segunda-feira, 23 de abril de 2012

Quem me dera!


O filme ''Ponto de Mutação'' me trouxe inspiração, para refletir sobre os fatos do mundo que me deixa indignada. O que me chamou atenção no filme foi a atitude do poeta em querer rever sua vivência neste mundo, saindo então dos problemas de sua própria sociedade e vivendo em outros de costumes diferentes.
Acredito que a solução dos problemas não serão esses, o ser humano deve enfrentar com força as desigualdades vividas em seu meio social, e não fugir disto para algo ''melhor''.
Devemos acreditar que há uma esperança para melhorar, seja qual for o problema. O fato da cientista se isolar faz com suas grandes ideias, e inteligencia sejam guardadas em uma caixa onde somente ela possa abrir, deixando assim seus pensamentos e propostas de soluções excluidas da sociedade, ela como todo ser humano,foi egoista em deixar seu conhecimento fora dessa sociedade por motivos pessoais. E o politico em busca de se auto-consolar por sua derrota acaba abrindo ''suas ideias'' para enchergar fatos da realidade de maneiras diferentes... porém não os colocando em pratica.
Concluindo os tres individuos, trocam experiencias e diversos pensamentos por um ''nada'', não agiram para mudar a sociedade conformem desejavam.

A música acima, traz questionamentos de um mundo egoista '' Quem me dera ao menos uma vez, Que o mais simples fosse visto, Como o mais importante, Mas nos deram espelhos e vimos um mundo doente.''
Não devemos aceitar esse mundo visto como doente, com aquecimento global, destruições, ambições,corrupções, para o homem é facil demais isolar-se e aceitar...
E onde está o espirito humano?Devemos encontrar o remédio que cure esse mundo doente na união,no amor, no desejo de uma igualdade social.

Victória Amazonas. 1ºANO SS- Noturno.

Metamorfose


                Sobre o filme “O Ponto de Mutação” se trata do entendimento do que seja um pensamento multifacetado do mundo. Transcorre diante de três personagens para seu objetivo sendo, uma cientista que vê seus ideais traídos e desencantada com o projeto Guerra nas Estrelas, um dramaturgo em crise, e um candidato à presidência dos Estados Unidos. Entre os temas discutidos, os três invocam  Descartes, política, física quântica, ecologia, poesia e tecnologia para compreenderem os paradigmas do futuro.

                Baseado no diálogo, o foco da discussão está na percepção distorcida de uma cultura baseada no individualismo e separatividade entre as relações pessoais e seus eventos, dentre estes problemas visíveis do século passado, tais como ameaça nuclear, degradação do meio ambiente, racismo, desigualdade humana e problemas políticos, etc. Que passa de uma única crise fundamental promovida quando, pela educação, cultura e ideologia dominantes, que por vezes são valores distorcidos que servem para justificar sentimentos menos nobres.

                Com isto quis mostrar que estas mudanças, só serão possíveis quando a sociedade tiver preparada para valores menos individualista e materialista, e uma tecnologia que explore menos a degradação do meio ambiente, vivendo com mais fraternidade e respeito entre os seres e a natureza.

Rangel Homma - 1 ano S.S. noturno

UMA REFLEXÃO PARA MUDAR

Uma reflexão para mudar.
     A nossa sociedade tem baseado seus conceitos e funcionado durante muito tempo nos pensamentos cartesianos e baconianos.Onde o homem e a sociedade seriam como uma máquina ,onde as peças se encaixam adequadequadamente para o todo funcionar.E também o homem tem explorado a natureza , sugando desta o máximo que pode.
     Durante séculos o homem tem agido dentro deste sistema, ocasionando consequências negativas que colhemos hoje.Pois quando o homem parou de conviver com a natureza "amigavelmente", deixando de prestar atenção aos seus sinais, ele se tornou mecanicista.
       O homem tem vivido , trabalhado e  convivido automaticamente, sem sentido , sem refletir se tudo o que a vida moderna nos impõe, é realmente necessário.O homem quer preencher os espaços vazios com bens materiais, consumo desenfreado, dinheiro,sem parar para pensar ;como um relógio.
          Mas se o própio átomo, sendo tão mínimo possui espaços vazios tão grandes, porque o homem não pode se esvaziar de tantas coisas para refletir sobre si mesmo e a sociedade?
          O homem está em um momento que precisa mudar o sistema vigente, senão a humanidade vai se deteriorar cada dia mais, pois todos precisamos ter atitudes concretas de mudança no dia a dia  visando o bem das gerações futuras. 

Andréa Defendi Feliciano.

