para o todo. Durkhein acreditava que o trabalho deveria ser feito de forma significativa, de forma a qual fizesse parte do crescimento pessoal do homem,de sua moral, onde trabalhar é muito mais que simplesmente ganhar dinheiro, pois quando a sociedade só pensa em si, a sociedade perde os alicerces chegando a um colapso, então essa idéia de solidariedade vem em nome da ordem e de equilíbrio da sociedade, e esse equilíbrio é dado pela diferenciação, pois quanto mais fraca mais mecânica se torna a sociedade, e para Durkhein a sociedade deveria ser orgânica, com uma complexa diferenciação, sendo dada pela divisão do trabalho, que garante a diferenciação do individuo, por conseqüência da sociedade, que se torna mais solidaria.

Solidariedade para um progresso

Para Durkhein, o individualismo rompe com qualquer idéia de ordem e faz com que a coesão que existe no progresso permanente se esgote, havendo assim uma degeneração da idéia de bem comum, afasta o indivíduao da sociedade.
Para manter uma ordem e restituir a coesão e o funcionalismo, há de se haver uma divisão do trabalho, por uma idéia de organização da sociedade, gerando uma eficiência maior, com um elemento central importante, a solidariedade que liga o indivíduo ao todo.

Marco Antonio Diniz Bastianini - Primeiro ano SS Diurno

Solidariedade e o Moral para Durkheim

Durkheim um ciêntista social que além de positivista (cada um tem sua função na sociedade, como um orgão do corpo humano cumprindo seu papel), radicalizou as idéias de Comte – com sua pespectiva da “Solidariedade”(tem o sentido público, ex. família estruturada” e do “Moral”(ou dever coletivo), que é algo tão profundo, e arraigado no indivíduo, que é implantado na mais tenra idade. “ Negação de sí, em prol do todo” – Como alguns exemplo temos o Casamento, onde o marido, a mulher (pais que educam seus filhos para perpetuar esta organização) e os filhos tem suas funções perante a sociedade, outro exemplo é a função de Lixeiro, um trabalho digno mais muito depreciativo, pois o odor fétido do lixo, o risco de adiquirir doenças, de se machucar ou cortar –se é diário e muito grande sem falar que trabalha-se correndo o dia todo, por um salário muito baixo, em comparação a outras funções, mais é uma função indispensável.. Para Durkheim é necessário haver Harmonia e Equilíbrio na divisão do trabalho.

Cibeli Pacheco Melo Oliveira- 1º Serviço Social Noturno

Em primeiro lugar nós, depois eu.

O texto de Durkheim trata sobre a solidariedade do indivíduo com o todo, em que, o indivíduo deve deixar de agir para si para agir em prol do todo, pois, para Durkheim, quando o individualismo começa a ser predominante, há uma degeneralização da sociedade. Durkheim é um pós-positivista, então para ele, tudo tem seu lugar determinado. O fato social tem um papel a cumprir e por isso, todas as pessoas devem agir conforme as necessidades desse fato social, que é para um "bem comum".
Durkheim diz também sobre a moral na vida das pessoas. Essa moralidade traz consigo o efeito da solidariedade para com o todo, ou seja, o meu comportamento vai corresponder à normatização da sociedade; se minhas atitudes não condizem ao que me foi incumbido fará de mim uma pessoa imoral, pois, mesmo recebendo as informações sobre como devo agir na sociedade e pratico atos de individualismo.
Enfim, Durkheim tenta nos mostrar, que quando se age pensando no TODO, na sociedade, e trabalha a favor dela, estamos agindo com solidariedade.

Quem inventou a sociedade?

