domingo, 19 de junho de 2011

A História mudou e os Marxistas, onde estão?

Em “O Manifesto Comunista” Marx e Engels, utilizando de uma linguagem muito elementar apresentam os principais pontos da sua análise do Capitalismo, assim como a antecipação de muitas das reflexões de Marx sobre esse sistema econômico, tais como: a ideia de globalização, mercado internacional interligado e o mercado como eixo regulador de todas as relações sociais.
Para Marx todo o movimento histórico é baseado na história da luta de classes. Esse enfrentamento produz a essência de todo o movimento histórico. É evidente que após a publicação do Manifesto a história já é outra, portanto não podemos justificar todos os problemas sociais como sendo resultado dessa contradição da luta de classes. Devemos perceber a dialética para além da luta de classe.
A antítese hoje luta não para suprimir a tese, mas para se incorporar ao sistema, ou seja, enquanto não houver de fato uma conscientização de classe não haverá a tão sonhada revolução.
A burguesia foi eficiente ao expandir seu modo de vida para o mundo. Ela não construiu um novo modo de produzir apenas, mas todo um processo civilizatório. As determinações do mercado definiram muito do padrão de sociabilidade que temos hoje.
Enfim, sabemos que algumas dessas reflexões de Marx precisam ser atualizadas devido às transformações que a história sofreu nos últimos anos. Precisamos agir não no plano das ideias, ou seja, não apenas imaginar a revolução como sempre fizeram os Marxistas Ortodoxos, mas agir no intuito de propor uma mudança na sociedade em que vivemos, e será a partir dessas pequenas mudanças que chegaremos, portanto, à revolução.


3ª Do Plural
Composição: Humberto Gessinger

Corrida pra vender cigarro
Cigarro pra vender remédio
Remédio pra curar a tosse
Tossir, cuspir, jogar pra fora
Corrida pra vender os carros
Pneu, cerveja e gasolina
Cabeça pra usar boné
E professar a fé de quem patrocina
Querem te matar a sede, eles querer te sedar
Eles querem te vender, eles querem te comprar
Quem são eles?
Quem eles pensam que são?
Corrida contra o relógio
Silicone contra a gravidade
Dedo no gatilho, velocidade
Quem mente antes diz a verdade
Satisfação garantida
Obsolescência programada
Eles ganham a corrida antes mesmo da largada
Eles querem te vender, eles querem te comprar
Querem te matar de rir, querem te fazer chorar
Quem são eles?
Quem eles pensam que são?
Vender, comprar, vendar os olhos
Jogar a rede... contra a parede
Querem te deixar com sede
Não querem te deixar pensar
Quem são eles?
Quem eles pensam que são?

MANIFESTO COMUNISTA


O Manifesto do Partido Comunista foi uma tentativa de difusão dos ideais socialistas que surge a partir do Materialismo Dialético de Marx. A proposta se amadurece no final do século XIX.
É uma crítica ao modo de produção capitalista e tem como fundamento a conscientização da classe operária para que essa consiga se estabelecer e reverter a sua situação de alienação. Os revolucionários comunistas visavam acabar com a sociedade privada e assim a divisão de classes seria extinta, já que Marx e Engels diziam que em todo o momento da história das sociedades houve luta entre as classes, sendo uma classe dominante e a outra dominada (burguesia e proletariado), a medida que essa desigualdade vai sumindo, some também o Estado. Eles criticam o socialismo reacionário, o socialismo conservador e o socialismo utópico. Marx e Engels prega o socialismo científico que é contrário ao romantismo dos utópicos. Marx encerra o manifesto motivando os proletários com a famosa frase : 'Proletários de todo o mundo, uni-vos'

Samanta Cristina Baptista, 1º SS noturno

Novo tempo, novas causas.



Algumas coisas que sabemos: o capitalismo é um sistema que causa alienação, desigualdade social, miséria entre outros. Isto sempre ocorreu, antes e depois do descobrimento dos "novos" continentes, mas a idéia de globalização e de expansão de mercado se intensificou com esse novo sistema, até porque se ele não atingir novos mercados ele entra em crise.
Marx analisando a história notou que outro fato deriva desses problemas, a luta de classes e segundo ele só essa luta pode causar transformação.
Muita coisa deve ser mudada na sociedade, principalmente porque esse sistema que vivemos reduz a vida de um homem á uma simples nota. E essa ideia de liberdade daqueles que tem dinheiro " eu pago, eu posso" iria acabar junto com o próprio sistema, que segundo Marx afundaria na própria concorrência/competitividade que causaria revolta da classe trabalhadora.



