domingo, 22 de abril de 2012

Fragmentar pra entender


O filme “Ponto de mutação” gira em torno de uma discussão entre um político,uma cientista e um poeta,a base dessa discussão é o método de Descartes e sua forma de compreender o mundo.
O mundo está em constantes mudanças,em suas diversas áreas,tecnológicas,políticas e biológicas,e essas mudanças não são isoladas,já que todas elas afetam o ser humano e o meio onde ele vive. No filme usam como exemplo o relógio,se uma peça dele se quebrar compromete todo o funcionamento do resto. Assim é a humanidade,porém o  homem tem se tornado tão capitalista,tão egocêntrica que não consegue ver o mundo a sua volta,só enxerga o que lhe trará lucro,sem se importar com as pessoas no qual pode prejudicar. A visão de Descartes em fragmentar pra conseguir entender o todo,é válida logo que, os seres humanos  dependem direta ou indiretamente um  do outro,e é a partir do entendimento de um,que consegue-se chegar em todo o resto , é a partir da organização de um ser,que consegue-se o “controle” de todo o resto.

Larissa de Oliveira Carneiro . 1° SS noturno . 
                                          

É preciso entender a vida e esquecer pensamentos mecanicistas

     O filme é uma resposta à missão do homem na vida, sínstese de que a ciência, a política e a poesia seriam o caminho para a dignidade humana.  A máquina é importantíssima ao homem, porém ele não pode deixar que ela o destrua... A ciência criou banco de dados, medicina para ricos, conforto em demasia para um pequeno grupo às custas da destruição da natureza e do próprio homem – Hiroshima é o maior exemplo. Ela é grandiosa, porém precisa da política visto que essa é a eficiência para colocar em prática a união humana.
     Todavia, como governar os seres humanos? O político procura na cientista o caminho para sua prática... Ele  tem consciência de seu lado fraco e refugia-se no poeta, a fuga para a Ilha Medieval é como se a resposta estivesse no tempo.
     Hoje, quarenta anos depois, temos “Um terceiro mundo mais conscientizado e caminhando para a dignidade.” Um Brasil que luta em parte pela conservação de uma floresta e da dignidade de suas crianças; porém um planeta que lamentavelmente, insiste em preservar a fala da cientista ao afirmar que quarenta por cento são explorados para que seis por cento usufruam . É preciso que a busca  obsessiva do crescimento pare e as novas gerações sejam cuidadas. O homem precisa encontrar o sentido da vida. Hoje, os princípios para um desenvolvimento sustentável estão em inúmeros indivíduos, inúmeros grupos, nações e nas conferências da ONU. Talvez estejamos no momento em que a cientista, o político e o poeta busquem um caminho para transferir a todos essa nova visão holística ou sistêmica.

                                                                                           Antônio César de Assis Júnior - 1º ano s.s. noturno
O NOSSO CERTO É REALMENTE CERTO?

O filme "Ponto de Mutação" nos mostra de forma simples uma realidade da qual estamos vivenciando diariamente e não nos damos conta.Essa ralidade é o julgamento.
O filme nos mostra por meio dos personagens os pensamentos de Descartes e Bacon com relação ao homem, seus pensamentos e sua evolução.
Mostra nitidamente o estranhamento do individuo  com aquilo que não conhece e faz julgamentos sem levar em conta as conecções que leveram o individuo a tal situação, a tal atitude.
É observado como fragmento sem se levar em conta os meios em que o individuo vive.
Tudo que nos é apresentado como novo, por instinto julgamos e o primeiro ato é a repulsão, mas estamos certos? Nossos pensamentos são os melhores? O que solucionam o problema?
Talvez não e esse pensamento nos leva a pensar sobre uma nova percepção de mundo,onde se deve considerar o todo, suas conecções, suas idéias, sua natureza, seu modo de ser e o que pode ser feito para sempre se  melhorar sem destrtuir o meio, seja ele social, economico, meio ambiente e tudo mais a sua volta.

Larissa Marques Xavier, 1ºSS Noturno

Como começar?

