terça-feira, 8 de maio de 2012


A Força da Sociedade sobre os indivíduos

“Mais os homens possuem, mais eles querem, já que as satisfações estimulam em vez de
preencher as necessidades”.

De acordo com Emile Durkheim os “fatos sociais” influenciam e condicionam as atitudes e os
comportamentos dos indivíduos na sociedade.

Partindo do princípio que estes fatos são reais, objetivos e sólidos, isto é, não diminuem
com a realidade biológica, psicológica ou de clima, pois os indivíduos se comportam na
sociedade independente destas realidades citadas; eles nascem, crescem e morrem e não são
substituídos por outros.

Desde quando nascemos já somos criados dentro de regras e valores que nos é imposto
independente de qualquer coisa.

Somos direcionados a viver dentro de normas que segundo a sociedade são os pilares para a
nossa sobrevivência, muitas vezes até para o desenvolvimento de nosso caráter.

Pensando no indivíduo como um ser único e individual na sua forma de pensar, muitas vezes
interiormente ele não aceita as regras que lhe é imposta e tenta de alguma forma, ou por
algum motivo “burlar” para não cumprir os preceitos da Instituição Sociedade.

A estrutura da sociedade interfere diretamente no comportamento das pessoas, pois as
oportunidades não são iguais para todos, o que dificulta para muitos estes “cumprir de regras”
deixando muitos indivíduos “marginalizados”, ou seja, a margem da sociedade.

Para esta Estrutura o ideal é nascer e viver dentro dos pilares familiares, religiosos, políticos,
culturais, morais que são tidos como Ideias, porém as Classes sociais e Econômicas não
seguem uma linha padronizada o que dificulta para muitos esta sobrevivência. E a sociedade
passa a interferir diretamente nos comportamentos das pessoas positiva e negativamente.

É claro que uma pessoa não gostaria de ter que tomar algumas atitudes que vai colocá-la fora
dos padrões pré-estabelecidos, mas muitas vezes ela não tem escolha e a situação atual em
que vive a “obriga” a ter que viver desta ou daquela forma, fazer ou não alguma coisa.

Enfim, fica claro que as regras são importantes para amparar o equilíbrio e a disciplina entre
as pessoas nas Sociedades, porém são estas mesmas regras que muitas vezes influenciam as
escolhas que estas mesmas pessoas fazem com relação as suas vidas contribuindo assim para
muitos Fatos Sociais não tão positivos.

Concluímos então que a preocupação de Durkheim é responder à seguinte pergunta: - “Como
a sociedade é possível e funciona?” – Sua resposta consiste em reforçar a capacidade e a força
da própria sociedade em pregar solidariedade, integração, ordem por meio de regras e valores
que as pessoas devidamente “SOCIALIZADAS” compartilham.

Aline Vieira Gomes
1º Ano - Serviço Social - UNESP - Noturno
Não Somos Quem Queremos Ser.


Fazer do homem objeto científico e consolidar a autonomia do social, tratando a sociedade como um organismo vivo, composto de vários fragmentos integrados e a ligação destes mesmos quando não harmônicas gerariam reações entre os indivíduos ou simplesmente seria o FATO SOCIAL, está é uma previa da criação método sociológica de ÉMILE DURKHEIM.
Se as definições e/ou argumentos deste sociólogo nos parece não uma tese problemática no âmbito da compreensão, mas sim algo histórico e lógico, deve-se ao fato de sermos parte ou alma destes conhecimentos, pois derivamos do próprio fenômeno, a sociedade não está presa dentro do individuo ela também cerca e os molda, estamos empreguinados de valores da sociedade seguindo regras determinadas antes de nosso nascer que podem não ser cabíveis no ano presente; Estamos onde estamos, por que vivemos onde vivemos está é a forma mais simples de dizer:
   “A pressão de todos os instantes que sofre a criança é a própria pressão do meio social tendendo a moldá-la á sua imagem, pressão de que tanto os pais quanto os mestres não são senão representantes e intermediários (As Regras do Método Sociológico pág. 5).”



Thais Pereira da Silva 1° SS Noturno