sexta-feira, 4 de maio de 2012

Vida social

 Com seu pensamento pós-positivista Durkheim acreditava que todo indivíduo é   manipulado e controlado pela sociedade sem que ele possa perceber, através de instituições, regras, leis, pelo o olhar do outro que julga e fica abismado com alguma atitude que fuja do comum. A sociedade dita as regras do meio em que estamos inseridos, como se ela fosse o exército e os indivíduos fossem seus soldados, por exemplo desde pequenos aprendemos através da nossa família, escola, igreja, política que não podemos brigar na escola porque podemos ser expulsos, temos que andar na rua sempre vestidos caso o contrário podemos ser presos, devemos respeito aos mais velhos, não podemos pegar nada sem que tenhamos dinheiro para pagar, temos que trabalhar para não sermos taxados como inúteis e provavelmente excluídos de um meio da sociedade. Vivendo assim entorno da sociedade e gerando nossa rotina através dela.

 Para Durkhein a sociedade tem grande parcela de culpa se um indivíduo se suicída póis acaba sendo uma decisão coletiva e não apenas uma decisão individual, pelo fato das pressões sociais que este sofre, discriminação, pobreza, traição, mágua e entre outros, onde o indivíduo esta inserido de um modo geral o levam ao suicídio. 

 Durkhein dizia que para observarmos o nosso objeto de estudo temos que nos afastar dele para que nossas ideias e nossa cultura não se misturem com o observado.  

 

 

Gabrielle Stéphany N. Sgarbi 1º ano SS Diurno.

 

 

 

 










O envolvimento da sociedade na vida humana





Desde o nascimento de uma criança, a sociedade já começa a interferir no seu modo de agir, pensar, vestir, etc. É complicado fazer o que bem entender sem pensar no modo em que a sociedade o vê.
Dependendo do grupo social que se está inserido há uma maneira diferente de se comportar, porém a preocupação ainda continua, não apenas com o olhar de teu grupo mas também com o olhar das pessoas de fora referente as suas atitudes.
Vários indivíduos por não aguentarem a cobrança que a sociedade faz, acabam entrando em depressão e muitas vezes até se suicidam.
O envolvimento da sociedade na vida humana, faz com que as pessoas não sejam quem elas realmente são, mas faz com que mantenha a ordem social.


Caroline Lopes Boareto 1º ano de SS-diurno 2012
Capítulo I - Que é fato social? Émile Durkheim

Imposições inconscientes ?!?


Durkheim escreve o seu livro As regras do Método Sociológico, baseando-se nas idéias  positivistas de Comte. A obra aborda a temática dos fatos sociais, que segundo o autor é tudo aquilo que pode ser considerado como “coisa”, ou seja, elementos que compõem as  sociedades, seriam estudados, analisados como ciências exatas e naturais, tal como um biólogo estuda uma planta.
Há uma frase na obra que sintetiza o que é fato social: “é toda aquela maneira de fazer, fixada ou não,suscetível de exercer sobre o indivíduo uma coerção exterior” . Com essa citação podemos chegar à conclusão que a  existência de funções sociais exercidas pelos indivíduos,fazem  com que estes se sintam obrigados pelas instituições a cumprir determinado papel;o que faz com que o  coletivo se sobreponha ao indivíduo,que passa a viver de acordo com o papel social que lhe é dado.
Podemos ter como exemplo a seguinte situação:  se um empresário famoso , for trabalhar com uma roupa de surfista, ao invés do terno ( a roupa mais habitual), causaria estranhamento, sendo que ele poderia até ser ridicularizado por estar desta forma, pois fugiria do que é imposto pelos fatos sociais. E essa situação seria muito difícil de acontecer, pois os indivíduos já se sentem oprimidos, inconscientemente já sabemos o que pode ou não ser feito em um determinado lugar, e em uma determinada situação.
Helyssa Alves Bafum –  SS Diurno

              

NOSSAS VONTADES: VALORES IMPOSTOS PELA SOCIEDADE


Para Durkheim estudar a sociedade era estudar a relidade. Em alguns aspéctos um pouco diferente de Conte , que valoriza a idéia da história e não ela em si.

Um ponto interessante é o de que nossos habitos e supostas vontades nem sempre são nossos e sim impostos pela sociedade sem que nos demos conta.

Um exemplo é a pressão imposta pelas pessoas que supostamente querem  nos ver evoluir e prosperar, quando aos 30 anos não casamos.

Será que o melhor é casar? Será que o que eu quero é casar? Ou esse é o desejo que a sociedade me impôs desde criança para que eu acreditasse que era meu?

Moda, arquitetura, leis, gostos, tudo que acreditamos ser próprios de nós, são impostos pela sociedade.

Mas quando acontece a intolerância?

Nesse caso é necessario buscar  se possível de observação para descobrir qual instituição da sociedade falhou para que tal ocorrece, qual a causa da patologia. Nesse momento se encontra o estudo da realidade desse individuo que foge ao que a sociedade espera. E sempre a primeira opção é a repressão!

Você ja imaginou que talvez seja o repressor que quer fazer com que o individuo prospere?

Será que esse realmente é seu papel?

 Larissa Marques Xavier 1ºSS Noturno

Algo externo e coercitivo


A época em que Durkheim viveu foi marcada por um processo de urbanização e de industrialização com grandes transformações, inclusive políticas, com a formação de novos valores. Estes tem como fundamento a filosofia iluminista, pautada na razão como único meio para se adquirir conhecimento cientifico.
É ainda nesse contexto que exc lui-se a mágica e a alquimia para explicar as coisas. O homem começa a controlar a natureza (laicização) – Bacon.
Ele começa a rever leis que regem o universo, favorecendo o debate em torno das regras e das normas pelas quais deveria se pautar uma sociedade marcada pelo principio de racionalidade
A sociedade, com a modernização passa a ser mais competitiva.
Durkheim, com outros dois sociólogos são considerados pais da sociologia
Inicialmente,  suas ideias pareciam com as de Comte, mas ele é contra o termo de “religião da humanidade”  pois fala que o positivismo falha ao dizer ser neutro.(distanciamento  entre objeto a ser estudado que deve ser tratado como coisa  e o sujeito que estuda), no entanto, ele mantem a analise de caráter coletivista .
Ele cria a ideia de FATO SOCIAL: uma coisa, externa e de coerção moral, que age sobre o individuo. – neutralidade para compreender a sociedade.
O fato social possui 3 características fundamentais: generalidade ( toda sociedade deve obedecer),coercitividade(tem um certo “controle”),exterioridade(consciência coletiva, além da consciência particular)
Além disso existem funções sociais exercidas por indivíduos , obrigados pelas instituições sociais ((família, escola, governo, religião)  a cumprir determinado papel;
Portanto, o coletivo se sobrepõe ao individuo , que passa a viver de acordo com o papel social que lhe é dado.
Para o bom funcionamento da sociedade era necessário dividir nessas instituições sociais para ter uma certa regra, aceita pela sociedade e manter uma organização para satisfazer a necessidade dos indivíduos .
Para Durkheim, a sociedade é semelhante a um organismo que apresenta estamos normais e estados patológicos que causarão uma estruturação social.

Por exemplo o suicídio, embora muitos pensem que é uma decisão pessoal, ela é coletiva. Os motivos e as causas são fatores que fogem do controle do individuo. Todas as causas fazem parte de um estado mais geral , é uma consequência natural de uma serie de fatos sociais que conduziam o individuo a se matar
Na tabela publicada por ele, os motivos são, miséria, ciúmes, traição, remorso, enfim, são coisas que parecem pessoas , mas que na realidade é coercitivo da sociedade.