segunda-feira, 30 de abril de 2012

A importância do conhecimento primitivo




Para conseguir compreender a filosofia positiva, é necessário saber sobre a evolução dos homens, pois só é possível dominar um assunto conhecendo sua história. Estudando isso, Comte diz ter descoberto “uma grande lei fundamental”, que é: cada descoberta, cada novo conhecimento humano, passa por três estágios: teológico ou fictício, metafísico ou abstrato, científico ou positivo (obs: pelo título do livro, “Curso de Filosofia Positiva”, e por essa equivalência de significados entre positivo e científico, já podemos perceber que Comte considera a filosofia uma ciência como qualquer outra).
Estado teológico: ponto de partida necessário para a inteligência humana. Os fenômenos acontecem por causa de agentes sobrenaturais (Deus) e as explicações dos “enigmas” do universo são baseados nesse mesmo tipo de resposta.
Estado metafísico: é uma transição entre o estado teológico e o positivo. Se, anteriormente, o que comandava tudo eram os agentes sobrenaturais, aqui são os agentes naturais. 
Estado positivo: estado fixo e definitivo da inteligência humana. Tendo consciência da impossibilidade de conhecer a causa de todas as coisas, procura compreender ao máximo possível o que está ao alcance dos homens, fazendo bom uso do raciocínio e da observação.
Para exemplificar melhor, podemos considerar o criacionismo como primeira fase; o conceito aristotélico de biogênese e abiogênese como segunda; e a lei da evolução das espécies de Darwin como última fase.

Desde Bacon, decidiu-se que somente são reais os conhecimentos criados a partir da observação dos fatos. Porém, Comte enfatiza a necessidade das primeiras fases, pois elas realmente fazem parte da evolução do conhecimento, não é possível começar com o estado positivo. Ou seja, para aproveitar a observação, é crucial ter teorias, sejam elas quais forem, para interpretar essas observações e criar um conhecimento positivo. 

A filosofia teológica é a única que poderia ser possível no estado primitivo do conhecimento porque ela é espontânea, surge como necessidade humana natural sobre a explicação dos fatos; e é também essencial porque foi ela que fez com que os homens se interessassem pelo universo, colocando-nos como o centro dele, como se todos os fenômenos acontecessem por nossa causa. Ao mesmo tempo, a teologia explicava cada um desses fenômenos, para que aumentasse ainda mais a ideia do poder que temos sobre o universo. Era mais ou menos assim: “sabemos de tudo, tudo é feito ao nosso favor!” Hoje em dia, nos estimulamos a compreender os fenômenos e descobrir suas leis apenas pela ciência, para propor ou confirmar uma teoria. Porém, nunca nos interessaríamos pela ciência, pelo conhecimento positivo, se a astrologia e a alquimia não nos oferecessem atrativos suficientes. Podemos exemplificar bem isso: a astronomia tem explicações muito mais complexas e positivas do que a astrologia, sobre os mesmos fenômenos, e hoje confiamos na astronomia. A química é equivalente, com relação à alquimia. A metafísica, segundo estágio do conhecimento, teve a única finalidade de fazer a transição mais suave entre o primeiro e o último. 

Conforme o avanço do Curso, Comte abrange outros assuntos. Ele explica porque chama a atual Sociologia de física social; explica sobre as outras 4 físicas que são as categorias para qualquer descoberta; fala que a especialização exagerada dos cientistas da época dele (e isso só está começando a mudar agora) é um problema, porque as pesquisas ficam "perdidas", sem uma relação maior com o todo, já que tudo está relacionado; etc... Minha intenção foi mostrar a importância dos estados primitivos, que usualmente julgamos como inválidos, e pensamos "que absurdo, como alguém um dia pode ter acreditado que Deus criou tudo?". Não paramos pra pensar que o conhecimento humano é progressivo e acumulativo, assim como a história. 