No texto de Durkheim, ele nos mostra que a divisão do trabalho se dá pela solidariedade, além de tudo, solidariedade essa que existe quando um ser humano nega a sí próprio deixando de fazer as coisas que gosta, para cumprir suas obrigações com a sociedade.
Nada que os seres humanos fazem é em prol de sí mesmo, mas sim em prol da sociedade, crescem com a idéia de moral e ética dada por ela e, crescem ouvindo que o trabalho dignifica o homem, que ócio é coisa de gente vabunda e de marginal, que gente de bem, anda dentro dos parametros da lei estabelecida por essa sociedade, se casam, e dão aos seus filhos essa mesma educação que recebeu de seus pais..
A sociedade está empregnada no ser humano mesmo sem ele próprio saber ao certo quem é, o que realmente ela é , e quem invento que tudo deve ser assim, e quem criou as leis em vigor hoje em dia. E uma das maiores ameaças a essa sociedade é a modernidade em que vivemos, a tecnologia e a vida que levamos hoje em dia, fazendo que os seres humanos sejam cada vez mais individualistas, e egocentricos, pensam em sí e que se foda o mundo, tirando deles assim o espirito coletivo.

Bruna Daniély Martins 1º SS Noturno

Para Durkheim a função da divisão do trabalho é gerar a solidariedade entre os indivíduos, que vai muito além de somente aumentar a produtividade.

Divide a solidariedade em duas vertentes:

- Solidariedade orgânica, que é definida pela relação de interdependência das pessoas no trabalho, uma área complementa a outra. Esse tipo de solidariedade se dá por indivíduos que se diferenciam entre si.

- Solidariedade mecânica, os indivíduos identificam-se pela religião, costumes, crenças. Prevalece a consciência coletiva.

Exercendo sua função na sociedade, a solidariedade mantém a sua coesão. O indivíduo nega a si mesmo em bem do todo e assim a ordem é mantida.

O individualismo destrói as bases da coesão social


Para Durkheim o trabalho tem como função harmonizar a sociedade. O trabalho não no sentido econômico, pois este leva ao individualismo causando a degeneração da sociedade. Mas no sentido moral , que nos leva a ver o trabalho não como algo sacrificante e sim vê-lo como algo que dignifica o homem.
Ele acredita em uma
solidariedade do individuo com o coletivo, negando a si mesmo pra o bem de todos. Colaborando para a coesão social.



Livia de Paula Barbosa - 1° ano Serviço Social - Diurno

A Moral da história...



Segundo Durkheim a divisão do trabalho tem como função gerar solidariedade em um sentido público, porém para que esta seja gerada é necessário primeiro, implantar uma moral, para que as conseqüências da prática desta gere a solidariedade. Porém, atualmente, onde está essa moral?

Logicamente ela existe e nos é transmitida de geração em geração, no entanto não é tida como “ordem”, o que proporciona um desvio no seguimento desta. Pois vivemos em um sistema cada vez mais individualista, no qual todos querem seus direitos (cada vez mais singulares) atendidos de imediato, não atendendo assim, uma necessidade social, mas sim individual, o que para Durkheim, faria perecer todo corpo social, já que o individualismo gera imoralidade, não solidariedade que é a seiva vital da sociedade.

Talvez a solução seja implantar uma moral que abranja mais diversidades, uma moral mutável, que acompanhe as mudanças sociais, e que não busque excluir, mas incluir o diferente.

A importância da divisão

Durkheim tinha uma preocupação com a sociedade, queria que ela fosse baseada na ordem e harmônica. Todo fato social não podia ser explicado pelo comportamento individual, ma sim explicado por outro fato social.

A idéia de divisão na sociedade moderna dividiu o trabalho para aumentar a produtividade, para evoluir, porém ela gera somente eficiência
econômica e para Durkheim tem que eliminar essa idéia e se preocupar com o fator da dimensão moral do trabalho. Uma moral não ética religiosa, mais uma moral no sentido público, uma forma muito mais ampla de ver o trabalho como algo generativo que dignifica o homem.

A divisão do trabalho tem função de gerar solidariedade que leva a negar a mim mesmo para o benefício de todos. Para ele temos que aceitar a diferenciação social para que todos possam produzir para sua subsistência, negando a si para a coesão da sociedade.

"A função da divisão do trabalho", Émile Durkheim.

