sábado, 21 de abril de 2012

Por um mundo de mudanças em que o saber e o poder não se confrontem.


A partir do filme surge uma discussão, onde seram abordadas as visões de Descartes e Bacon principalmente.
Ela associa a visão de que Descartes analisava as partes para entender o todo e fazia analogia a um relógio , assim como o político.
O problema deveria ser analisada como um todo e não por partes.
Existem milhares de crianças que morrem desnutridas e o dinheiro é gasto para pagar a dívida externa ao invés de resolver o problema da fome.
O que adianta sanar uma dívida economica, se o saldo de crianças em países pobres está ficando negativo ?
A medicina também tem alta tecnologia, mas não é analisada no geral . Muitas doenças e acidentes são fornecidos apenas para quem tem dinheiro.
Bacon, já afirma que o homem deve escravizar a natureza a seu favor.
“Saber é poder” . Com essa frase, o homem acaba excedendo limites.
Sabendo controlar o átomo e os elementos radiotivos , provenientes da natureza, ele matou milhares de vida com a Bomba de Hiroshima, ou seja, o conhecimento fui utilizado para a destruição.
Outro exemplo que é citado é o Brasil : Tem uma das maiores reservas floretais que é a Amazonia, mas sofre com o desmatamento porque o lugar é usado para cultivo de gado.
O filme também retrata a existência de conecções no mundo, entre tudo.
Troca de matéria e de energia, onde tudo é uma constante mudança : destruição,criação.
Se levássemos ao pé da letra o “ escravizar a natureza “ de Bacon, teríamos mais problemas do que temos hoje : chuva ácida, buracos na camada de ozônio, aquecimento global, enchentes...
Devemos pensar no futuro, pois se ficarmos presos as visões antigas, não mudaremos o mundo.Devemos pensar também nas próximas gerações, pois estamos incluídos em um sistema maior,além de nós mesmos e o conforto de nossas casas.
O mundo e a natureza tem que viver estavelmente , ou seja, temos que retirar da natureza o que ela tem capacidade de oferecer.
Por exemplo, na Espanha, a água é um bem privado, no Brasil ainda não é pois temos em “abundancia “, mas o petróleo já é um bem privado aqui.
Portanto, dá pra continuar com a natureza meramente a nosso favor ?
Não é porque pagamos que devemos desperdiçar a agua no banho , por exemplo.
O mundo, como eu já disse estabelece conecções e não deve analisar o fato separadamente.
No serviço Social, o assistente deve analisar não só o átomo, por exemplo, o viciado em crack, ele deve analisar a situação que o fez chegar até ali, o sistema pelo qual ele faz parte.
Por exemplo, o garoto que mora na favela, deve-se analisar as politicas publicas, com quem ele se envolve.Ele não é predestinado ao trafico, por viver no meio...Ele tem várias conexões a  “escolher”.
Devemos portanto, buscar uma interpretação além do imediato como futuras assistentes sociais.




Percepção do mundo real

Com uma nova forma de compreensão e percepção do mundo, o filme Ponto de Mutação exerce forte crítica ao pensamento cartesiano mecanicista que fragmenta o todo para estudar apenas uma parte das coisas. Esta ideia está ligada diretamente à natureza, pois os homens retiram e exploram de maneira insustentável os elementos que ela nos oferece; e se aplica também à própria sociedade, através das relações existentes entre os seres humanos.
Diante dessa situação, é preciso entender as conexões dos indivíduos, dos objetos com o mundo, para que possamos enxergar todos os elementos que compõem determinados tipos de problemas, levando em consideração os fatos que acontecem em nosso cotidiano e por isso, é de extrema importância elaborar métodos que vise a interação de sistemas econômicos, físicos e sociais que ajude a colaborar com o conhecimento e entendimento do todo.
Ao analisar tudo isso, posso concluir que é possível encontrar melhores condições de vida para a humanidade, se esta ampliar seus horizontes na aquisição de eficientes conhecimentos perceptivos, que atuem na resolução dos problemas da terra e do universo. Devemos usufruir dos recursos naturais de forma equilibrada, sem colocar em risco a fauna e a flora, e promover uma melhor distribuição de renda para as pessoas no intuito de obterem confortos em sua vida social.
                                                                                                                                                                                     
Larissa Martins, 1° SS - Diurno.

Como falar de uma pessoa que se parece comigo?



