quinta-feira, 5 de abril de 2012

RAZÃO + EXPERIÊNCIA = BACON

A idéia de Francia Bacon vem da capacidade do ser humano de pensamento e conhecimento, mas também pelas experiências e exploração do que está se vendo.
A clareza científica se opõe a fantasia, é pela manifestação da natureza é que se chega a ciência. A proposta de Bacon é baseada em esperimentar algo.
Quer que o conhecimento seja empírico, real e baseado no que existe. Não permite que a mente se guie por si só, não deixa o pensamento e o raciocínio, produzam por si somente o conhecimento e a ciência.
Descartes privilegia a razão, mas Francis Bacon exalta a razão juntamente com a experiência.
Averdade só existe através da prática , o que se produz na mente tem ser realizado no plano real e empiricamente. A partir do que se conhece mas não somente, mas a razão ligada pela experiência.
O conecimento só vem através da exploração do que se quer conhecer.
Mente + Observação.
As palavras por si só são incapazes de produzir obras, Bacon crê que a ciência possa produzir bens úteis na vida das pessoas.
O método anterios era a construção da mente dos filósofos, o Novo Organum é através da interpretação da natureza.
Fazer ciência é se aproximar de Deus, é revelar as intenções Divinas.
O mundo é complexo e existem coisas que não podemos ver mas existem por isso não somente o pensamente deve prevalecer mas buscar experiências e formar o conhecimento pra que se produza bem a todo e qualquer ser humano.


Postado por: Cristiane Feitosa Neves de Paulo.
1ºServiço Social noturno 2012.

A razão e a experiência revelando a ciência

Francis Bacon acreditava na ideia de que razão aliada a experiência resultaria em uma obra exata ,  baseada no experimento . Bacon se opunha a qualquer obra que não fosse descoberta nos fatores razão e experiência , pois para ele somente com a junção destes , era possível descobrir algo verdadeiro, e, não usando apenas a nossa mente.
Os filósofos gregos se baseavam só nos conhecimentos que possuíam em sua mente , e diversas vezes, cairam na fantasia e fugiram da verdade e clareza das ciências . Eles cultivavam os estudos da natureza , mas não lhes interpretava, com isso produziam um conhecimento sem fundamentos, improdutivo,ou seja ,sem a experiência que lhes comprovassem que aquilo era verdadeiro.
Nós quando nos deixamos guiar apenas pela nossa mente, criamos ideias fantasiosas , e muitas delas baseadas no senso comum .Talvez por isso a ideia de Bacon seja facíl de entender, mas, dificíl de aplicar , afinal em vários momentos de nosso cotidiano nossos sentidos ultrapassam nossa razão.
Seguindo efetivamente os passos de Francis Bacon em nossa vida iremos curar nossa mente : excluindo pensamentos não comprovados e pré conceitos que temos sobre algo e fazendo uma relação entre o homem e a natureza regulando nossa mente a partir da ciência .
Bacon nos mostrou o caminho onde encontramos a razão e a experiência vivendo juntas , uma dependendo da outra , e neste lugar não entra colocações  sem fundamentos e nem ídolos que possam interromper a mente humana com falsas noções , e ao chegarnos no final do percurso descobriremos uma obra valiosa de ciência comprovada .

Lislaine Iha dos Santos 1ºano Serviço Social diurno

Descartes não foi descartado

   Descartes em seu discurso, transparece envolto por uma eloquencia intrínseca composto em uma zona de conforto preocupado quanto a razão ou ao senso, entre estudos de todos os gêneros da ciências humana, matemática, poesia e por fim as diferentes culturas.
   Imposto por uma baixa estima que o conduziu a instruir-se cada vez mais diante de sua ignorância, estudou em suas viagens, variados tipos de povos e seus hábitos, porém sua decisão maior foi empregar todo seu conhecimento e estudar também a sí próprio na escolha dos caminhos que iria seguir, trazendo-lhe melhores resultados.
   Seu método científico foi orientado pela razão como forma de superar a superstição dos povos, a crença no mágico e irreal, a alquimia na construção do conhecimento.
   Denominava o Homem como o centro da natureza, e a ciência tem que ter um método e um senso comum, assim tinha o homem decifrando com investigação, cada partícula do universo, consequentemente decifrando a obra divina como elo de ligação, tendo as descobertas como ferramenta da razão científica, seja ela matemáticamente, fisicamente ou quimicamente.