Adrielly Bevilaqua Stefani 1°ano de Serviço Social- Diurno

Ajuda organizada


Durkheim iguala fato social com solidariedade pois, não favorecemos a nós mesmos com nossas atitudes, existe um ato de se doar em prol do outro contribuindo para evolução da sociedade em geral. Sociedade esta com conceitos predeterminados pela cultura de cada país, região e etc. Quando compramos um computador não estamos satisfazendo uma necessidade humana, como se não fosse possível viver sem a sua existência, de fato você esta contribuindo para o bem estar social em comum, facilitando a comunicação, o acesso as informações e encurtando distancias.





Para ele solidariedade só poderia ser realizada sobre as formas de organizações sociais já existentes. A organização do trabalho era necessária diante a imoralidade dos conceitos individualistas instipulados pela burguesia, a primeira divisão se deu pela separação sexual dos indivíduos. Cada um (homens e mulheres) se reintegraram no melhor contexto de trabalho para uma contribuição justa no corpo social. São as diferenças que nos completam e nos instigam a sermos solidários sobre a forma onde cada um ocupa sua função social.





Guieni K. B. Castro

Os opostos também se atraem.

Para Durkheim a divisão do trabalho se dá através da solidariedade, “negação de si em prol do todo”, e da diferenciação social: orgânica (forte) funcionamento como o todo, a moral /e a mecânica (fraca) verdade revelada divinamente, a religião.

Todo fato social cumpre uma função específica ,logo o importante é a estrutura social.Como diz Albert Einstein “os opostos se atraem”, complementa a idéia da atração dos semelhantes e dos diferentes que Durkheim trata em seu texto.

Por isso o casamento é analisado numa perspectiva positivista . “A família é a mater da sociedade”.

Para que ocorra a harmonia, a sincronia, o equilíbrio no trabalho e em sua divisão, é preciso existir a moral, logo é o que diferencia da idéia continiana.



Elvira Mendes Floro 1º ano SS Noturno

Cumprir o seu dever e ser solidário.



Durkheim como um pós positivista também pensa no bem comum, ele acha que um fato importante pra isso é a solidariedade. A divisão do trabalho é o maior ato de solidariedade para ele, porque o trabalhador larga sua vontade para realizar seu trabalho, que vai contribuir para toda a sociedade.
A solidariedade também acontece no casamento, pois muitas vezes a pessoa casa pelo papel representativo que a sociedade impõe, assim ela vai criar filhos, que trabalharam e também vão fazer o seu papel. Mais Durkheim não visava a acumulação de bens, pois isso não acrescentaria nada no progresso da moral.
Outra coisa que ele achava desnecessária era as artes, porque ela é a representação da liberdade fugindo do ordem comum.
E essa cooperação de todos que faz com que o ser humano cresce na sua visão, ele acho que por mais que sejamos inteligentes ou fortes sempre temos a aprender com o outro e isso que nos completa. Para ele o diferente se completa.
E quanto mais há diferença social, mais amplo é o modo de ver as coisas.

No texto Durkheim usa como exemplo o tamanho do cérebro das mulheres em comparação ao dos homens e ele analisa varias culturas. Analisando a nossa, temos casa vez mais mulheres no entre os homens, fazendo trabalho que antes eram feitos apenas por homens, inclusive no campo das ciências. Não acho as mulheres são inferiores e nem que isso afeta no completar um do outro.

Higor Mouro SS noturno.

Rebelar-se ou aceitar?


Para Durkheim, todo fato social é explicado por outro fato social, que por sua vez cumpre determinadas funções, assim como os organismos do corpo. Por exemplo: a EDUCAÇÃO (é um fato social), expressa a forma como o corpo social introduz a sociedade em nós. Sua função é fazer com que a sociedade se mantenha equilibrada (outro fato social).
Segundo ele a solidariedade é gerada através da divisão do trabalho, que é a negação de si em função do coletivo. Ou seja, aceito tudo o que a sociedade aceita, mas nego em função do todo!
Uma forma de padronização, subordinação da sociedade, onde todos deveriam agir sempre em função do todo.

A divisão se tornando união!


