quarta-feira, 30 de abril de 2014

MECANISMOS DE COERÇÃO SOCIAL E A QUESTÃO SOCIAL

   A perspectiva de Emile Durkheim propõe que para entender os fatos sociais é necessário analisar e buscar as causas profundas e os respectivos efeitos. Para ele são poucas as ações individuais, pois a sociedade exerce uma coerção social influenciando e moldando os nossos modos de agir, pensar e falar. Os mecanismos que coagem o indivíduo fazem com que ele passe á agir em conformidade com os demais, ou seja, de acordo com as regras estabelecidas.
   Ao nos depararmos com a matéria publicada no portal GCN “Centro Pop vira lugar de sexo, drogas e brigas” e ao analisar de acordo com a perspectiva Durkheimiana é possível compreender que a violência, o crime não são patológicos, eles fazem parte da sociedade. O entendimento só é possível através de um olhar mais profundo, ou seja, que vise se atentar as causas e aos efeitos de um determinado desregramento social.
   Há uma intensa dificuldade em incorporar esse olhar critico e reflexivo a fim de entender as causas internas, pois estamos diante de fatos sociais em que qualquer desvio das regras estabelecidas sejam elas instituídas de modo formal ou informal causam uma reação de caráter imediatista na sociedade, esta por sua vez não se atem que há uma serie de fatores preponderantes na questão social que abrangem desde o pauperismo, a criminalidade, violência ate a educação moral que nos é imposta. A sociedade com uma visão reducionista e imediatista não tem um olhar profundo ao analisar um determinado acontecimento, é como se fosse patológico ou optativo em que o individuo escolhe o “caminho errado”.    
   O objetivo do Centro Pop assim como a Fundação casa e tantas outras instituições é fazer com que a célula social que se desvinculou das regras e leis volte á integrar a sociedade, com intuito de resgatar os valores da sociabilidade que garantem o não estado de anomia. A punição é uma forma de restaurar a célula social que foi contra as leis estabelecidas a fim de recuperar e reintegra-la na sociedade, porém na perspectiva Durkheimiana essa punição não deve ser intensa e contínua, ela deve ser abandonada a partir do momento que a célula volte a compor o corpo social.
   Na matéria publicada na CartaCapital “Suécia fecha 4 prisões e prova: a questão é social”  a população carcerária diminui drasticamente, pois houve investimentos na reabilitação de presos, ajudando-os a ser reinseridos na sociedade. Quando falamos de questão social estamos nos referindo á fatores como a desigualdade social, a intensificação do pauperismo, a fome, a violência o desemprego, o embate entre capital e trabalho entre outros. Partindo do pressuposto que a questão social engloba todos esses aspectos é possível compreender que são estratégias operacionais que tem como objetivo reduzir e reintegrar os indivíduos na sociedade.
   Noticias com esse perfil causam na sociedade certa estranheza, pois é incorporada a marginalização do pobre, induzindo um pensamento preconceituoso e naturalizado, como se essa célula desregrada não tivesse nenhum vinculo com fatores que compõe a questão social percepção que se distancia totalmente de Durkheim que propõe uma analise da totalidade.
BIANCA BARBOSA DO VALE 1º ANO SS DIURNO

sábado, 19 de abril de 2014

                                         Esperando pela ordem e quem sabe o progresso !

Segundo Comte, o controle da sociedade é preciso.
Isto chamado de positivismo.
Afinal, do que nos serve a filosofia ?
Será reflexões ao longo do dia ?!
O status se reflete ao poder, este que os burgueses sempre buscaram em ter.
Será justo uma pessoa trabalhar apenas pra comer ?
Comerciantes, costureiros, artesões e marceneiros,
veem da ciência um meio de crescer.
Amadurecer, é enxergar o mundo de outra forma.
Pois nossas necessidades nos transforma.
A construção do conhecimento, é um estagio de amadurecimento.
O homem em seu ser imprevisível,
faz da filosofia a ciência mais difícil.
No seu estado viril, estuda a si mesmo.
È o que de fato move o saber, o desenvolvimento e conhecimento.
Como sempre, o homem nunca será nada sozinho.
Cada um tem seu papel ou seu caminho.
Creem que as pessoas devem ser educadas,
e as raças nunca misturadas.
Ordem e progresso... aonde esta você ?