  No filme ''Ponto de mutação'' é apresentado um longo diálogo entre uma cientista, um político e um escritor, a cientista tem pensamentos mais distintos dos pensamentos dos outros personagens.
  Achei interessante já no começo, onde a cientista critica o modo cartesiano de pensar, critica as idéias de Descartes falando sobre como ele pensava que as pessoas seriam, comparando uma pessoa saudável com um relógio bem feito e uma pessoa doente com um relógio mau feito, deixando claro de que a concepção de que homens seriam iguais máquinas; Existe também uma critica direta aos políticos, por serem levados a essas idéias.
  Mais uma vez existe uma critica em que ela coloca o erro em querer resolver problemas como casos isolados esquecendo do problema em si, achando que poucas mudanças vão melhorar tudo um dia, sem o foco na causa inteira do problema que envolve a economia, o meio ambiente, etc; a mudança teria que ser por inteira, ela fala que podemos querer consertar uma peça mas que logo ela dará problema novamente, então teria que ter mudanças nos valores.
  No diálogo a cientista também aponta o erro do grande avanço da tecnologia médica, tornando-se para ricos somente pois os custos também subiram, ela usa uma frase que é muito interessante, ela diz: ''A questão política é: 'Como começar?' Mudando nossa maneira de ver o mundo. Vocês ainda procuram a peça certa para consertar primeiro.'', dificil saber se o melhor é a mudança aos poucos, peça por peça ou esperar a tentativa da mudança no todo.


 Danielle Carvalho Lopes, diurno,

Conexões minimalistas em um mundo fragmentado


O filme “Ponto de mutação” nos mostra uma percepção de mundo fragmentado através das três personagens: Sonia a física, Thomas o poeta e Jack o político. Eles buscam, através de suas visões críticas, analisarem a sociedade atual na qual a humanidade está inserida, tendo como objetivo a reflexão do ser humano na participação e construção do mundo que o cerca.

A compreensão de mundo de cada personagem representa um fragmento independente na sociedade, pois o filme traz esses ideais opostos, justamente para compreendermos inicialmente o mundo através de partes fragmentadas. Propositadamente a interação deles ao longo da trama, evidencia a necessidade de unificarmos esses fragmentos, para totalizarmos o funcionamento de um mundo integrado através de desenvolvimento e progresso sustentável, conflito, este, indagado por Sonia.

Em síntese, o filme tem como objetivo, mostrar que não é apenas a fragmentação isolada de conhecimentos e ideologias que formarão novas perspectivas do homem com o meio em que vivemos, mas sim, que esses fragmentos unidos, proporcionarão novos resultados produtivos para o bem da humanidade. Pois, temos que nos libertar da visão limitada de que os sistemas atuais, como o meio cientifico, tecnológico, político e social, estão de certa forma, isolados, independentes um do outro e sim que tudo abrange uma única totalidade que para aperfeiçoamento, exige que os demais fragmentos estejam conectados para funcionar, enfatizando a relação homem e a natureza.

Caroline Conceição Borges da Silva - S.S. Noturno

Exploração da Natureza

Desde muito tempo atrás, há um problema mundial: exploração da natureza. O homem vem explorando ela sem pensar que além dela, está prejudicando si mesmo. No filme Ponto de Mutação uma das personagens, a física, critica os sistemas cartesiano e baconiano por acreditarem que a natureza estava a serviço do homem.
Embora o ser humano agir sem pensar no planeta como: trocar aparelhos eletrônicos constantemente, o carro anualmente, desperdiçar a água, entre outros, há uma nova geração que vem sendo educada para ter um mundo melhor. Esta nova geração vem contagiando todas as outras, pensando principalmente na água e no lixo reciclado, sendo um bom começo para cuidar da natureza e dos bens que ela oferece.
Portanto, é necessário a concientização de todos a respeito do mal que estão fazendo a natureza , pois se as coisas não mudarem, a revolta dela contra o homem poderá piorar a cada dia, então deve haver um equilibrio do que se retira dela e o que ela tem a oferecer.


Caroline Lopes Boareto 1º ano SS-diurno

Até que ponto estamos realmente mudando?