Rangel Homma - 1° ano Serviço Social/Noturno

Experiência: Conhecimento.


Novun Organum
Francis Bacon

Para Bacon, para se chegar ao conhecimento o instrumento é a razão e a experiência ou seja a observação do objeto e a experimentação para a comprovação, baseado nisto Bacon diz que a experiência é o que guia. Assim cria um novo método para a cura da mente, uma nova perspectiva de ciência ou seja regulação da mente por mecanismos da experiência então com a combinação de força da mente (razão) mais a força física (experiência) a cura da mente é alcançada.
Francis critica o exercício da mente por si só, pois isto não é o bastante para se chegar ao conhecimento, assim busca clareza cientifica pois quer romper com o conhecimento sem base experimental ou seja rompe com a idéia de ciência como mero exercício da mente. Bacon propõe dois métodos para a ciência como o cultivo das ciências  e a descoberta cientifica.Outra critica que Bacon faz é aos gregos, pois estes produzem retórica, e para ele a ciência esta ligada a melhoria humana, assim o discurso por si só não modifica a condição humana.
O que pode atrapalhar  a produção de conhecimento são as  falsas percepções do mundo e este falseamento do real são as ídolos, como família, valores, grupo, superstições, escolas e também a caverna na qual se formou como individuo.
 Conclui que pode se dizer que Bacon mais Descartes se completam pois um é corpo e o outro é cabeça. Além do mais com as ‘’teorias’’ de Bacon muito nos serve para entender e analisar a sociedade pois como futura assistente social, o experimentalismo realmente é fundamental para a compreensão e interpretação da nossa sociedade, pois é isto que ela precisa, de algo concreto para a melhoria humana e para a modifição da condição humana.

BRUNA ALVES GAZETA -  1ano SS.  Diurno.

Discurso do método

-->

--> -->
O ato de pensar e de ser expor, prova que o homem é superior aos outros seres, o homem por ser sensato consegue diferenciar a verdade da mentira, entretanto, cada homem segue uma linha de pensamento, onde muitas vezes é diferenciada. Exemplo: O homem X(esta dentro do trem) acredita que o trem encontra-se parado e que as árvores e as casas estão em movimento; já o homem Y(esta fora do trem) acredita que o trem se movimenta enquanto as árvores e as casas estão paradas. As duas afirmações “podem ser consideradas” corretas, pois cada um tem uma maneira de pensar, cada homem adotou um referencial para chegar em uma conclusão.

O primeiro passo para conhecer outra pessoa é conhecer a si mesmo, para ter um ponto de partida para dar início à pesquisa, aprendendo costumes e saber diferenciar.

Podemos aprender muito com o passado, e devemos usar a mente para imaginar diversas coisas, mas Descartes mesmo afirma que: só existe um único ser dono de toda a verdade, desde o início até hoje, que é Deus, Ele é o ser perfeito e infinito, tudo que já viveu e que ainda vive na face da Terra foi criado por Ele. Agora, se todos os seres vivos foram criados por um ser perfeito, logo esse seres são perfeitos assim como o seu criador, nós que achamos coisas, nos seres, que não nos agrada e julgamos como imperfeitos.

Fabiana Souza Soares 1ºSSD

Contemplação da natureza


Atualmente os homens se esqueceram do real valor que a natureza tem, pois acreditam que a ciência é maior que tudo nessa vida. Eles desmatam florestas, jogam lixo nos rios e mares e poluem as áreas urbanas. 

 O filósofo inglês Francis Bacon dizia que o homem deveria interpretar a natureza e descobrir as coisas que ela tem a oferecer. Usá-la, porém, sem desrespeitá-la, pois ela é muito importante para a ciência moderna.  Ele também faz uma crítica a filosofia grega, pois diz que os filósofos antigos tem as mentes saturadas de doutrinas e que quase todos os escritos deles se perderam.

 Bacon acreditava que DEUS era o ponto de partida para o descobrimento das coisas, porém  atualmente os estudiosos da ciência se esqueceram da existência desse ser absoluto.  Ele dizia que tirávamos conclusões das coisas a partir da experiência. Podemos citar o exemplo da sociedade, pois, se conhecermos vários tipos de pessoas, teremos outros conhecimentos e novas interpretações do mundo.