Higor Mouro 1° Serviço Social





O CAPITALISMO
No manifesto comunista Marx e Engels distingui as várias formas de opressão social e critica ao modo da produção capitalista,o poder da burguesia.
Burgueses x proletariados= desigualdade social que teve grandes consequências na organização social:desemprego,fome,miséria e a exploração e eles tentam solucionar esses problemas presentes na sociedade.
E um grande elemento do capitalismo é o mercado que incentiva as pessoas cada vez mais a um consumo desnecessário para satisfazer um prazer que não passa mais de uma mercadoria em que vai favorecer a concentração de riqueza nas mãos de poucos.
Hoje é o dinheiro que move todas as relações existentes precisamos até pagar pelos nossos prazeres futuros e é esse capitalismo que gera a massa de marginalizados e oprimidos e são esses que Marx e Engels querem "abrir os olhos" para este problema.

http://www.youtube.com/watch?v=A4Cikknx1Uc

O principal objetivo do Manifesto Comunista é instigar os trabalhadores, que foram privados de seus próprios meios de produção e que agora são obrigados a vender sua força de trabalho para garantir sua sobrevivência, à luta por seus direitos perante esse novo modo de vida que lhes estão sendo impostos: o Capitalismo.

Dessa forma, em todo o seu decorrer Marx e Engels deixam claro quais são os ideais Comunistas e também demonstram suas insatisfações quanto aos ideais Capitalistas, dentre eles o ideal da Propriedade Privada na qual defendem sua abolição.

Grito.

O Manifesto Comunista surge ameaçando todo o sistema capitalista. A obra propõe uma forte utopia banhada pela união dos trabalhadores em prol de um mesmo ideal. Propõe ferramentas para que haja um ideal de igualdade, eliminando miséria e exploração, já que todos tem o direito de governar suas próprias vidas.
A obra com papel fundamental na história da humanidade, parte de uma análise minuciosa histórica, destacando várias formas de opressão.
Mesmo Mark e Engels não tendo presenciado o resultado, creio que não previam longevidade desse capitalismo, tão oponente. Mas previam que o Manifesto abriria os olhos dos proletários para que lutassem pela conquista de um poder político e a destruição da burguesia tão dominante.
A obra traz contém claramente objetivos comunistas, enfatizando que todos os homens são iguais.
E destaco aqui o grito de protesto, que para mim, resume a obra:
" TRABALHADORES DO MUNDO, UNI-VOS "


Rita de Cássia F. Henrique 1 ano S.S noturno.

``Androides``





O manifesto comunista explicita as características do sistema capitalista em que a desumanização do homem é visível, tudo o que fazemos , estudos , relações sociais no fim , é para servir ao ``sistema; pegando

uma família clássica ( pai,mãe, filhos) por exemplo ,segundo a visão do processo capitalista, cada integrante seria apenas mais uma peça para a ``maquina`` que faz o sistema capitalista funcionar.



Então no manifesto comunista Marx convoca a classe oprimida a lutar contra as condições impostas pela classe dominante ( burguesia) , no intuito construir uma nova sociedade baseada na igualdade.







Amanda Inacio Faciroli 1 S.S noturno.

Os tempos mudaram.

O Manifesto do Partido Comunista baseado na ideia de que todos somos iguais e temos direitos iguais, foi uma tentativa de Marx e Engels juntamente com comunistas de toda a Europa de tentar solucionar os problemas da sociedade, como miséria, pobreza, opressão e a exploração do trabalho, que vem fazendo parte do contexto histórico da sociedade desde seus tempos primordiais...

Logo em seu inicio cita com um tanto de orgulho, o quanto o comunismo já assustava os lideres da época, o fantasma do comunismo rondava a Europa!

