terça-feira, 26 de junho de 2012

Weber no Serviço Social

A visão Weberiana tem como ideal uma maior compreensão sociológica de cada indivíduo na sociedade. Sua visão compreensivista ia contra ao determinismo, objetivismo e dogmatismos que estavam presentes na sociabilidade.Sua proposta era uma nova interpretação do social e do pessoal.
Weber propunha uma compreensão a partir da ação de cada indivíduo, dos valores morais e princípios de cada um, em que, cada indivíduo responde por si e suas atitudes são tomadas de cunho pessoal e não da sociedade ou classe, chamando assim de Ação Social toda atitude individual.
Este método compreensivo de Weber de análise do interior e não apenas do exterior é de grande importância para a atuação do Serviço Social nos atendimentos aos usuários que necessitam do serviço. O Assistente Social em sua análise do usuário necessita do aprofundamento no individual para conhecer os valores e a realidade daquele usuário que está recorrendo a algum direito ou a algo que precisa de mudanças em sua vida. Deste modo, o serviço prestado surtirá efeitos mais plausíveis na vida daquele usuário.

Juliana Marton Moretti 1° SS - Diurno

A construção da compreensão.


O sociólogo Max Weber faz uma construção na Ciência Social de uma metodologia que estuda e valorize não o determinismo e o chamado de antimão de possíveis causas, seja ela a força da sociedade sobre o individuo, ou condições econômicas que forjam uma condição operária. Weber chama a atenção pelo fato de que é preciso como método na analise sociais, a multiplicidade de valores e de determinantes na ação social.
E para ele as nossas lutas cotidiana era o resultado de pluralidade de causas, e o individuo pode agir de acordo com seus valores, religiões, cultura, dos grupos sociais que ele convive e suas diversidades de valores que movem o individua em suas ações.
Para Weber existia o percurso ideal para a classe operária, e assim imaginando as características possíveis do nosso objeto de analise, como por exemplo, analisando nós estudantes de Serviço Social. Quais são as nossas características apresentadas e analisadas de uma forma geral?
Tendo uma noção sociológica surgem-se as respostas do tipo ideal, com características:
1º- Sexo Feminino;
2º- Imperativo;
3º-Organizada;
4º-Classes inferiores (economicamente);
5º-Engaxada politicamente;
Para Weber essas descrições são imagináveis, porém existentes, mas como não é presente em todos os alunos, não é possível formar uma lei geral para a atuação de uma Assistente Social. Deve-se comparar o tipo ideal com o real e tornar-se uma verdade empírica, para ele o tipo ideal deve ser algo que desapareça depois, apenas imaginado, mas que no fim tenha um ‘’sucesso’’ e seja realizado.
E para analisar e formar um tipo ideal, Weber criou quatro passos fundamentais:
1. Ação social racional com relação a fins, ter a ideia geral do objeto na qual a ação é estritamente racional.
2. Ação social racional com relação a valores, analisar a formula geral a partir dos diversos valores, na qual não é o fim que orienta a ação, mas o valor seja este ético, religioso, político ou estético;
3. Ação social afetiva, analisar conexões anteriores, porque para sabermos quem somos nós hoje, devemos pesquisar quem são nossos pais, nossos avós. Ou seja, a conduta é movida por sentimentos,
4. Ação social tradicional, analisar quais são as possíveis trajetória futuras, e saber quais são as possibilidades de futuro que tem como fonte motivadora os costumes ou hábitos enraizados.

Weber sem sobras de duvidas vem combater as ideias de Marx e Durkheim, pois defende a compreensão, e analisar os acontecimentos. A ciência de Weber se fosse aplicada e muito mais valorizada, nos mostraria outro sentido de vida, e muito mais ‘’saudável’’. Pois quando nos colocamos no lugar do outro, entendendo seus valores, seus sentimentos, sua cultura, sua maneira de pensar, e sabendo ‘’olhar’’ o mundo com os olhos do outro, tudo se torna compreensivo, entendido e principalmente controlável em nossas ações.

Victória Amazonas- 1º Ano SS- Noturno.

segunda-feira, 25 de junho de 2012


Cada um tem o seu lugar...

 Comte pensa na sociedade como uma ciência, e assim explica as suas trajetórias, com leis positivistas. Para ele a sociedade precisava de poucas leis, e pouco a pouco ficaria uma só.
 Tudo na sociedade tudo tem o seu lugar, e se alguém resolve questionar o seu papel a mesma entra em colapso.  É preciso conservar as coisas como estão e com este pensamento surge à distinção entre ciência e técnica.   O ensino técnico surge prepara a classe operaria, para o trabalho, “ensinar o Jeca tatu”.
 Quanto mais conhecemos o local que ocupamos, mais melhoramos para ocupa-lo. 


