sexta-feira, 20 de abril de 2012

Ponto de mutação

O filme ponto de mutação é bastante interessante pois nos faz refletir melhor em várias coisas que acontecem na sociedade.
Achei bastante interessante analisar o ponto de vista de casa um sobre determinado assunto,o político,a cientista e o poeta.
Como fazer uma sociedade mais justa com menos desigualdade ,menos pobreza ?Sera que se nós pararmos de olhar só para nós mesmo e começar a olhar na sociedade em um todo conseguiríamos isso ?no contexto do filme a cientista ate cita Descartes pois ele tinha uma visão fragmentada assim como bacon e hoje em dia temos que mudar essa teoria de proteger e ajudar só a nós mesmo ,a nossa família ou ate mesmo nossa cidade ou nosso país ,no caso temos que ter uma visão mais ampla em um todo , para todos não somente a um certo grupo que nos interessa.O político do filme chega a concordar e refletir com certas coisas que ela fala,mais seu foco mesmo era ser o presidente independente de tudo que estava acontecendo .
Gilmara
serviço social
noturno

PERCEPÇÃO

Expor nossas opiniões nunca foi tarefa fácil, ainda mais se tratando de um diálogo envolvendo um político, um poeta e uma cientista. O debate entre eles ocorre durante todo o filme. Um turbilhão de opinião - Um bombardeio de ideias controversas.
Em apenas um dia, num único encontro, os três conseguem abordar temas da política, da poesia e da física. Opiniões são escutadas, muitas vezes contestadas, porém respeitadas, de modo que um saiba ouvir o outro e saiba argumentar com coerência, com precisão do assunto.
Em comum, podemos perceber que todos eles passavam por alguma crise em suas vidas pessoais/particulares, onde ficava mais evidente a dificuldade em lidar com alguns assuntos expostos. Por mais que eles tinham noção de como o mundo deveria ser, nenhum deles conseguia inserir essas teorias de que tanto defendia em suas próprias vidas, o que de fato, os prejudicavam em algum aspecto.
Mas, como já dizia meu querido Anatole France: “O futuro permanece escondido até dos homens que o fazem.”.


Ponto de Mutação
Cidade Negra

Vai passar, cedo ou tarde vai passar
A euforia da paixão, a febre da decepção
O amargo da contradição
Vai passar, cedo ou tarde vai passar
Vai chegar, cedo ou t arde vai chegar
No momento em que encontraremos
O ponto de mutação
Vai chegar, cedo ou tarde vai chegar
No momento em que encontraremos
O ponto de mutação
O amor é a razão, o amor é a certeza
De batalhar com gentileza, saber amar
É uma nobreza e vencer sem
perder a humildade
A humildade de endurecer sem
perder a sensibilidade
Vou cantar, cedo ou tarde eu vou cantar
A divina harmonia, vai virar felicidade
Dia e noite, noite e dia, até o fim dos nossos dias
Vou cantar, vou cantar cedo ou
tarde vai chegar
No momento em que encontraremos
O ponto de mutação
Vai chegar… cedo ou tarde
vai chegar
No momento em que encontraremos…
O ponto de mutação
No momento em que encontraremos
O ponto de mutação



Daniela Junqueira Palhares - 1º ano SS - Noturno

Teias de mutações



Tentar compreender o todo e não as partes de um dado sistema, é um conceito novo em nossa sociedade ,que viveu grande parte do tempo  aos moldes do pensamento cartesiano mecanicista.  Mas, porque o pensamento mecanicista foi o mais utilizado ?
                Para responder a este questionamento temos de ter em mente que as sociedades são guiadas por líderes, pessoas com grande influência, consideradas condutores, e para tais, é mais simples fragmentar o todo em partes, pois grande parcela populacional se vê fechada em um cubo, sem condições de questionamento dos porquês que nos cercam, graças a esse sistema.
                Com o passar do tempo houve a percepção que o  modelo cartesiano não incentivava a prevenção , sobretudo dos recursos naturais.E é exatamente esse ponto, que o filme Ponto de Mutação,baseado no livro de mesmo nome de Capra aborda: vivemos em um mundo com recursos esgotáveis, sejam eles naturais  ou sociais.
                Com isso, devemos aplicar um raciocínio ecológico, onde é possível enxergar o todo, e antes de fragmentá-lo ,devemos entender a sua conexão. E sobretudo, entender o impacto que nossa existência causa, e que ainda causará no mundo.Pensar de forma coletiva, fará com que seja possível  vivermos em um mundo sustentável, que buscando  o equilíbrio entre o homem e a natureza.