Brenda Alaíse Nascimento
1º ano de Serviço Social - diurno
UNESP - Franca

Positivismo


O positivismo de Auguste comte em princípio causou-me estranheza.
A idéia de sermos todos membros de um mesmo sistema e que devemos ficar exatamento onde nos “cabe” executando a função que nos foi determinada, não me agradou muito.
Menos ainda me agradou a idéia absurda de analisar os fatos de forma imediata sem tentar entender suas causas. Ele é um louco, pensei.
Mas algo nos pensamentos dele me chamou atenção, para Comte todos, sem exceção, são importantes para que a “máquina” funcione como deve ser, o todo sobressaindo-se ao individual. No final das contas, para ele o marginalizado não podia existir, deveria este ser integrado ao regime mesmo que para limpar o chão dos seus superiores.
A partir desse ponto comecei a me perguntar se a ideologia de Comte era assim tão errada. Olhando um pouco mais de perto notei que o pensamento de todos trabalhando para o bem de todos me agrada mais que o de muitos trabalhando para o bem de alguns.
É fato que vivemos cercados pelo positivismo de Comte: educação mecanicista, falta de oportunidades, barreiras dificultando ascensão a uma classe superior, oferta mínima de serviços públicos, oferecidos com o intuito apenas de apaziguar as massas. Mas é fato também que este não é o positivismo na integra, falta a parte de notar a existência do marginalizado, reconhecer sua importância e torná-lo parte do sistema.


Fragmentos do documentário "Lixo extraordinário".

 Ana Paula_1º S.S. Diurno
Diferenças ou Preconceitos ?

O que mais me marcou nos pensamentos do conte, foi o quanto ele valorizava cada profissão ele pensava que ninguém deve contestar suas funções, ele pensa de modo que todo indivíduo tem sua devida importância na sociedade.Cada um se conservar no seu lugar e entender que para uma correta organização da sociedade,é necessário que todos valorizem seus trabalhos igualmente!
Nos dias de hoje, infelizmente não aceitamos isso.Consideramos por exemplo: Um médico muito mais importante do que um operário de uma fábrica de calçados,isso é algo que fazemos involuntariamente!
Mais imaginemos se todos resolvem virar médico! Quem construiria os hospitais? E quem tomaria conta da limpeza dos hospitais ? E como ficaria a alimentação dos pacientes ? Pois então, cada profissão tem sua devida importância e devemos intender isso como  algo positivo. Eu concordo plenamente com o modo que Conte pensa! Mesmo tendo todas as influencias para pensar de maneira contrária ! Em vista do que foi dito para Conte a igualdade é algo que deve ser difundido na sociedade.

Caroline Stéphani Pinheiro
(1º ano - SS Noturno)

As consequências do positivismo

  Segundo Comte, o positivismo se apresenta como o auge do conhecimento humano, substituindo as visões teológicas e metafísicas por um método onde a única preocupação seria o entendimento efetivo das leis que regem o mundo, excluindo indagações mais aprofundadas como por exemplo o questionamento sobre a origem do universo.
 O autor relacionou o modelo newtoniano, à organização da sociedade, onde os fenômenos sempre tem relações entre si, como leis, sempre presentes e imutáveis como a gravitacional citada na obra. Essas leis condicionavam à uma ordem, ordem essa que acreditava-se ser um importantíssimo instrumento para o bom funcionamento do mundo, sendo o meio  para se chegar ao progresso.
  O foco principal do positivismo se mostrava voltado para a busca do entendimento dessas leis através do raciocínio e da observação, e não às consequentes causas que essas leis trariam.
  Diferentemente de Bacon e Descartes que se dedicaram em estudar o mundo como um todo, Comte se empenhava em entender a sociedade em si e estabelecer relações entre os diversos fenômenos naturais e sociais, mantendo assim a ordem desejada, ou seja, usando a Filosofia Positiva como base principal para a organização da sociedade.

