terça-feira, 29 de maio de 2012


Capitalismo, somos frutos dele...
           Os escritos de Engels têm mais filosóficas embasadas no real, ele conhecia melhor a vida, o mundo do proletariado, da classe operária devida sua amante, portanto, tirava o mundo real da classe trabalhadora ativa.
           O socialismo é uma ciência e só é possível a partir de uma realidade que teve o partido revolucionário, não é simples vontade do homem, tem de está presente nas compressões históricas.
            Bacon, Comte e Dhurkhen privilegiavam as coisas e não as ideias tinham percepções racionais. Marx não surge do completamente novo, não é busca política de revolução e compreender condições que levam ao socialismo. O socialismo tópico era insuficiente para precisar superar o movimento global. O iluminismo é elogiado por basear na religião e privilegiava a compreensão racional do mundo e precisava superar o absolutismo, foi o suficiente até determinado ponto, a partir de alguns ganhos da revolução francesa, ele vai atingir seu limite ideal de igualdade burguesa. A burguesia defendia o iluminismo rompendo o mundo onde a nobreza e o clero era beneficiado. A economia deveria respeitar razões de estado, propriedade, terras e as classes não tinham direitos iguais. A burguesia é a principal defensora do iluminismo porque fazia o que quer. O estado tinha amarras e segurava a evolução e liberdade do iluminismo até que se atendia á burguesia.
             O liberalismo era defendido na França, regime da liberdade econômica total, romper amarras do novo mundo político. A burguesia luta para a liberdade de estado, só liberdade sem restrições. A revolução francesa cria novo horizonte para a história, fez pouco em termo de emancipação, é uma nova realidade que em benefício das classes subalternas é muito restrito. Cria o mundo burguês que vai impor as pessoas o regime que defende as condições de igualdade só para aqueles que detêm o capital e são as relações de mercado que passam a determinar e tem liberdade desde que tenha condições de competir. Desde que você tenha capital você é livre, então passou do absolutismo para o domínio do capital e saiu do domínio do rei. Marx diz que as pessoas são livres, mas restritas pelo capital. “O absolutismo do mercado”. Enfim Engels, em meu modo de ver, mesmo que ele tenha conhecido o outro lado, e tentado entender a sociedade e melhorá-la, teria que mudar bastante a estrutura para se conseguir mudanças e essa mudança tem de vir gradativamente, ela não acontece de uma hora para outra porque nenhuma das classes abre mão até hoje de seus lucros para melhorar nada pra ninguém. Marx e Engels vão tomando o globo inteiro como espaço de atuação e vão ao ponto chave do capitalismo. È preciso ter uma compreensão científica e não apenas vontade, essa compreensão científica acontece ainda nos dias de hoje porque transformar indivíduos é muito complicado e não há como mudar uma classe se não por uma revolução. Para Marx e Engels do capitalismo e socialismo pode brotar sociedades novas, as lutas de classes vão ser o “motor” dentro da própria história. Eles se veem como homens que descobriram as ferramentas para a trajetória natural para uma sociedade diferente. 

Keila Salgado de Freitas – S.S.diúrno    29/05/12.



Somos parte do fato social...




















Desde que nascemos em uma determinada sociedade somos induzidos a agir de acordo com a mesmo, não podemos escolher o que queremos, pois o fato social é exterior a nós, também o mesmo é coercitivo, se impõem pela força, são as regras morais, religiosas entre outros, que não depende da vontade particular cabe a nós agirmos de acordo com ela, e também podemos mencionar como característica do fato social generalidade (pois ele é geral) que são os hábitos, crenças entre outros que também impulsionam a sociedade a agir de verto modo.
  Avalizando a imagem percebemos que nossa mente está lotada de “coisas” que são exteriores a nós e na maioria das vezes não podemos agir de forma diferente, pois é uma necessidade orgânica da sociedade e talvez sem ela a mesma não tivesse harmonia.
  


CAPITALISMO:


Não há como fugir o capitalismo está em toda parte, somos todos capitalistas.. 
Trabalhamos, gastamos, produzimos e nem sempre temos o retorno esperado ou até mesmo merecido...
 Produzimos em massa, milhões e milhões que vão parar no bolso dos gigantes,  dos patrões, do governo(impostos e mais impostos..)..
Nas avenidas  as belas vitrines são como veneno em minhas veias me chamando: - venha gastar, venha gastar, vamos fazer o capital de giro girar!!

MATERIALISMO DIALÉTICO:

Fala do que produzimos, como produzimos, os meios pra produzir, as consequências daquilo que fazemos,etc..
exemplo: tomamos o minério de ferro bruto (Tese) que levado a um alto forno será diluído (Antítese) para depois ser colocado em fôrmas que o transformarão em trilhos de trem que servirão na construção de extensas ferrovias (Síntese), a Síntese Dialética sempre significará um estágio superior do processo em curso.


 Francielli J. Silva- SS noturno 1ºano

Vivemos no capitalismo


      Pensando no capitalismo, vou tentar justificar o meu atraso da postagem. Há muito tempo o capitalismo foi imposto pela burguesia e gerou toda essa desigualdade que tem no mundo.
Atualmente, venho passando por momentos difíceis porque lesionei o meu joelho. Aparentemente isso não tem nada a ver com o capitalismo, mas tem tudo a ver. Desde que fui pra Franca, os hábitos mudaram, afinal agora faço uma faculdade, o que conseqüentemente e indiretamente ajudo a manter a faculdade em “pé” porque se todas as pessoas que estudam desistissem não haveria necessidade de todos esses funcionários, o que não teria um capital de giro. Pessoas sem empregos são pessoas sem dinheiro, portanto não fazem compras, então não há necessidade das fábricas. Voltando as mudanças, comecei a ter um trabalho remunerado, o que me inseriu diretamente ao consumismo, porém isso afetou o meu joelho, pois lesionei ele com esses novos hábitos, o que tem tudo a ver com o capitalismo, Comecei a trabalhar para ter mais dinheiro e poder fazer compras, entretanto com essa lesão estou parada, tenho que ficar de repouso, isso significa que não estou vendendo meu tempo e nem minha mão de obra, porém há pessoas que estão ganhando em cima disso, afinal agora tenho que fazer fisioterapia.
      E tudo isso mostra  que com o capitalismo nos tornamos pessoas diferentes. Porque muitos não trabalham e o capitalismo é afetado. Se vivêssemos em um mundo socialista isso não teria problema, porque todos trabalhariam, e assim viveríamos em uma sociedade igualitária.
      O capitalismo só traz a diferença, e pra mostrar essa diferença fiz a minha postagem depois, porque atualmente somos julgados pelo ter e para ter preciso ser diferente, preciso me destacar, com isso comecei a trabalhar o que afetou tudo. Mas sei que serei julgada como se vivêssemos no socialismo, afinal acho que para o professor somos todos iguais. Entretanto professor, tente se lembrar que vivemos em um mundo capitalista.