sábado, 28 de abril de 2012

Comte - Positivismo


Comte em sua teoria do positivismo volta-se para o estudo das leis concretas, do físico, existente;  então é um positivismo baseado em: real, útil, certo, preciso, relativo, etc. Comte define também o positivismo como uma religião para a humanidade em que o lema é: “o amor por princípio e a ordem por base; o progresso por fim”.

Comte preza  a organização da sociedade através dos fatores: teológico, metafísico e o positivo, sendo o positivismo o único mais certo, sem as dúvidas que são possíveis existir nos outros métodos. Ele também cita muito a importância do altruímos em que devemos ter um foco individual mas também pensar nos outros, no bem estar de todos para assim se ter uma sociedade organizada.

" O de cima sobe e o de baixo desce"

Com a necessidade de melhor entender a sociedade, surge a sociologia. É justamente neste momento que também surge a obra Curso de Filosofia Positiva de Augusto Comte, para ele o positivismo era o auge do conhecimento, depois de passar pelo teológico e metafisico, era nele que se interpretava o mundo a partir do que se observava, sendo que o observador e o objeto tinha apenas uma relação científica.
No positivismo de Comte, a ordem e o progresso não deveria ter mudanças entre o individuo e o social em que ele estava inserido. Há uma intertextualidade com a música Xibom Bombom, em que pode-se observar que com a ordem não existe crescimento do individuo, mas há um progresso: "Onde o rico cada vez fica mais rico e o pobre cada vez fica mais pobre".


Xibom Bombom - As Meninas

Bom xibom, xibom, bombom
Bom xibom, xibom, bombom
Bom xibom, xibom, bombom
Bom xibom, xibom, bombom
Analisando essa cadeia hereditáriaQuero me livrar dessa situação precária (2x)
Onde o rico cada vez fica mais rico e o pobre cada vez fica mais pobre
E o motivo todo mundo já conhece,E que o de cima sobe e o de baixo desce (2x)

Bom xibom, xibom, bombom
Bom xibom, xibom, bombom
Bom xibom, xibom, bombom
Bom xibom, xibom, bombom
Mas eu só quero Educar meus filhos Tornar um cidadão
Com muita dignidadeEu quero viver bem Quero me alimentar Com a grana que eu ganho Não dá nem pra melar
E o motivo todo mundo já conheceÉ que o de cima sobe e o de baixo desce (2x)

Bom xibom, xibom, bombom
Bom xibom, xibom, bombom
Bom xibom, xibom, bombom
Bom xibom, xibom bombom

Caroline Lopes Boareto 1º ano de SS-diurno 2012

"filma o contraste.."




É nesta tensão entre produção da desigualdade e produção da rebeldia e da resistência que trabalham as assistentes sociais, situados nesse terreno movidos por interesses sociais distintos, aos quais não é possível abstrair ou deles fugir porque tecem a vida em sociedade.” (O serviço social na contemporaneidade: trabalho e formação profissional).

O assistente social jamais poderá ter um olhar positivista sobre a sociedade, pois as máximas que Augusto Comte criou, vão contra a possibilidade de mobilidade social, e o assistente social, trabalha para que o usuário possa buscar melhorias e contribuir para o fim da desigualdade social. Comte prega a ordem como função para um crescimento igualitário, porém, numa sociedade onde a desigualdade faz-se presente, a ordem não seguirá seu ciclo, a rebeldia e as revoltas serão constantes, pois á necessidade de lutar por essa igualdade.

Luísa Fernandes Assine (S.S - diurno)

Auguste Comte e sua filosofia positivista



     Em 1830 a sociedade estava tomada pelos conflitos internos e externos, e precisava entender a nova sociedade que surgia. É nesta época de crise que a teoria positivista de Auguste Comte se forma, onde ele define que o método positivo é o último estágio do conhecimento.
   Esse último estágio permite ajudar a organizar a sociedade após conhecer, compreender e analisa-la. Mas para se chegar neste último estágio, o homem passa por algumas dificuldades, entre elas dois estágios que o iludem. O estágio teológico e estagio metafísico. E por fim chegar ao estágio final, o positivismo que busca o real, útil e certo que nos leva a madurecer a capacidade de conhecimento e entender a explicação do mundo.