Não é preciso muito esforço para perceber que o mundo já dá sinais de que pensar nas coisas como isoladas não tem funcionado, o homem não é o centro de tudo, ele faz parte de um todo interligado, onde suas ações causam grande impacto.
Percebendo esse novo modo de ver o funcionamento do universo, sentimos a necessidade de modificar nossos hábitos e pensamentos, mas não é fácil fazer isso de maneira efetiva, pois para isso é preciso desconstruir a nossa forma de obsevar nosso próprio cotidiano, entender que nossas ações não são inofensivas como estamos acostumados a pensar, como por exemplo, a utilização de copos descartáveis, a absurda quantidade de embalagem que possui o biscoito que comemos no café da manhã, essas coisas aparentemente simples contribuem para o uso desnecessário de matéria prima e para aumentar a quantidade de lixo, entre outros problemas.
Essas complicações para mudar nossos hábitos estão inseridas em uma sociedade onde somos incentivados a um consumo desenfreado, e a uma busca descontrolado por desenvolvimento econômico.
Apesar de hoje ser comum ouvir belos discursos a respeito dessa “conscientização”, na pratica não são aplicados, apenas são reproduzidos sem gerar ações concreta. Infelizmente pouquíssimos de nós podem se dizer fora desse ciclo, porque mesmo que já tenhamos mudado uma coisa ou outra acredito que ainda estamos distantes  de atravessar esse “ponto de mutação “
Tatiane O. Cardoso SS diurno 

Novos Horizontes

O filme Ponto de Mutação traz, através da personagem que é uma física, críticas ao modo cartesiano que as pessoas utilizam para entender algumas problemáticas do mundo.
Crítica o modo antiquado e reducionista de enxergar algumas questões que envolvem um todo, trazendo uma nova visão de mundo, onde tudo seja observado e entendido como um todo. Nada deve ser visto de maneira singular, sem ligações com diferentes áreas e aspectos.
Um erro não deve ser concertado pura e simplesmente onde sua falha está sendo exposta e assim, vista. Há um conjunto por trás de tal falha, que também pode estar sendo afetada. E que também pode estar criando a falha.
Esse modo de ver o todo, cria possibilidades de mudanças, de renovação.
Utilizar a mesma maneira de ver o mundo há séculos atrás, nos dias de hoje não é cabível na busca de soluções para grandes questões que precisam de soluções no momento atual.
O filme deixa exposto essa ideia em seu título: Ponto de Mutação.
Será que já não chegou a hora de mudarmos nossas visões para que as necessidades do mundo em que vivemos hoje, e que encontraremos no futuro próximo, sejam solucionadas da melhor maneira possível?
Maneira essa que não concerte uma falha para que outras apareçam, porém, que venha para mudar o todo através de suas ligações e intervenções recíprocas, trazendo assim, horizontes melhores para a vida humana.

                                    Ana Carolina de Souza, S.S Diurno.

Interligação entre corpos distintos

O filme ponto de mutação nos traz uma visão mais ampla sobre os pensamentos de Descartes e Bacon, primeiramente a base do filme está relacionada com as conexões existentes no sistema  humanos e não humanos. Para o autor deveríamos estudar as partes isoladamente para que assim possamos entender o todo, porém na nossa sociedade este pensamento ainda existe, um exemplo do filme a ser citado é a consciência que temos em relação à floresta por muitas vezes não fazendo conexões mais amplas com o mundo.
Também nos mostra que o mundo depois do século XVII  ocorreram várias mudanças e o mundo está de certa forma mecânico já não podemos mais viver sem o relógio nos mostrando qual é o próximo compromisso,  ou que estamos sempre atrasados.
E que nós seres humanos estamos cada vez mais egocêntricos. Avançamos com a tecnologia, entretanto os cientistas estão usando de que maneira tal conhecimento? Para riquezas e poder da minoria? Cada vez mais competitivos destruindo massas assim como o exemplo da bomba de Hiroshima.
 Descartes o homem, ou melhor, o mundo é apenas uma maquina e infelizmente ainda há pessoas que pensam desse modo, não que eu esteja recriminando, porém essa concepção foi importante para a época, contudo os tempos mudaram.  E  para tempos novos precisamos de pensamentos novos.
Bacon acreditava que deveríamos explorar a natureza de tal forma que o homem dominasse tudo sempre tivemos essa ideia de que o homem que deve deter o poder em suas mãos.
Hoje vemos os reflexos destes pensamentos como, por exemplo, o descontrole do efeito estufa que na medida certa é um auxiliador para o planeta, mas com o superaquecimento está prejudicando a Terra.
A desfragmentação dos objetos de estudos é claro que foi uma forma momentânea para se estudar porém infelizmente é falha pois precisamos ou ,melhor, devemos enxergar o mundo de forma como  todo e não apenas isoladamente.
                      Ana Carolina Magiero de Sousa- 1 ano SS diurno