O ÚNICO DOGMA

           O conhecimento na ciência social, para Weber não está condicionado, unicamente a verdade científica, é construído, através de um conjunto de valores, que formam a realidade. Portanto, sempre que se vai analisar uma ação social ocorre também a influência dos juízos de valores de quem está analisando. Por mais neutro, que se queira ser, os valores culturais, religiosos, econômicos, familiares e outros influenciam a realidade estudada.
            O exemplo, que poderíamos colocar seria, em uma família composta por vários membros, para uma análise de um mesmo fato social, cada um dos membros têm uma visão diferente, apesar de pertencerem ao um mesmo ambiente,viverem econômicamente iguais e de certa forma possuírem  a mesma educação.Possuem juízos de valores diversos pois há a influência de outros aspectos ,como os religiosos e de idade. Assim, podemos discordar como Weber do dogmatismo do materialismo histórico de Marx, onde só o aspecto econômico explica todas as ações sociais, há muitas outras influências.
           Muitas, verdades ciêntifícas são impostas como dogmas.O dogma só existe na religião, a ciência, não é religião.Pois, na ciência e na sociologia não deve existir conceitos e verdades estáticas, pois todos os conceitos estão passíveis á mudanças, quando através de análises, estudos , tecnologia, alguns paradigmas são quebrados e surgem outras verdades.
           Para mim, o único dogma incontestável é a existência de Deus!


           Andréa B. Defendi Feliciano.
           SS. DIURNO
          


Saber é poder

 Para bacon a ciência tinha  que ser usada como meio de melhoria na vida humana, não poderia ser um exercício da mente. Assim sendo critica os gregos, por não criarem nada para a mesma e também critica a filosofia tradicional. A ciência se torna algo que todos podem acessar e não só dos sábios, com isto: Saber é poder, de acordo com a citação da pagina 6:

"Ciência e poder do homem coincidem, uma vez que, sendo a causa ignorada, 
frustra-se o efeito. Pois a natureza não se vence, se não quando se lhe obedece."

No livro Nova Atlântica, Bacon divulga uma sociedade cientifica que domestica a natureza para o seu uso. O mesmo mostra uma sociedade igualitária (todos têm seus direitos e deveres) e cientificista que é a crença na natureza como melhoria da condição humana. Esta sociedade ideal é a forma de demostrar como o cientificismo ajularia nesta nova face. 
 Com isto Bacon deixa acesa a chama da esperança para nós e mostra que tudo é possível quando se querer, porque  o homem pode transformar e modificar a natureza  através da observação e analise dos fatos. 
   

Vencendo aos poucos

     O tempo passa, as sociedades se transformam, a tecnologia avança, mas a luta de classes persiste. O financeiro insiste em ser mais valorizado, e o humano é diariamente mercantilizado. As relações interpessoais são dadas pelo valor monetário de bens e pelo status social de pessoas. Tudo oque conhecemos passa a ter etiqueta de preço, oque era valor moral agora é capital.
      E assim, a burguesia foi tomando conta de tudo quanto fosse possível: moeda, matéria prima, território, moral e vidas.
      Monopolizando o estado e os meios de produção a burguesia revolucionou o comercio, possibilitou avanços antes inimagináveis, mas criou sobre tudo, uma imensa desigualdade, também jamais vista. Obrigando que se viva para trabalhar ao invés de trabalhar para viver, sugando o máximo possível de cada um de nós.
      Jornada de trabalho prolongada, salários reduzidos, divisão do trabalho, substituição da mão de obra por maquinário. Todas essas situações provocadas pela burguesia aumenta a miséria da classe operaria, provoca a revolta do trabalhador que mal consegue o suficiente para a sobrevivência sua e de sua família, motivando assim, as revoluções proletárias. Vê-se ai, a contradição criada pela burguesia, que ao explorar o trabalhador provoca a utilização da arma com a qual será atacada, que é a ferramenta de que mais necessita: a força do trabalhador.
     E é por esses antagonismos de classes que as batalhas são travadas através da história, as vitórias são conquistadas.
     É pela luta e força dos oprimidos que esses mesmos antagonismos serão superados e a classe burguesa será aos poucos suprimida.

Inspirado no texto: O Manifesto do Partido Comunista, de Marx e Engels.

Ana Teresa Costa Silva _  1ºano Serviço Social _ Noturno
O QUE HÁ POR DETRÁS DAS AÇÕES SOCIAIS...

Weber defendia a ideia de que não podemos explicar às AÇÕES SOCIAIS, apenas visando os fatos sociais- assim como Durkhiem acreditava-; mas que temos que analisar também certos fatores como por exemplo os valores, crenças e costumes do indivíduo para só então entendermos a ação social. Pois por detrás de toda ação social existe muito mais a ser visto que apenas os fatos sociais que levaram o indivíduo a agir de certa maneira.
Mas para compreendermos melhor as ações sociais necessitamos usar de métodos para realizar estudos sobre esses fatores; o método proposto por Weber é baseado nas seguintes características:
→ no estado de desenvolvimento dos conhecimentos;
→ nas normas e regras de pensamentos vigentes; e
→ nas estruturas conceituais existentes.
Ele investigava a realidade da sociedade e procurava características em comum entre seus indivíduos para compreender os comportamentos sociais daquela sociedade; para isso era fundamental que o sociólogo fosse ferramenta fundamental nessa busca pela compreensão das ações sociais.
Para Weber o indivíduo age segundo o ambiente em que vive; os costumes, valores que lhe foram implantados desde o nascimento e também pelos seus sentimentos e emoções. E após implantados certos valores e crenças o indivíduo cria seus próprios ideais e os segue firmemente. Isso era dividido entre ação racional e ação afetiva.
→ na ação racional o indivíduo age segundo seus valores, costumes,etc;
→ na ação afetiva o indivíduo age segundo suas emoções e sentimentos.etc.
Weber definia a SOCIOLOGIA como uma ciência que têm a pretensão de entender as ações sociais explicando-as em seus desenvolvimentos e causas. Não só em fatos sociais, como acreditava Émile Durkheim, nem apenas por fatores sócio-econômicos como acreditava Karl Marx.
Há uma grande pluralidade nas relações sociais e é necessária muita investigação para se compreender essa pluralidade e explicá-la de forma concreta e não superficialmente.