                                
Helyssa Alves Bafum- SS DIURNO
(Ponto de Mutação )

Analizar

Percepção e aceitação
Ambos são necessários
Para uma ampla visão!

Não somente o concreto ,
Real e taxativo,
Considera-se o correto!

Analisar o conjunto 
É de extrema importancia,
De certa forma  fragmentação
É falta de tolerância.

De nada adianta,
"Tapar o sol com a peneira"
"Cortar o mal pela raiz"
Sem dúvida não é besteira.

Capitalismo é interesse
Isso é fato!
O jeito é entrar na troca
Onde nada é barato.

Enfim,
Pensar em si é o importante,
Lamento pensarem assim
Essa crise de percepção é angustiante.


Caroline Stéphani Pinheiro (Noturno,1º ano SS )








Por uma perspectiva mais humana

 Analisando o filme "Ponto de mutação" podemos chegar a conclusão de que o tempo passa e com ele as mudanças ocorrem cessantemente e nem sempre de uma maneira agradável a qual imaginamos. Afinal não são apenas mudanças mas consequências dos atos humanos, é como uma semente que plantamos se cuidarmos dela, ela irá crescer e gerar frutos mas se apenas a tiramos do seu habitat e a destruimos iremos colher mais tarde essa destruição.

  O filme crítica os pensamentos de Descartes que achava que o mundo era como uma máquina, cada problema como uma engrenagem que funciona independentimente da outra, o filme nos faz refletir póis cada ato, problema esta ligado a outro. É interessante observar a linha de pensamento dos personagens porque apesar de serem tão diferentes entre si conseguem ter um diálogo direto respeitando as diferenças e concordando em algumas coisas, a personagem Sônia tem seus ideais e não abre mão deles, com suas idéias sobre o capitalismo e vivência da humanindade.

 Temos que refletir sobre o que é feito em nossa nação que muitas vezes nem ficamos sabendo por falta de canal direto que nos ligue a esses pensamentos, o que tem sido feito da natureza que é essencial para a preservação da vida? O que será das próximas gerações? Quando iremos parar de ser egoístas e começar a enxergar a realidade e lutar para melhorá-la? Penso que o ideal é refletir sobre o modo de vida da sociedade e não apenas seguir um sistema mas lutar pelo o que é certo e justo para todos e nunca abandonar os nossos ideais.


Gabrielle Stéphany N. Sgarbi 1ºSS Diurno


A engrenagem precisa desemperrar


        No filme algo que chamou minha atenção foi quando compararam o mundo com um relógio, parando pra refletir sobre isso acho que Descartes tinha razão. Se pensarmos na sociedade é assim mesmo, mas infelizmente esse relógio não funciona muito bem, porque nós pagamos impostos e deveríamos receber melhores condições de vida, uma saúde, uma moradia digna, mas a engrenagem parece estar emperrada, esses impostos caem no bolso dos nossos governantes corruptos, e com isso o tempo parece estar estagnado, o tempo já não passa, tem uma música do Gonzaguinha que diz assim: “Um homem se humilha Se castram seu sonho Seu sonho é sua vida E a vida é o trabalho” isso é uma prova de como o tempo está parado, o homem não tem mais tempo de sonhar porque precisa trabalhar pra pagar impostos e com isso se sujeitam a humilhações, e o relógio continua parado, fazendo com que as coisas se repita sempre.
        Mas afinal de quem é  a culpa dessa engrenagem não desemperrar? Essa engrenagem está precisando de um óleo, e nós como sociedade, como povo unido somos esse óleo, afinal somos nós quem elegemos nossos governantes e somos nós que devemos exigir nossos direitos e fazer com que eles cumpram o que tanto prometem.
        Essa falta de tempo que homem tem pode ser comparado com outro momento do filme que mostra que cada dia mais, não temos a percepção necessária para perceber que vivemos em uma sala de tortura, onde não existe mais sonhos. O problema é até quando vamos viver nessa sala, até quando vamos aceitar isso? Sinceramente? Não sei, vou fazendo a minha parte de sempre questionar e tentar mostrar para as pessoas o que está errado, quem sabe um dia essa engrenagem desemperra.

