sexta-feira, 27 de maio de 2011

Um nome aqui

Isto é algo esplêndido, encantador, envolvente e sedutor
Misterioso, me causa temor
Isto é incontrolável, imutável
Algo não influenciavel, 
É belo, triste, medonho
Feio,depressivo, feliz, real como um sonho
Patético, debilitado, mutilado, contorce - se de dor
Irreal, onipresente, vazio e obscuro
Preso, obcecado, arruinado, invadido, perdido
Isto é tudo
Isto é nada
Isto sou eu.

SEM BASE NO REAL, NO VIVIDO...

Engels tem tamanha importância nas obras de Marx; Foi quem realizou as pesquisas de campo, inserindo-se no cotidiano dos proletários. Critica Owen, Saint-Simon, Fourier por escreverem um socialismo utópico (onde as ideias são maravilhosas porém, não há êxito na prática). Para tentar explicar o socialismo , é preciso primeiramente conhecer o capitalismo para então tentar mudar o necessário.Para Engels “tudo no universo é dialético” tem TESE, ANTÍTESE E SÍNTESE. O poema abaixo, retirado do blog:http://desevolucao.blogspot.com/2008/06/fao-agora-minha-tese.html . Nos deixa claro a existência desta dialética, logo a charge também a representa; com um tema bem polêmico: os negro e as cotas raciais.

A síntese da história

Faço agora minha tese...

Convido-os para a antítese.

E depois bolamos a tal síntese...

E no fim tudo na vida é assim, meio complexo e paradoxal,

Nem tudo que é doce não tem sal.

Talvez seja a síntese de mascavo com sal grosso.

Me alegra pensar que nem sempre permanece o oposto.

Que em sua temporária necessidade o pólo seja intenso!

Para que possamos sentir o sabor

do frio para saber do quente

Para diferenciar o pão bom do com bolor

Conhecer o passado para viver melhor o futuro

Mas saborear o presente como se come um fruto

Da imensa salada do universo...

E aquele fruto é a síntese, aquele fruto é o último,

Aquele fruto é a prova que a mistura

Da estrofe com o verso,

Da geografia com a história

Da moça com o moço;

É que faz tudo ficar mais gostoso!

Concluo assim meu pensamento do dia,

Citado coisas que nunca imaginei que usaria!

(E usando rimas do tempo dá carochinha)

Tudo é uma síntese, é como tudo deve ser.”