Em geral o texto de Marx e Engels faz um critica contra o capitalismo, e as suas mazelas, a relação trabalho/capital explorador/explorado. O texto meio que incentiva a massa explorada, o proletáriado a se organizarem para que a revolução acontecesse... Tanto é que termina com a frase PROLETÁRIADO DO MUNDO TODO, UNI-VOS!! Marx quando escreveu o manifesto, não imaginava a que ponto o capitalismo era capaz de chegar, ele sem dúvidas contava que o " proletáriado " fosse cada vez mais se revoltar com a sociedade injusta e exploradora, mas parece que aconteceu o contrário, o capital conseguiu fazer desses explorados, consumidores e sustentadores do capitalismo. Todos vivem felizes com seus tênis da nike, pagos em doze suaves prestações, ou com suas televisões de plasma, seus computadores de tela plana, e nootebooks.

O proletariado de hoje em dia,nem sabe quem foi Marx, aliás não passa na cabeça da maioria das pessoas que são explorados, a parcela da população que tem conhecimento e enxerga a exploração, a galera que lê Marx, na maioria das vezes não precisa de uma revolução, assim como os chamados marxistas de corredores, que além de não saber explicar nem a dialética de Marx , com certeza não sabem o que é de fato um trabalho, não sabem o que é levantar as 5:30 da manhã, trabalhar o dia todo e logo após ainda ir a faculdade, não sabem e não precisam saber , pois seus pais mandam uma boa grana par gastar com a estadia em uma cidade distante, incluindo festas bebidas e baseados, entraram facilmente na universidade pública , devido aos seus ótimos cursinhos particulares e muitos ainda recebem presentinhos de seus pais como recompensa...

Essa é a nossa sociedade de hoje, que não só explora força de trabalho física, mas também, explora saber, aliena o trabalho das pessoas com suas máquinas o desvalorizando. Mas todo mundo acha lindo, ama a tecnologia, acha ótimo ter um computador que faz em seu lugar todo o trabalho, basta dar alguns cliques, e digitar algumas coisas! E o pior de tudo: ainda tem gente espalhando por aí que a revolução está a caminho!..



"Escute, garota, o vento canta uma canção
Dessas que a gente nunca canta sem razão
Me diga, garota: será a estrada uma prisão?
Eu acho que sim, você finge que não
Mas nem por isso ficaremos parados
Com a cabeça nas nuvens e os pés no chão
"Tudo bem, garota, não adianta mesmo ser livre"
Se tanta gente vive sem ter como comer..."

Engenheiros do Hawaii- Infinita Higway

Titãs – Homem Primata

http://www.youtube.com/watch?v=vkOvm3_oXyg


Ultraje a Rigor- Rebelde sem causa

http://www.youtube.com/watch?v=A4Cikknx1Uc



Uma verdade muito atual


Em "O manifesto comunista", Marx e Engels, mostram que na história da humanidade sempre houve luta de classes, mas a burguesia teve o seu diferencial, ela instituiu novas formas de opressão e exploração, trazendo um novo sistema de produção, o sistema capitalista. O que movimenta esse sistema é o mercado, então para que esse mercado gire, a burguesia produz cada vez mais, através da exploração e do trabalho excedente de homens, mulheres e até crianças. A partir desse ponto, podemos ver que sob o sistema capitalista, parece não haver pessoas, mas sim peças de uma máquina gigante, já que isso se estende a nível global. Esse texto é realmente bastante atual, pois , se olharmos para os lados vemos que a situação vem piorando a cada dia, pois sempre se acha uma forma de camuflar essa situação. Se observarmos, veremos que não deixamos de ser explorados, mas, sim somos explorados de formas cada vez mais diferentes. Certa vez, ouvi que não há capitalismo sem exploração. E realmente é isso que me parece,pois é um sistema que proporciona bens de formas cada vez mais fáceis, incitando em cada um o individualismo e a necessidade de possuir cada vez mais, assim as pessoas parecem capazes de tudo para lucrar. A burguesia chegou ao ponto de ver no operário um consumidor, criando a idéia de liberdade, uma falsa liberdade que prega que com dinheiro se pode tudo. O texto concluí- se com a idéia de que se a classe explorada se unir podem conseguir muito, pois como dito no começo do texto, os burgueses temiam uma revolução. Ainda hoje, vemos que unidos, talvez não se consegue muito mas, uma pequena mudança sempre é possível, e assim quem sabe aos poucos, consigamos uma grande mudança. "Proletários de todos os países, uni-vos!"

Marx e o Capitalismo

Para Marx a luta de classe sempre existiu, a sociedade se dividiu em dois campos muito opostos: que são a burguesia e o proletariado. Através da da exploração do mercado mundial ela invadiu todo o globo e ao mesmo tempo criando os proletários, tratados como mercadoria, que dependem do trabalho para viverem e do desenvolvimento do capital para terem o trabalho. É o homem explorando o homem, independente de do sexo, idade e etnia.