Francielli j. da Silva  1°ano SS-Noturno Unesp

A verdade de cada um e a multiplicidade de verdades
    
       Três homens  discutiam a respeito de valores e métodos, sobre como deviam agir as pessoas e o modo certo de se pensar as coisas.
       Um deles era físico e dizia que as pessoas deveriam apenas acreditar no que descobre a ciência, pois ela sim desvenda as verdades sobra tudo oque há na Terra e fora dela também, não havendo nenhuma força sobrenatural que possa agir como condutora dos fenômenos  existentes, quais quer que sejam eles.
      O segundo era filósofo e dizia que, por serem falsificáveis essas verdades cientificas, elas não poderiam ser entendidas como verdades absolutas, e tão pouco, poderiam servir como guia de vida posto que essas “verdades cientificas” não resolvem os problemas da alma. O homem deve agir segundo o seu instinto, o seu pensar, não havendo no céu ou na Terra ou em qualquer outro canto do universo quem possa ditar regras as suas ações.
       O terceiro era um religioso convicto, e afirmava serem loucos os outros dois, afinal, onde já se vira agir em discordância com os ensinamentos de Deus, o criador de todas as coisas, regente do tempo e do espaço. O homem deve aceitar as coisas como são, sem procurar motivos para estarem onde estão, pois se estão, é porque Deus o quis assim, e tão pouco se pode agir como bem entender a criatura, pois o “Pai” irá castigar aquele que “Dele” e de seus mandamentos se afastarem.
        Ouvindo essa conversa, uma jovem foi até esses senhores e disse:
        ­-Ambos os três estão corretos, assim como, ambos os três estão errados! Vocês estão certos em seguirem aquilo em que acreditam, pois é oque os motiva a buscar seus objetivos. Mas estão errados em tentar convencer os outros de que suas verdades são únicas.
         A ciência não pode ser alvo exclusivo de especulações, ela precisa de coisas concretas que derivem de profundas analises e comparações. Mas não pode ser a única ferramenta em nosso caminho, não pode esquecer aquilo que é humano, aquilo que vai dentro de cada ser e que não pode ser medido por maquinas. No entanto, como agir o homem ao seu bel prazer sem levar em consideração o seu próximo e as consequências de seus atos? Não estou dizendo que haja uma força invisível, mas que as pessoas que nela acreditam tenham aí a sua motivação de amar e respeitar, e essa atitude não poderia ser considerada errada.
      Então, senhores, que haja respeito para com as opiniões alheias e cautela para com oque se diz ser a verdade.
       A jovem se retirou e os três senhores se entreolharam, pensando que talvez as verdades sejam mais complexas e que a multiplicidade de causas e efeitos seja mais sensata que o julgo soberano sobre coisas que não se conhecem a respeito.

Inspirado no texto:  A objetividade do conhecimento na ciência social e na ciência política, de Max Weber.

                                                Ana Teresa Costa Silva _ 1ºano Serviço Social_ Noturno

Conselhos de uma Amiga !

-Todo dia ela faz tudo sempre igual, como diz a música.
-Nossa! Como você é faladeira, diz as coisas sem saber. Ela talvez saiba o que está fazendo e só fica com ele, porque não tem onde morar e seus pais não podem ajudá-la.
 -mais ele é um bandido, bate nela e usam drogas todos os dias. Você acha que isso é bom?
-Não, porém se você é a amiga dela deve dar conselhos e compreendê-la e não dizer que ela é submissa ao marido.
-Nossa! Como você sabe de tudo isso?
-Eu prestava muita atenção nas aulas de sociologia na faculdade, pois preciso compreender os valores das outras pessoas e tentar entender a cultura delas.
-Como eu posso entendê-las se não entendo a mim mesma?
-Não tenho resposta para a sua pergunta, porque as pessoas só sabem falar mal da vida dos outros e não ajudam ninguém, pois dizem que bandido só é bandido, porque quer.
-Eu vou embora não quero mais ouvir suas palavras, porque não concordo com nada que você diz e acho que a minha amiga é uma boba, besta, louca, idiota, hipócrita e doente por aturar um maluco que bate nela e nas crianças sem saber se elas vão morrer ou não.
-Olha eu não concordo com você também, entretanto respeito a sua opinião, mas acho que a Ana não merece uma amiga como você. Onde já se viu falar assim dela?
Respeite os valores dela para que ela possa respeitar os seus.
-Eu não tenho sempre a razão e nem quero ter, pois senão teria a verdade absoluta, porém creio que você deve melhorar esse seu jeito de ser e pesquisar tudo que deixa sua amiga assim, para poder ajudá-la.
-Tchau eu já vou.
-Tchau espero que tenha ajudado você em algo bom tente ficar do lado de sua amiga e não deixá-la sozinha nesse momento tão difícil da vida dela. 

- Mayra Ribeiro de Oliveira/ 1º SS / noturno.