Sandra Morais 1º SS - Diurno

"Amor por princípio e a Ordem por base; o Progesso por fim" - Comte

Diferente de muitos cientistas pois dava conferencias publicas destinadas a população "leiga" , em que ensinava que o universo e a sociedade eram submetidos a leis invariáveis, eram ordenados, assim como a ordem dos planetas  que desde o Big Bang  funciona da mesma maneira.
Comte vive em um momento pós-revolucionário (ascensão da burguesia ao poder), em que além de varias ideologias, as ideias tinham que dar base aos setores da luta.
Ao propor a reforma na filosofia, ele privilegia a parte conservadora da burguesia :um regime ditatorial e não parlamentarista.
A filosofia positivista não influenciou apenas a França, que foi onde começou. No Brasil, nota-se na bandeira : ORDEM(sem revoluções) E PROGRESSO(melhoramento linear), que nada mais é do que o desenvolvimento do espírito e do pensamento, esperando que tudo aconteça por uma ordem natural].
A época da ditadura militar é que mais aceita a ideia positivista :estado forte, militares como poder mediador, privilegiando portanto a força sobre a lei.
Benjamin Constant também reforma o ensino de acordo com a visão positivista.
Ele quer uma ruptura com o conceito anterior de filosofia para construir a ciência progressista dentro de uma ordem absoluta;tem uma posição, portanto,  antimetafisica e antiteologica.
Para suspostamente alcançarmos o progresso devemos passar por tres estados linearmente (teológico > metafisico>positivo ) até chegar ao positivo.
A base de todo o estudo de conte, por fim, era ter como parâmetro principal a ciência, quase que  como uma religião, para assim chegar ao progresso e a evolução da própria ciência .

Positivismo Brasileiro.

Cartaz elaborado sob um olhar positivista da República Federativa do Brasil destacando as funções sociais de suas múltiplas máscaras regidas pela ideologia vigente no início do mês de Maio de 2012.

Para melhor visualização visite o link da imagem: http://tiny.cc/2u8kdw


por Vitor Moretti Zonetti, 
UNESP, Serviço Social, Noturno.
Franca, Estado de São Paulo, República Federativa do Brasil.
30 de Abril de 2012.

Um nova concepção.

Em um mundo onde se habita bilhões de pessoas,junto dele habitam-se, diversos pensamentos e questionamentos filosóficos.
Você já parou para pensar de onde surgiu o planeta em que habitamos?Como surgiu a vida? E porque morremos e para onde iremos? Essas são as primeiras perguntas que fazemos a partir do momento que entendemos sobre a vida.
Segundo o sociologo Augusto Comte, o homem para obter suas respostas da realidade,ele passa por três estágios, o pensamento teológico onde toda resposta encontra é dada através de Deuses, o metafisico onde as respostas surgem-se no abstrato, e o pensamento positivista que defende a ideia do concreto.
Comte o pai da sociologia, trouxe ao mundo a Fisica Social, criou o estudo das sociedades. Ele defende a ideia da Ordem, e aplicando ordens na sociedade consequentemente terá um progresso, criou-se então uma nova religião a ''Religião da Humanidade''.O Positivismo considera que, quanto ao entendimento dos fenômenos, quanto à forma de explicar o mundo, o progresso da humanidade consistiu em partir-se da concepção teológica e chegar-se à filosofia positiva.
No positivismo as leis naturais são descobertas pela observação dos acontecimentos,comprovadas pela experiência e organizadas pela ciência. À medida em que avança o conhecimento científico, cada vez mais os fenômenos, que são explicados como resultados da ação divina, passam a ser explicados a partir de uma lei natural. E mais: passam a submeter-se ao controle humano.É totalmente inconciliavel associar as duas formas de pensar,porque quanto mais avança a ciência mais recuam as crenças.
Hoje no mundo visto por grandes influências, o homem deixa de ter sua opinião, e já nasce com ideias formadas por outros. Eu conclui que o positivismo, sempre quis trazer ao homem a ideia de uma religão moralizada, onde o ser supremo é a Humanidade, uma humanidade que deve aplicar em seus conceitos a fraternizade, e viver para servir aos outros, tendo o amor como principio, a ordem como base o progresso como fim, e para que essa concepção generalizasse o mundo deveria ser totalmente reconstituido.