Uma nova ideia

Uma nova ideia


Nos dias atuas as ideias de Descartes e Bacon já não fazem mais sentido.
Não que suas ideias e conceitos não foram ótimos, pelo contrario, nos deram uma nova visão do mundo que hoje temos, onde descobrimos e evolucionamos em todos os sentidos.
Porém suas ideias estão ultrapassadas, devemos agora vê-los como um excelente exemplo de luta para criarmos um novo conceito e mudar todos os velhos que já temos, pois ver um planeta sento tratado como um mecanismo sem vida onde existe apenas para nos servir e assim devemos utiliza-lo sem pudor esta nos levando a destruição.
Devemos parar de pensar e resolver problemas como fragmentos (pensando apenas no imediato).
É sobre esses questionamentos e outros mais que relata o filme "PONTO DE MUTAÇÃO".
Nele é questionado até quando vamos ficar vendo os problemas do mundo como fragmentos ou parte de um relógio, e vamos começar a ver que todos os problemas de alguma forma, são interligados ou de uma maneira mais clara, quando uma peça de um relógio estraga, ele por completo para de funcionar e não adianta apenas consertar a peça estragada sem antes verificar o motivo que o fez estragar e se é somente esta peça que esta comprometida e não todo o relógio, sendo assim uma precisão de reparo total.
E de quem é a culpa deste estrago?
Dos que o manuseiam ou dos que o inventaram? 
São conceitos e questionamentos que devemos rever, para assim como Descartes criar um novo mundo


Paula Magalhaes Rosa 1º SS noturno

O filme ponto de mutação ,nos abre várias janelas de questionamentos da  visão do mundo  em geral,nos fazendo refletir sobre a forma de  como enxergamos na sociedade suas instituições e as pessoas que as compõem.
Primeiramente ,uma das personagens faz uma citação de Descartes,ao lembrar de como ele compara a sociedade com  um relógio ,onde cada peça se liga em outra e que seu funcionamento depende de todos seus componentes ,portanto ,havendo alguma parte com defeito ,essa parte atrapalhará o restante do funcionamento.Esse exemplo tirado de Descartes,nos deixa claro que não é possível  manter a ordem de uma sociedade ,se as pessoas que as compõem  tiverem pensamentos individualistas ,sendo necessário todos agirem em conjunto para a manutenção da ordem desta,da mesma forma como ocorre a comparação do funcionamento da sociedade como um organismo vivo,onde todos os seus órgãos que o compõem ,tem suas determinadas funções e assim a  tarefa  de o manter vivo.Essa  visão de Descartes , acaba sendo criticada pela personagem ,por acreditar tratar dessa forma o homem como uma simples máquina .
Ao longo do filme ,acontecerão várias discussões sobre como os pilares da sociedade andam se desenvolvendo,algum deles como a economia ,a política,as questões socias e até mesmo as questões que envolvem a natureza,entrando na  discussão até o polêmico” efeito estufa”,onde  acontece uma das reflexões mais importantes do filme ,pois trata bem de como o homem vem  usufruindo  dos recursos da natureza e os resultados  catastróficos deixados por ele e que já começam a comprometer  o futuro do universo.
A visão geral do filme se compromete em reverter o pensamento cartesiano ,fazendo com que o homem deixe de pensar em si como uma parte separada da sociedade e passe a se integrar nela.

EQUILÍBRIO

Ponto de Mutação
O filme abre vários caminhos para discussão:
_ Científico: Sonia Hoffmann (Liv Ullmann) uma física desiludida com os rumos tomados pela ciência decidi isolar-se em um vilarejo francês para repensar a vida. Embora tendo a chance de conviver um pouco mais com a única filha, enfrenta um processo difícil desta convivência e o atrito entre as duas acaba sendo acentuado porque suas percepções do mundo divergem completamente.
_Poético: o poeta Thomas Harrimann (John Heard) abandonou a cidade de Nova York por não suportar um modo de vida mercantilizado e refugiou-se no velho mundo para recuperar-se da decepção profissional e de um casamento fracassado.
_Político: Jack Edwards (Sam Waterston) é um político bem sucedido. Porém, após perder as eleições para presidente dos Estados Unidos da América, sente-se esgotado, confuso em relação aos rumos de sua carreira e solicita socorro.
Contudo, escolho a perspectiva do equilíbrio.
Analisar e compreender o todo necessita do equilíbrio entre esses três olhares. As teorias frias e puras da cientista, as idéias práticas do político e a poesia recitada pelo poeta, quando isoladas não contribuem com sua parte diante do todo.
Acredito que a ciência só faz sentido quando conseguimos aplicá-la na prática e acima de tudo quando a utilizamos para viver a real essência da vida.