   E desenvolvendo esta teoria, Comte definiu que as leis que regem os fenômenos são insolúveis, que devemos ter uma visão do imediato, ou seja, a visão geral, a ordem da sociedade.  E que por mais que a nossa sociedade por mais diferente que fosse sempre teria a mesma finalidade, algo que cumprisse a mesma função em todas as sociedades.

   Em sua obra, um ponto marcante é quando ele afirma que é preciso conhecer o todo e chega à conclusão que todos têm funções iguais na sociedade, que são essenciais e que cada pessoa deve pensar no bem de todo o conjunto. Um exemplo é uma domestica e uma veterinária, as duas cumprem funções iguais, ou seja, são essenciais para a ordem de todo o conjunto.

  A partir destes conceitos, a sociedade tem tendência em achar que o positivismo é um método conservador, antigo e que já não tem uma aplicação efetiva em nossa sociedade, como a função de determinado indivíduo que passa de pedreiro para arquiteto, ele esta quebrando as leis que regem o bem do conjunto para o positivismo, pois ele deixa de cumprir a sua função de pedreiro e passa a ter uma classe social diferente quando se torna um arquiteto.

   Outra função bastante criticada pela sociedade é a visão geral das leis que regem o conjunto, essa critica é realizada por não ter uma visão das causas. Um exemplo são os moradores de rua que invadem determinado prédio abandonado, que esta com um prazo para ser demolido. Na visão geral, eles devem ser expulsos, pois o prédio esta em uma área pertencente a um dono que comprou aquele pedaço de terra e os moradores estão descumprindo a função essencial que lhes é devida.      
   Entretanto, analisando a causa, os moradores não tem uma residência que deveria ser um direito básico que o Estado deveria garantir que cada um deles tivesse.


Karina Emika Mori        1°Ano de Serviço Social – NOTURNO.

Ordem para os "Jecas"

 Comte, através do seu método positivista, queria uma reorganização social, que desse fim  à crise moral e política, problemas existentes na época em que escreveu o seu livro Curso de Filosofia Positiva(1830).Dessa forma , Auguste desejava  um método capaz de propiciar a ordem social.

Nessa obra, Auguste aborda a lei dos três estados: Teológico, Metafísico e Positivo. Este último estado,representa o momento em que a razão do homem está madura, para poder compreender grandes investigações científicas, além das leis que regem os fenômenos sociais.
A doutrina positivista é considerada por muitos conservadora, por pregar a imutabilidade ,pois  para que o progresso aconteça,é necessário a ordem das coisas, e se houver uma inversão, principalmente dos papéis sociais,desencadearia uma revolta,o que geraria a desordem.
Se a análise do positivismo for feita de forma simplista e imediata, não há a percepção de como as sociedades foram influenciadas por essa doutrina. A bandeira brasileira, possui o ideal positivista, sem contar que o país passou por um progresso significativo,quando Vargas assumiu o poder, criando alguns ministérios, como o do trabalho, que “agrada” a população até hoje.
Porém,se voltarmos ao âmbito positivista, percebemos as “segundas intenções” que o ex- presidente teve: revolução partindo “de cima”,para estabelecer a ordem, progredir com a sociedade, acabando com a visão que o mundo tinha, do brasileiro Jeca Tatu, personagem caipira e acomodado de Monteiro Lobato. A sociedade de fato progrediu , e a população não se revoltou para que as melhorias acontecessem.
Helyssa Alves Bafum- Diuno 
                                         Estática e dinâmica.