Durkheim considera que a sociedade é um como um corpo e cada individuo é órgão, e para este corpo funcionar ele depende de cada função destes órgãos. A função da divisão social do trabalho é criar solidariedade entre os homens através do trabalho, pois todos nós possuímos um papel muito importante para que ocorra uma de troca de serviços. Por exemplo : um médico possui um papel muito importante para a sociedade, assim como um lixeiro, que também tem um papel fundamental, só que não é valorizado e reconhecido assim como o médico.
Para Durkheim ambos são importantes, e depende um do outro, isso é uma troca de serviços e também cada indivíduo deve se sentir parte de um todo, ocorrendo um equilíbrio se cada um de nós assumir o seu papel de forma solidária.

União e Solidariedade


A princípio, a divisão do trabalho mostrada por Durkeim, se assemelha com a idéia de ordem e progresso dita por Comte. A diferença é que, a idéia apresentada por Durkheim, é baseada na moral, cada um tem seu lugar na sociedade, mas não em função econômica mas sim por solidariedade. Ele mostra que se cada indivíduo cumprir com seu papel, a sociedade estará em equilíbrio, sendo assim é possível alcançar a ordem e o progresso.

DIVISÃO DO TRABALHO



Para cada fato social há a divisão do trabalho.Para Durkheim o estado existe para proteger o cidadão,por isso ele é contra o individualismo e o egoísmo e quando o capitalismo começa a ser predominante a sociedade significa que esta doente,a negação de si é automático mesmo que não tem consciência disso.
Para Durkheim é necessário ver a divisão do trabalho pelo prisma da solidariedade que é o elemento central na organização da sociedade.E a divisão do trabalho não tem sentido meramente econômico baseado na produtividade e no interesse.

Produtos da Sociedade

Durkheim a respeito da divisão do trabalho quer desvendar a função determinada de cada individuo na sociedade. Nos fazendo questionar qual seria a nossa utilidade. Se tirarmos nossos pais, o meio em que vivemos, amigos, trabalho, fé, politica, filosofia. O que nos resta? Resta NÓS. E quem nós somos? Talvez não sabemos. Essa questão até parece fácil respondê-la, mas percebendo que ao retirar nossas influênças, as pessoas, nossas filosofias, nosso mundo, e entrar em contato consigo mesmo, é mais complexo que imaginávamos.
Investigando o funcionalismo e suas consequências, é perceptível o quanto há indivíduos semelhantes exercendo diferentes funções, levados pela circunstâncias da vida.
O fato social já existente, nos impõe ideias que nem temos consciência que elas existem, modificando e nos levando a exercer seus papeis, para serem apresentados. Todos os fatos são ligados a sociedade, não apenas ao individuo. Sua estrutura de Solidariedade, seria a contribuição com os demais. Estruturados para a atuação de todos, em estado de harmonia, agindo conforme a sociedade espera.
"O sentido de Solidariedade é a negação de si, em prol de todo" Levantando fatos morais, o dever de agir em relação ao conjunto, "seguir regras", sua formação e educação como conduta. Fragmentando as parte para entender a sua totalidade, com fins objetivos. A Arte seria a negação desta metodologia, saindo da ordem, buscando o individualismo.
"A divisão do trabalho não tem sentido meramente econômico, baseado na produtividade e no interesse, mas sim o colocar cada individuo em seu lugar para manter a ordem para o bem de todos. A fim de que todos sobrevivam, aceitando a diferenciação, com cada qual ocupando sua função social."

Joseane da Silva Poli - 1º SS - Noturno

Um conector social....

Para Durkheim , a divisão do trabalho é uma forma de manter o equilíbrio da sociedade, ou seja , uma harmonia surgirá no momento em que cada um cumprir o seu papel social. Diferentemente do que a maioria das pessoas pensam, Durkheim não visualiza o trabalho como mera produtividade, ele entende que em sociedade dependemos um dos outros e o trabalho é uma espécie de conector social. Um professor não conseguirá viver apenas das suas aulas, ele necessita de comida. Logo alguém terá que plantar essa comida e outros terão contato com esse alimento até que ele seja servido na mesa do professor. Esse é apenas um exemplo da necessidade da divisão do trabalho.

