domingo, 8 de abril de 2012

Bacon na construção de bons profissionais


Depois de percebermos a importância da razão para chegarmos mais perto da verdade, Bacon nos mostra um novo modo de construir   essa razão , não mais partindo apenas da duvida ou de reflexões, mas sim da experiência, e que seja essa a geradora de raciocínio através da observação da realidade concreta, nos tornando mais propícios a não nos deixar levar por nossa vontade, pois como Bacon disse “O intelecto humano não é luz pura”.
Durante a graduação é muito importante que já tenhamos contato com a nossa realidade profissional, por isso se torna fundamental o estagio, que faz isso de uma forma mais  direta, porem eu quero ressaltar a  extensão, que nos permite desde o primeiro ano experimentar o contato com diversas realidades ,o que nos faz alem de criar nossas próprias reflexões encontrar uma aplicação pratica para o conhecimento teórico , transformando em ações concretas que beneficiam a sociedade, impedindo que o conhecimento  se torne um mero exercício da mente , afinal estamos formando profissional não apenas pensadores .
Dessa forma percebemos que Bacon é extremamente atual e necessário, pois mesmo que a nossa forma de fazer ciência seja baseada  em suas ideias juntamente com as de outros autores , muitas vezes nos afastamos disso, portanto precisamos estar em constante exercício de nos observar ,e perceber se estamos fazendo ciência com base na experiência adquirida na realidade ou em uma falsa realidade idealizada focada em ver o que é mais conveniente.
Tatiane O. Cardoso 1° SS diurno 

CIÊNCIA PROVADA E COMPROVADA

     Apenas contemplar ...

era pouco para preencher as lacunas que Bacon encontrava na ciência.

    Apenas falar...

insuficiente para mudar conceitos existentes, geralmente se tratando de pessoas vazias que buscavam o reconhecimento através de sua oratória robusta.

    Apenas saber...

não traduz em nada a força do conhecimento.

    Diante dessa realidade vivida por Francis Bacon, cheia de inquietações e inúmeras perguntas sem respostas, ele identifica o melhor caminho para chegar à resolução desses problemas, a experimentação. Baseada em vários estudos e tendo como intuito principal dar proficuidade ao conhecimento.

    A partir de então, seria deixado de lado os chamados ídolos dos indivíduos, tudo aquilo que os cegam, geralmente ideologias adquiridas através do senso comum, fazendo-os terem noções falsas da realidade. Daí em diante, as deduções dariam espaço a verdadeira ciência provada e comprovada.

    Poderia-se então dizer, que aproximadamente 400 anos depois, esse texto teria perdido o seu valor, as questões trabalhadas nele não se cabem mais a realidade atual da humanidade, porém não é muito difícil identificar decisões tomadas a partir do senso comum, sem a real comprovação das informações que os envolvem. Ainda mais quando se trata do campo das ciências sociais, que precisam se pautar em um vasto campo de diversos saberes.


Giselle Morais - SS diurno

A verdade através do contato e da experiência


Bacon privilegia a experiência e observação. Usa a razão, que não trabalha sozinha, para construir o conhecimento mas raciocina pela experiência e explora as coisas no momento que acontecem.A diferença entre Descartes e Francis é que o primeiro usa também conhecimentos metafísicos, enquanto o segundo observa a natureza, a qual demonstra  ao homem o caminho do conhecimento, em suas teorias, eliminando a religião e a alquimia, pois não usa ''fantasias'' para elaborar. A forma mais importante da teoria de Bacon é  que a interpretação deve ter por base o contato com o objeto, sendo assim, ele é um defensor da ciência do empério.
O autor ainda faz uma leve crítica aos gregos antigos, dizendo que palavras por si só não produzem obras. Sendo assim, a ciência só é relevante se produz bens úteis e mudanças efetivas, como transformar a natureza para gerar bens úteis.
Para finalizar, Bacon diz que os sentidos são imperfeitos, e o mundo não pode nos influenciar para chegar em uma verdade, então caberia a nós mesmos chegar a uma conclusão do que ignorar e do que levar em consideração.