No séc XIX, se estava em um contexto de transformações que vai estimular uma nova ciência, na qual a tarefa agora é colocar a natureza a nossa  favor, e entender esta nova sociedade e colocar esta a favor e controlar as insatisfações e coloca- lá a favor do sistema. Comte estava preocupado com este novo contexto  da sociedade em meio ao capitalismo e agitações sociais, então quer entender esta nova sociedade.
Comte tem os mesmos parâmetros de Bacon, na qual a ciência da sociedade (filosofia positiva) seja vinculada a observação (útil,real e etc) ou seja conhecer a sociedade, somente quando tenta descrever (observar, experimentar e etc). Assim o método cientifico de Augusto é o distanciamento do objeto (sociedade), "eliminar os ídolos da mente humana", para uma descrição de exatidão.
O alge do conhecimento humano é o estado positivo, um estágio superior, na qual, a filosofia positiva como base para a reorganização da sociedade na qual a dinâmica desta só ocorre se cada um exerce sua função na qual nunca muda, pois , esta só consegue progredir se elas estiverem em ordem.
Ou seja, para Comte cada um tem que aceitar o seu lugar no contexto social, pois o progresso é da sociedade e não do individuo para assim se manter a ordem ( "Saber é poder") ou seja a ciência deve ser operada com hierarquia.


Bruna Alves Gazeta - 1 S.S diurno

Ordem para haver progresso


Conte prega pelo positivismo o progresso alcançada através da ordem.
Em uma sociedade todas as funções são importantes.Seja ela a mais ''pequena ou insignificante''.
 Um exemplo é de um lixeiro,muitas vezes á esquecemos   achando - a insignificante, mas se formos analisar veremos que ao deixar de ser exercida essa função acarretará problemas em várias outras.
Ao não haver a coleta ocorrerá um acumulo de lixo nas casas e consecutivamente  nas ruas o que causaria problemas no transito, e pior poderia ocasionar epidemias ou surgimento de doenças que consequentemente sobrecarregará os hospitais e médicos,prejudicando o sistema de saúde.
Podendo dessa forma haver vários casos de afastamento em empresas por motivo de doença o que prejudicaria os sistemas das empresas, que se forem de alimentos afetará a distribuição e consequentemente a população.
Vemos que para que haja progresso deve ter ordem pois,uma sociedade é como um relógio.Se uma engrenagem parar de funcionar todas as outras serão afetadas e ele não funcionará

Em Busca do Conhecimento


Em Busca do Conhecimento

Uma dessas tardes, eu estava triste, sem nada para fazer. Resolvi ir até uma praça e ficar observando os pássaros, pois gosto de ser metafísico às vezes.
Quando cheguei vi dois senhores a conversar sobre um tal de Auguste Comte. Parei e sentei-me ao lado dos dois para ouvir.
- O que você acha de Comte?
- Não sei, porque as pessoas sempre falam mal dos positivistas.
- Entendo!
- E você, Carlos o que me diz dele?
- Olha meu amigo, te digo que ele foi muito importante para a sociologia porque, na época que ele escreveu, as pessoas precisavam de uma matéria que fosse além da religião e da metafísica. Ele dizia que as ciências exatas já eram positivas e que se as pessoas tinham fome, frio e não tinham moradia é que havia algo de errado na sociedade.
- Então ele é bom não é?
- Você precisa ter suas próprias críticas, meu amigo, porque as pessoas dizem que o positivismo é ruim, porém ele foi bom em uma época que o ser humano precisava de uma nova ciência que entendesse suas necessidades.
- Alguns presidentes eram positivistas?
- Sim, Vargas, lembra-se dele? O pai dos pobres e mãe dos ricos.
- Eu me lembro sim, pois ele revolucionou o Brasil, não é?
- Sim, deu às pessoas o que elas precisavam. Criou o Ministério da Saúde, da Educação e o do Trabalho.
- Isso eu me lembro bem, ele fez tudo isso para as pessoas não pensarem em fazer revolução. Mandou prender e caçar comunistas, pois senão ele perderia o poder.
- É verdade mesmo. Os militares fizeram a mesma coisa na época da ditadura para manter a ordem no país.
- O lema Ordem e Progresso também vêm do positivismo, não é?
- Sim.
- Agora eu entendo, precisamos analisar os autores primeiro.
- Sim, meu caro. Agora eu preciso ir, o dever me chama.
- Tchau, meu amigo.
- Tchau. Depois conversamos mais.
Os dois foram embora e eu fiquei ali, a olhar para o nada. Mais eu não estava triste, pois comecei a entender que na minha profissão não posso ser positivista, tenho que ir além e estudar cada autor para tirar minhas próprias críticas.


Mayra Ribeiro de Oliveira - 1º Ano Serviço Social/Noturno