Marx através do texto no passa a idéia que só a união da classe proletária pode vencer a burguesia, que se apoderou completamente de nossas vidas. Hoje o capitalismo nos tornou consumistas, isso é um grande marco para a burguesia.

Garotos Ordinarios
MUNDO LOUCO E CAPITALISTA

Mundo louco em que eu vivo
As pessoas querem me fazer, como?
Mudando minha comida meus hábitos meu gosto
Querem mudar minha musica....foda-se eles e seu capitalismo podre
Eles falam que eu estou errado que eu vou acabar no delegado
Pode ser que sim pode ser que não eu so sei que daqui a pouco vou perder o controle

Pessoas no mundo estão para viver
Pessoas no mundo estão para morrer
E eu estou pra que ?
Para matar ou morrer ?

Morrer nesse capitalismo podre
Matar no socialismo limpo
Ou você morre ou não fica limpo
No passado rock era coisa do demônio
Agora parece coisa de pagodeiro
Vale a pena viver ou morrer

Pessoas no mundo estão para viver
Pessoas no mundo estão para morrer
E eu estou pra que ?
Para matar ou morrer ?

Eu não quero saber
querem me deixar loco pra eu não entender
mundo loco porá que
mundo louco por que


Eu Pago, Eu Posso!


Uma Sociedade regida pelo Mercado

No início do Manifesto Comunista Marx nos mostra a história como luta de classes, mostra que ao longo de toda história sempre existiu o enfrentamento constante entre opressor e oprimido. Mas se essa luta sempre existiu, a luta entre burguesia e proletariado seria só uma reprodução de suas antepassadas (homem livre e escravo, senhor e servo, etc.).

Porém o principal elemento que rege o sistema capitalista é o Mercado; e este diferencia o sistema das outras relações de classe, sendo um terceiro do qual nenhuma das classes (burguesia, proletariado) poderia fugir, necessitando ser inclusa neste para participar da sociedade. Uma inclusão que só pode ser feita através do dinheiro, o meio de troca do qual permeiam todas as relações.

Portanto o mercado seria o grande trunfo para sobrevivência do capitalismo, pois controla a sociedade como um todo, estando presente em todas as suas partes.

Para Marx o enfrentamento entre as classes é o que move o curso da história. Juntamente com Engels, discute a profundidade das tranformações que se dão não apenas no modo de produção capitalista, mas na nova forma de viver das pessoas. O capitalismo que surge da nova burguesia impacta em uma nova sociabilidade, porque cria novas formas de viver a partir de novas necessidades tecnológicas e novas necessidades de consumo impostas pelo mercado consumidor. O Manifesto Comunista critica esse novo modo de produção capitalista e a forma que a sociedade se estruturou a partir daí, diz que o próprio capitalismo gera uma massa de alienados, que a própria dinâmica do mercado global vai criar a destruição da mesma.O sentido do Manifesto é abrir os olhos para esta questão, busca organizar o proletariado como classe social capaz de reverter sua precária situação e termina com a frase: PROLETÁRIOS DE TODOS OS PAÍSES, UNI-VOS.

Luta contra a corrente

Vivemos em uma sociedade capitalista, que funciona como um redemoinho, sugando todo e qualquer ser humano a um sistema desprovido de qualquer sentimento, onde o mais importante é o consumo, e onde também é evidente a forma desumana de vida de trabalhadores em busca de sobrevivência.
O capitalismo tem uma visão global, de expansão de fronteiras, com seu símbolo percorrendo todo o mundo, transformando a vida das pessoas em perfeitas "mercadorias".
Para Marx e Engels, a transformação somente é capaz de acontecer atravéz da luta de classes, onde as pessoas, tomando consciência de seu papel perante a sociedade, unidas, poderiam transformar um sistema opressor em uma emancipação social, uma luta contra uma corrente constante e incessante.



Marco Antonio Diniz Bastianini - Primeiro Ano Diurno - Serviço Social

Marx e Engels...A Evolução à caminho!!!