Mylena Sousa Piantamar - 1º SS noturno

Influências das experiências para o comportamento social.

     
         Francis Bacon, foi um filósofo e político de renome, cuja principal pretensão era de implantar um novo conhecimento a vida, mais perspicaz e mais veracído. Foi quando produziu a obra "Novum Organum", que significa "Novo Instrumento".

          Esse método, baseia-se na doutrina empírica, na qual Bacon seguia, um movimento  embasado na experiência com o intuito de formular ideias concretas. Por intermédio desse seguimento, estudava fenômenos naturais dos seres humanos, específicamente, no processamento do raciocínio, como é criado, como amadurece, como as informações são abstraídas e porque se mantém nos pensamentos do homem. Assim, como o "Método de Discurso" de René Descartes, cuja tese faz menção a desconfiança em toda e qualquer justificativa das ações para obter uma verdade relativamente mais correta, Bacon utiliza a ciência - experiências, capacitações, limitações - para formar ideias mais autênticas, pois a partir dessas, a busca da razão poderá ser alcançada.

         Segundo o autor, primordialmente, deve-se desfazer das fantasias premeditadas e deixar somente a razão, tudo aquilo que estiver no próprio controle. Em seguida, estudá-los, até que se encontre pontos  positivos que o leve ao bem estar. 

            Portanto, Francis acredita na experiência de cada situação vivida por cada indivíduo para lograr conhecimentos e desenvolver melhorias em nossa necessidades, de acordo com o psicólogo Abraham Maslow, tais necessidades devem ser submetidas por nós em nível hierárquico começando com as necessidades básicas até alcançar a auto-realização. 



         A Pirâmide Marlow, enfatiza bem como a busca de melhorias em prol das experiências, podem redundar em bons resultados. Esse processo, a escala da pirâmide, é a ciência que Bacon tanto preza, acreditando que desse modo, o ser humano obterá a razão mais precisa para realidade em que vive.



TAUANE LUIZ - 1° ANO SS






Experiência e razão em busca da verdade



             Crescemos fragmentados pelas crenças e modo de vida de nossa sociedade e a partir dela formamos nossa opinião, nosso senso crítico, e com isso, não percebemos ou não admitimos que algumas coisas que fazemos pode não estar certo ou apenas não ter coerência para ser feito. Bacon nos proporciona enxergar coisas invisíveis perante uma sociedade cheia de crenças e costumes, ele nos proporciona enxergar a razão em nosso modo de vida e a desenvolve-la constantemente, pois para  Bacon o  julgamento seria inadmissível sem antes um estudo para compreender a situação.

            Bacon consiste em compreender a natureza, e nos deixa claro que diante da ciência existe fatores ( sentimentos, crenças entre outros aspectos), que  nos atrapalharia a chegar mais perto da verdade. Com tudo, sua ciência nos incentiva a buscar conhecimento para  entender melhor uma sociedade, antes de julga-la.


Kellen Karthunay Fradique, 1º ano SS noturno

Um novo método - Bacon


Bacon cria os métodos nomeados de Antecipação da Mente e Interpretação da Natureza. Ele uniu esses métodos para que possa fazer a antecipação do que vai acontecer na natureza através da interpretação da mesma. Porém, ele mostra que há limitações entre o homem e a natureza, pois ela não pode ser dominada, mas a ciência ajuda a aproximar esse estudo.

Bacon quer que o homem possa abrir ao máximo sua mente para entender seu método, com isso ele explica que há Ídolos na mente que serve para dificultar o entendimento do ensino, eles são:

Ídolo da Tribo: erros e manias da humanidade;
Ídolo da Caverna: o medo de conhecer o desconhecido;
Ídolo da Feira: discurso feito com palavras inadequadas;
Ídolo do Teatro: tenta deixar a cena mais real possível.

Para Bacon, fazer ciência é se aproximar de Deus, um ser metafísico para a ciência e real para os cristãos, desvendando os mistérios que há entre o céu e a terra.