Para ele essa divisão deve ser vista na forma de solidariedade social, a qual aceita as diferenciações do trabalho como forma de sobrevivência. Isto pode ser visto, por exemplo no vídeo a seguir:


video


Cristina Leal Sanches 1º Ano de Serviço Social Diurno

Ligação do um ao todo

A idéia da sociologia de Durkheim é que busquemos revelar as funções sociais,seguir padrões,condutas para a ordem e fatos sociais.
Se não há coesão social, as pessoas perdem o vínculo uma das outras,ocorre uma degeneração social.
Para Durkheim é preciso não só explicar a coisa em si,sim sua função,a que necessidades corresponde já que ele não estava interessado no fato econômico,mas na divisão moral,no sentido mais amplo,público,não deixando que o trabalho seja encarado como algo sacrificante pelo homem que o exerce.
Émile defende a idéia de que o sentido econômico leva ao individualismo e é isso que ele pretende eliminar já que é algo que afasta o indivíduo do pensar em um todo.
O estado e não o mercado deve amparar o indivíduo para que ele possa desempenhar seu papel regularmente mantendo a ordem no meio.

Lute pela paz, mas também pela justiça social!

O Funcionalismo de Émile Durkheim retrata uma sociedade totalmente explorada tanto psicologicamente como fisicamente em relação à divisão do trabalho. Para o autor, os trabalhadores deveriam exercer a sua profissão, sempre visando o coletivo, visto pelo prisma da solidariedade, que era o elemento central na organização da sociedade.

Com o pensamento Funcionalista (de importância e de uma função específica na sociedade), os trabalhadores, desde os mais explorados, não se rebelavam contra o sistema e nem faziam algo para crescer profissionalmente. Assim se dava a “luta pacífica pela vida” no contexto de intensificação do volume e densidade material e moral das sociedades, ou seja, mesmo com o a expansão do capitalismo, os trabalhadores por um pensamento cartesiano, seguiam seus valores e a moral que lhe eram impostos desde sempre.

Durkheim tinha uma base muito forte na filosofia de Comte da “ordem e progresso”, e para o autor do Funcionalismo, o equilíbrio social só ocorria com o trabalho e com a negação de si mesmo, ou seja, incumbir o pensamento de que um indivíduo precisa do outro para manter sua função social.

Atualmente, essa ideologia é notória em nossa sociedade e infelizmente ainda existe exploração em relação ao ser humano. Enquanto fizermos parte desse sistema capitalista, sempre existirão desigualdades. Não que tenha que deixar de haver passividade, mas acredito que as pessoas não devam aceitar tudo o que lhe são impostas, mas sim lutar pelos seus direitos e ideais, ou melhor, pela justiça social. Enquanto existir o pensamento apenas de luta pacífica pela vida só vamos concordar com tudo o que esse sistema nos impõe e nos afeta.

"Todos em função do Todo"



Para Durkheim a divisão do trabalho conscientiza as pessoas do seu papel na sociedade e da importância da solidariedade social, que tem sentido público e consiste no homem negar a si mesmo em prol do todo. O que para Durkheim vincula os indivíduos que de outra forma viveriam separados, ou seja, o trabalho tem sentido moral, cada um sabe que a função que desempenha é importante e necessária para a sociedade. O individualismo é considerado patologia para Durkheim.
Acho que como todas as funções são igualmente importantes para o andamento e desenvolvimento da sociedade, elas deveriam ser reconhecidas e valorizadas também da mesma forma, afinal, se um médico, um lixeiro, um assistente social e tantos outros desempenham trabalhos igualmente importantes e necessários para sociedade, porque há tanta desigualdade?

SOCIEDADE DE PESSOAS MORTAS

(Paródia de Poética - Manuel Bandeira)

Estou farto deste funcionalismo comprometido
Do funcionalismo bem comportado
Do funcionalismo defendido
por Durkhein em que todo fato social cumpre uma determinada função social.