O Manifesto Comunista fez a humanidade caminhar na busca da solução de problemas como a miséria e a exploração do trabalho. Rumo à concretização do princípio, que diz todos os homens são iguais. E sublinhando a novidade que afirmava que os pobres, os pequenos, os explorados também podem ser sujeitos de suas vidas.
O Manifesto Comunista é um conjunto afirmativo de idéias, de verdades, em que os revolucionários da época acreditavam, por conterem, segundo eles, elementos científicos um tanto economicistas para a compreensão das transformações sociais.
A introdução fala com certo orgulho, do medo que o comunismo causa nos conservadores.
A parte I, denominada Burgueses e Proletários, faz um resumo da história da humanidade até os dias de então, quando duas classes sociais antagônicas dominam o cenário. A grande contribuição deste capítulo talvez seja a descrição das enormes transformações que a burguesia industrial provocava no mundo, representando na história um papel essencialmente revolucionário. Marx e Engels relatam o fenômeno da globalização que a burguesia implementava, globalizando o comércio, a navegação, os meios de comunicação. O Manifesto fala de ontem, mas parece dizer de hoje.
A relação do papel dos comunistas junto ao proletariado é o aspecto mais interessante da parte II, intitulada Proletários e Comunistas. O Manifesto atribua aos comunistas mais decisões, avanço, lucidez e liderança do que às outras frações que buscam representar o proletariado, seus objetivos são tidos como comuns: a organização dos proletários para a conquista do poder político e a destruição da supremacia burguesa.


Marx e Engels queriam abolir a propriedade burguesa, capitalista.

O QUE É ISTO COMPANHEIRO?



Utilizando uma metáfora há de se dizer que o texto Manifesto Comunista foi uma receita prescrita por Marx e Engels para os comunistas, com a indicação do remédio para o combater a doença Capitalismo, mal de muitos séculos, juntamente com suas ramificações como a opressão da burguesia, a exploração do capital e do trabalho.
O antídoto para combater a opressão imposta seria a união do proletariado contra a burguesia. Marx e Engels idealizavam uma sociedade sem classe, sem exploração e a derrocada do modo de produção capitalista.
Em razão de infeliz destino os cientistas sociais faleceram antes de ver a nossa sociedade curada deste cancro social e economico que é o capitalismo.
Hodiernamente, além de não mais existir a luta contra a opressão de classe, o proletariado sucumbiu a exploração das falsas ilusões produzidas pelo capitalismo, muitos acham que não há como mudar, ou mesmo vencer este sistema que nos é imposto.
Apesar do mar parecer ser o Capitalismo e nós um barquinho naufragando, há de se lembrar do manifesto comunista, temos que promover a união do proletariado, pois somos a maioria face a minoria que nós explora e impõe este malfadado sistema.
O que é isto companheiros a luta continua... Temos que pelear...Temos que nos unir utilizando das armas do próprio capitalismo como a conexão. Tem que se frear este consumismo desnecessário no intento de fazer com que o Capitalismo morra de seu próprio veneno, pois se este modo de produção não evoluir ele tende a se extinguir...O que é isto companheiro? a luta continua e mais viva ainda, por um novo e melhor mundo.

Um Manifesto bombástico...


O Manifesto fala de ontem mas parece dizer de hoje. O desenvolvimento capitalista libera forças produtivas nunca vistas, "mais colossais e variadas que todas as gerações passadas em seu conjunto". O poderio do capital que submete o trabalho é anunciado e nos faz pensar no agora do revigoramento neoliberal: nos últimos 40 anos deste século XX, foram produzidos mais objetos do que em toda a produção econômica anterior, desde os primórdios da humanidade.

A revolução tecnológica e científica a que assistimos, cujos ícones são os computadores e satélites e cujo poder hegemônico é a burguesia, não passa de continuação daquela descrita no Manifesto , que "criou maravilhas maiores que as pirâmides do Egito, que os aquedutos romanos e as catedrais góticas; conduziu expedições maiores que as antigas migrações de povos e cruzadas".

De linguagem despojada e em alguns momentos bombástico, o Manifesto teve uma importância muito grande para o movimento comunista em toda a sua história.