Maria Carolina Paulo Almeida SS_Noturno.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

O que você esta fazendo ai?

Pode ser absurdamente pensar na condição de Conte, ao propor uma ideia de transcendência  do todo e não do individuo em si. Contudo é necessário pensar que existem pontos e aspectos sociais que esta ideia deve ser colocada e em outros não. Pensar como assistente social na hipótese de questionar o “status” ou lugar que ocupa o indivíduo na sociedade, negando a ele, o direito de evolução individual, pode parecer algo extremamente absurdo, haja vista que o pensar dessa forma é retratado como errôneo, sendo que o individuo tem o direito de enxergar os seus benefícios e enxergar também uma forma de melhorar de situação, inclusive provendo sua própria emancipação.

Os problemas são solucionados quando encontramos a solução e o identificamos, não podemos curar uma dor de cabeça tomando remédio pra vomito, o remédio pra vômito serve para vomito, da mesma forma a soluções de alguns problemas da sociedade, eles não são vistos imediatamente e solucionados, devem ser analisados e corrigidos a proporção da descoberta, tentar medicar sem saber as causas, pode trazer outras consequências que tornem o problema ainda mais complexo.  A partir do momento que questionamos a problemática social, implica-nos em pesquisar e buscar meios para a solução, mas meios que não simplesmente sejam postos em pratica agora e depois os problemas voltem a incomodar, esses meios devem sanar os problemas por completo, ou ir sanando aos poucos.


$$Ordem e Progresso$$

 O pensamento positivista de Comte visa a ordem, só assim pode existir o progresso... Cada pessoa deve contentar-se com sua posição social, seu emprego e salário, jamais deve querer subir a escala de classes, porque isso com certeza afetaria a “ordem” das coisas.  
 Particularmente acho a filosofia positivista de Comte muito vazia, pois as soluções tomadas para resolver problemas a curto prazo acabam se transformando em muletas da população, tornando-as dependentes de tais medidas. No Brasil por exemplo, podemos citar a bolsa família, que em vez de solucionar o problema da pobreza da população, incentivando a educação e a busca da profissionalização, dá a elas uma ajuda por número de filhos, isso não incentiva em nada a solução do problema, só torna ele maior, pois a partir disso a bolsa família se torna “fonte de renda” dessas pessoas, que não pode ser tirada. Ou seja, o positivismo toma atitudes que momentaneamente e superficialmente são boas, pois “se há pessoas pobres, dê ajuda de custo a elas”, mas e o incentivo a melhorar de vida? De parar de contentar-se com migalhas que o governo distribui? E o espírito crítico dessas pessoas?

 Nada disso é incentivado no positivismo, porque afetaria a tão amada ordem, mas me pergunto, ordem pra quem? As pessoas que estão no topo da pirâmide social certamente diriam que uma nação sem ordem não se desenvolve e até certo ponto realmente acredito que estão certos, mas creio também que vai muito além disso, não estamos falando apenas de sistemas mas sim de pessoas!

                                           

terça-feira, 15 de abril de 2014

Análise do Positivismo de Auguste Comte

POSITIVISMO, ORDEM E PROGRESSO, PRA QUEM ?

A forma como Comte colocava ordem e progresso era a seguinte, se algum sujeito ou sociedade sair da ordem, vê-se como catastrófico, se está ai é ai que deve ficar até o fim, mais espera "ordem e progresso" pra quem? 
O positivismo era uma forma de ver a vida embasada nos fatos reais, e que pensar assim os fariam ver os problemas e resolve-los de alguma forma dentro desse conceito, e não de um conceito imaginário.
Mais colocando aqui minha opinião, como é que se haverá algum progresso se os indivíduos e portanto o mundo se manterem estáticos, parados ali, somente observando o real, a realidade (que eu acho de importância grandiosa), mais só puderem fazer algo embasado ou interligado a isso ? Como se muda, como se ocorre metamorfose, se os indivíduos se manterem estáticos, parados ?
O conhecimento científico sempre foi e sempre vai ser muito importante para o progresso do mundo, é claro, mas a metafísica não deve ser descartada, e descarta-la era a intenção positivista de Comte.
Positivismo, ordem e progresso, mas pra quem ?