Fabiana Souza Soares 1ºSSD

Experiência



Para Bacon a experiência que adquirimos durante a nossa vida é o que guia a nossa razão diferente de Descartes que dizia que o conhecimento vem somente da nossa razão.
Quando diz a respeito da filosofia, fala para não desconsiderarmos as ideias filosóficas dos antigos, e nem as de hoje, porque não há a necessidade de chegar a um acordo comum entre os homens, mas para que ambas caminhem juntas.
Faz uma grande análise sobre as falsas visões do mundo, que são os ídolos, dizendo que eles formam uma barreira, dificultando e retardando o acesso a verdade em nossa mente.
Porém, deixa claro que nós homens, nos deixamos levar muito facilmente pelas inúmeras fantasias que nos são apresentadas diariamente, cabe a nós termos um bom discernimento e conhecimento para ignorá-las.

Luciana Pires, 1° SS Noturno

A queda dos ídolos e das descobertas meramente da mente!

                                        
Bacon vem para mudar com todo um pensamento, derrubar ídolos, o que pode ser muito perigoso, mas Bacon também veio nos mostrar uma nova forma de pensar. Ele veio para nos mostrar que nossos ídolos atrasavam nossa ciência, que nós humanos nos inclinávamos a acreditar que a verdade era mais voltada a nossa preferência pessoal. A partir dai ele nos propõe a pensar de outra forma, o que viria a ser muito útil pois foi ai que os homens começaram a usar a experiência ou experimentação para provar a existência das coisas, e que não deveríamos apenas observar mas também participar. Assim começamos a destruir os ídolos, aos poucos foram caindo por terra, como tinha que ser, para não ficarmos presos as coisas que por assim dizer eram mais fáceis e favoráveis aos homens, começamos aqui a conhecer a ciência acumulativa, aquela que não sobrepunha uma a outra, mas que por meio da investigação e da indução chegava talvez o mais perto da verdade que a natureza guardava. Por criticar filósofos, Bacon não queria dizer que não eram importantes, mas que eram sim de inteligência muitas vezes superior, mas que por usar de coisas não pesquisadas e sim só da mente humana não era certo, pois caiamos no problema da verdade ser o que é melhor para nós. Aqui Bacon mostra para todos uma forma mais fácil de se fazer a ciência, começando do eu e indo para o todo, e não só usando o eu. O que Bacon queria era talvez que o ser-humano parasse de acreditar em coisas de sua mente, em seus ídolos,  em coisas que para eles eram mais fáceis pois não tinha os inconvenientes do desafio e dos obstáculos que apareciam, aqui talvez Bacon queria que o ser-humano batesse de frente com esses obstáculos para por fim, pesquisa-los usando da mente e também das pesquisas, e assim mostrar a verdade até então escondida na natureza.

Rafael Tognati Silveira 1° Ano SS Noturno!  

Em busca do verdadeiro


        Francis Bacon em sua obra “Novo Organum” nos propõe um novo método para se chegar ao conhecimento verdadeiro. Diferente de Descartes que afirmava que apenas através da razão era possível encontrar a verdade, Bacon vai um pouco mais além afirmando que o conhecimento verdadeiro deve ser adquirido não somente pela razão, mas também pela experiência.
         Para alcançarmos a verdade, segundo Bacon, devemos combater o que ele chama de “ídolos”, os quais são falsas noções que nos impedem de chegar ao verdadeiro, causada por um uso das ações humanas, que de certa forma, ignora a racionalização do ser, ao passo que sentimentos humanos e uma série de outros fatores bloqueiam a razão, portanto devemos ir além dos sentidos e abdicar-se do senso comum para obter clareza.
       Sendo assim é através do experimentar que podemos, por exemplo, entender determinada sociedade, convivendo com seus indivíduos e conhecendo sua história e cultura, então após adquirir um conhecimento de teor cientifico podemos melhorar a vida humana. A ciência, o conhecimento científico tem por finalidade servir nós seres humanos e nos dar controle sobre a natureza.