Nunca se vence uma guerra lutando sozinho
Cê sabe que a gente precisa entrar em contato
Com toda essa força contida e que vive guardada
O eco de suas palavras não repercutem em nada
É sempre mais fácil achar que a culpa é do outro
Evita o aperto de mão de um possível aliado, é...
Convence as paredes do quarto, e dorme tranqüilo
Sabendo no fundo do peito que não era nada daquilo
Coragem, coragem, se o que você quer é aquilo que pensa e faz
Coragem, coragem, eu sei que você pode mais
É sempre mais fácil achar que a culpa é do outro
Evita o aperto de mão de um possível aliado
Convence as paredes do quarto, e dorme tranqüilo
Sabendo no fundo do peito que não era nada daquilo
Coragem, coragem, se o que você quer é aquilo que pensa e faz
Coragem, coragem, eu sei que você pode mais.

Ana Paula _ 1º S.S. diurno

UM POR TODOS


















     No filme Ponto de Mutação, a grande questão discutida é entre aquilo que é individualidade dos homens, além de nos fazer refletir sobre a complexabilidade do homem. Ao longo do filme, refletimos sobre até que ponto termina nosso direito como usufruidores da natureza, e também analisamos como não se pode determinar com respostas objetivas e simplistas as mais diversas características humanas, como Descartes assim fazia. Notamos que o filme é composto dessas ideias que se opõem: a necessidade do pensamento coletivo e a analise do homem difícil de se definir. O filme é composto por três personagens principais: Sonia - física, Thomas - poeta, Jack - político. Ambos representam ÚNICO INDIVIDUO, com as partes divididas na figura acima.
    Sonia representa a parte neuro-sensorial, tomada de racionalidade, pois observa o real, a matéria, e toda parte física da natureza, pensa sobre esses efeitos naturais e forma dentro de si uma visão de mundo. Além disso, se torna defensora da natureza e condena os rumos que a ciência e a tecnologia tem tomado.
    Já Thomas é descrito pela parte rítmica, onde é encontrada a área emocional. Com grande facilidade, talvez por ser poeta, consegue relacionar o mundo externo com o interno.
    E na última parte do corpo está colocado Jack, apresentado pela parte metabólica. Essa parte se movimenta através da obediência aos comandos mentais. Ou seja, Jack inicialmente organiza seu pensamento através daquilo que foi, anteriormente, ensinado a ele. Ele é influenciado pelas ideias políticas. Uma delas é a que considera o homem como uma máquina, um relógio, que pode ser concertado com instrumentos da mecânica. Podemos até comparar as nossas pernas a essa mecanização, de maneira que, consideremos a sequencia ordenada dos nossos passos.
   No entanto, assim como já disse, a última parte é obediente a primeira, e quando decidimos parar de andar, nós paramos. E daí então, se encaixa o nome do filme: PONTO DE MUTAÇÃO. Sonia é o ponto de mutação, pois é ela que coordena as outras partes do organismo e têm poder de mudar. Ou seja, cabe a nós mudarmos nosso rumo. Deixarmos de lado teorias reducionistas e expandirmos nosso campo de visão.Cabe a nós tomarmos uma atitude de mudança, e pararmos de pensar apenas em nós mesmos, e sim no planeta.
O MUNDO COMO UM TODO ATRAVÉS DE SEUS FRAGMENTOS


No filme Ponto de Mutação-de Bernt Capra- através da discussão entre: um poeta com crise de meia idade,uma cientista afogada na sua busca por respostas e um político que busca se eleger presidente dos E.U.A; podemos entender o seguinte:


Precisamos nos despir de nossos conceitos morais para nos darmos por completo a uma sociedade onde dinheiro e poder andam juntos o tempo todo no comando.