(Aline Neiland - 1º ano SS - noturno)


segunda-feira, 14 de abril de 2014

Positivismo de Augusto Comte


Que se Desfaça a ordem, para o melhor Progresso!
Augusto Comte procura dar uma resposta ao cenário em que vivenciava na Revolução Industrial do século XIX. Pessoas revoltadas, quebrando máquinas, angustiadas, insatisfeitas, infelizes... Tenta compreender essas realidade de constante instabilidade. E diante dessa compreensão, elabora a visão positivista, que influenciou todo o mundo, dando origem as ciências sociais.
Para Comte, a sociedade deveria ser vista não isoladamente mas como um todo e tenta trazer diante daquela realidade, métodos que regesse a sociedade de forma com que não se perdesse a ordem. Propunha conhecer a sociedade para exercer sobre ela. Estabeleceu etapas de desenvolvimento e progresso das sociedades: a etapa Teológica; onde a natureza e seus fenômenos são explicados por algo sobrenatural e divino; a etapa Metafísica; explicada pela filosofia que vai além do real existindo apenas como ideia. E Por fim a grande etapa, dentre as anteriores, a destacada para Comte, como ápice da evolução humana, por comprovar e descrever a realidade, por explicar a sociedade a partir da observação e experiência, a grande corrente ideológica que permeou durante séculos e ainda tem grande presença atualmente: o Positivismo. Nada pode ser aceito, nada pode ser maior que o pensamento científico ciência.
O conceito principal era trazer as ciências sociais leis invariáveis, assim como a física, matemática, biologia possuía, de maneira com que levasse a estabilidade ao instável. Sociedades com leis invariáveis traz simplicidades as complexidades. Seria mais fácil trazer o progresso com a devida ordem, e essa foi a tática usada para justificar a entrada da Europa em países como a África e a Ásia no imperialismo, “levar a evolução e o desenvolvimento da Europa para a civilização africana e asiática”. E também, uma justificativa para explicar a famosa frase na bandeira brasileira.
Naquela época, ter leis que controlasse a sociedade e suas diversas inseguranças poderia viável, mas atualmente essa ideologia só tem um objetivo: a dominação.
O positivismo, teve e ainda tem, forte influência nas políticas brasileiras. Existe no Brasil, o predomínio da classe média-rica nos postos assim como a classe pobre ocupando os mesmos lugares, é cada vez mais ricos cursando medicina e cada vez mais pobres cursando técnico em enfermagem. É cada vez mais ricos cursando engenharia elétrica e mais pobres eletricistas. Esse domínio, por mais difícil que pareça, tem sido aos poucos, superado. A educação pública cada vez pior, a fim de que exista cada vez mais brasileiros ignorantes enquanto educação privada ocupa os maiores espaços na sociedade, isso acontece com a saúde de forma mais evidente e gritante. Por que essa distância desigual? Simples, para que se mantenha a ordem com o progresso. Comte não concordava com conflitos sociais e muito menos com as grandes massas populares no domínio, ou ocupando cargos elevados. A igualdade, segundo Augusto, não estava em ser igual, ter efetivamente os mesmos direitos, mas sim em possuir uma função no conjunto, na sociedade.
É ver para prever e assim dominar, mantendo o progresso pela ordem. É uma ótica, usada hoje, para oprimir e submeter cada vez mais a classe trabalhadora. E o que fazemos? Mantemos a ordem, como fruto daquele nosso exclusivo e maravilhoso “jeitinho brasileiro” que nos isenta de ter uma sociedade mais justa e melhor.

Positivismo e positivo são ideias antônimas, assim como água e óleo. Vale lembrar do exuberante discurso de Antônio Carlos Ribeiro de Andrada, em 1929: “Façamos a revolução, antes que o povo a faça...” Vale dizer: Que se tenha juízes antes que o povo se torne, que se faça a justiça antes que o povo a faça, que se faça doutores antes que o povo se torne, que se mantenha essa ordem com o progresso antes que o povo a desfaça!   

Trecho da Música : Positivismo 


A verdade, meu amor, mora num poço, / É Pilatos, lá na Bíblia quem nos diz, / E também faleceu por ter pescoço, / O (infeliz) autor da guilhotina de Paris. / Vai, orgulhosa, querida, / Mas aceita esta lição: / No câmbio incerto da vida, / A libra sempre é o coração, / O amor vem por princípio, a ordem por base, / O progresso é que deve vir por fim, / Desprezaste esta lei de Augusto Comte, / E foste ser feliz longe de mim.