Ana Sofia C. Natali / 1º S.S Diurno
                                     

Bacon e a nova ciência de hoje


    Bacon apresenta  uma filosofia  contrária a ciência como um mero exercício mental, e mostra que não devemos deixar a mente ser guiar por si mesmo.     Através desta primeira ideia Bacon tece uma crítica aos gregos e sua filosofia,pois a mesma não serve para o bem estar do homem,apenas para criar fantasias e ídolos. O autor então propõe um método para a cura da mente através da EXPERIÊNCIA:


1º Há o cultivo das ciências que  acontecem ‘‘através da filosofia tradicional’’onde há  Antecipação da mente.2º Descoberta científica pressupõe a experimentação, que é o novo método segundo Bacon.


     Existiu no decorrer do desenvolvimento cientifico uma clara escala de mudança de mentalidade do modo de obtenção de resultados empíricos. O que os gregos atribuíram à deuses, hoje é rechaçado como pura magia  ou senso comum. Bacon contribui para a estipulação deste status cientifico na elaboração de sua obra.

Amanda Bacin Ramalho  1ºSS.Diurno 

À la Francis Bacon

A partir das ideias de Francis Bacon, o modo de saber mudou extremamente.
Se prender em seus próprios conhecimentos e suposições não é mais base para a ciência, já que todos nós, seres humanos, sofremos influências desde que nascemos, e isso interferiria bastante em um estudo. No texto, Bacon explica e expõe alguns desses fatores que influenciam o ser humano em suas escolhas, ideias, pensamentos e, consequentemente, em seus estudos. Os chamados ídolos, analisados por Bacon, são expostos no Novum Organum, e alguns destes são: paixões, educação, relações humanas e crenças.
Tudo isso, e outros aspectos da vida humana, interferem direta e indiretamente nos estudos, nos pensamentos. E Bacon traz a ideia de quebrar com esses aspectos, para que a ciência seja feita livre de interferências e se aproxime mais da verdade.
A experiência seria o principal fator contribuinte para que os estudos fossem mais "corretos". Retirar o senso comum dos estudos, testar, experimentar. Essa seria a melhor maneira de se implantar mais conhecimentos novos. Ir além daquilo que lhe é imposto, e se desprender aos poucos de ideias simplistas e fazer experimentos são algumas das ideias que Bacon nos propõe através do Novum Organum.

                              Ana Carolina de Souza, SS Diurno

O Conhecimento Construído



  Frio ou Quente?
 Experimente Experimentar!

Segundo Bacon o conhecimento é construído através da experiência, do experimentar, do explorar da natureza.
A nossa razão deve ser guiada pela experiência e não pelo raciocínio (mente) pois ele é influenciado por diversos fatores que são denominados por ele como Ídolos da Mente, que nos dão uma falsa interpretação do real, uma falsa visão.
O ambiente que vivemos, os grupos sociais que estamos integrados, as encenações que tentam nos fazer crer, tudo isso são obstáculos que não nos deixam descobrir o Conhecimento Real,  que é baseado no concreto empírico, ou seja,  nos sentidos, nas sensações que só são conquistadas pela exploração.
Nessa imagem por exemplo, a nossa mente é capaz de produzir várias explicações mas só saberemos a verdadeira resposta quando tocarmos, explorarmos.
Não a outro caminho para o conhecimento senão por meios dos mecanismos da experiência.

Saber é Poder

O método indutivo já era utilizado na antiguidade. Mas, foi Francis Bacon quem o aperfeiçoou e o engrandeceu. Para frizar o método, ele criou três tábuas. São elas: tábua de presença, tábua de ausência e tábua de comparação, que dão base ao método, criando uma comparação entre experiência vaga e experiência escrita.

Porém, esse método apresentou falhas. Bacon, não deu importância nem para a matemática, acerca dos avanços da ciência. Nem para a hipótese. Pois, os fatos quando analisados em suas tábuas quase nunca levavam à hipóteses corretas.

Além disso, ele visava uma nova forma de interpretar os fenômenos da natureza. Para ele, o conhecimento lhe dava poder sobre a mesma, e a única forma de fazer com que o homem dominasse a natureza seria aplicando o seu método indutivo.