O mundo está sem rumo, sem direção. As pessoas tentam encontrar maneiras para debater, entretanto sempre entram nas mesmas discussões.
O homem mata, joga lixo nos rios e florestas e importa-se somente com o capital e os lucros que lhe pode garantir-lhe.
E para que nós poetas, iremos dar nossa opinião?
Preferimos ficar calados, com nossos pensamentos, leituras e escritos. Lá podemos expressar nossos sentimentos, desejos, vontades e medos. Para mostrar a sociedade o quanto as palavras tem poder de cura, porém na maioria das vezes o ser humano não entende nosso sarcasmo e pensa que somos totalmente desligados do mundo e que não nos importamos com as coisas que estão a nossa volta.

Mayra Ribeiro de Oliveira. 1º Ano - Serviço Social/ Noturno.




A Revolução dos Conceitos





O filme “Ponto de Mutação” retrata através de seus personagens um debate com assuntos que batem a porta da própria condição humana atual.
Levando em conta os temas abordados, vemos que hoje em dia os problemas que afetam a humanidade não são os mesmos que afetavam antigamente, como problemas sociais, ambientais, entre muitos outros.
Diante de todo esse cenário é preciso que se desenvolva uma nova percepção de mundo, focando nos problemas reais, e deixando de lado aquele pensamento mecanicista. É preciso que cada individuo foque em um todo e não em si mesmo.
Todo ponto de mutação consiste na passagem do velho para o novo, no renovar o já envelhecido”, temos que através de nossas percepções revolucionar nossos conceitos em relação ao mundo.



Lais Fernanda de Oliveira   1º SS noturno

Todos Por Um


O filme “Ponto de Mutação” trabalha em cima de um propósito bem claro: conhecer o todo. Até agora lemos Bacon e Descartes e nenhum deles passa despercebido por essa longa conversa filosófica entre a cientista, o político e o poeta. A conversa com vários temas abordados ao longo do filme mostra várias interpretações diferentes sobre um mesmo assunto, além de nos fazer refletir sobre como são vistos os problemas de âmbito mundial.

O propósito que pude extrair do filme foi o de que nenhum problema pode ser resolvido por inteiro se nós o dividíssemos em pequenos fragmentos de estudo. O exemplo clássico do relógio mostrado nas primeiras cenas mostra bem essa ideia. É composto de várias partes, mas se uma quebra é preciso analisar o todo, caso contrário, quando terminar com aquela peça, outra já se quebrou.

É extremamente difícil de acreditar que na sociedade capitalista em que vivemos atualmente, com a influência do mercado, do capital e do governo, nós conseguíssemos de alguma forma concertar o mundo todo de uma vez. Hoje, tudo gira em torno do lucro individual, de forma que a teoria da cientista se torna um tanto quanto não aplicável.

Com tudo isso é possível observar que o mundo é muito mais complexo do que se imagina, porém que quanto mais fragmentamos as ideias, mais difícil fica de tentar resolver qualquer problema que seja, mas antes tentar resolvê-los da maneira que nos é possível, do que nos excluir do mundo e filosofar para si próprio.


- Marina Borges - 1º ano S.S. noturno

Ponto de mutação




O pensamento mecanicista e a não análise de cada parte em si é algo comum na sociedade atual. No filme, retrata pensamentos de três personagens, um deles candidato a política dos EUA, uma cientista e um poeta.
Na discução deles é interessante para nós refletirmos sobre cada fato da sociedade em partes, como sugere também Descartes em seus pensamentos, que é lembrado pela cientista no filme.
Logo também discutem sobre o pensamento não egoísta, que o homem nao fique preso a si mesmo, mas também pense no todo, no contexto, etc. Pois nenhum ser é capaz de sobreviver isoladamente.

A mudança está em nossas mãos

O filme "Ponto de Mutação" como o próprio nome diz, representa um ponto que precisa ser mudado ,visto com outros olhos e concepções , em sua totalidade:suas ações atuais e futuras consequências.
A fórmula para que isto ocorra ,precisa conter em seus componentes a VERDADE que buscava Descartes e CONHECIMENTO com base na EXPERIÊNCIA que Bacon propunha,pois a VERDADE surge
da dúvida esta que é o motor para a inovação,afinal quando não estamos satisfeitos com o resultado que nos é dado,procuramos constatar-lhe e  mudar se for possível,e para mudarmos é necessário que se faça uma EXPERIÊNCIA antes para calcularmos se suas ações resultarão em boas e não prejudiciais para nenhuma das partes reações.
Esse ponto que é necessário mudar está nas relações homem/natureza e homem/sociedade.A tecnologia está a todo momento se renovando e para isso extrai recursos naturais ou quando não extrai diretamente,de qualquer modo prejudica a natureza.O fato é que também dependemos da natureza para sobreviver e se continuarmos lhe destruindo,viver também se tornará algo difícil. A modernização e a tecnologia trouxe e traz bons frutos para a sociedade,por exemplo:Com a criação do celular,computadores que nos possibilitam comunicar através da internet,dentre outros; a comunicação se tornou mais facíl. Mas a compra e produção aumentando demais,traz problemos a natureza e consequentemente a nós,futuramente que iremos sofrer com o desequilibrio ecológico.Agora falando da relação do homem e sociedade e suas diferenças, exemplo:Um menino viciado morador da favela é visto com preconceito pela sociedade, por ele ser pobre e viciado.Contudo a sociedade não analisa  o porque dele estar assim , as razões que levaram a isso, o que há de errado ?,o que é preciso mudar?.
Enfim ver as conexões desses assuntos, o que trazerão de bom e ruim ,estudar profudamente o projeto , para evitar sofrimento para todos é o necessário a ser feito, porém não é o que está acontecendo.