O MUNDO é visto como um TODO pela maioria das pessoas, porém, não é assim que devemos observá-lo, temos que entender que o mundo é formado por uma série de FRAGMENTOS interligados, onde cada ação gera uma reação.
A ação de apenas um indivíduo pode afetar a vida de toda uma nação, devemos rever nosso conceito de mundo e nos perguntar: será que esse é o mundo que queremos deixar para nossos filhos e netos?
Um mundo onde o aquecimento global é causado em sua grande maioria, pela ganancia de alguns homens
que desmatam florestas em busca de madeira e outros bens naturais para aumentar seus ganhos no comercio?
Onde enquanto poucos desfrutam de riquezas incalculáveis, muitos vivem na miséria absoluta e até mesmo morrem de fome por conta de um grande contraste social?
Enquanto os países pobres não tem dinheiro para investir em saúde e educação, as grandes potências investem bilhões em armas nucleares e guerras.
Porém não devemos nos esquecer de que todos nós fazemos parte desse TODO, cada um de nós contribui de alguma forma nesse grande SISTEMA chamado MUNDO; seja pelo voto,seja por movimentos sociais ou até mesmo ignorando tudo isso como se nada estivesse acontecendo ao nosso redor(-que é o que a maioria faz-).
Vivemos em busca de respostas e de culpados para os problemas sociais do mundo e nos esquecemos de que no fundo todos temos uma parcela de culpa em tudo isso; pois o MUNDO através de seus vários FRAGMENTOS se torna um TODO e funciona como um GRANDE MECANISMO.


Francielli J. Silva - 1°ano SS Noturno 

Ponto de mutação

-->

-->
Ponto de mutação é um filme que gira em torno de três atores, onde a qual mais me chamou a atenção foi a cientista com o seu ponto de vista, que é olhar para todos os lados e aspectos, ao invés de foca em um ponto e esquecer do resto do mundo. O pensamento dela faz refletir a importância do homem na sociedade, onde muitas vezes ele inventa coisas para mostrar que tem mais poder e que deve ser o centro de tudo, na realidade o homem faz parte do centro, como qualquer outro “objeto” onde ele não é o foco principal.
Muitas vezes fazemos coisas e alegamos que foi em prol a todos, na verdade foi em prol a própria pessoa que efetuou o ato, usamos essa desculpa para ameniza o nosso egoísmo que fala mais alto em diversos casos. Como o caso das sacolas plásticas, os comerciantes fizeram um acordo onde eles tirariam as sacolas de circulação para o incentivo do uso de sacolas retornáveis, só que as sacolas plásticas eram pagas pelos consumidores. Nesse caso o grupo que tem mais vantagem é o dos comerciantes, pois eles vendem sacolas retornáveis, como isso ganhado mais.
Porém, devemos ter mais coragem para enfrentar o desconhecido, pois  quando o político convida a cientista para por em pratica suas ideias ele nega o convite, isso mostra o medo de ser ignorada, de não ser ouvida. Muitas vezes temos esse medo, isso é normal, mas temos que ter coragem para levantar a cabeça e ir em frente como os nossos pensamentos.

Fabiana Souza 1ºSSD

Um único organismo.

Tirinha como reflexão inspirada pela obra "Ponto de Mutação" de Fritjof Capra.

para melhor visualização, visite o link da imagem: http://tiny.cc/gl27cw

por Vitor Moretti Zonetti, Serviço Social, Noturno.

Critica ao Ponto de Mutação

O filme Ponto de Mutação vem pra nos trazer várias perguntas ao invés de respostas. Perguntas como: Pensamos mas em nós mesmos ou nos outros? O mundo é uma maquina ou não? A natureza aguentará? Essas perguntas são respondidas mas não por completo, fica ainda um espaço pra você pensar, na primeira pergunta, temos explicações do pensamento fragmentado, ou no pensamento do conjunto. Na segunda temos até comparações de que políticos pensam numa lógica mecânica, como é dito, concertar uma peça do relógio sendo que vai estragar outra, em vez de pensar no coletivo mais uma vez. Na terceira ainda é dito uma coisa que me lembrou até um documentário que eu assisti a um tempo atrás: "A história das coisas", que fala justamente sobre isso, que nossa sobrevivência está afetando futuras gerações, pois a natureza é finita, e em vez de reciclarmos, reutilizarmos, vamos cada vez mais gastando, e gastando. Mas o que realmente me chamou atenção no filme foi os personagens.
Os três personagens frustrados tem seus papeis trocados, vamos começar pela física. Ela como uma pessoa que era cientista e viu seu projeto de laser passar a ser usado de forma nociva, por incrível que pareça não é a que pensa fragmentado, ela nos mostra durante o filme que é a que tem um pensamento conjunto, tenta expor isso de todas as maneiras aos outros dois personagens. Já o político que também estava tentando superar uma eleição perdida para presidente dos Estados Unidos, em vez de pensar no conjunto acaba sendo muitas vezes surpreendido pela mulher que mostra que seu pensamento é mais no eu, o que para um político é uma coisa incompatível. Esses pensamentos invertidos faz o candidato a presidente pensar em convidar a física para suas próximas eleições. E por ultimo temos o poeta e artista, que fugiu de Nova Iorque para França para pensar na sua vida, e para mim no filme ele vem trazer a humanidade da coisa, as angustias, os sofrimentos e as emoções humanas, ele talvez é a parte humana das duas maquinas que é a física e o politico.