Desde que foi escrito em 1848, o Manifesto Comunista tratado político escrito por Marx e Engels, que expressa o propósito e o programa da Liga Comunista já ganhou muitas versões, porém uma versão em quadrinhos me chamou muito a atenção.É possível fazer o download desta versão no site:

http://downloadsgratis.tv/baixar/manifesto-comunista-em-quadrinhos-karl-marx-e-friedrich-engels.html


Cristina Leal Sanches 1º ano de serviço social diurno

Juntos somos mais fortes


Em o manifesto do partido comunista Marx fais uma síntese da sociedade e de sua formação,através de uma analise histórica, chega a premissa de que a historia de todas as sociedades tem sido a historia das lutas de classe (opressores x oprimidos).
E na sociedade em contexto Marx vê duas classes distintas que cumprem este papel, de um lado a burguesia que vive um conto de fadas, do outro o proletariado que vive com a miséria batendo em sua porta; Marx porem vê na burguesia uma diferença dos demais opressores,pois ela forjou novas classes, novas condições de opressão e um novo sistema de produção, sustentado pelo regime da contradição, onde quanto mais riqueza ele produz mais miséria ele semeia.
Com sua analise Marx vai fundo e constata que a fome do proletariado parte da ambição do capitalista e que a miséria vingente é fruto do processo de produção burgues.
Marx parte desta analise para convocar o proletariado para a luta por uma nova sociedade, luta que busca não romper apenas com o regime da burguesia mas com o da opressão.

A transformação e a luta de classes.


O Manifesto Comunista em seu primeiro capítulo expressa a seguinte idéia: “A história de todas as sociedades que já existiram é a história da luta de classes”.

Marx através dessa obra ,parece buscar a atenção do proletariado, ou melhor, busca abrir os olhos dessa classe trabalhadora.

Para Marx o bem estar coletivo está acima de tudo, a família nuclear seria apenas uma concepção burguesa, pois a verdadeira família seria a comunidade .

Em sua obra expõe que o capitalismo que surge com ascensão da burguesia, impacta uma nova sociabilidade, ou seja , uma nova forma de viver.

Uma das transformações mais profundas ocasionadas por esse impacto seria a interconexão mundial, pois para esse novo modo de produção capitalista a interconexão seria fundamental, gerando a circulação do capital. O mundo então, é envolvido por uma nova conexão de mercado : o consumo.

Assim a burguesia através de sua exploração do mercado mundial, dá caráter cosmopolita para a produção e para o consumo em todos os países.

Esse novo mercado por não poder se estagnar, deve procurar cada vez mais novos mercados, e por essa razão os produtos desenvolvidos se tornam absoletos facilmente. Além de tudo, nesse mercado cosmopolita e de competição , não há nenhuma produção puramente nacional que sobreviva.

No sistema capitalista todos dependem do meio de troca : dinheiro.Todas as relações possuem uma interface mercadoria.Onde até mesmo o bem-estar, e a punidade se transformam em relações de troca.Onde o cálculo é naturalizado a todo o momento.

Marx e Engels acreditam que as forças do mercado trazem a pobreza porque perderam o controle do seu próprio poder.Defendem que o barbarismo não está na relação extrema, está impregnado no nosso dia-a-dia. É a vida pelo dinheiro .

Assim, acreditavam que a sociedade que se sustenta pela relação de troca gera a barbárie, e justamente a barbárie seria capaz de eliminar essa relação. E depois dessa eliminação seria possível uma sociedade que se apropriasse de sua própria produção coletiva.Onde a pressão do próprio capitalismo o destruiria.

Para Marx a transformação estaria nos antagonismos , e a classe operária seria os personagens principais dessa transformação. Mas podemos ver hoje que isso não se realizou , o capitalismo transformou essa classe ( que seria revolucionária) em classe consumidora. Fazendo com que os lucros agora retornem pelo mercado de consumo e não mas somente pela mão - de- obra.


Letícia Silva Gimenes - 1 ano SS - noturno

O coveiro também morreu

"O que a burguesia, portanto, produz, acima de tudo, é seus próprios coveiros".
Por muito tempo essa frase contida n'O Manifesto Comunista foi totalmente verdadeira. O antagonismo trabalhador x patrão foi elemento causador de revoltas, protestos, greves, crises... Todavia, a frase permaneceu estática enquanto a realidade continua em frenética transformação.
Hoje, os antigos coveiros são pequenas cópias de seus patrões, versões simplificadas e pagas em suaves prestações. Os coveiros não querem mais enterrar. Querem é deitar ao lado do morto!
Se a realidade tende a resumir-se a um amontoado de burgueses e pseudo-burgueses, a quem restará o cargo de coveiro? Talvez ao planeta Terra: algumas tsunamis, furacões apocalípticos ou secura extrema. Acredito que alguém vai enterrar esse sistema! Se não a revolução, quem sabe a poluição.