Victória Amazonas- 1º ano SS Noturno- UNESP

Progresso e ordem fugiram do Brasil


Comte um dos fundadores da ciência social, propunha em sua filosofia reformular a sociedade para que nela existisse “ordem e progresso”.
Em sua principal obra, o curso de filosofia positiva, Auguste Comte formula a lei dos três estados da evolução humana, o estado teológico, o estado metafísico e o estado positivo.
O filósofo via os dois primeiros estados como apenas degraus necessários para chegar ao seu estado perfeito, o estado positivo.
Porém fazendo um estudo de sua obra e indo a fundo, tentando chegar ao que ele dizia como estado perfeito percebemos que suas ideias são vagas e os argumentos usados são pouco mais que sugestões.
A ideia de ciência que Comte mostra-se um tanto quanto incoerente; olhando pelo lado em que não é verdade que a ciência tenha abdicado explicar as causas mais profundas dos fenômenos, nem é verdade que na história do pensamento tenhamos assistido a uma passagem de uma fase mais abstrata para uma fase mais concreta ou positiva.
 Pelo contrário, a ciência apresenta um grau de abstração cada vez maior, em que muitas vezes nem conseguimos acompanha-la e até a própria filosofia traz suas teorias e argumentos extremamente abstratos.
Se então pudéssemos crer na evolução da sociedade ao olhar de Auguste Comte, nós brasileiros poderíamos então confiar em nossa bandeira.
"Amor como princípio, ordem como base e o progresso como meta”.

Marília Barichello Barbosa da Silva 1 ºSS diurno

Positivismo até nos dias atuais.

Quanto Comte vem trazer seu curso sobre a filosofia positivista ele nos diz que ela começou antes, nos incríveis textos de Descartes e Bacon. Quando estes renunciaram aos pensamentos teológicos e metafísicos para avançar na ciência, veio nos mostrar que só é possível progredir com o pensamento positivista, e que estas outras formas de saber do espirito humano, o teológico e o metafísico vinham perdendo credibilidade enquanto o positivismo vinha ganhando-a. Mas a questão é, até quando ainda somos positivistas e ainda expomos esses pensamentos nos dias de hoje?
Para o positivismo não se deve pensar nas causas que levaram a um problema, mas sim na resolução desse problema, seria uma forma de não ficarmos só discutindo um problema sem passar para o real, o que é muito desejado no positivismo, pois se ficar discutindo uma solução para um problema, suas causas, o porque chegou aquele ponto, como deixou chegar é uma perca de tempo, não teríamos nunca uma resposta e assim nunca vamos ter a solução do problema. E hoje em dia onde mais vemos esse tipo de pensamento em resolver o agora sem antes saber suas causas são nas ações politicas, que ao invés de saber o que levou a tal situação, faz politicas paliativas e imediatas, como podemos ver nas UPP's e no Pinheirinho, na primeira se coloca policia na favela para expulsar os traficantes e defender a população, sem dar um amparo social, sem saber o porque os traficantes decidiram por aquela vida, sem pensar que os traficantes migrariam para outros lugares, sem educação de qualidade mesmo depois das UPP's e infra-estrutura, tudo não passou de uma jogada de marketing tanto para a policia, quanto para os politicos e a população, tudo pensado na Copa 2014, e o resultado é que ainda a trafico, as favelas sem ocupação lotaram e o pensamento positivista de resolver o agora está indo por água abaixo. No Pinheirinho aconteceu a mesma coisa, não se pensou o que levou as pessoas a invadirem um terreno e construirem casas lá, não se pensou que estava sendo negado o direito a moradia dessas pessoas, se pensou apenas no aqui e agora, o terreno não são deles eles estão interferindo na ordem social e devem ser tirados de lá, e foi tirado usado a força da policia.
Alias já vou seguir no pensamento da ordem social, no positivismo essa ordem deve ser respeitada e cada qual deve permanecer na sua ocupação, sem questionar essa posição social, para que a sociedade possa progredir. Como foi dito na aula, e eu acho que o Comte também disse: "Seu amor na sociedade deve ser maior que seu amor a si mesmo". Por um lado acho que todos concordamos em partes com isso, por mais que digamos que não. Sem a hipocrisia sabemos que precisamos de lixeiros, pedreiros e enfermeiros, tanto quanto precisamos de donos de lixões, engenheiros e médicos. Mas dizer que cada um nasce já predefinido para uma determinada profissão, seria no minimo arrancar e jogar fora sonhos de quem talvez nasceu por baixo e queira subir. E que para manter a ordem devemos aceitar a forma e a posição social que nascemos, e porventura a profissão que vamos ter, isso poderia estatizar a sociedade, e por um lado trazer um progresso, mas um progresso que seria muito caro talvez para as pessoas de baixo dessa ordem social.
Por ultimo quero dizer que tem um ponto da filosofia positivista que eu concordo, e que talvez os vestibulares venham tentando no ultimo ano. No positivismo de Comte ele questiona a educação tal como ela é na época, que para você se aprofundar em qualquer coisa como a química, você teria que se aprofundar nela, e estudar ela a fundo, por conta própria. Para Comte tudo se interliga, e que as escolas deviriam ensinar no estilo da interdisciplinaridade para que todos possam progredir, tantos os cidadãos quanto a sociedade, eu acho que foi isso que ele queria dizer com mudar as escolas para um ensino positivista.
Assim sendo podemos não aceitar o positivismo, mas estamos enterrados neles, no nosso modo de pensar e por quem nos representa no poder. Não queremos ser lixeiros, mas alguém nasceu pra ser, não queremos que os problemas se repitam, mas só resolvemos o problema no agora!