Estou farto desta divisão de trabalho em que cada órgão cumpre uma função específica.

Abaixo os engôdos capitalistas
Todos aqueles que defendem a imutabilidade funcional
Todos aqueles que defendem a renúncia em prol do coletivo, com intento de facilitação da imposição do capitalismo pelos governantes.
Todos aqueles que não lutam por melhores condições para a coletividade sem interesse escusos.

Estou farto deste funcionalismo que prega
A renúncia do individual
A solidariedade
E de todos que pregam esta pseudo união com intento da imutabilidade social, bem como manutenção da exploração do capital.

Este funcionalismo não é ato de solidariedade, de renúncia individual em prol do coletivo, mas sim um forma pacifica de manutenção do sistema capitalista, ou seja, do acumulo de produção de capital gerado pelo coletivo nas mãos unicas dos gerenciadores do capitalismo.

Quero sim, a implantação do ideal marxista
A derrocada do Capitalismo
A união de todos, todavia para lutar contra a exploração capitalista
A liberdade, a poesia e a verdadeira solidariedade

Não quero saber do funcionalismo que não é libertação

Já não é mais como antes

De certa forma não podemos mais exercer e/ou aprender todas as funções, estamos condicionados a tal da divisão de trabalho que Durkheim trouxe, onde cada indivíduo é submetido a tal função para toda vida com o intuito de gerar uma maior riqueza para a sociedade. Para Émile, isso não é ruim, isso traz a solidariedade, negação de si em prol do todo.



Havendo assim dois tipos de Solidariedade: a solidariedade mecânica, aquela que predominava na sociedade pré-capitalista, onde os indivíduos de identificam por meio da família, da religião, da tradição e dos costumes, já a solidariedade orgânica é típica das sociedades capitalistas, em que, pela acelerada divisão do trabalho social, os sujeitos se tornavam interdependentes. Sendo assim essa interdependência garante a união social, mas em contra partida os costumes e tradições vão sendo deixados de lado. E como vivemos em uma sociedade capitalista praticamos a solidariedade orgânica uma pessoa que não a faz é, claramente, uma patologia ao resto do corpo sociológico. 


                                  http://www.jequiereporter.com.br

Já não é mais como antes

De certa forma não podemos mais exercer e/ou aprender todas as funções, estamos condicionados a tal da divisão de trabalho que Durkheim trouxe, onde cada indivíduo é submetido a tal função para toda vida com o intuito de gerar uma maior riqueza para a sociedade. Para Émile, isso não é ruim, isso traz a solidariedade, negação de si em prol do todo.



Havendo assim dois tipos de Solidariedade: a solidariedade mecânica, aquela que predominava na sociedade pré-capitalista, onde os indivíduos de identificam por meio da família, da religião, da tradição e dos costumes, já a solidariedade orgânica é típica das sociedades capitalistas, em que, pela acelerada divisão do trabalho social, os sujeitos se tornavam interdependentes. Sendo assim essa interdependência garante a união social, mas em contra partida os costumes e tradições vão sendo deixados de lado. E como vivemos em uma sociedade capitalista praticamos a solidariedade orgânica uma pessoa que não a faz é, claramente, uma patologia ao resto do corpo sociológico. 