Imagem: 0001coisas.blogspot.com

Rafaella Rodrigues - 1º SS-N

"Ser a mudança que quero ver no mundo."

A história da humanidade, segundo Karl Marx, é constituída pela permanente luta de classes porque elas que nos trazem as mudanças mais significativas e através destas mudanças moldamos nossa forma de viver.
O sentido do Manifesto Comunista era abrir os olhos da classe operária para os problemas que a sociedade da época enfrentava. A classe operária sempre foi e na ótica capitalista sempre será oprimida pela burguesia. O escrito de Marx trouxe uma visão capitalista minuciosa de como funciona o acúmulo de capital da burguesia que hoje vemos estar mais evidente do que nunca, por isso é tão atual que ao lermos, parece estar se tratando da atualidade, e não de 153 anos atrás. Com a conscientização da classe trabalhadora e de sua igualdade perante todos os homens seria possível a concretização do socialismo na sociedade e o fim da propriedade privada, que é a forma de opressão mais evidente do capitalismo. Como os ricos detêm os meios de produção, ao proletário resta vender a sua força de trabalho em troca de um salário.
A visão de Marx sobre a sociedade, em meu modo de ver é bastante interessante, mas alguns pontos levantados em sala de aula foram bastante oportunos e refletem também o meu modo de pensar. A visão marxista parece distanciar-se bastante de sentimentos que são naturalmente humanos, em vários pontos, como foi citado como exemplo da grande família humana.
A exploração que o capitalismo permite é algo que traz reflexões inquietantes à todos nós que estudamos ciências sociais. Chegamos a um ponto de tamanha alienação por parte da grande massa que parece uma utopia pensar numa grande transformação em nossa sociedade. Sentimo-nos como pessoas pequenas lutando contra o poder da destruição que esta sociedade quer nos levar, mas vale muito mais a pena ser alguém que vive autenticamente sua vida do que talvez viver a vida toda em busca de uma revolução que sabe-se lá quando acontecerá. Mudar quando o mundo mudar? Não!! O processo é inverso. “Seja a mudança que você deseja ver no mundo”.(Mahatma Gandhi).

http://www.youtube.com/watch?v=SnwXaRI1F78


Raquel Aparecida de Mesquita
1º Ano de Serviço Social Noturno.

Conheçam a história de todas as sociedades!

A luta de classes existiu desde sempre em todas as sociedades. Entretando a introdução do capitalismo fez com que essa luta se distinguisse de todas as outras, pois, cada vez mais a sociedade se dividia em dois grandes campos inimigos: A burguesia e o proletariado.

A burguesia, por sua vez, conquistou tudo, desde a economia até a política, estabelecendo relações com o mundo e fazendo-o à sua imagem e semelhança. Despiu-se de sua aparência sagrada em todas as atividades e utilizou pensamentos políticos e religiosos ilusórios para dessa forma, explorar seca, fria e descaradamente a classe trabalhadora, muitas vezes, chegando a ser desumano a grosso modo.

Essa exploração era tamanha que a classe operária estava vivendo com uma pobreza exacerbada. Mas eis que surge dois grandes heróis para abrir os olhos dos trabalhadores. Karl Marx e Friedrich Engels, escrevem o “Manifesto do Partido Comunista” fazendo um convite aos trabalhadores - que vivendo à mercê do pauperismo, não tinham dignidade e consequentemente, nada mais tinham a perder – dizendo: “Operários de todos os países, uní-vos”.

No entanto, a classe trabalhadora armada com o conhecimento de sua exploração e sendo esta a principal fonte motivadora para então, ir à busca de seus direitos, “assusta” a burguesia, pondo em risco sua existência e contudo, após tantas lutas, de tempos em tempo, os operários vencem, mas apenas transitoriamente.

Atualmente, ainda conseguimos enxergar no seio da sociedade e do trabalho a exploração e a produção da mais-valia. Independentemente de quanto tempo passar e quanta luta existir, sempre haverá uma classe repugnante pronta para oprimir a outra. Trabalho árduo! Essa foi a história de nossa sociedade, singular, porém incondicionalmente submissa. " A história de todas as sociedades até agora tem sido a história das lutas de classes".