Rafael Tognati Silveira  1° Ano SS Noturno! 

Auguste Comte e o Positivismo

Comte irá estudar e desvendar a sociedade, através da "física social", que podemos caracterizar por sua vez o positivismo. O mesmo, propõe que esse estudo da sociedade estude, observe e descreva a verdadeira realidade deste objeto de estudo (sociedade), analisando principalmente o aqui e o agora. Requerendo a interpretação do mundo á partir do que se observa, ele descarta e ultrapassa as "revelações" que até então a religião colocava para a sociedade como repostas para as explicações do mundo.
Comte propõe o "Estado positivo" como estágios da construção do conhecimento. São eles: o tecnológico e o metafísico, que segundo ele eram necessários para o crescimento das formas de entendimento do mundo.
Mas, aprofundar-se na história da sociedade não seria de extrema necessidade para se entender as condições dela, do que uma simples observação superficial?
O positivismo teve e tem uma influência constante até os dias atuais, pois a dinâmica, a ordem foram essenciais para o sistema em que vivemos, nosso modo de viver, de trabalho,etc. Essa dinâmica propõe principalmente a reorganização da sociedade para que haja o bom funcionamento dela, á partir de que cada instituição,grupos políticos e sociais,etc...faça a sua função.
Assim, o positivismo também tem influência acentuada principalmente com a reforma da educação, inserindo ás ciências, que é um dos quesitos principais para essa reorganização e progresso social, por mais que as vezes essa reorganização e progresso social não seja feito com excelência e sucesso.


Mariana Costa, 1 ano de SS, diurno.

Conhecer para evoluir


A devoção à ciência é uma característica essencial do positivismo, sendo o único guia do ser individual e social possível, sendo portanto considerado praticamente como a religião da humanidade. Bacon e Descartes foram os precursores da filosofia positiva, pois o positivismo consiste na observação dos fenômenos e na experiência imediata.
A partir do vislumbramento das leis gerais da sociedade, fundamentado no conhecimento das leis reais dos fenômenos, a filosofia positiva é base para a organização social da sociedade e seu desenvolvimento, mas não do individuo; base para a reforma na educação, pois quanto maior o conhecimento do ser sobre seu papel na sociedade, mais ele irá se engajar no mesmo e assim, evitar a desordem por revoltas.
Comte em sua analise acredita que há elementos que devem permanecer fixos para permanecer a ordem em conjunto das leis, já que a sociedade deve funcionar com a mesma disposição da física e/ou ciência.
Em suma, o positivismo se encontra ainda mesmo que em menor frequência, na sociedade atual com suas características de função progressista e também no emblema da bandeira brasileira em: "Ordem e Progresso" - adquirir conhecimento para progredir e manter a ordem.


