quinta-feira, 26 de abril de 2012


Comte, Ordem para o Progresso
 

Comte defende a filosofia positivista usando os mesmos parâmetros de Bacon vinculada a ideia positivista de observação e experimentação: o útil frente ao inútil, o certo diante do incerto. Temos também o positivismo que carrega a essência da defesa do método como forma de obter a distância do observador ao observado, portanto não ha envolvimento do observador, apenas uma relação cientifica entre ambos.
Mas como renegar meu objeto de estudo se o objeto estudado é a humanidade?
Talvez o positivismo seja algo do conhecimento humano mais bem elaborado! Dentro do estado positivo, que seria para Comte, o último estágio da construção do conhecimento estão: estado teológico - que seria o fenômeno da natureza feito por Deus como exemplo temos a figura materna quase religiosa. Metafísico - que seria as ideias dos filósofos, da própria cabeça como o amor a saudade, ou seja, a imaginação dele. Estes são estágios necessários ao amadurecimento das formas de entendimento para a explicação do mundo.
Para Comte a filosofia positiva era auge de tudo, a apoteose do conhecimento. O positivismo é a interpretação do observado, do real, do que pode ser explorado,  pode servir para organizar a sociedade. Para Comte era celebrado como superior, último estágio vivido da inteligência humana.
A filosofia positiva, ela marca o amadurecimento do espírito humano e contam com seus precursores Bacon e Descates. A ideia baconiana de que somente são reais os conhecimentos que repousa sobre fatos observados. Comte também conta com o modelo organizacional da sociedade inspirado em Newton, com as leis imutáveis, que tudo segue uma e se sairmos dela perderíamos causar uma desordem total, ou seja, para Comte a sociedade só progride se estiver em ordem, em harmonia e se a ordem for respeitada! Um depende do outro, cada indivíduo em sua função para se mantiver o equilíbrio.
O positivismo conserva o indivíduo em seu lugar e tem a ideia das leis imediatas de organização, não vai à ordem profunda, só imediata da situação, ou seja, a patologia não pode crescer, ela tem de ser curada.
Tivemos governos positivistas no Brasil como Vargas e os militares, eles achavam que garantindo as condições mínimas como trabalho, saúde e educação, por exemplo, estariam resolvendo todos os problemas da sociedade. Então, para Comte a ciência deve operada com a ordem e só assim teríamos o progresso.

Keila Salgado de Freitas
1° ano de Serviço Social diurno-  26/04/12

Reflexão Positivista


A Concepção Positivista de Comte tem como ideia a interpretação do mundo através da observação dos fenômenos, dos dados concretos , das leis lógicas. Opõe-se ao idealismo e tem por base  o físico e o material.
 Para Comte as Leis dos Estados são divididas em três estágios: o Teológico, o Metafísico e o Positivo, sendo o Positivo como definitivo para a reorganização da sociedade moderna. Não havendo mais espaço para as dúvidas, discussões, explicações teológicas , pensamentos reflexivos e os questionamentos do homem em si, do “por quê”, “como”.
Este ideal Positivista teve grande força, fazendo-se presente até a atualidade no cenário político e social. Essa oposição ao lado metafísico, teológico, reflexivo, tem como explicação o lado objetivo como algo realmente plausível e considerável em uma sociedade com "ordem". Mas se olharmos para o lado humano, a visão apenas positivista  em uma sociedade  acarreta em sérios problemas no âmbito social, na questão humana. Numa perspectiva mais reflexiva , a visão positivista acaba muitas vezes negligenciando os Direitos Humanos, ao não enxergar as causas e os motivos dos problemas sociais.

Juliana Marton Moretti - 1° ano - Diurno