sábado, 9 de junho de 2012

Homem ou simplesmente mercadoria?
O "Manifesto Comunista" de Marx e Engels, faz uma análise da sociedade e mostra que as pessoas são movidas pelas coisas e não as coisas movidas pelas pessoas, é a mercadoria dominando o homem.Quando esse produto vai para o mercado ele ganha "vida" passando a influenciar na vida das pessoas tanto dos trabalhadores como também dos burgueses, mesmo que de maneiras bem diferentes e as pessoas passam a se tornar "objetos" dessas mercadorias.
Quando um produto sai das mãos do fabricante tem um certo valor de troca, mas quando chega ao mercado esse valor muda passando  a gerar lucro, mas esse lucro fica nas mãos dos capitalistas, ou seja, os capitalistas ficam com o lucro gerado pelos trabalhadores, o que Marx descreve como mais-valia.
O capitalismo trouxe um grande avanço para a sociedade mais também trouxe miséria, O "Manifesto Comunista" mesmo sendo escrito em 1848 traz ideias bem atuais e por ser um texto atual ainda traz esperança de que ainda ira surgir um mundo mais igualitário para todos, como Marx mesmo diz que só com a união dos proletariados é que mudaremos o sistema para melhor.
A musica a seguir retrata bem a vida do proletariado:
 Admirável Gado Novo
Zé Ramalho
Oooooooooh! Oooi!
Vocês que fazem parte dessa massa
Que passa nos projetos do futuro
É duro tanto ter que caminhar
E dar muito mais do que receber...
E ter que demonstrar sua coragem
À margem do que possa parecer
E ver que toda essa engrenagem
Já sente a ferrugem lhe comer...
Êeeeeh! Oh! Oh!
Vida de gado
Povo marcado, Êh!
Povo feliz!...
Lá fora faz um tempo confortável
A vigilância cuida do normal
Os automóveis ouvem a notícia
Os homens a publicam no jornal...
E correm através da madrugada
A única velhice que chegou
Demoram-se na beira da estrada
E passam a contar o que sobrou...
Êeeeeh! Oh! Oh!
Vida de gado
Povo marcado, Êh!
Povo feliz!...
Oooooooooh! Oh! Oh!
O povo foge da ignorância
Apesar de viver tão perto dela
E sonham com melhores tempos idos
Contemplam essa vida numa cela...
Esperam nova possibilidade
De verem esse mundo se acabar
A Arca de Noé, o dirigível
Não voam nem se pode flutuar
Não voam nem se pode flutuar
Não voam nem se pode flutuar...
Êeeeeh! Oh! Oh!
Vida de gado
Povo marcado, Êh!
Povo feliz!...


Brenda Stefany de Sá Santos 1º ano SS-diurno






Reviravolta na burguesia


“ A história de toda a sociedade que existiu  até agora  é a história da luta de classes”.

Essa frase, uma das principais do livro Manifesto do Partido Comunista ,nos ilustra a ideia a qual os autores Marx e Engels nos quiseram repassar. Desde os primórdios das civilizações, as classes mais “fracas”, empobrecidas sempre foram exploradas, principalmente durante o período feudal.
Porém, no feudalismo era de uma forma mais velada, era uma situação quase que imperceptível ( e porque não alienada?).Porém com a ascensão do capitalismo, a burguesia desnudou essa situação de exploração , e de uma forma simplista ,converteu esses trabalhadores explorados, em trabalhadores assalariados.

Acredito que o intuito de Marx e Engels ao escrever essa obra, era o de alertar toda a classe proletária da exploração a qual eram submetidos , as condições insalubres as quais viviam e trabalhavam nas fábricas.Era pra todos esses trabalhadores criarem uma consciência de classe, para que unidos, pudessem lutar pelos seus direitos.

Mesmo que para muitos, as propostas do livro sejam utópicas, não devemos  esquecer do grande “booom” que ela causou na sociedade da época. A burguesia se sentiu abalada, pois os trabalhadores perceberam o poder que tinham, já que era da força de trabalho deles que dependia os donos do capital.E neste contexto, muitas das greves de cunho trabalhístico , podemos citar a greve do ABC paulista de 1980, que ocorreu aqui no Brasil,tem bases nas propostas escritas no livro O Manifesto do Partido Comunista.

 
"Proletários de todos os países, uni-vos!"

Helyssa Alves Bafum – SS DIURNO

Precisamos aprender mais com o Comunismo!


     Logo no primeiro capítulo algo que chamou atenção foi quando foi dito que uma guerra só termina quando há uma transformação na sociedade inteira ou na destruição de uma das classes. Isso me fez recordar o caso que aconteceu em pinheirinhos, quando milhares de família foram expulsas de onde moravam, tudo por causa que o terreno era de um homem muito rico, é lamentável ver que pra defender um bem de um apenas, muitos sofrem. È estranho como o que Marx dizia naquela época e até hoje isso acontecer. E é mais estranho ainda que muitas pessoas defendam a propriedade privada, vendo que muitas pessoas estão sendo prejudicadas, a ponto de viver em condições sub-humanas, porque o mínimo que uma pessoa precisa ter, é moradia, alimentação e lazer, mínimo, mesmo assim apoiaram essa atitude.
     Pensando na mais valia pensando na nossa sociedade, realmente Marx tinha razão muitas pessoas vendem a dignidade pessoal porque precisam sustentar uma família, ou até mesmo tentar uma sobrevivência, porque muitas pessoas não vivem, sobrevivem. Uma prostituta não está “trabalhando” nesse ramo da prostituição pelo fato do sexo, nem do prazer, é porque precisa, porque são esmagadas por uma sociedade que se julga melhor que a outra.
     Acho que nós precisamos aprender a ser mais comunistas, a olhar para o outro e defender os interesses do proletariado.Sei que particularmente chegar ser irônico, eu uma pessoa de classe média defender os menos favorecidos, mas é por ter uma condição um pouco melhor que quero ser assistente social, porque sei e espero que consiga sempre meios de lutar para ajudar os menos favorecidos, tenho força de vontade, sei que isso não basta, mas já é um começou pra alguém que é tão revoltada com toda essa situação que vivemos.
     Concordo plenamente quando Marx diz: que as coisas só vão mudar quando um associação onde o livre desenvolvimento de cada um é a condição do livre desenvolvimento de todos e pra isso é necessário ter a união, “Proletários de todos os países, uni-vos”!