Mariana Aguiar - 1 ano de SS/diurno

O PROGRESSO FRATERNAL


Em sua obra Comte, não pretendia que sua teoria fosse somente uma filosofia mais sim mostrar a necessidade social através da analise dos fatos e dos fenômenos; Podendo se dizer que o conhecimento positivo busca conhecer a realidade para entender as ações e reações da humanidade.
Para Comte o nosso conhecimento passa por três estágios: o teológico, metafísico e o positivo. No estagio teológico os fenômenos são explicados através do sobrenatural, já no estagio metafísico passa-se por uma transição de estagio onde se começa a analisar a realidade mais ainda tem a presença do sobrenatural, e no estagio positivo o ser humano renuncia a procura pela origem dos fenômenos, e através da observação e do método cientifico ele procura estabelecer as leis que os reagem, portanto o estado positivo é a máxima do espírito humano que deixa de ser enganado por explicações sem sentido...
A observação dos fenômenos astronômicos, físicos, químicos e fisiológicos, antes concebidos por diferentes cientistas, Comte propõe a necessidade de se observar os fenômenos sociais, segundo uma análise histórica, pois sem esse incremento na observação dos fenômenos sociais a partir de una analise histórica  se perde a qualidade o caráter de generalidade  conveniente.
Conte via o positivismo como algo fraternal entre os homens, mais a responsabilidade de conduzir a ordem estava restrita apenas a uma parte que seria a elite; Ele entendia que as instituições eram como as famílias e as propriedades que só deveriam promover o progresso, pois nenhuma instituição é independente da outra, pois em um estagio positivista não a espaço para a individualidade apenas para o progresso.


                                                               Dantielle - 1°S.S.- noturno


Ordem e... Progresso?


A base de uma sociedade é formada pelo Estado, pelas Instituições e pelo povo. Segundo Comte, mantenha a ordem nas bases e você alcançará o progresso. Mesmo?
O Estado por muitas vezes somente assiste por aquilo que o interessa; as Instituições não são capazes de suprir a demanda; e o povo não é capaz de se manter quando o Estado e as Instituições falham, quando eles não são capazes de cumprir com as suas funções e deveres. Como se mantém a ordem em uma sociedade assim? Através das armas, da coerção, do medo?
Como garantir que os alicerces da sociedade cumpram com o seu dever? Como manter a ordem em uma sociedade onde o Estado não organiza, não regula? Como criar e manter novas Instituições quando o Estado é falho? Como ordenar e regular uma sociedade onde não há trabalho, saúde, educação, infra-estrutura, cultura e lazer? E quando não há ordem, como progredir?
Contudo, não é necessário que haja falhas para que haja o progresso? Não é preciso que o povo se questione, se revolte para que o Estado mude? Não é preciso que o Estado mude e ofereça melhores condições para que as Instituições possam se manter e crescer? Não é necessário que o Estado e as Instituições estejam preparados para sanar as necessidades do povo?
A ordem é mantida a que preço? Como se obtém o progresso? Mantendo a ordem alcançaremos o progresso? Eu não sei se Comte estava certo com sua filosofia positivista, mas para mim o progresso não é obtido, não é alcançado. O progresso não surge, o progresso se faz. O progresso se faz quando há necessidade de mudanças.


Milena Regina da Silva Santos
1º Serviço Social - Noturno



        Auguste Comte divide o conhecimento humano em três estados: teológico, metafísico e o positivo. No conhecimento teológico o homem explica a realidade através do sobrenatural, o metafísico é uma espécie de meio-termo entre a teologia e a ciência, nele o homem substitui a explicação sobrenatural por forças abstratas, no positivo não se busca mais o "por que" das coisas, mas sim o "como", utilizando do raciocínio e da observação. O positivismo não toma como verdadeira uma determinada teoria se ela não puder ser explicada pela ciência, somente através da ciência que se pode chegar ao conhecimento verdadeiro.
      Utilizando-se da ideia do positivismo no contexto do regime varguista, analisemos:  “Ordem e progresso”. A frase que se destaca em nossa bandeira, provém de um ideal positivista implantado no Brasil, ao passo que, a ordem representa o respeito e a aceitação das regras impostas de forma – em certos momentos – agressiva pelo governo e, qualquer sinal de desobediência era entendido como um obstáculo ao progresso brasileiro. Esse processo é bem perceptível no governo varguista, no qual, essa ordem e esse progresso eram garantidos utilizando-se de um controle dos revolucionários engajados e, também garantindo os lucros dos empresários.                                                                                                                                          Ana Sofia C. Natali 1º ano S.S - Diurno

Regeneração determinista social humana


Auguste Comte rompe com a utopia de reduzir a uma única lei as explicações de todos os fenômenos existentes. Pois, conforme apresentado no “Curso de Filosofia Positiva”, para que haja uma evolução progressiva do pensamento humano é necessário mais que uma simples concepção, limitada às indagações teológicas e metafísicas, surgindo, assim, um novo estado de concepção, o científico, na composição da filosofia positivista em oposição aos demais métodos filosóficos.

