domingo, 1 de abril de 2012

A verdade a caminho da complexidade

No texto abordado temos como base a aliança da razão e da experiência de forma homogênea onde chegaremos a indução experimental, o método o qual Bacon apresenta no texto.
Refleti muito sobre o que foi apresentado, mais a conclusão que cheguei é que com tantos métodos que buscam a verdade e a razão,  o homem que é o objeto do estudo fica literalmente perdido, sem saber o que fazer .
Vejo que a maioria das pessoas gostariam ter uma cartilha com as indicações sobre como que agir e como pensar.
Sinceramente não discordo da proposta de Bacon em se fazer a cura da mente, creio que essa proposta é válida nos dias de hoje, já que promove o afastamento do preconceito e a exclusão de obstáculos, no objetivo de aprofundar nossos conhecimentos apartir de novos princípios, simplificando para os dias atuais: o que nossa sociedade tem grande necessidade.
Portanto a percepção que tenho é que quanto mais procuramos a verdade e a razão mais métodos serão criados e assim mais confusos se tornarão os homens, já que em todos os métodos apresentados sempre vamos identificar algo que necessitamos, vamos apoiar mesmo que de forma parcial a ideologia proposta, nos tornando pessoas sem saber o que fazer com tudo isso.

Samara Mori Santana 
1° SS
Diurno





Ciência: Oportunidade de Experimentar e Transformar


Experimentar.  É a ação chave da ciência proposta por Francis Bacon, em Novum Organum (Novo Instrumento, na tradução livre), de 1620. Muito embora o autor não critique as filosofias até então vigentes, ele questiona categoricamente a confiabilidade de seus métodos e a veracidade de suas conclusões à respeito da natureza e seus mistérios.
No citado livro, Bacon propõe e apresenta motivos para que as pessoas passem a observar a natureza além de como espectadores e, engolidores de sofismas para a qualidade de experimentadores dessa natureza. O autor reconhece que somente uma pequena minoria seria capaz de aderir a esse método, muitas vezes por incapacidade, ou por já serem doutrinados de acordo com o que ouviram durante toda a vida. Logo então, Bacon convida seus possíveis seguidores a se despirem de toda fantasia e superstição, que lhes estejam impregnadas no intelecto, e proclama que esses devem usar suas faculdades mentais não apenas para refletir, porque o intelecto por is só é vago e estéril, mas para observar a natureza e realizar experimentos que fundamentem suas conclusões; dessa forma, estariam se utilizando de um mecanismo que proporciona um desfecho produtivo.
É fácil observar no mundo atual que o instrumento proposto por bacon é parte importante de inúmeras descobertas científicas nas áreas da saúde, ciências sociais, exatas, biológicas, na nós concebidas, e mais ainda não estabelecer medidas sem antes ponderar sobre suas consequências. Ou seja, precisaremos observar, experimentar e só a partir daí tirar as devidas conclusões.
Para concluir deixo aqui com as palavras do próprio Francis Bacon, qual era seu interesse ao propor seu Novo Instrumento: “[... ] que haja preocupação, não com a vitória sobre os seus adversários por meio de argumentos, mas na vitória sobre a natureza, pela ação; não em emitir opiniões elegantes e prováveis, mas em conhecer a verdade de forma clara e manifesta.”
Viviane C. Rosa Cassiano. 1º SS Diurno.

Há um caminho para a verdade ? para a certeza?


Nenhuma verdade é absoluta, é apresentado um método em que se busca o caminho para a verdade,no qual se busca a certeza sobre os pensamentos e atos.

Para isso segundo o método é necessário condicionar a mente a não deixar guiar - se por si só,pois ao deixar ela por si mesma na maioria das vezes chegamos a conclusões á verdades irreais fantasiosas, como por exemplo pensar sobre o que alguém de sua família esta fazendo enquanto você não esta em casa.Pode – se chegar á alguma conclusão mas, não quer dizer que ela seja verdadeira.

Seguindo esse exemplo vemos que não podemos obter certeza ou maior segurança sobre algo que não estamos vivenciando ou tenhamos vivenciado, isso é só podemos chegar em uma verdade uma certeza a partir do que nos é empírico