quinta-feira, 21 de junho de 2012

Utopia X Realidade

           Para Weber há diversos condicionantes que atuam sobre os indivíduos, levando-os a tomarem suas decisões e sendo assim a verdadeira análise da ação social consiste em estar disposto a avaliar os condicionantes desse processo.

Como garantia de se fazer ciência social pura, a melhor forma seria analisar de acordo com os valores do outro e não de si mesmo, atuando assim com imparcialidade, livres de qualquer tipo de preconceitos, por mais difícil que seja.

Mesmo sendo um processo com nível de dificuldade altíssima é necessário que os valores do eu não ultrapassem os muros que nos impedem de interferir na forma de ver o outro e suas ideologias.

Quando Weber se refere ao “tipo ideal”, como umas das formas de se analisar as ações sociais, tendo esse apenas como um norteador dos estudos não podendo passar disso, pois na maioria das vezes, o “tipo ideal” não existe. A realidade pode ser muito diferente do imaginado.

Trazendo essa questão para a atuação do assistente social no Brasil podemos até idealizar ações que poderiam ser mais efetivas, porém, nada disso, valeria sem considerar a realidade vivida pelos usuários.

Giselle Morais - Diurno

O que nos move, o que nos rege...



Para Weber, diferente dos outros sociólogos que estudamos como o Durkheim e o Marx, a sociedade não era um corpo coletivo que determinava os passos dos indivíduos. Esse tal corpo coletivo era visto como um aglomerado de indivíduos .Cada um tem uma vontade e uma determinação e são essas  que os levam em direções próprias.
Ele chega a conclusão, a partir dessa análise que o todo só tem sentido se compreendermos a totalidade das perspectivas individuais ( o que é algo difícil de acontecer )
É necessário estudar essas perspectivas olhando valores e comportamentos do conceito de ação social.
Ação social é o que o individuo objetiva e chega a uma finalidade; é algo que envolve o racional, o tradicional, o emocional ( afetivo ).
A ação social nem sempre é racional, ela pode ser reativa, como por exemplo uma briga entre duas pessoas ou condicionada em que ela é influenciada e perde sua autonomia individual, por exemplo ,a relação entre uma criança em sua formação escolar e seus pais.
Isso ocorre conosco inclusive , somos submetidos a regras da sociedade e ensinados desde pequenos a como nos comportar em determinados lugares .
É estabelecer com outras pessoas um contato, tendo um objetivo mas sem saber como o outro vai reagir, a resposta a essa ação social ele chama de reação social e isso forma uma relação social . Um exemplo é essa tirinha (super bonita ):



Os conceitos de bom para o homem são ruins para a mulher
(Obs: A tirinha foi retirada do lovestories. ANGELI - folha de sao paulo, 21 de outubro de 2010)


Para fechar, questiono, da mesma forma que Weber se é possível a compreensão da sociedade em sua realidade.
Ele afirma que sim desde que estudado dentro de um modelo conceitual e não tomando seus dados reais.Ele chamou esse modelo de tipo ideal que é uma generalização conceitual para que se possa estudar a sociedade como um todo , sempre lembrando que é uma situação teórica e não a realidade pronta e acabada .
Pode-se concluir que para entender uma sociedade é necessário entender tudo o que é valioso para os seus integrantes, sua cultura, pois cada sociedade é particular.