sexta-feira, 13 de abril de 2012

Verdade apenas a verdade

Para Francis Bancon sua teoria estava muito distante de ser baseada em "acho-metros"  ou seja de coisas que apenas pensamos que seja ou não, ele não dá vazão para hipóteses. Para ele é necessário a exatidão das coisas. Não basta para ele apenas observarmos, é preciso ter o senso critico de não aceitar tudo, mais de racionalizar as coisas, não agir pelo intuito, emoção, sentimento. Mais sim basear todas elas na razão pra que seja considerada uma VERDADE plena e genuína. 
Isso remete ao fato de que ele exige que a partir da ai, o homem passa a raciocinar mais, por exemplo antes alguém chegava e dizia a terra é quadrada o homem aceitava isso e ponto. Mais não, ele queria que o homem se tornasse critico de tudo, ao ponto de dizer... Mais quem disse que ela é quadrada, ela não pode ser retangular, redonda? seja o que for..., mais ele desejava que o homem fizesse esse rompimento com as coisas vindo sem racionalização. Pra ele a razão era fundamental para as coisas propriamente dita fosse verdade de fato. 
Para que tirassem o homem da prisão, da prisão da sua mente, de seus pensamentos, dos conceitos já pré- estabelecidos, das dúvidas e os levasse a verdade.





Ingrid Mari de Moraes Carvalho 1°Serviço Social- Noturno

Egoismo do homem

Rene Decartes  parte do seguinte principio, de que todas as coisas foram criadas por um "Ser Superior." Mas que sobre todas essas coisas, havia um "véu".E sendo assim esse "Ser Superior"estaria dando a autonomia ao homem de tira-lo  para novos conhecimentos e descobertas. Foi então que ele chegou a seguinte conclusão, de que todo ser humano tem a capacidade de ser igual ou até mesmo melhor do que o próprio criador. 
Com esse pensamento começou a se criar uma lacuna entre a criação e o criador, para aqueles que professavam a fé cristã. Pois eles acreditavam que todas as coisas foram criadas por Deus, e a fé deles estavam fundamentadas na co-relação existente entre a criação e a fé. Mais com a descobertas de novas tecnologias, avanços científicos, começou haver um rompimento com o criador, pois agora em segundo plano diferente do começou, o criador já está em uma esfera distante do homem, agora o homem é "senhor" de todas as coisas.Podemos levar em conta que o fato de haver tantos ateus hoje em dia seja exatamente por isso. Pois quando que você precisa de um "deus" de alguém maior do que você quando você mesmo pode ser essa pessoa?. Hoje há mais pessoas querendo conhecimentos, status, méritos, reconhecimentos, aplausos do que um Deus para se apegar... Há muitos que conseguem aceitar essa ideia numa boa , não partindo para questões religiosa, mais sim me apropriando da seguinte questão. Se de fato em primeiro plano havia um criador para todas essas coisas que enchem os nossos olhos, nos dá a nós, a ânsia de buscar saber como foram criadas, elaboradas, trazida a existência, não seria egoismo do homem se beneficiar de todas elas sem antes ter participação com o próprio criador?. Ser "senhor" de nós mesmo está muito distante de nós homens, pois nós somos tão limitados, egoístas, orgulhosos, que não caberia ao lugar de sermos deus de nós mesmo. 
De fato precismos de alguém que seja tudo aquilo que nós não somos.


 Ingrid Mari de Moraes Carvalho 1° Serviço Social- Noturno