segunda-feira, 13 de junho de 2011

A Máquina e o Homem


No texto “A Maquinaria e a Indústria Moderna”, Karl Marx descreve de forma minuciosa o motivo e todo o processo pelo qual se emprega a maquinaria no processo de produção, além das consequências que isso trouxe tanto para o capitalista, no ponto de vista econômico, quanto para o trabalhador e sua família.
O modo de produção capitalista surgiu graças à ruína do feudalismo, e o que o diferencia não só do feudalismo mas também de todos os modos de produção existentes até então, é a capacidade sedutora de fazer com que todos se sintam parte desse todo que na verdade somente engloba os detentores do capital, e mais, conseguiu transformar em mercadoria até mesmo nossa força de trabalho.
O objetivo do capital ao mecanizar a produção não foi aumentar o número de pessoas ociosas ou então melhorar as condições de trabalho do funcionário, mas sim, aumentar a produção, baratear as mercadorias e, sobretudo, aumentar a mais valia.
A princípio, a produção se dava por conta da utilização de ferramentas por artesãos e tecelões, assim como pela utilização de máquinas como o arado puxado por bois utilizado pelo homem do campo por várias gerações e em diferentes contextos históricos.
Dessa forma, vemos que tanto a ferramenta quanto a máquina eram utilizadas pelo homem no processo de produção desde ascivilizações mais antigas. A ferramenta movida pela força humana e a máquina por uma força natural diversa da força humana, ou seja, nessa comparação não se leva em conta a capacidade de produção de determinado instrumento, mas a origem da força (força motriz) da qual esse instrumento necessita para se mover.
A princípio, o papel do homem se restringia à força motriz, no entanto, com o aumento do tamanho das máquinas houve a substituição da força humana por outras forças motrizes, uma vez que a força humana não era capaz de produzir um movimento constante a ponto de mover os grandes motores. Nesse contexto, a indústria moderna teve de utilizar-se da própria máquina para produzir suas máquinas. Com a evolução dos instrumentos no processo de produção o homem apenas “orienta” enquanto a máquina produz a própria força motriz e trabalha com os instrumentos de produção.
O emprego da maquinaria=maior quantidade de trabalho não pago.
A princípio, no emprego da maquinaria, o capitalista se preocupava em utilizar o trabalho das mulheres e das crianças devido a uma maior flexibilidade pelo porte físico.
Dessa forma, a maquinariapassou a empregar todos os membros da família do trabalhador, sem distinção de sexo e de idade.
Portanto, com a mecanização do processo de produção o homem supera seus próprios limites enquanto humano.
A superação desses limites proporciona uma transformação ilimitada, dessa forma, quanto mais máquinas na produção, menor é o conteúdo do trabalho humano, ou seja, esse trabalhador vai receber menos enquanto produz mais-valia em maior quantidade para o capitalista.