                                   http://www.jequiereporter.com.br

O PONTO DE MUTAÇÃO

FILME O PONTO DE MUTAÇÃO.  ESSE FILME FOI MUITO INTERESSANTE, APRENDI COM ELE QUE UM PROBLEMA ENVOLVE O OUTRO, TUDO ESTÁ CONECTADO COMO UM RELÓGIO.  UM HOMEM SAUDÁVEL ASSIM, É COMO UMA PEÇA DO RELÓGIO QUE CONTRIBUI PARA QUE ESTE EXERÇA SUA FUNÇÃO. SAUDÁVEL NO SENTIDO DE CONTRIBUIR COM UMA SOCIEDADE MELHOR, DESEMPENHANDO SUAS DEVIDAS FUNÇÕES. NELE APRENDI TAMBÉM, QUE É PRECISO PREVENIR, DO QUE INTERVIR. UMA PESSOA COM CÁLCULOS RENAL POR EXEMPLO, SE A PEDRA FOR REMOVIDA PODERÁ PASSAR SUAS DORES. MAS, E O PROBLEMA QUE CAUSOU ISSO? ELA PODERIA TER PREVENIDO FAZENDO EXERCÍCIOS, TENDO UMA BOA ALIMENTAÇÃO, TOMANDO ÁGUA, ENFIM, OS PROBLEMAS ATUAIS DA SOCIEDADE, PARA QUE NÃO EXISTAM MAIS, É PRECISO INTERVIR NA RAIZ, PREVENIR. UM BOM EXEMPLO, É A EDUCAÇÃO. SE NOSSAS CRIANÇAS TIVEREM UMA BOA EDUCAÇÃO E APRENDIZADOS EFICAZES, COM CERTEZA CRESCERÃO E SE TORNARÃO CIDADÃOS DE BEM, QUE COMO UMA BOA PEÇA DO RELÓGIO, CONTRIBUIRÃO COM O TODO. EM UM DOS MOMENTOS, A ATRIZ DIZ QUE O HOMEM, QUE SE DIZ TÃO RACIONAL, ACABA USANDO ESSA INTELIGÊNCIA PARA SI, E ACABANDO COM O MEIO AMBIENTE. ELA USA SEU EXEMPLO QUE SAIU DE SUA PROFISSÃO, PORQUE COMEÇARAM A USAR SUAS DESCOBERTAS PARA UM LADO QUE ELA NÃO QUERIA. OU SEJA, ELA FOI CAPAZ DE RENUNCIAR SUA VIDA PROFISSIONAL, PARA UM BEM MAIOR. QUEM DE NÓS TERÍAMOS ESSA CAPACIDADE? UM FILME MUITO LEGAL, CRITICO E QUE NOS FAZ REPENSAR SOBRE NOSSOS ATOS, MUITAS VEZES MESQUINHOS.

A função da Solidariedade



Tendo por certo que cada fato social deva ser encarado como "coisa", cabe agora entender a função que cada uma dessas coisas exerce sobre o meio.

O achar a função de cada coisa (objeto estudado), quer dizer que devemos achar a sua causa eficiente, a real necessidade que ela possui no todo. Em " A Divisão Social do Trabalho". Émile Durkheim mostra qual é a função do trabalho na sociedade.

Cada qual deve desempenhar uma função para que haja a ordem do meio, e por fim, o seu progresso. Sem a divisão do trabalho, não há a geração da "substância" que dá a vida ao social, que é a solidariedade.

A solidariedade é a moral em sentido coletivo, o deixar de ser indivíduo e passar a ser sociedade. A moral nos leva a ver o trabalho não como algo degenerativo, desgastante, mas sim como algo que dignifica o trabalhador. É a solidariedade que faz com que o indivíduo negue a si, em favor do comprimento das atividades que farão o bem ao todo, ou seja, a realização de seu papel já determinado. Contudo, a solidariedade é injetada e não uma escolha, pois é através da educação que nos é concebida desde crianças, que começamos a entender o efeito moral do trabalho, que é gerar a solidariedade social.

A função da solidariedade é manter a coesão na sociedade, ou seja, sua condição de existência, o seu equilíbiro, o que constitui na divisão do trabalho entre os elementos que a integram, já que por haver a diferenciação entre os indivíduos, há, por conseguinte a divisão do trabalho. Quando o indivíduo aceita a naturalização desse sistema, ele nega a si em benefício à coesão social.

É preciso olhar a sociedade de dentro para determinar a função dos fatos sociais. É o Estado quem ampara o indivíduo, para que este desempenhe seu papel efetivamente.

Por outro lado, no sentido econômico, o trabalho leva a sociedade ao individualismo, que é a "afirmação de si", ele erradica o suporte da coesão, pois exclui a solidariedade. Contrário a essa ideia, Durkheim, diz que a moral é indispensável, necessária, sem a qual não se pode viver, pois é na divisão do trabalho que temos a harmonia da sociedade.