Sendo assim, o conhecimento humano através da análise e compreensão do passado histórico na construção do desenvolvimento da sociedade abrange três estados progressivos. Iniciando-se no método fictício (teológico), continuamente no método abstrato (metafísico) e evoluindo para o mais alto grau de estado evolutivo filosófico, o método científico (positivo). A filosofia positiva surge como uma comprovação satisfatória de fatos, através do questionamento daquilo que se diz absoluto, imediato e premeditado, sendo assim, constrói pilares sólidos para compreendermos através da observação e estudo empírico de fenômenos a fundamentação crítica dos fatos. Como podemos observar estas características na filosofia de Bacon, Galileu e Descartes.

Portanto, para que o sistema filosófico moderno fosse fundado e concretizado era necessário que todas as ciências empíricas fossem assimiladas como parte desse ciclo; ou seja, todos os fenômenos astronômicos, físicos, químicos, fisiológicos e sociais estivessem unidos, em um único sistema, totalizando uma ordem social para criação do contexto homem e sociedade, podendo, dessa forma, extinguir todo caráter teológico e metafísico presente nas fundamentações de estados que compõe o universo.

Para Comte, ramificar a análise científica e a análise técnica do papel do indivíduo na sociedade é fundamental, cujo objetivo seria o planejamento da organização social e política, possibilitando novas perspectivas, regentes dentro das leis fundamentais da sociedade que segundo ele são: a estática sendo considerada como a ordem e a dinâmica sendo considerada como o progresso. Exemplificado dentro dessas condições que cada indivíduo é designado a determinado papel social, a determinada função na sociedade, relevando a realidade e contexto social em que o homem está exposto e inserido. Porém todos os problemas, rupturas e conflitos sociais existentes são identificados por Comte, como patologias da sociedade, impedindo que a organização social seja estabelecida como uma regeneração social humana.

Caroline C. Borges da Silva / Serviço Social / Noturno 


Positivismo de Comte


A ideia apresentada por Comte para o entendimento do espírito da filosofia positiva é algo que diverge da visão exposta por Francis Bacon, pois, apesar de não ser totalmente contra ela, deixa dúvidas quanto à capacidade do ser humano “primitivo” de observar quaisquer outras sociedades sem conter qualquer teoria em seu interior.

As fases descritas por ele podem ser entendidas como uma espécie de evolução da raça humana, pois consiste nas seguintes passagens:
- Teológica: Passagem de uma crença que por si só respondia todas as dúvidas do universo, com a facilidade de ser algo que não se vê, mas apenas se confia. É possível acreditar que muitos cidadãos ainda vivam presos nessa fase, pois ao acreditarem em alguma divindade sobrenatural criam barreiras quanto à qualquer decisão e descoberta cientifica.
- Metafísica: É a verdadeira transição entre a primeira e a terceira fase, pois não existe nenhuma alteração no mundo em que não se tenha um certo tempo de adaptação. Essa fase representa atualmente a ignorância de grandes grupos de pessoas, que se mostram imparciais dentro de qualquer mudança, mesmo que isso (eles enxergando, ou não) acarrete em consequências para todos.
- Científica: Mostra a etapa final. É o que evidencia que a vida humana segue o mesmo propósito por anos: investigar e descobrir o “por que” de tudo, porém a sua diferença é que conforme existe o avanço da tecnologia, nossas descobertas foram mais acessíveis. O humano se tornando cientista significa a razão. Grande parte da sociedade consegue atingir essa terceira etapa, pois notaram que a parte de ciências e tecnologias além de fornecer respostas concretas ainda criam praticidade nas atividades diárias.

Baseado nisso e em todo o curso de filosofia positiva é possível compreender um pouco mais sobre o estudo das sociedades no seu todo. Sem se unir às ciências sociais e mantendo-se separada da sociologia, esse modulo de estudo é importante para que cada situação e atividade sejam analisadas enxergando que viemos de uma sociedade primitiva e em desenvolvimento diário da mente e valores morais. 

Marina Borges - 1º ano S.S. noturno