Este trecho do conhecido samba de Noel Rosa e Orestes Barbosa, Positivismo, de 1933, demonstra a presença da filosofia positivista no meio cultural mais popular do Brasil, a música, ao retratar uma amada que transgrediu o fundamento básico de tal filosofia.


Larissa Bedo 1ºSS noturno 
 POSITIVISMO

Augusto Comte apresenta o ideal positivista como um amadurecimento do estado teológico e metafísico.
O positivismo usa a observação e o raciocínio para entender as relações existentes na sociedade, o método busca explicações úteis e certas procurando uma resposta imediata para os fenômenos externos.
Para explicar as relações existentes na sociedade Comte acreditava que a moral e as leis representavam a organização da sociedade, cada um tem o seu papel  e respeitar a sua função é contribuir para a ordem e um futuro progresso; o positivismo possui dois conceitos que auxiliam em manter a ordem são a estática e a dinâmica, um depende do outro, a estática diz que o para o funcionamento da sociedade deve ocorrer o respeito das determinadas funções e a dinâmica vem como consequência o desenvolvimento humano.
O positivismo sofre duras criticas por seu método buscar um controle da sociedade e das relações existentes, acreditando que mudanças e revoltas causam a desordem.

Kelvin Silvestre primeiro ano SS Noturno

Um olhar profundo sobre a "Ordem" e o "Progresso"

Muito se crítica sobre o positivismo de Comte , mas analisemos sua teoria.A lei dos três estados : o estado teológico , o estado metafísico e o estado positivo. O primeiro é somente o inicio, o segundo uma transição , e o terceiro é o estado físico definitivo.Essas três leis se desenvolvem em nossa vida pois quando crianças temos o estado teológico , na juventude vivemos o metafísico e na fase adulta o positivismo.
Porém foquemos nosso olhar sobre o positivismo.Para nós pensadores sociais essa ideia é um tanto ultrapassada para a sociedade em que vivemos atualmente, já que queremos que todos os seres humanos tenham as mesmas oportunidades e chances na vida. Analisemos nosso cotidiano:o leite que nos alimenta pela manhã que vem de um agricultor pouco desprovido de cultura e educação mas que entende muito bem de seu rebanho; o carro que nos leva ao trabalho fabricados pelas mãos de metalúrgicos e o etanol que nos movimenta , vindo da cana colhida pelos facões de homens e mulheres vindos do interior do Nordeste brasileiro , que abandonam a seca e a fome para trabalharem por moradia , alimentação e saneamento básico.
O que seria de um hospital se só houvessem médicos?E os enfermeiros que tanto auxiliam , as recepcionistas que nos identificam e passam aos médicos nossas informações essenciais e as cuidadoras que ajudam a manter a conservar os prédios limpos.Uma escola só com professores sem inspetor de alunos, zelador e cozinheiras.Essas pirâmides hierárquica em que vivemos pode nos parecer injusta , contudo é o que vem mantendo a "ordem" por séculos.
Porque a "Ordem" vem antes do "Progresso"? , não há progresso sem a ordem? como manter a ordem sem o progresso? Esse progresso acontece tão lentamente que é quase imperceptível , mas se observarmos profundamente nossa realidade , quantas pessoas sairam da linha de pobreza extrema para exercerem na sociedade funções da base da pirâmide? E quantos sairam da base e emergiram para um patamar maior?Seria um progresso porem mantendo a ordem?Comte teve um olhar bem contemporâneo com o positivismo pois ele se estende até os dias atuais.Não seria a positivismo uma forma pessoal de vermos o progresso?O que é o progresso para estudantes de serviço social?O que é o progresso para uma mulher desempregada , mãe de seis filhos?Talvez seria poder realizar qualquer trabalho braçal e poder dar aos filhos o mínimo de dignidade.
Pensem vocês o que é a "Ordem" e o que é o "Progresso" e tenham um a resposta na filosofia positivista.