Há uma visão mais ampla além do socieconomico

Max Weber acreditava que as ações sociais do individuo não poderia ser apenas analisada por uma visão econômica como acreditava Karl marx , o individuo deve ser olhado por sua cultura , religião  e a sociedade emq ue vive também .
Por este motivo , o autor acaba criticando a visão de Marx, que observa, todos os fatos sociais , perante a visualização econômica.
Nãoa credita em uma explicação única. O indivíduo possui valores prórpios podendo assim , agir conforme sua opinião , ou visão de que possui do mundo.
Entretanto esta visão deve ser vista de forma critica, baseado em fatos históricos e não apenas Critica pela Critica.
Observamos no texto o Tipo Ideal , aonde tudo é perfeito aos nossos olhos , porém ele não existe. Um exemplo dado na aula: Um home ideal, algumas caracteristicas foram citafas para ele : moreno, alto, inteligente, educado, com atitude, entre outros , porém este homem não existe , é claro que algumas caracteristicass existe em outros, mas o modelo Ideal propriamente dito não .
O assistente social deve estar bem atento ao texto lido de Weber pois devemos aceitar a cultura e visão diferente do usuario que pode ser auxiliado por nós ou não.


Ana Carolina Magiero de Sousa 1 ano de SS - diurno

"TODOS POR UM!"

A teoria do comunismo não se baseia nas ideias de um determinado pensador, ou num grupo de pensadores. Ela se baseia no conhecimento, tanto histórico quanto cotidiano, da luta entre classes.
"O objetivo imediato dos comunistas é o mesmo dos demais partidos proletários: a constituição do proletariado em classe, a derrubada do domínio da burguesia, a conquista do poder político pelo proletariado." (p. 31) O objetivo final dos comunistas é destruir a propriedade privada, que alcançou seu estágio mais avançado com a burguesia. O comunismo é constantemente acusado de distribuir, para todos, os frutos (propriedades) do trabalho de uma só pessoa. Porém, esta é uma teoria essencialmente burguesa. Marx prova que isso é mentira dizendo que os que realmente trabalham nas indústrias (o proletariado) simplesmente não possuem propriedade alguma, já que o salário que recebem é apenas o suficiente para se manterem vivos. Os possuidores de propriedade, portanto, são justamente os burgueses, que ficam com o lucro, a parte injusta e mal-distribuída do trabalho do proletariado.
Marx, para os burgueses: "Vocês se horrorizam com o fato de que queremos abolir a propriedade privada. No entanto, a propriedade privada foi abolida para nove décimos dos integrantes de sua sociedade; ela existe para vocês exatamente porque para nove décimos não existe. Vocês nos acusam de querer suprimir a propriedade cuja premissa é privar de toda propriedade a imensa maioria da sociedade. Vocês nos acusam, em resumo, de querer acabar com a sua propriedade. DE FATO, É ISSO QUE QUEREMOS." (p. 36)

Brenda Alaíse Nascimento
1º ano de Serviço Social - diurno (frequenta o noturno)
UNESP - Franca

Texto base: O Manifesto do Partido Comunista - Karl Marx & Friedrich Engels
Editora Expressão Popular - 1ª edição
São Paulo, 2008

ciência não é revolução 
o saber nem sempre nos traz transformação
transmitir conhecimento 
para um fácil entendimento 

o saber  de forma empírica 
pela ciência se explica
a  ciência como saber pelo 
social não se explica 

o juízo de valor é um ponto de partida 
para perguntas e resposta 
para entender a sociedade de maneira clara e nobre 

Damaris Valença da Silva 
1º ano Serviço Social 

A mais valia surge com tecnologia 
onde os meios de produção, 
produzem exploração 

Trabalhar no mundo capitalista 
Sem direito de escolha,
Apenas por dura sorte .
Para sobreviver temos força e braço  fortes 

Onde a produtividade é o mais importante 
E onde a vida se torna angustiante 
Não para capitalistas .
Mas quem se importa com operários .

Sobreviver é preciso 
E a o trabalho existe pra isto. 
Porem  não por meio de exploração 
sera que um dia teremos outra opção ?

Damaris Valença da Silva
1º ano Serviço Social 

Investigação

Weber defendia a ideia que uma Ciência Social não poderia reduzir a realidade estudada, formada de ideias, objetivos e significados a leis, pois tanto na escolha do tema a ser tratado quanto na explicação do acontecimento concreto, o cientista se vale de diversos fatores ligados à realidade dos Fatos assim como a seus próprios valores, para dar sentido à realidade particular.

Entretanto, é muito necessário o uso de uma organização e metodologia de estudo, e o método proposto por Weber baseia-se no estado de desenvolvimento dos conhecimentos, nas estruturas conceituais que existem e nas normas e regras de pensamentos vigentes, o que irá permitir a obtenção de resultados válidos não apenas para si próprio.

O Sociólogo investiga apenas a realidade e busca características em comum na sociedade, sendo assim, a construção de um instrumento que auxilie na busca da compreensão dos comportamentos sociais, é fundamental. O tipo ideal é um modelo de interpretação-investigação, e é a partir dele que o cientista social irá analisar as Sociedades e as formas de ação.
Para Weber, a ação social deve ser praticada com intenção, a partir disso ele constrói quatro tipos de ideais de ação social que podem enquadrar na sociedade:

A ação no que diz respeito aos hábitos e costumes enraizados, como por exemplo, comemorar a Pascoa.