Fonte imagem: www.google.com divisão do trabalho-imagens


Thaís Monteiro Braga 1º Serviço Social- Diurno

DO INDIVIDUALISMO À SOLIDARIEDADE, PARA UMA SOCIEDADE MELHOR

O TEXTO DE DURKHEIM ME CHAMOU MUITA ATENÇÃO. ELE ME AJUDOU A REFLETIR MUITO EM RELAÇÃO AO INDIVIDUALISMO. PARA ELE, ESSA DIVERSIDADE DE FUNÇÕES QUE TODOS EXERCEMOS DE ALGUMA FORMA, DEVE CONTRIBUIR PARA O BEM- COMUM DE TODOS. É AÍ QUE, A SOLIDARIEDADE DEVE EXISTIR. SER SOLIDÁRIO, NÃO É APENAS AJUDAR UMA PESSOA QUE ESTEJA PRÓXIMA DE NÓS, MAS CONSISTE EM AJUDAR E CONTRIBUIR COM A VIDA DE ALGUÉM QUE NEM CONHECEMOS, ACABANDO, ASSIM, COM O INDIVIDUALISMO. PORTANTO, EXERCER E FAZER PARTE DESSA DIVERSIDADE DE FUNÇÕES: MÉDICO, PROFESSOR, FAXINEIRA, ESTUDANTE, ENFIM, CADA UM DEVE PENSAR NA SUA CONTRIBUIÇÃO PARA O TODO, OU SEJA, PARA TODA SOCIEDADE E ASSIM, SER SOLIDÁRIO. CADA INDIVÍDUO EXERCE UMA FUNÇÃO, E DURKHEIM ACREDITA QUE CADA FUNÇÃO ESTABELECE O SENTIDO DE QUAL PAPEL ESTA CUMPRE E A QUE NECESSIDADE ELA CORRESPONDE NESSA SOCIEDADE. PARA MIM, FOI MUITO IMPORTANTE REFLETIR SOBRE ESSAS QUESTÕES. COMECEI A PENSAR QUE, NÃO PODEMOS ESPERAR PARA MUDARMOS NOSSAS ATITUDES MUITAS VEZES INDIVIDUALISTAS. É PRECISO QUE AGORA, COMO ESTUDANTES DE SERVIÇO SOCIAL, JÁ INICIEMOS NOSSAS MUDANÇAS PARA QUE TODO ESSE INDIVIDUALISMO ACABE E PARA QUE SEJAMOS PESSOAS SOLIDÁRIAS DESDE NOSSOS PEQUENOS ATOS, PARA QUE ASSIM TAMBÉM NÓS POSSAMOS MERECER SER CHAMADOS DE SERES HUMANOS E HUMANOS DE VERDADE.

O grande quebra - cabeça social.

Para Durkheim todo fato social cumpre uma função específica, assim sua sociologia nos intriga a descobrir quais as funções dos fatos sociais. Não basta explicar o fato social, mas também a função que ele tem.

Assim como o casamento, outros fatos também teriam uma função na sociedade.

Essas funções desempenhariam papel fundamental para a solidariedade, uma solidariedade pública (com todos), sem espaço para o individualismo.

Esta solidariedade seria a negação de si em prol do todo.

(o indivíduo deixa de questionar sua própria condição e passa a ser apenas uma parte do todo).

Fonte : http://felippeneri.blogspot.com/2010_06_01_archive.html


A divisão do trabalho seria o meio para se gerar solidariedade, para então chegar à moral.Visto que aquilo que não gera solidariedade poderia gerar individualismo.

É na divisão do trabalho e na negação de si que se estabelece a harmonia social(a coesão).

A coesão então seria o sentido da felicidade humana.

Cada um desempenhando seu papel na sociedade em prol do todo : como um grande “quebra- cabeça social” .


Fonte : http://azulnocinza.zip.net/arch2009-07-26_2009-08-01.html


Letícia Silva Gimenes - 1º ano SS - noturno