Ordem e Progresso

Auguste Comte sugere que se deve parar de procurar explicações para o sobrenatural e passar a dedicar tempo em busca de respostas sobre questões praticas e uteis do dia a dia, que fazem parte inteiramente da vida do homem, como por exemplo as questões social e a ética. Com isso, ele abandona as ideias metafisicas e teológicas, dando inicio a uma corrente cientifica que é considerada por ele a mais inovadora e avançada que ja existiu, essa se chama positivismo.
A frase que descreve o positivismo diz que "O amor por princípio, a ordem por base, o progresso por fim".Essa frase deu origem a frase que esta estampada no centro da nossa bandeira nacional, e sugere que para alcançar a ordem na vida social cada coisa tem de estar em seu devido lugar.No contexto da época, a revolução industrial, o positivismo teve grande aceitação e foi, inclusive, a base do pensamento sociológico, porém, depois de um tempo ele deixou de ser visto com bons olhos por muitas pessoas.
Chamar alguém de positivista, principalmente no cenário universitário, é considerado um xingamento.Isso acontece porque o positivismo prega uma sociedade sem mobilidade, onde cada individuo tem seu papel definido, e que para manter a ordem esses papeis não podem ser alterados ou invertidos.Assim sendo, rotulando alguém positivista, sugere-se que a pessoa tem uma cabeça fechada e que apoia um sistema relacionado ao de castas, onde oportunidades de evoluir e mudar de vida não deveriam existir.

Julia S.Corne (1º SS DIURNO)

O positivismo

O positivismo, uma ciência que foge de conceitos abstratos, que observa para conseguir compreender e controlar a sociedade.
Em 1830 Augusto Comte descreve uma sociedade revoltada, que se encontra em grande desordem, onde as pessoas quebram as máquinas, e Comte busca entender o por que disso tudo, o que esta levando as pessoas a fazerem isso, a partir dai ele percebe que só essa filosofia abstrata não basta,é preciso implantar essa ciência positivista,que procura conhecer essa sociedade,e conhecer a sociedade é uma forma de exercer poder sobre ela.
O positivismo é a ciência que se encontra com a sociedade, o "real frente ao imaginário, o útil frente ao inútil, o certo frente ao incerto".Comte quer ajudar a sociedade em algo que seja util para a sociedade.
Comte faz também uma critica ao metafísico, pois o metafísico é o que esta na mente, aquilo que existe apenas na imaginação,não existe no real, e Comte acredita que temos que ir além da imaginação,ir a campo,vivenciar uma experiência,ir pesquisar essa perspectiva positiva.
O positivismo visa uma reforma a sociedade, uma sociedade que estará sempre em processo evolutivo,em constante mudança, e para Comte é necessário a sociedade estar sempre em ordem para que se aconteça o progresso.
                                                               Júlia Fonseca-1° SS/Noturno

O caminho para o positivismo

Para a verdade conhecer
nada de crença e superstição,
Comprove cientificamente
tudo na base da observação e indução,
Criando leis
e modificando a realidade...
Terás ordem e progressividade.

Alessandra Ferreira Figueiredo 1º ano SS - Matutino

O Positivismo de Auguste Comte


O Positivismo foi uma corrente filosófica, criada por Auguste Comte com o intuito de estabelecer uma ordem na sociedade.
Para Comte, cada indivíduo tinha seu lugar na sociedade, e para que a ordem fosse mantida, era necessário que os mesmos se mantessem estáticos. 
Se a ordem prevalecesse, consequentemente o progresso seria alcançado.
O positivismo ainda hoje é muito marcante, entretanto, acredito que é uma forma um tanto quanto ultrapassada, pois prega que um indivíduo tem um lugar fixo na sociedade, e deve permanecer nele "pra sempre" para que não haja desordem.
Todas as pessoas têm o direito de mudar de vida e de melhorar suas condições!