Portanto, Bacon foi considerado o marco entre o homem medieval e o homem moderno. Assim, construiu as bases para a ciência moderna, devido aos seus métodos e pensamentos ousados. Também, vale ressaltar a sua importância na literatura, onde seus ensaios serviram de modelo para a prosa inglesa moderna. 

Marisa Silva - 1º ano Serviço Social - Noturno

A Experiencia formata a Razão 


Bacon tinha uma forma de se chegar a uma conclusão/razão  que envolvia a Experiência. Acreditava que pra se chegar a uma verdade concreta  a experiência era o melhor caminho, esta era a diferença entre ele e Descartes no "Discurso do Método ".
A Experiência leva a uma conclusão pessual dos fatos,  quando por exemplo se vivencia um drama familiar como presenciar um alcoólatra em casa, seus conhecimentos sobre o vicio aumentam pelo fato de você viver todos os dias com a situação portanto poderá explicar melhor sobre o que acontece com o paciente em recuperação entre outros fatos que envolvem o álcool como vicio. 
Atravez deste pensamento, Bacon cria um novo método  cujo o objetivo é CURAR a mente ,regulamentando  por mecanismos de experiência e não deixar que a mente se guie sozinha chegando a falsas conclusões
.Para ele  a ciência não pode ser um mero exercício da mente criticando também  a filosofia tradicional que para ele não serve para o bem comum.Sua oposição  se virava também contra a fantasia pois segundo ele não se constrói um conhecimento através de nenhum dogma.
Bacon fala sobre coisas que atrapalham o caminho para se chegar a uma verdade a uma razão, um destes contra tempos  são os ídolos descritos por ele como  falsas percepções do mundo . 
Os desejos,paixões e as incompetências dos nossos sentidos(ídolos da tribo), a forma como foi criado o individuo e a religião que a ele foi imposta(ídolos da caverna), as pessoas com quem o individuo se socializa(ídolos do foro),  suas superstições e equívocos ( ídolos do teatro), tudo isso  atrapalha para se chegar a verdade a um conhecimento . 
O que não deixa de ser verdadeiro, um individuo que tem um sistema de vida conservador não vai  conseguir  se desprender de seus dogmas  e regulamentos para explorar as experiências necessárias para  um conhecimento verdadeiro.
Os mulçumanos, por exemplo, em muitas áreas que a religião não permita eles não explorariam e ficariam sem saber como funciona. Mais perto ainda de nossa realidade, nossos pais ou avos cujo a criação  foi mais rígida perante  a assuntos hoje mais comuns para os jovens como as drogas ou o sexo  não vão poder  nos dar a melhor conclusão sobre o assunto alem daquilo que lhe foi falado ou mostrado por alguém, não é nada concreto e certo , não é algo  empírico.
Portanto Bacon  propõe  a clareza cientifica pelo novo método partindo da experiência,excluindo  a fantasia e  tudo que for metafísico ( o que não existe no plano físico) e mesmo assim ele continua acreditando na existência de Deus como criador do mundo  e nos homens como descobridores  do mundo de Deus . Ele não crê que Deus seja parte da fantasia que ele exclui e sim a religião  a que os homens são fieis.Confesso ficar confusa com isso pois Deus não é empírico não existe no plano físico  então como é algo verdadeiro para Bacon ? E como a astrologia não é  por exemplo.


Thamires de Oliveira SS 

conhecimento e experiência andam juntos.


         Assim como Bacon ao longo dos tempos em determinadas situações como por exemplo, essa de fazer postagem, nós vamos ganhando experiências e cada vez mais usando a razão, chegamos em textos melhores, ou pelo menos é o que esperamos.
        Arriscaria dizer que Bacon se sentiria orgulhoso de todos nós, porque através dele buscamos um conhecimento inacabável, onde cada vez mais podemos entender tudo que está a nossa volta, juntamente com a ciência. Mas sempre devemos ficar atentos para não cair em falsas fantasias, ou crenças. E, inclusive, devemos desconfiar dos professores que estão à frente.Só saberemos se as historias que são contadas são verdades quando tivermos as nossas próprias experiências, por enquanto estamos no conhecimento e um dia chegaremos a experiência. Afinal conhecimento e experiência andam sempre juntos.