Rafael Tognati Silveira 1° Ano SS Noturno

O mundo não é uma máquina, mas é o que estamos fazendo dele

         É isso que se discute ponto de mutação, quando três pessoas de mundos diferentes, com pontos de vista diferentes discutem quando se encontram.Eles fazem uma critica a maneira equivocada do homem ver o mundo.
        O homem explora o ambiente em que vive sem pensar no mal que estão fazendo a sua natureza, ao ambiente em que vivem, fazendo tudo para satisfazer e facilitar a suas vidas detonando o ambiente natural; usando sua sabedoria para a criação de armas nucleares para se destruírem.
        Na visão da física o ser humano, apesar de racional, é p ser mais ignorante em todo o universo.
O PONTO DE MUTAÇÃO : MUDANÇA DE PADRÃO (PARADIGMA)

"Precisamos, pois, de um Novo paradigma - uma nova visão de realidade, uma mudança fundamental em nossos pensamentos."
(Capra, Fritjof - 1982)

O filme "O ponto de Mutação" trás de uma forma sintética e com um vocabulário muito claro, sobre as várias transformações e conceitos estudados no que diz respeito a como víamos o mundo e como passamos a enxergá-lo agora.
O diálogo que se instaura no transcorrer do filme entre os personagens, mostra claramente os principais conceitos formados no decorrer dos séculos:
- Mudanças revolucionárias (Copérnico, Galileu, Newton)
- Descrição matemática da Natureza (Francis Bacon)
- Método analítico de raciocínio (Descartes)
- A concepção sistémica da Vida (Nova Visão da realidade - Estado de inter-relação)
Fica claro assim nesta conversa que mesmo com a evolução das Pesquisas e Estudos, vivemos a "sombra" de muitos conceitos inflexíveis de pensamentos que já não podem ser empregados na nossa sociedade atual.
Precisamos pensar globalmente e agir pontualmente em busca de mudanças ética, valores e crenças e tratar o Mundo em sua totalidade, levando em consideração todos os aspectos que influenciam os organismos vivos, pois a superação criativa em busca de novidade, é a propriedade fundamental da Vida.

Aline Vieira Gomes
1° Ano Serviço Social Noturno 

Mudança de percepção


Atualmente vivemos em uma sociedade totalmente individualista, onde o "eu" está em primeiro lugar. Não paramos para pensar no outro, ou nos frutos que vamos deixar para nossos descendentes.O filme "Ponto de mutação" retrata claramente isso, quando um de seus personagens começa a ter uma crise existencial e assim se questionando a respeito de todos os seus valores. 

A partir do filme podemos perceber que para solucionarmos os problemas precisamos pensar como um todo , unir cada peça, pois por trás de cada fragmento existem outros milhões escondidos. A partir do momento que mudarmos a nossa percepção podemos conseguir solucionar os problemas globais, porem essa mudança tem que ser rápida, pois a cada dia que passa a natureza nos da mais sinais da sua " insatisfação" com nós. 

Amanda Pereira (1º ano SS noturno)

O despertar do questionamento da vida


O que estamos fazendo de nós?
O que estamos fazendo do mundo?


Toda politicagem, já não serve
Os homens cansaram
As palavras são só palavras

E o mundo pede ação
O movimento, a atração
Idealizamos o total descobrimento


A consciência do viver é rara
Por mais que seja cara
A vida deve ser questionada
 
Estamos destruindo tudo
Ignorando o profundo
Isso faz sentido?
 
O saber desdenhamos
Será que a vida pode se recuperar? Ou restaurar?
Talvez sim, talvez não
Os valores do homem dirão


Abracemos o mundo
Explorando o nosso eu, político, poeta e cientista
E assim o utópico poderá se concretizar


 Elvis M. Ferreira
1°ano Serviço Social noturno

A maneira de ver o mundo.