Carolina Neves 1ºSS/Diurno

Comte

Positivismo

          A sociedade é regida por leis que, de certa forma, mantêm a ordem dentro desta. Comte neste curso de filosofia positiva, busca mostrar que é necessário manter esta ordem para que se possa progredir como sociedade.
           Filosofia positiva que é o positivismo mostra, busca, e vê o real, aquilo que mesmo querendo tornar-se diferente, tem uma realidade que será difícil de se mudar. Pois ficar pensando de como tudo poderia ser, é inútil, é mais útil que se enxergue primeiramente a realidade e o possível que se pode fazer diante desta.
            E Comte como sociólogo busca ver a sociedade através deste positivismo, do real dela, o que o leva a compreender, então, que a verdade da sociedade é que ela possui leis imutáveis, que não poderão ser mudadas, pois essas leis contribuem para a ordem da sociedade, que consequentemente essa ordem leva ao progresso desta. Como exemplo, usemos a questão do trabalho, como Comte usa e fala que cada um temos uma função, e que se alguém a deixa de cumprir tudo pode se desorganizar, tudo pode virar um caos, o que torna cada função muito mais que importante e não se necessita de uma igualdade de profissões, pois todas se encaixam para que a ordem continue e o mundo continue o seu progresso, esta é a realidade, este é o positivo, a verdade. Comte defende a valorização  das profissões/funções.
            Sendo assim, por mais que o positivismo pareça ser absurdo, se observarmos a nossa realidade, com o positivismo, vemos que este existe, e será difícil de extingui-lo, pois esta é a realidade: é necessário que se mantenha a ordem, porque se tudo virar anarquia, nunca se verá e terá um progresso para toda a sociedade. A ordem deve ser estática, para que através da dinâmica se tenha o progresso.


Mariangela Santos de Oliveira
1º SS/N

Conhecimento controlador.

A sociologia positivista proposta por Comte vai ter o propósito de contribuir para a organização da sociedade.
O Positivismo carrega a essência da defesa do método, como forma de obter o distanciamento do observador.
Comte acredita que que o estágio positivo é o último estágio da construção do conhecimento. Para ele, a sociologia é a ciência mais evoluída, pois o ser humano está sempre em constantes mudanças.
Comte propõe uma reforma na sociedade, onde se conhece e depois controla, consequentemente propondo melhorias, onde assim, o equilibrio procede a ordem.
Todos os homem ocupam papéis sociais definidos e todos estes são extremamente importantes.Não pode haver progresso se os homens inverterem as leis lógicas da sociedade, essa perspectiva de ordem é muito forte.
Comte não exclui a importância da teoria, e no positivismo não existe as pluralidades, pois o controle é a principal lógica.
Sendo assim, cada indivíduo deve estar SEMPRE no seu patamar, contribuindo com a sociedade, sem inversão de leis lógicas.

Amanda Gomes Caldas 1º SS- Diurno

Progresso para onde?

Ao contrário do que muitos pensam, o positivismo não é nenhum pensamento positivo nem nada do tipo, na verdade é uma corrente filosófica baseada nas ideias de Augusto Comte. O livro que marca a época é "Curso de filosofia" e a sua base é o PROGRESSO, algo um tanto quanto avançado para a época, mas que evolui no iluminismo, ganha seu auge no século XIX e começa a ser contestada após a Primeira Guerra Mundial.

As ideias de Comte  eram teleológicas (visão de mundo, de sociedade, com um sentido, com um caminho definido), passando primeiramente pela era teologia (os seres humanos explicam o mundo por preceitos religiosos), depois pela era metafísica (onde tudo pode ser explicado por pensamentos filosóficos), mas para ele nenhum desses eram bons, o melhor é a era positiva (quando tudo será explicado, unica e exclusivamente pela ciência). Na era positiva, seríamos governados por tecnólogos, homens positivos, em uma ditadura que visa o bem comum da população. Boa parte dos militares que proclamaram a República no brasil era positivistas, dai a frase "Ordem e Progresso" na nossa bandeira.

Tudo o que chamamos de "ciências humanas" hoje, era visto por Augusto Comte como algo metafísico, por isso ele pensou e criou uma ciência que estudaria cientificamente os problemas da sociedade e ver, como mais pra frente outros sociólogos colocaram, a sociedade como um corpo cheio de doenças que precisam ser sanadas para garantir a ordem pois só a ordem garante o progresso. Por isso acaba sendo conservadora, no sentido de garantir o progresso. Dai sua frase tão popular:













A crítica aqui se dá pela palavra "progresso", esta que por muitas vezes é usada de forma indiscriminada. Qual é afinal o progresso almejado? No que queremos progredir? Em qual direção? Podemos dizer que hoje, o progresso é algo bem distinto do que nos séculos passados. Nós desenvolvemos tecnologias, ciências, estudos cada vez mais avançados, crescemos e estamos globalizados, portanto o progresso não nos basta simplesmente, precisamos de mais, aspiramos por muito mais.