A ação afetiva é inspirada em emoções imediatas, sentimentos que impulsionam, ou seja, o indivíduo se comporta desta forma por que se sente bem.

A ação racional em relação a valores é aquela que o indivíduo considera apenas suas convicções pessoais e sua fidelidade a tais verdades.

E a ação racional com relação a fins é praticada com um objetivo previamente definido, visando apenas o resultado.

Weber define em seus estudos profundos a Sociologia como uma ciência que pretende entender, a ação social, para explica-la em seus desenvolvimentos e reações, ou seja, o que nos leva à realização destas ações.

Enfim, ficam claras que em todas as relações sociais existe uma pluralidade, com muitos conteúdos significativos para seu entendimento, na relação social todos os envolvidos compreende o sentido das ações, todos sabem do que se trata ainda que não estejam ligados entre si, e desta forma para chegar numa compreensão é preciso tomar posse de muita investigação para que a conclusão não seja superficial mais que tenha muita consistência nos fatos examinados.

Poder é toda chance, seja ela qual for de impor a própria vontade numa relação social mesmo contra a relutância dos outros. (Weber, Max)

Aline Vieira Gomes
1° Ano Serviço Social – UNESP.
Noturno


SOMOS INDIVÍDUOS! MAS, NEM TANTO.

Somos todos weberianos! Não que a obra de Max Weber seja uma profecia, mas, este pensador trouxe à luz o campo de batalha em que atuamos diariamente, a cultura. Esta é determinante nos valores dos indivíduos em suas interações mercadológicas, educativas, religiosas e entre muitas outras facetas fragmentadas, como também é diretriz do saber empírico. Os descobrimentos científicos seguem juízo de valor ideológico, produzindo, assim, um juízo de fato condicionado, mesmo que os cânones das pesquisas científicas neguem a influência de outrem, clamando serem seres livres.

A vida é regida por um jogo de interesses individuais dando origem a classes sociais, que, segundo Weber, nascem das múltiplas associações que as pessoas realizam seguindo amplos propósitos culturais, ou em termos práticos, necessidades de participação e da supressão da exclusão social. A motivação humana, portanto, tem origem não apenas na necessidade material, na inserção econômica, mas, também na pressão sofrida pelos valores e tradição. Nossa história não é contada pelas diferentes sequencias do modo de produção, mas pela ideologia que as regem, pela intenção por detrás das ações humanas, o motivo real da subordinação alheia.

Sim, somos todos weberianos! Mesmo eu, que lhes recito este parecer sobre Max Weber com minhas próprias palavras dirigidas por uma intenção pessoal, estou subordinado à cultura acadêmica, e veja, não estou citando minha condição econômica, familiar, espiritual, ou qualquer outra que considere relevante, estou apenas me associando a outros autores deste blog, pelos comuns interesses intelectuais. Temos de nos tornar cientistas sociais, com provas burocráticas e carimbos oficiais, e, num futuro próximo, seremos assistentes dos direitos de todas as pessoas para a manutenção, reforma ou revolução da atual ordem social regida pelo mercado, este vilão ou herói que dita a modernidade.


por Vitor Moretti Zonetti, Serviço Social, Noturno.

AMBIENTALISTAS DE TODOS OS PAÍSES! UNÍ-VOS!

Ah se a natureza falasse! Gostaria de escutar o mais alto grito de liderança e observar a maior revolução plausível de se ter neste planeta. Fato, este, capaz de causar inveja a Karl Marx e Friedrich Engels! Se bem, que se estivessem vivos, seriam, sem sombra de duvidas, líderes natos pela melhor distribuição dos recursos naturais. Criadores do maior manifesto politico já existente, são inspiração para as mais belas epopeias e projetos de engajamento popular.

A tomada de consciência de classe por parte dos operários deve-se a este manifesto veiculado no período áureo do capitalismo industrial. Os trabalhadores, outrora fragmentados, se identificam como semelhantes a partir de então, afirmando numa só voz serem proletários. Do lado oposto, porém não distante, situa-se a burguesia detentora dos meios de produção e com capacidade política nata, advinda de sua origem revolucionária nos tempos feudais. O manifesto é estritamente um chamado para a revolução do proletariado, em que a classe explorada tomaria as riquezas produzidas por ela mesma e concentrada nas mãos de outros poucos, os burgueses, criadores do mercado e da ideologia de exploração incessante não apenas dos trabalhadores, mas também dos recursos naturais.

Os homens dos séculos XIX e XX se debatiam pela distribuição das riquezas e melhores condições de vida, já os homens contemporâneos do século XXI, eu e você, nos debatemos pela sobrevivência de tudo! Foram produzidas tecnologias, argumentos defendendo a evolução material, desgastaram os recursos naturais pelo bem do progresso e, agora estamos diante da sobrevivência como espécie. Não podemos mais permanecer em classes fragmentadas, somos uma única classe, os seres humanos, frágeis e facilmente descartados no processo de evolução vida.

por Vitor Moretti Zonetti, Serviço Social, Noturno.