" As coisas mudam tão rápido nas mãos do homem."


Descartes descrevia a natureza (ou o mundo) como um relógio, onde o mesmo reduzido a um monte de peças e analisando cada parte, pode se entender o todo. No filme, a cientista faz uma crítica a esse método, já que essa é uma ideia ultrapassada e o mundo tem que ser visto como um todo, cheio de conexões entre ele, de acordo com ela, devemos procurar métodos mais sistemáticos e nos abrir para novos horizontes.
De acordo com o filme, os problemas globais devem ser resolvidos juntos, não tratá-lo com o modo cartesiano, tentando resolver um problema separado do outro, assim como um relógio e suas diversas peças. Pensando em um ciclo, quando a última peça se concerta, provavelmente a primeira estará dando problemas novamente, por isso se deve pensar tanto no mundo, como nas soluções dos problemas como um todo, algo inteiro, entender as suas conexões para depois resolvê-los.
Bacon, Newton e Descartes, implantaram o pensamento mecanicista, e perpetuaram a ideia de utilizar a natureza ao máximo em função do homem. Mesmo séculos depois, esse pensamento é usado ainda hoje, causando tanta destruição e prejuízo da natureza.
 O individualismo gerou um desequilíbrio entre homem-natureza, o capitalismo fez da natureza apenas mais um recurso para produzir e gerar lucros.  O ponto de mutação, ou seja, o epicentro de uma necessidade maior, uma mudança da visão do homem para com a natureza, é a tentativa de mostrar a necessidade de diminuir o desequilíbrio e retomar a comunhão entre o homem e o ecossistema.

Luísa Fernandes Assine - S.S diurno

Nenhum homem é uma ilha

Descartes com sua crença em que o mundo é como uma máquina, sendo a natureza parecida  como um relógio, é criticado com seu pensamento mecanicista no filme Ponto de Mutação, pois seu erro foi somente enxergar as partes e não o todo, não possibilitando portanto, a criação de resoluções para os problemas sociais e ambientais em que o mundo  possui atualmente. “Nenhum santo sustenta-se só”, frase em que é explicito como todas as relações formam a matéria, pois  tudo se encaixa na Teoria dos Sistemas, onde há uma interdependência entre toda a natureza e é então, onde os problemas sociais e principalmente ambientais, se originam. Deve-se aplicar um raciocínio ecológico, contrapondo o pensamento cartesiano, levando em consideração o mundo como ele está desde a época em que as relações de mercado foram colocadas em primeira escala, com sua natureza e capacidade de absorver as injustiças sociais em recursos exauridos para que haja de fato uma mudança no todo.
 Em suma, deve-se sempre haver urgência de uma mudança ao paradigma da ciência, pois é necessário questionar se é possível atender as necessidades da sociedade sem comprometer as gerações futuras de atenderem suas próprias necessidades e sem comprometer o desenvolvimento econômico e tecnológico, pois o mundo continua mudando mais rápido que a percepção das pessoas e a ciência precisa se portar como parte da natureza, para que haja respeito a ela e fazer portanto, relações de equilíbrio com a mesma.



Mariana Aguiar - 1 SS - diurno