"Ideologia, eu quero uma pra viver..."

Marx acreditava que patologia é o que vai contra o coletivo , portanto num mundo sem classes não haveriam patologias. No manifesto comunista Marx critica o capitalismo e suas desigualdades cruéis, com o objetivo de abrir os olhos da classe trabalhadora. Ele acreditava que o próprio capital uma hora acabaria em razão de suas contradições. "Tudo que é sólido se desmancha no ar...".
Mas, o capitalismo mudou suas estratégias e através do mercado , do consumismo, das ilusões criadas pela mídia e a idéia de"globalização" fez com que seus opositores se rendessem e ainda ajudassem sendo consumidores.
Devemos também mudar as estratégias para combater um sistema tão forte, mas como? Essa aula me deixou bem confusa, assim como na música do cazuza, parece necessário uma nova ideologia.. uma nova forma de lutar, acho que o único caminho é a educação, mas quem está no controle dela não quer que ela mude, as pessoas que mais precisam de mudança geralmete não se interessam pelo assunto, preferem deixar as coisas como estão. Isso é angustiante.
E ainda tem gente esperando uma revolução...



O Manifesto do Partido Comunista é escrito por Marx e Engels com o intuito de tornar claro os objetivos dos comunistas.

Mostra que um dos grandes males do Capitalismo é a propriedade privada e defende a sua extinção, o que não implica na desapropriação pessoal do fruto do trabalho de cada um, mas sim no fim da escravização do trabalho por meio da apropriação.

Marx e Engels querem o fim da família e da educação.

A família só existe nesse moldes para a burguesia enquanto para os proletários a relação pais e filhos é inexistente devido serem transformados em meros instrumentos de trabalho.

Já a educação é totalmente determinada pela classe dominante que a usa para intervir na sociedade a seu favor.

No final do Manifesto “proclamam abertamente que seus objetivos só podem ser alcançados pela derrubada violenta de toda a ordem social existente”



Imparcialidade

Max Weber tras em seu texto a idéia de que: "devemos observar a sociedade como se estivéssemos fora dela, para que não a analisemos com nossos sentimentos e valores, mas a analisemos com imparcialidade e estudemo-la como uma ciência "real", sem basear na sua história, mas concentrar-se no agora, no que ela é no presente momento".

Repensar o capitalismo de forma igualitária...

Segundo Marx em "Manifesto do Partido Comunista", todos os problemas sociais são expressão da luta de classe. A sociedade é fragmentada em classes, onde a ordem dominante estabelece as normas da sociedade. Para ele, se não existisse diferença de classe, não haveria uma sociedade. As contradições entre as classes levam a produções de sínteses que regem as nossas vidas, por exemplo, a classe trabalhadora vive sob a pressão de produzir bens, mais-valia para a classe burguesa desfrutar de seu trabalho. Porém, não há como a classe operária enfrentar a capitalista porque quem possui a terra e as ferramentas são os capitalista, portanto os trabalhadores dependem deles para sobreviver e como há muita gente para trabalhar, a burguesia faz com que os próprios operários disputem entre si pelo emprego. Essa vida de oprimidos e opressores fazem com que seja nítido uma separação de classe social.
O pobre constitui sua família para que seus filhos os ajude a manter a casa, colocando-os para trabalharem desde crianças. O laço familiar nessa classe se torna um laço de bem comum, ou seja, o filho está junto deles para ajudar na sobrevivência da casa. A família proletária se torna uma relação de ganho. Já a classe burguesa, família serão os herdeiros, os que darão continuidade a toda a riqueza acumulada, então, os filhos dos capitalista, desde pequenos são educados a empreender, a ser cientísta, pessoa importante, que mandará nos filhos dos proletários e manterá a ordem de dominantes e dominados.
Nessa perspectiva de vida, Marx com seu manifesto pretende, não derrubar o sistema capitalista, mas integrar todas as pessoas a ele. Para ele, a sociedade deveria ser igualitária no sentido em que, ao invés do capitalista ficar com todo o lucro dos trabalhadores, que fosse dividido em partes iguais, ou seja, que fosse uma sociedade justa.
Portanto, Marx defende em seu manifesto, o Comunismo, que visava, segundo ele, o bem comum da população. Um sistema que não fosse opressor, mas que fosse igualitário, preservando os direitos das pessoas e mantendo um padrão de vida estável para todas as classes.