Quando será o nosso ponto de mutação?
No filme apresentado nas duas últimas aulas de sociologia, refleti a respeito do que Capra diz “é preciso à imediata e irreversível mudança de pensamentos e atitudes para tais realidades sejam revertidas”.
Concordo literalmente com a frase acima, mais quando vão ocorrer tais mudanças?
No filme ocorre um intenso diálogo entre três pessoas, que mesmo na sua individualidade, percebe-se o mútuo respeito onde cada um tem o direito de defender e expressar suas opiniões aprendendo assim um com o outro.
É algo interessante, pois assim podemos aprender com as diferentes percepções, e chegar numa conclusão.
Porém o que é visto hoje, infelizmente não se aplica como no filme.
Hoje as pessoas não tem um diálogo produtivo em prol de mudanças ou até mesmo não se importa que mudanças devam ser feitas.
A verdade é que “as pessoas perdem interesse pela vida quando o seu mundo parece desmoronar-se” e aguardam algo que possa simplesmente resolver a questão.
Portanto concluo que é necessária a mobilização de todos para alcançarmos nosso desenvolvimento, o progresso não está somente na criação de novos softwares e armas mais principalmente em projetos e iniciativas em benefício de quem precisa.
Há mais coisas a se fazer do que imaginamos, e nunca é tarde demais para correr atrás.

Samara Mori Santana 
Diurno - SS


“As pedras falam enquanto eu me Calo”
Filme “Ponto de Mutação”


O ser humano sempre se julgou um Ser capaz, dotado de inteligência e superior aos demais. Um Ser capaz de transformar o mundo, aqueles que o habitam e a si próprio. Um Ser capaz de desvendar os mistérios da natureza e usá-los a sua maneira e vontade. Ser que se julga autossuficiente e que se autodenomina quase Deus.
Contudo, ainda sim, este Ser capaz, dotado de inteligência e superior aos demais ainda é refém de si mesmo. Este Ser dotado de inteligência não percebe que aos poucos está destruindo não somente a sua casa, mas o lar de todos que aqui vivem. É um Ser incapaz de aceitar e conviver com as diferenças sejam elas étnicas ou culturais, que não respeita a diversidade e a biodiversidade. Ser que mata a si e a seus semelhantes. Ser que destrói a vida.
Este Ser não é totalmente e plenamente capaz, dotado de inteligência e superior aos demais. Este Ser não é capaz de perceber que suas atitudes e atos, embora prejudiquem a todos, prejudicam principalmente a si mesmo. Este Ser não é capaz de perceber que tudo que faz acarretará consequências. Este Ser não é capaz de gerar vida, este Ser não é capaz de acabar com a morte, este Ser não é capaz de controlar a natureza, este Ser não é capaz de dominar o tempo, este Ser não é capaz de mudar a história. Este Ser não é Deus.
Este Ser não percebe que a vida continua, que a vida é maior do que sua ignorância. Que a vida seguirá de uma forma ou de outra, com ou sem a sua presença ou interferência. Este Ser é incapaz diante da força da vida. Assim como tudo que já viveu, este Ser um dia também morrerá e a vida continuará; e tudo o que restará será a vida contada através da vida.


      “As pedras falarão quando os Seres estiverem por fim calados”



Milena Regina da Silva Santos
1º Serviço Social - Noturno

                                                                    A VISÃO GERAL

A visão do imediato é a percepção que se tem primeiro , o indivíduo como fragmento , no filme ponto de mutação é feita uma critica a essa lógica cartesiana , que seria uma visão superficial.
 
O filme nos mostra que se deve ter uma visão do conjunto , todo imdíviduo deve pensar em uma trajetória de vida .não só ver os fatos isolados de uma maneira superficial ,mas sim em sua trajetória e em suas conecções .
Todo individuo deve fazer parte do conjunto ou melhor é parte do conjunto ,devesse olhar o conjunto todo e não apenas os fragmentos devemos olhar to conjunto de fatos e a trajetória até chegar até o determinado momento.
 
O documentário nos apresenta três personagens; o poeta ,a física,e um político  candidato a presidência que acaba de perder uma eleição .Apesar de serem indivíduos tão diferentes estão em uma   fase de suas vidadas bem parecidas no qual se encontram frustados e desapontados com suas próprias vidas e com o mundo e em crise ao verem suas espectativas frustadas ,apesar das diferenças entre eles suas vidas se cruzam por acaso .
 
É como um ciclo , onde todos por um motivo ou outro se encontrasse não só os indivíduos mas o mundo , é como se tudo fosse interligado .
Tudo faz parte do conjunto .
 