A necessidade de obter respostas rápidas de como lidar com as ciências, com a economia e principalmente com a sociedade juntamente com a questão ambiental, são um dos pontos principais do filme... Que entre concordâncias e discordâncias os personagens discutem temas que nos fazem repensar nos nossos conceitos e até mesmo em temas que nos mostra que não basta nos unir para tentar solucionar um problema e sim o todo. Pois os problemas não são fragmentados se eles existem é porque algum outro problema gerou aquele e como o exemplo do relógio que foi dado no filme, arrumar uma peça que se quebrou não vai resolver o problema, logo a mesma peça se quebra de novo, pois embora seja uma peça fragmentada, quando ela esta fazendo parte do relógio ela deixa de ser fragmentada e passa a ser o relógio juntamente com outras peças, fazendo obrigatoriamente que se analise todo o conjunto; e assim que deve ocorrer com o mundo, onde deveríamos a passar a entender seus problemas como um todo a partir de suas relações que existe em cada ser que compõem a natureza. Pois devemos sair do conforto, da mesmice que não soluciona, que não serve que só existe pra dizer que existe mais não serve pra nada, porque o autocontrole nos limita e o pior nos faz acreditar em fatos que nem sempre são verdadeiros mais nos são colocados por uma determinada classe superior. Não devemos solucionar os problemas do mundo sem antes entender as suas ligações as suas teias, pois só assim conseguiremos pensar em um mundo com melhores condições para todos, com baixos índices de desigualdade, como disse a personagem do filme isso só poderá ocorrer se mudarmos a nossa maneira de ver o mundo.

                                                           Dantielle L. J. dos Santos, 1ºSS -NOTURNO.

O olhar de transformação

      Atualmente, as relações cotidianas têm sido muito individualistas. O filme: "O Ponto de Mutação", trás isso claramente entre suas discussões. Percebemos que o desenvolvimento tecnológico e político "visaria"  uma melhoria para a sociedade de uma forma em geral, mas de um modo e um sistema que por sua vez, acabou por ser mais individualista.
      A Física do filme faz citações relevantes quanto ás obras e Descartes e Bacon, pois mostram a razão e a experimentação para se ter mais e mais ciência(que em muitas vezes foi usada para coisas ruins, ao invés de ser um bem). Bacon principalmente, cita que a natureza deve ser totalmente usada e comandada pelo homem, á seu favor. Mas nos dias atuais, essas idéias acabam sendo muito contraditórias, pois onde entram ás questões da preservação ambiental e a própria preservação da vida humana? No contexto geral, isso deixaria e deixou muitas desses indivíduos á margem.
      É justamente por isso que não basta olhar para as situações momentaneamente. A ciência social requer que vejamos todos os aspectos que ocasionaram aquilo. Outra crítica, seria ao pensamento cartesiano, pois é muito realista, claro e objetivo de que a sociedade é "simplesmente" composta por indivíduos, não analisando as particularidades para se ter o todo.
      É preciso de se estudar as partes, ter um novo contexto, para ser ter então a transformação.


Mariana Costa, 1 ano de Serviço Social, diurno.

Uma única peça não monta um quebra-cabeça.


      Disparidade. Essa é a palavra entre os tipos de evolução.
Tecnologia e humanismo estão em disparidade de crescimento. De um lado, avanços quase milagrosos, já do outro, a quase estagnação ou até mesmo o retrocesso.
Capital, poder, terceirização, fome, dor...morte. Estão no caminho para o progresso, e esse, não pode parar. O que se há de fazer? Afinal de contas, os sacrifícios são necessários. Só alguns milhões de mortos, nada que já não venha acontecendo a muito na história. Imperdoável seria perder os milhões que mantem a economia a salvo.
     Imperdoável mesmo é saber que as nossas vidas, não passam de estatísticas, não tem importância, e por isso podem ser descartadas pelo bem dos cofres bancários.
É tudo por um bem maior, dizem os políticos, os cientistas afirmam que é pela tecnologia, sempre foi assim e não vai mudar, defendem  os  acomodados, afinal de contas quem vai querer lutar quando podemos ficar sentados em nossas salas de tortura mental, de lavagem cerebral, esperando o próximo comercial de um carro esportivo, a novela ou programa de fofocas.
      A ditadura da televisão nos impossibilita de adquirirmos cultura, senso crítico, sem este último dizemos que a política não presta e por isso não nos envolvemos, oque nos leva a não conhecer os políticos nos quais votamos esses por sua vez, aumentam os impostos, fazem caixa dois, subornam e são subornados, e todo o dinheiro desviado deixa de garantir vidas, e mais uma vez dizemos que nada pode mudar pois sempre foi assim.
      Nota-se claramente a relação entre essas problemáticas, a interdependência entre elas, não podendo resolver uma sem resolver a outra. Seria vão tratar qualquer que fosse isoladamente. A visão do todo é essencial para se achar uma solução. Porém, é exatamente essa a maior dificuldade, a visão do todo, simplesmente não existe para a grande maioria da população. A falta de percepção é o real problema das sociedades atuais.