Bacon X Razão e Experiência


  • Francis Bacon em o Novum Organum fala sobre a verdade e sobre a construção do conhecimento,que para ele só vale a partir da observação e da experiência.
  • A ciência deve ser construída a partir de fortes alicerces,e a crítica nesse caso só é valida quando se tem conhecimento,afinal,não se pode julgar algo que não se conhece.
  • A exploração do novo é a melhor forma de se chegar ao conhecimento,porém ele acredita que a verdade só é válida quando pode se aplicar à prática,pois,palavras por si só não ajudam o ser humano.
  • O meio em que se vive não deve influenciar nessas buscas,porque o conhecimento vem a partir da exploração e observação e não de pré-conceitos já existentes.
  • A principal diferença entre Descartes e Bacon é a experiencia,pois Descartes prioriza apenas a razão,enquanto que para Bacon a razão vem com a experiência.


    Larissa de Oliveira Carneiro / 1° ano SS noturno

Acordos e desacordos do empirismo

Bacon vai por uma linha que a verdade é fruto da experiência e análise, portanto o progresso é o resultado da ciência.
Vamos pegar como exemplo os avanços na medicina e na ciência, modernos e mais antigos. Todos estes avanços são nascidos do empirismo tanto pontuado por Bacon, já que seria impossível a descoberta de uma efetiva cura, digamos, para a gripe, se não houvessem extensos estudos de campo, testes e mais testes, até que a formula "definitiva" seja encontrada(dentro das devidas proporções, já que como o caro leitor deve saber a vacina da gripe é sempre melhorada a cada ano). Nada mais é isso do que o empirismo em prática.
Claro, como toda a ação prática, existem ações e reações, e isso não deixa de ser verdade aqui. Se o conhecimento empírico é, segundo Bacon, o único verdadeiro conhecimento, e que esta habilidade de colocar o aprendizado para funcionar em função da prática gera um conteúdo cientifico e avanços para a humanidade, há claro criações que não são tão boas aplicadas. A bomba atômica, por exemplo. De um lado totalmente defensivo ao conhecimento empírico, a bomba foi um acontecimento extraordinário. A ciência e a medicina ganharam muito ao descobrir o funcionamento da energia atômica. Por outro lado, a aplicação dessa tecnologia foi infeliz, vitimando pessoas com a bomba, ou ainda pior, as já milhões de pessoas vitimas de acidentes nucleares como Chernobyl, de várias gerações seguidas.
Com esse exemplos podemos concluir que desvendar mistérios da ciência é um desafio, agora saber aplica-lo bem é um dever, pois afinal de tudo, o progresso tende a atender o bem do homem.

Noelly Jayne
1° SS Diurno

Novum Organum

Francis Bacon



Do contado se faz conhecimento.

Havia muito a ser estudado, a natureza não estava pronto e acabada, a simplificação do todo que é tão imensa, anula todo o resto e restringia-se em filosofia e ciência;Francis Bacon defendia que o conhecimento da real razão é proveniente da experiência, onde trabalhar a mente de forma menos abstrata e mais exploratória.

O que pode parecer mais verdadeiro do que as próprias sensações e a percepção; é preciso ressaltar que a experiência não esta na idade do individuo, e sim ,na capacidade que este tem de interagir com o ambiente que geram e influenciam no conhecimento desta forma seguem uma filosofia empirista.

Porém as falsas interpretações do que é real (ÍDOLO) distorcem as sensações e a percepção, assim para ter uma visão clara e não agir como os gregos que refletiam, pensavam e criavam palavras carregadas de significados mas de nada eram úteis para transformar vidas, devemos eliminar os Ídolos da tribo e os Ídolos da caverna assim como os Ídolos do foro e do teatro que detém poder de persuasão e ilusão deixando os sentidos incompetentes.




Thais Pereira da Silva 1º SS - Noturno.