Oque vemos , sentimos exploramos , conhecemos , sentimos tudo faz parte do conjunto  , e por isso é necessário pensar no todo .
 
E que tudo que feito , pensado individualmente modifica esse conjunto esta "máquina" em que vivemos e que só teremos soluções se todos pensarem desta forma não só em nós mesmos mas no que podemos fazer como individuo para melhorar essa grande "máquina" em que vivemos .
 
É como se vida fosse outo organizadora e como um ciclo onde tudo depende de fragmentos para funcionar  e para se completar .
 
DAMARIS VALENÇA DA SILVA .
FILME PONTO DE MUTAÇÃO
PRIMEIRO ANO DE SERVIÇO SOCIAL NOTURNO

Mudanças de Pensamentos



Temos medo de mudanças ou até mesmo, de pensarmos diferente. o pensamanto cartesiano, foi criticado no filme ¨Ponto de Mutação¨. Pois Descates aceita apenas o que é certo, e em nosso dias nunca pensamos se o que aceitamos como certo está realmente certo. O filme é retratado no litoral da França, onde tres pessoas discutem sobre a humanidade e a natureza, e sobre a sociedade.
A atriz que é uma física que promove um pensamento , um despertar em nossas mentes: olhar como um todo e nunca como uma única peça.(Olhar pra uma única árvore, não é o correto e sim olhar para todo o bosque). Nos dias de hoje precisamos nos aliar mais do que nunca a natureza, precisamos dela para tudo, e destruímos muito,então temos que correr atrás do prejuizo, na sociedade somos como robozinhos, onde um prega o temos que ser o que temos que fazer e simplesmente obedecemos, sem nem replicar. Mas temos que tomar uma atitude, pela natureza , pela sociedade em que vivemos, precisamos analisar se realmente o que fazemos está correto.Temos que olhar a particularidade sem deixar de olhar e entender o todo.


Cristiane Feitosa 1º S S noturno

OS DONOS.

OS DONOS.

A narração a seguir é desenvolvida com base no filme “Ponto de Mutação” e terá a objetividade em discursar sobre o caráter de um politico em um mundo individualista e apontando para o altruísmo. A temática estabelecida é resultado da responda direta de leitores que nada mais são que reflexões sobre o tempo e sobre os sonhos de uma geração.

Um homem mau, corrupto, que usa da democracia para alavancar a vida – este sou eu “o politico” e estas são palavras que de inicio me oprimirão e confesso que por vezes chorei, ao mesmo tempo fui aprendendo que o povo já estava farto da epidemia de violência, da pobreza e da falta de estrutura, enquanto pessoas como eu, realizavam debates com pausas para o café para a construção de um novo departamento que também não trabalharia para o objetivo real e sim para gerar novos cargos públicos. Minha honestidade, planejamentos e projetos eram nulos, meu partido não tinha apoio algum, pois aqueles que tinham perfil para seguir carreira eram comprados, me usando de degrau. Hoje meus discursos sinceros são recortes guardados, tive o prazer de reencontra meu juízo e, portanto, não atuo mais nem mesmo voto.

Graças te dou, ó Pai, porque ocultaste estas coisas dos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos. LUCAS 10:21

THAIS PEREIRA DA SILVA – 1º SS – NOTURNO.

"Ponto de mutação"

   “Ponto de Mutação”, um filme simples, mas com um conteúdo rico, ele é todo baseado em diálogos em que três pessoas se conhecem em um castelo no litoral da França e começam a conversar e discutir em torno da vida, em torno das relações entre o homem e a natureza e entre as sociedades, os problemas ecológicos, políticos e sociais. Há uma cientista, um poeta e um político que acabara de perder a eleição para presidente dos Estados Unidos.
  O ponto máximo dessa discussão é a necessidade de uma nova visão de mundo, no filme é feito uma critica pela cientista sobre o pensamento mecanicista de Descartes que explica a natureza como uma máquina com suas peças e que podem ser desmontadas para que se concertem possíveis defeitos e para que sejam compreendidas e é exatamente esse o erro dele, é algo que não dá pra encaixar nos dias de hoje, ele enxergou o mundo fragmentado e acreditou que poderia entendê-lo aos pedaços e não ao todo.
   Em minha opinião realmente precisamos compreender o mundo por completo para que possamos transforma-lo, nós não somos ilhas, todos temos uma ligação, o homem pode ser sim uma peça, mas que não funciona sozinha.

Julia 1°SS noturno