Em um meio acadêmico 
Um método sociológico 
Criado por Durkheim

Uma forma de entendermos 
O que é a sociedade 
E com os fatos
conhecer a verdade 


Um saber não idealizado
Um saber concreto 
De um estudo completo


O fato social 
Interfere em um individuo racional 
Um método para se estudar 
Pra sociologia melhor se aplicar

Damaris Valença da Silva 

1º ano de Serviço Social 

Das idéias para coisas 
E não das coisas para as idéias 
Analisar e observar 
Para depois criticar 

Ideologia 
Uma ideia das coisas
Analisar e estudar para melhor 
Saber falar .

Metodologia adotada
E a sociedade melhor estudada 
Dos fatos para as ideias 
Como um aparato é preciso conhecer o fato 

O fato social reconhecido
 E assim melhor entendido
 É assim que deve ser
 Para sociedade melhor entender

Max Weber e a compreensão!

Max Weber, fugia completamente da ideia de outros pensadores como Durkheim e Marx, de Durkheim pelo fato de ele achar que a sociologia nunca devia ser uma ciência empirica, e do Marx pelo fato de ele achar, e ai já discordando de novo do Durkheim, que você deve analisar tudo da pessoa, e não o econômico, deve analisar fatores como, meio social, religião, lugar onde ela vive, condições, tudo devia ser avaliado, ao invés de pegar um só fator para analisar.
Para ele a politica devia ser separada da ciência social, não separada mesmo em si, mas o cientista social seria que ia analisar e mostrar os pontos, e o politico seria quem iria fazer a ação, não devia ser o politico a pensar, ele só agiria, quem iria pensar na ação era o cientista social.
Esse cientista social partiria de um tipo ideal, vamos supor a educação publica, o tipo ideal de escola publica seria, professores perparados e bem remunerados, aulas interativas, alunos interessados, bairro e escola caminhando juntos, compromisso tanto dos alunos quanto da escola, e por ai vai. Esse seria o tipo ideal, que seria um recurso metodologico para avaliar a escola como ela está, e como ela deveria estar, mas esse tipo ideal é descartado, depois de feito a analise ele é tirado de cena, é usado só para compreender como está a escola.
Para ele havia 3 ipos de perspectiva econômica, a primeira seria a economia por si só mesmo, a luta cotidiana pela vida, fenômenos economicamente formados, como um grupo de politicos engajados em algo economicamente viável, tipo a rio+ 20, e fatores economicos relevantes, que é o que acontece diariamente em empresas, e não só nelas, em todo mundo, pessoas passando por cima de outras para alcançar seus objetivos meramente economicos.
O que Max Weber queria era compreender a sociedade para assim fazer as ações mais acertadas, e não só as ações movidas pelo emotivo, nem pelo tradicional, ou até mesmo uma ação só pelo racional, ele queria que as pessoas tivessem suas ações depois de compreender, e assim talvez ter ações mais certas na sociedade.

Rafael Tognati Silveira. 1° Ano de Serviço Social Noturno

O positivismo seria aquilo que existe ,o que é real ou que é imutável,ou seja sempre da mesma forma .Conte tentava analisar a sociedade como  se fosse matérias de física , matemática, biologia e etc.Não era uma filosofia que se limitava apenas ao campo da ideia , mas baseava-se na interpretação da sociedade .

Conte fica contrariado com a filosofia tradicional, que não explica nem observa social em seu estado real, sua forma de filosofia ou seja a filosofia positiva seria obtida por meio da ; observação ,da analise e interpretação dos fatos ocorridos com a sociedade e assim obter uma verdade.

O universo é regido por leis de movimento universais, leis que garantem a ordem .Conte tenta então descrever leis para na sociedade que também seriam assim ,que a sociedade também teria um seguimento, ainda que as formas de governo fossem diferentes, ainda sim teria um certo seguimento.Melhor dizendo defende a ideia de que as instituições não devem discutir seu papel na sociedade,devem apenas o cumprir para seu funcionamento , e que cada individuo ou que cada instituição instituição é importante na função em que exerce na sociedade, e que esta função deve ser mantida para manter a ordem .

A educação é um fator  importante para o positivismo para que haja ordem na sociedade ,"quanto mais eu conheço sobre  a importância do lugar que ocupo na sociedade ,mais me engajo naquilo que faço".





Damaris Valença da silva
1º ano Serviço Social 

Dogmas que cegam

Os "deuses" que se encontram na mente das pessoas e que faz com que as pessoas que neles acreditam, sigam-o cegamente, sem contestar naquilo que creem. Algumas vezes esses "deuses" fogem da religião e entram para a política, para a economia, com nomes que são praticamente santificados, de fato, por seus seguidores.
Weber critica isso. O dogmatismo tira do homem sua capacidade de compreender determinado fato através das multiplicidades.
Para compreender determinado fato, o homem deve, segundo Weber, comparar  o tipo ideal com o real, e não ficar preso a somente um. Além de analisar o passado, e todo esse conjunto servir de ideias que possam se materializar no futuro.
Analisar criticamente, sem seguir cegamente a certas ideias e compreender as multiplicidades é o que Weber propõe.