Lislaine Iha dos Santos 1ºano Serviço Social diurno.




DESCOBRINDO NOVAS CONEXÕES

O filme ponto de mutação faz uma crítica à visão que muitos cientistas antigos (Descartes, por exemplo) tinham do mundo em que viviam e que ainda permanece até os dias de hoje.
Essa visão, considerada ultrapassada, é a visão de conhecimento fragmentado, onde o todo é dividido em pequenos fragmentos para que possamos compreender o que se pretende estudar, mas essa visão que há muitos séculos atrás foi utilizada por Descartes, é colocada de lado no filme, nos fazendo refletir sobre esse pensamento, e mostrando que para entender algo é preciso primeiramente entender o todo e não os fragmentos.
Essa nova percepção de entendimento, de entender o todo primeiramente, pode muito bem ser transmitida hoje para a sociedade em que vivemos. Para entender um indivíduo, por exemplo, não podemos apenas nos limitar a uma visão centralizada, de momento, de apenas um fragmento. É preciso fazer conexões com todos os outros fragmentos, entendendo o todo para aí sim conhecer e entender determinado indivíduo baseando seu estudo em tudo o que está relacionado a ele e não observar e entender apenas uma parte de sua vida.
Gabriela Cristina Braga Bisco - 1° Ano - Serviço Social/Noturno
O filme ponto de mutação se resume na conversa de três pessoas cada um com um ideal e modo de pensar e ver sobre a sociedade, a cienticista expõe uma visão critica sobre Descartes e o que desde o iluminismo a sociedade se torna mecânica vendo o mundo como um todo e não suas particularidades, Esse pensamento que  Sônia produz é fundamental para a compreensão real do espaço e do mundo onde se vive, porem ela se limita a produzir e não reproduzir esse pensamento pois o poeta a convida para trabalhar em cima desse pensamento porem ela recusa, então será que vale a pena expor um pensamento que naquele momento dificilmente será aceito ou visto pela sociedade, quem teria a mente suficientemente aberta ou desalienada  para tal entendimento?
 O segundo personagem é um politico e tem a forma iluminista (mecânica) de pensar sobre as coisas, como todo politico quer apenas agradar o povo para ser eleito, e não fazer o bem real para esse povo, então se poe em questão a democracia, o que é democracia para o povo? E é necessário ainda informar este povo leigo, o homem precisa parar de apenas classificar tudo o que vê  e procurar o real sentido daquilo como forma unica, como algo que nao acontece por que tem que acontecer mas por fatores que o levam acontecer e quais são esses fatores.

Ana Paula Silva 2° ano Serviço Social

PRIMEIROS PASSOS

          Pensar diferente requer grande trabalho, fica visível no filme o quanto é de certa forma, doloroso romper com aquilo que se acredita. Ser confrontado com questões que anteriormente estavam tão bem alicerçadas.

Mesmo assim, apesar de todo esse embate ainda é mais satisfatório, mesmo que seja para o próprio ego, mostrar que na maioria das vezes nem tudo o que se vê é de fato verdadeiro.

Descartes e Bacon rescindiram com grandes conceitos de sua época, porém suas ideologias tomaram proporções monstruosas, obviamente de grande valor, porém usadas inadvertidamente, passaram a ser sinônimos de caos. Então se percebe a necessidade de romper novamente, não abrindo mão das tecnologias, dos benefícios alcançados através da ciência, porém observando mais o mundo a sua volta.

O pensar no outro, o pensar no meio ambiente se tornou hoje algo com extrema urgência, da mesma forma que anos atrás se fez necessário a experimentação da ciência, a busca da ciência baseada na razão. Podemos até chegar à conclusão de que não se alcançou tudo o que se pretendia, no entanto, o sentimento de dever cumprido estará marcado. Pois não resolve muita coisa ficar se perguntando como fazer, esperando que outros tenham a mesma visão, é preciso começar.

Giselle Morais- diurno