 Sendo assim, podemos concluir que, Francis Bacon foi muito importante para a ciência moderna e que suas obras sobre a interpretação da natureza abriram-lhe muitas portas.

Novum Organum - Francis Bacon


A Experiência Como Guia Para a Razão.

  Se afirmarmos que dentro da natureza está tudo explicado e que temos total conhecimento sobre o que existe no universo estaremos nos equivocando e assim concorreremos para a extinção das investigações, ainda temos muito a questionar e segundo Francis Bacon é no conhecimento empírico que buscamos a verdade, opondo-nos a qualquer  tipo de fantasia que nos impede de obter  total clareza.
 Devemos explorar; sentir, antes de termos conclusões precipitadas e não deixar que a mente se guie por si mesma sendo influenciada por superstições, um exemplo: não significa que só porque passamos em baixo de uma escada teremos azar  isso é apenas uma fantasia passada de geração a geração, pois a verdade deve ser comprovada na prática.
  Em sua obra Novo Organum, ele cita as falsas representações do real criadas pela nossa mente, os ídolos, que em diferentes aspectos nos obstruem a visão da ciência, há também fatores que impedem  a clareza ciêntífica como a antecipação da mente próprio da filosofia tradicional que serve mais como ideia de conhecimento contemplativo  e não para a busca do novo a partir da interpretação de fatos.

       - Letícia Lunardelli/1ºServiço Social/noturno.

Razão + experiência = verdade



Francis Bacon em sua obra “Novo método” nos propõe uma nova concepção para o conhecimento. Para ele, o homem deve fazer uso da razão e da experimentação para fazer suas descobertas e fazer ciência, deixando para trás a imaginação e a fantasia produzidas pela mente humana. O filósofo também criticava o modo utilizado pelos antigos filósofos gregos que não procuravam debater certos fenômenos para verificar se eram ou não verdadeiros, deixando desta forma tudo ser conduzido pela intuição, pela imaginação e consequentemente pelo erro.

O conhecimento científico para Bacon tinha por finalidade servir o homem, dando-lhe assim poder sobre a natureza. Para ele, para se chegar ao real, ao verdadeiro, o homem devia se desfazer de certos “ídolos” por ele assim chamados. Esses ídolos provocavam várias distorções na mente humana, influenciavam nas questões éticas e morais, produziam superstições e influenciavam nas relações estabelecidas entre o homem e a sociedade. Estes seriam os principais responsáveis pelos erros ocorridos na ciência e que atrapalhavam na construção do conhecimento.

Os métodos utilizados por Bacon consistiam no cultivo das ciências e na descoberta científica. Assim, o homem deve abrir mão de sofismas, de mitos e histórias criadas por ele mesmo para ir em busca de algo concreto e real.


"A verdade é filha do tempo, não da autoridade". (Francis Bacon)

Juliana Paco - 1º ano Serviço Social Unesp - noturno

Novum Organum

Novum Organum; é uma expressão que tanto se afasta do empirismo quanto do racionalismo exagerado; tanto um como o outro são criticados severamente por Bacon.
Dentro dessa nova metodologia Bacon se opõe à fantasia, ele defende a idéia de que não devemos deixar que nossa mente se guie por si própria, é como diria um velho ditado 'mente vazia é oficina do diabo'.
Ele também faz críticas aos gregos e à sua filosofia, pois: eles tem uma farta sabedoria em palavras, porém pouca em obras; e para Bacon era necessário comprovar tudo, ele só acreditava naquilo que fosse concreto/impíco.
Bacon também defendia a idéia de que todas as fantasias deveriam ser eliminadas e que os ídolos apenas nos traziam uma falsa percepção do mundo; por exemplo: se uma criança nasce e é criada por uma família religiosa e tradicional, essa criança certamente terá crenças e valores que são passados de pais para filhos, no entanto se uma criança for criada por uma família onde seus pais são ateus, há uma grande chance dessa criança crescer e se tornar também um ateu que não acredita nem em Deus nem nas religiões, ou seja cada individuo vive em seu próprio universo e muitas das vezes não enxerga o real mundo que há lá fora.
Para finalizar, segundo Bacon é preciso ver pra crer; só devemos acreditar naquilo que possamos explorar, pois como ja dizia Bacon, "Não se aprende bem, a não ser pela experiência!"

Francielli Jacinto da Silva, Serviço Social noturno 1°ano.