      Não poderia dizer a você que está lendo, que essas palavras sejam realmente úteis, pois acredito já terem sido ditas de outras formas e em outros tempos, e sem querer convencer ninguém, de absolutamente nada, já que as minhas verdades podem se quer parecer com as suas, apenas me contento em registrar o fato de que a minha percepção ainda que precária, não se resigna aos ditames de um sistema que nos cria para poder nos engolir vivos.

“...a vida é infinitamente mais que as suas ou as minhas obtusas teorias a respeito dela. Sentir o universo é um trabalho interior...”  

             Ana Teresa Costa Silva _ 1ºano de Serviço Social _ Noturno

Crise de Perspectiva

O filme Ponto de Mutação descreve uma conversa entre 3 pessoas preocupadas com o curso da vida, da natureza e da história, cada uma com um foco diferente de interesse. Porém, todos concordam sobre alguns pontos de extrema importância, pontos intrínsecos para a compreensão completa, porém também específica, do mundo. 
Quando o relógio foi inventado, ocorreu-se a primeira grande ruptura do homem com a natureza. A partir daí, tudo começou a ficar mais mecanizado, programado, e Descartes apreciava muito essa ideia. A influência que ele e outros com a mesma linha de pensamento, como Newton, tiveram sobre as pessoas, fez com que a relação dos homens com a natureza fosse tal como a conhecemos hoje: caso algo esteja errado, é possível consertar, como uma máquina. Caso isso seja inacessível, podemos simplesmente substituir determinada peça por outra feita sob medida, mesmo que nunca original. Porém, hoje estamos percebendo que este grande relógio que é o mundo, além de ter a possibilidade de estragar alguma peça, também pode despertar - e estamos todos preocupados com quando e como isso vai acontecer. 
Entretanto, essa visão mecanizada do mundo é ultrapassada. Sonia, personagem protagonista do filme, acredita (tem certeza) de que tudo está intimamente ligado, co-relacionado. Ela explica, com os conceitos da Física quântica, leis da natureza que, se refletirmos bem, perceberemos que podem até ser aplicadas à sociedade. Tudo está tão junto que, na verdade, além de praticamente não existir vácuo algum, tudo está misturado, ocorrendo continuamente uma troca de energia. Os limites que achamos que existe, na verdade, são apenas limites físicos (no sentido visual da palavra). Tudo se influencia, relaciona e interage, não apenas como um círculo, metáfora muito simples e comumente utilizada para ilustrar essa ideia, mas talvez mais como uma bola de futebol, ou como uma teia sem abertura (sem começo e sem fim) - além de existir a relação de algo com o todo, existe, simultaneamente, a relação de algo com cada uma das outras coisas.  

"A natureza essencial da matéria não está nos objetos, mas nas conexões"

O Ponto de Mutação

É um Filme que contribui para o entendimento de um pensamento multifacetado do mundo. Três personagens em um único dia falam de ecologia, física, política, poesia e tecnologia para compreenderem os paradigmas do futuro.

Com os diálogos os três personagens fazem alcançar uma nova visão de mundo, que estabelece relação de tudo com tudo. Propõe que é mais correto falar em eventos e inter-relações como a descrição da realidade do que dizer que determinadas partes atuam de tal forma para definir o todo. É a mesma idéia da ecologia: somos frutos em interação do ambiente natural, e não independentes dele. O que fazemos contra a natureza, fazemos de modo brutal e estúpido a nós mesmos.

No final deixa bem claro que a sobrevivência humana é ameaçada por várias ações humanas advindas de uma visão de mundo mecanista e fragmentada; e que se deve haver uma mudança radical. Essa mudança só haverá se refletirmos em atitudes orgânicas, holísticas e fraternas entre seres humanos e entre estes e a natureza, com todos os seus aspectos.


Eder Miranda,   1ºSSNoturno

''Crise de percepção''