                                Ana Carolina de Souza, SS Diurno

Max Weber e a Ação Social

      O estudo de Max Weber busca a objetividade do comportamento dos indivíduos, juntamente com o método axiológico, que é ligado aos valores. Valores estes que influenciam na ação social, e que por sua vez, é influenciada pela cultura.
      Weber faz crítica ao determinismo da ciência, pois usa os mesmos métodos para seu objeto de estudo, no geral. Ele também fez crítica ao dogmatismo do materialismo histórico, pois menospreza as demais causas. Por isso mesmo, a principal função da sociologia é a compreensão dos valores contidas em determinada sociedade, ou seja, as ações sociais.
      No capitalismo,o próprio espírito capitalista vêm antes mesmo dele, através da ética protestante que baseava-se na prosperidade e riqueza para "mostrar" as dádivas de Deus. Ou seja, a cultura antecede as relações econômicas, pois há valores que se sobrepõe aos valores econômicos, influenciados também pela cultura.
     Mas a cultura também requer incorporações com o tempo,pois não nascemos com ela dentro de nós. E dentro de um mesmo grupo social, há diversas culturas e valores diferentes. É justamente o juízo de valores que a sociologia vai tentar compreender.
     Para o estudo do comportamento dos indivíduos, Weber aborda as leis, que é o primeiro passo para a análise do objeto de estudo. Mas as leis são somente meios para esse estudo, e não dado o estudo como acabado e encerrado. Esse estudo vai se basear especialmente no tipo ideal, ou seja, vai ser a principal ferramenta metodológica do estudo, não como uma possibilidade, mas o que é mais claro e se aproxima da realidade. O tipo ideal vai ser a forma de colocar em ordem os problemas sociais, e para ter a verdade científica.


Mariana Costa, 1 ano de Serviço Social, diurno.

A razão que leva a ação


Para Weber existem duas atividades diferentes a ciência e a política; A ciência tem a função de compreender e transformar, pois para ele a ação social é determinada pela escolha de valores dos indivíduos que motiva e repercute nas ações sociais; Já a política ela apenas age.
Weber critica o determinismo porque o determinismo atribui precipitadamente o que vai acontecer na sociedade, pois para ele não é o cientista que vai determinar o que vai acontecer com o ser social, mais sim o ser social que vai determinar o que vai acontecer com ele. Weber também critica o dogmatismo (senso comum) do materialismo histórico, pois nem sempre é uma verdade absoluta.
Weber considerava o indivíduo um ser independente, capaz de tomar suas próprias decisões, portanto, não depende de um todo social (uma realidade social). Pois, é o próprio indivíduo que determina os rumos da sociedade. Ou seja, o sociólogo deve estudar quais as razões pelas quais agem as pessoas e a percepção delas sobre tais atos.
Para analisar a sociedade, Weber criou os “tipos ideais”, conceitos não reais criados para explicar as ações humanas, os fenômenos sociais e etc. E é a ideia que se faz do objeto, com a ideia que é real, é comparar o real com o imaginário.
Weber admitia que as ciências humanas fossem complexas demais para serem explicadas pelas metodologias das ciências naturais e assim, criou seus próprios métodos de análise.Por isso qualquer metodologia cientifica deve ter caráter universal, pois ela deve ser entendida por qualquer sociedade, qualquer povo.



Dantielle-1º S.S.-NOTURNO

Metamorfoze para um bem comum

O Manifesto Comunista inicia-se com Marx criticando a burguesia, pois nesse mundo tem varias e grandiosas coisas criadas pela burguesia, e nos dizendo como devemos transformar essas coisas em um bem comum para todos.
Marx diz que devemos nos unir pelos meios de comunicação e locomoção que nos facilita interagir com o resto do mundo para podermos mudarmos essa historia e transformar tudo em um bem comum para todos.
Pois a burguesia como classe revolucionaria conseguiu se igualar as classes submissas mais as classes submissas não conseguiram se igualar a ela. O mundo é a imagem e semelhança do capitalismo, pois quando ele nasce quem passa a consumir é a burguesia e algumas classes privilegiadas. Mas para conseguir aumentar o numero de consumidores o capitalismo se transformar, se metamorfiza para expandir sua base de sustentação e seduzir novas classes ao consumismo. Com isso desde o surgimento do capitalismo houve varias mudanças, varias sínteses e tese para abranger mais pessoas e estreitar os laços da sociedade com o capitalismo.


Dantielle-1ºS.S.-NOTURNO

Positivismo


O Positivismo surgiu na França no final do séc. XIX, espalhando-se no final do mesmo século na Europa e repercutindo no Brasil no início do séc. XX.

O Positivismo teve como idealizadores Augusto Comte e John Stuart; teve como principal ideia de que o conhecimento científico é a única prova do conhecimento (verdade, verdadeira), ou seja. uma teoria de afirmação, só está correto se haver métodos científicos válidos para comprovar.

Características do Positivismo:
- foi uma reação contra o idealismo;
- impulsionado pelo progresso das ciências naturais e
- além dos problemas econômicos-sociais.


Eder Miranda
1º SS Noturno


Por que... Eis a Questão.


“Há atos humanos que, considerados isoladamente, são impregnados pela nossa sensibilidade valorativa com as cores mais deslumbrantes, mas que, pelas consequências a que dão origem, acabam fundindo-se na cinzenta infinidade do historicamente indiferente, ou que antes, como geralmente sucede, entrecruzando-se com outros eventos do destino histórico, acabam mudando tanto na dimensão como na natureza do seu sentido, até tornar-se irreconhecíveis”. Weber.



Por que aquele homem está ali ?
O que o levou até ali ?

A culpa é da família ?
A culpa é da sociedade ?
A culpa é da política ?
A culpa é da economia ?
A culpa é do sistema ?
A culpa é de Deus ?
A culpa é de todos eles ?
A culpa é da falta deles ?

Por que aquele homem está ali ?
O que o levou até ali ?





Milena Regina da Silva Santos
1º Serviço Social - Noturno


O Objeto Sociológico


Na Busca de garantir um saber científico para o método sociológico, Durkheim vê que, apenas poderiam ser estudados os fatos sociais

Fatos sociais são as atitudes como por exemplo maneira de sentir, pensar, agir, morais, costumes entre outros; porém para se analisar isso como objeto sociológico estes precisavam ser passíveis de análises.

Para ele então, fato social é tudo aquilo que está envolvido nas coisas que decorrem da vida em sociedade!!!

Durkheim ficou reconhecido mundialmente por conseguir compreender a sociedade de acordo com as suas maneiras e costumes; Se encaixa no pós-positivismo...


Eder Miranda
1º SS Noturno

O amadurecimento das ideias igualitarias


O progresso material e as questões sociais após a Revolução Industrial fizeram com que diferentes teóricos repensassem a sociedade e suas instituições. Por um lado, os pensadores liberais acreditavam no progresso oferecido pela sociedade industrial. Pois para eles a razão, a ciência e o progresso em concordância com manutenção da ordem burguesa, seriam suficientes para que as classes pudessem resolver seus problemas. Onde as lutas de classes sociais eram fundamentadas pelo sistema capitalista, tornando se intensas as lutas de explorados e exploradores.
Para Marx e Engels o socialismo só é possível a partir do capitalismo, porque no capitalismo existe a mais valia que faz do homem capaz de produzir muito mais do que podemos consumir, sendo assim a única forma de adquirir riqueza suficiente para fazer uma distribuição igualitária pelo socialismo. Pois só promovendo o desenvolvimento o sistema socialista funciona. Mas ressaltando que isso só daria certo se o sistema de distribuição funcionasse juntamente com o modo de produção.
Engels através do socialismo utópico vem nos dizer que uma sociedade proposta através de ideias é uma sociedade solidaria, mais o socialismo utópico/idealizado para funcionar precisa amadurecer.

Dantielle Santos 1ºS.S.-NOTURNO

Vida Boa!

“Com efeito, as coisas sociais só se realizam através dos homens; elas são um produto da atividade humana” Durkheim.

Sorria, você está sendo filmado.
Sorria você está sendo manipulado.

Você não vê nada.
Você não fala nada.
Você não ouve nada.
Você não sabe de nada.

Anda logo, obedeça
Pois é assim que as coisas devem ser.
Vá para a escola,
Para alguma coisa aprender.

Anda logo, tá na hora de trabalhar;
Se você não se apressar vai se atrasar.
Bate logo o cartão
Lá vem a linha de produção!

“Olha aquela televisão,
Minha mãe vai gostar de ganhar.
Olha aquela roupa,
Minha namorada vai amar”

Agora tem que guardar dinheiro
Pra pagar a igreja pro casamento.
E ainda tem a conta
Do vestido e do terno.
Melhor trabalhar mais
Pra vê se sobra alguma coisa.
Logo, logo a família vai aumentar
E ainda tem o aluguel pra pagar.

Agora é assim
Trabalhar, comer e dormir;
Só depois que o apito tocar
Você pode ir.

No caminho pra casa
Passa por uma loja que acabou de abrir;
Antes tinha uma creche;
Seu filho ficava ali.

Enquanto a esposa prepara a janta
Você assiste televisão.
O filho tá no quarto,
Fazendo lição.

Ta passando horário político;
Tem eleição mês que vem.
“O rapaz de terno bem vestido
Vai fazer escola porque aqui não tem”.

Amanha é sábado
Dia de sair com a família.
No domingo
Vão todos a missa.

Mais um mês já se passou...
É dia de votar!
“Viva a democracia!
Vamos comemorar”.

E assim a vida continua,
O tempo vai passando
E aos poucos
As coisas vão se ajeitando.

O filho ta crescendo,
A família aumentando.
Ta todo mundo feliz,
Ta todo mundo trabalhando!

E baixinho antes de dormir,
João faz a sua prece.
A sua vida é tão boa!
Ele agradece.

Sorria, você está sendo filmado.
Sorria você está sendo manipulado.

Você não vê nada.
Você não fala nada.
Você não ouve nada.
Você não sabe de nada.


Minha Alma (A Paz Que Eu Não Quero)
O Rappa

A minha alma tá armada e apontada
Para cara do sossego!
(Sêgo! Sêgo! Sêgo! Sêgo!)
Pois paz sem voz, paz sem voz
Não é paz, é medo!
(Medo! Medo! Medo! Medo!)

As vezes eu falo com a vida,
As vezes é ela quem diz:

"Qual a paz que eu não quero conservar,
Prá tentar ser feliz?"

As grades do condomínio
São prá trazer proteção
Mas também trazem a dúvida
Se é você que tá nessa prisão

Me abrace e me dê um beijo,
Faça um filho comigo!
Mas não me deixe sentar na poltrona
No dia de domingo, domingo!

Procurando novas drogas de aluguel
Neste vídeo coagido...
É pela paz que eu não quero seguir admitindo

É pela paz que eu não quero seguir
É pela paz que eu não quero seguir
É pela paz que eu não quero seguir admitindo


Milena Regina da Silva Santos
1º Serviço Social - Noturno