Gostaria de destacar, no filme '' Ponto de mutação'', uma cena que se inicia uma linha de pensamento sobre o modo de pensar de Francis Bacon. Antes disso, retomar a linha de pensamento entre a ex cientista, o poeta e o ex candidato a presidencia dos EUA seria mais conveniente;
O pensamento cartesiano é considerado brilhante pela ex cientista ao passo que é considerado ultrapassado no contexto dos dias atuais. Segundo ela, enchergar o homem como um relógio bom ou ruim, dependendo de seu ''funcionamento'', é uma questão que faz enchergar o homem como uma parte separada, visto como uma máquina apenas, e que inclusive ela chama de ''falso''. Esta teoria, na época, fez surgir uma ruptura com a igreja e dará início a um novo tempo: esse modo mecanicista de se ver as coisas,  iniciará método científico de Francis Bacon.
Francis Bacon,co-relaciona a mulher e a natureza quando diz ''a mãe natureza'', num período em que ele defende a exploração da natureza para que seus segredos fossem descobertos. Ele até diz que os cientistas devem utilizar de suas ferramentas para explorá-la. Nesse período, as mulheres eram torturadas por usarem medicina popular e, por isso, essa co-relação. Para a ex cientista, esse modo de pensar de Bacon, refletem consequências presentes nos dias atuais: o aquecimento global, o desmatamento e a poluição de rios e mares etc, e deixam evidente o alto preço que o ''saber é poder''  cobra.
 Como ex cientista que é, ela diz que abriu mão da profissão porque, ao contrário do que ela pensava, suas pesquisas estavam sendo utilizadas para o que ela chama de ''guerra nas estrelas'' (não tenho certeza), e não para desenvolvimento de pesquisas na medicina, evidenciando, então, sua opinião sobre essa ''exploração científica''.

“COMO UMA ESTRELA SEM FIM”


Diante do filme “Ponto de mutação” vê-se o quão irrelevante são considerados os aspectos da natureza, como o primeiro relógio a existir desprezado por haver outros tecnológicos, isto é, desprezando a forte influência que a natureza tem sobre o homem, já que ambas caminham juntos para haver inovações. Há também as respostas sem fundamentos científicos como a afirmação do candidato a presidente ao dizer que a medicina avançada é um meio primordial para existência, visto que dela se extrai a cura para muitos casos de moléstias, cirurgias de risco e em casos de indivíduos com maus cálculos de bexiga, como exemplo do filme, quando na verdade se houvessem maiores investimentos com orientações para atividades físicas e de como se alimentar adequadamente, o gasto seria menor e mais eficiente já que esses indivíduos não precisariam passar por tal dificuldade, como afirmou à estudiosa.
O filme aborda uma temática imprescindível, consideradas por Descartes com seu sistema cartesiano e por Bacon com suas teorias em questionamentos nos demais aspectos fragmentados, sendo estes autores as principais referências da cientista para explicar a existência de forma empírica, mostra para o político o sentido e a significância desses embasamentos para a vida.
Na íntegra, foram três personagens: um poeta, um candidato derrotado a presidente e uma cientista física. Passaram o filme discutindo o sentido teórico da vida, ela sendo apoiada pelo poeta defende sua tese de que tudo muda com o tempo, e o antigo não interfere no novo e vice-versa, ou seja, os valores de séculos anteriores sofreram tamanhas mutações, que não há comparações, apenas há adaptações que fazem do hoje, um novo ontem mais avançado.  O candidato a presidente, em busca de se autopromover novamente para os cidadãos dos EUA, leva em consideração apenas a modernidade, não como, e onde, houve as determinadas alterações, todavia aceita sua posição em relação à sociedade.
Enfim, dois grandes autores, duas vertentes, e um sentido: A vida se resume na auto-organização do tempo, na qual o sistema se faz, se mantém, mas também transcende, originando maiores valores para ações de significados deslumbrantes, é como o poema do poeta Pablo Neruda, Investigando a estrela sem fim, quando na síntese, sempre há algo para coexistir. 


TAUANE LUIZ  / 1° SS NOTURNO

Teia de pensamentos

 O filme ponto de mutacao nos mostra diferentes formas de refletir por meio de pensamentos diferenciados.
 A fisica, tenta mostrar que e' para os homens se enxergarem como parte do universo, mostrando que o sistema depende das acoes das pessoas, nao tendo relacao com pensamento de Descartes que diz que a natureza esta acima do homem; diz tambem que a relacao do individuo com o mundo sao relacoes comerciais e nao de equilibrio.
 Ja, em relacao ao candidato derrotado a presidente, ela tenta mostrar o quanto eles estao focados em ideias cartesianas e newtonianas e acaba esquecendo de olhar para o mundo de hoje; usa a natureza como exemplo, diz que os politicos veem somente as cascas das arvores e nao por dentro, os ciclos de vida, o que e' necessario para a sobrevivencia da mesma.
 E o poeta se sente livre, quanto a poder pensar e escrever o que quer, deixando o amigo fora dessa conclusao.
 O filme nos impulsiona a nao pensar somente no que precisamos agora, mas tambem nas geracoes futuras.

"As paixões são todas boas por natureza e nós apenas temos de evitar o seu mau uso e os seus excessos."
René Descartes