As ideias de Augusto Comte passaram, já não garantem sucesso como garantiram em seu apogeu. Queremos progresso na educação, progresso na saúde e mais abrangente, na qualidade de vida das pessoas!

Larissa Cristina Oliveira - 1º ano de Serviço Social - diurno


Positivismo para nos controlar

 A Filosofia que vinha antes de Comte era dita como não são as coisas e sim como deveria ser, ela era muito incerta, e com essa incerteza a sociedade começou a se agitar, então Augusto Comte cria a então chamado "Física Social" que não era nada mais do que sociologia, e com  o pensamento de que era compreender para controlar, ele achava que conhecendo a dinâmica da sociedade, ele consegue domina-la, então ele entra com o positivismo, onde ele apenas queria estudar, só saber como deveria ser, ele precisaria conhecer e compreender muito bem esse problema para soluciona-lo.
O positivismo então defendia o método, e ter o proposito de organizar a sociedade para que tenha um fim útil, e com essa evolução da sociedade acharam que ele  tinha atingido o ápice do conhecimento com esse pensamento, mas hoje vimos que não a ciência sempre evoluindo, e isso não importa a ciência, sempre nos surpreendendo,  quando achamos que era o ápice descobrem algo novo com o tempo, mas naquela época pensaram isso porque ele tinha passados por dois estágios que era considerado necessários para o amadurecimento, que são 1º o Teológicos e 2º o Metafisico.
E para esse pensamento positivista que ainda a resquícios em nossa sociedade, e em partes da historia, era o seguinte devíamos conhecer e manter relação com a população assim seria mais fácil o controle, outra tática era a da estática, que seria deixar a sociedade num ciclo constante, das mesmas coisas, e tudo que entrasse como diferente ser o "errado" porque isso garante o equilíbrio e com isso vem a ordem, fazem com que a sociedade funcione.
Mas ainda ficam meus pensamentos, será que devemos conhecer a sociedade para controla-la, ou usar esse conhecimento para algo melhor e maior, será que o positivismo não seria também uma forma se exclusão já que mantem essa sociedade constante e como consequência monótona, além de me fazer refletir sobre nossa bandeira, e nosso pais positivista.
                                                                       Caroline Alves Miranda 1º SS Diurno
Augusto Comte

Comte nos trás sua teoria como o verdadeiro principio da sociologia, teoria essa que tem como fundamento a exclusão de tudo aquilo que para ele não é considerado real, tudo aquilo que não era palpável, o metafisico.
Tal pensamento se distingue das outras filosofias anteriores por romper com a abstração da própria filosofia.O estado positivo apresentado por Comte seria o último estágio de ciência deixando de lado assim os estágios teológicos e metafísicos.
Para Comte, a sociedade possui leis invariáveis que determinam o seu comportamento, assim o autor organiza as sociedades que estão em constante estado de evolução. Sua influência positivista agregou conceitos sobre todas as ciências, principalmente as sociais.
A frase da bandeira brasileira, foi inspirada em seus conceitos Ordem e Progresso







Contendo a revolta!




Comte, precursor do positivismo, escreve em uma época de completa insatisfação e revolta da sociedade, devido à submissão ao capital e a indústria. Para ele, o controle da situação dependia da compreensão da sociedade e sua plena satisfação e estas se davam a partir de conhecimentos absolutos e da observação.
Segundo o método positivista, para se alcançar esse conhecimento, passávamos por dois estágios anteriores, sendo eles: conhecimento teológico em que as respostas para os acontecimentos eram pautadas em seres sobrenaturais, “deuses” e o conhecimento metafísico que faz abstrações para encontrar as respostas necessárias.
O positivismo não acredita em um único principio causador de uma situação e sim, em experiências conjuntas que desencadeiam uma situação final. Essa não é uma ciência de contemplação e sim de reflexão e intervenção.
Enquanto Descartes e Bacon desejam conhecer as forças da natureza para posteriormente controlá-las a favor do homem, Comte busca entender o homem para assim, controlá-lo. 

Marina Leobina da Silva - 1º SS Matutino

A VIDA COMO ELA É


A tirinha está relacionada a Augusto Comte, pois satiriza e visualiza de outra forma o período que ele viveu, de uma forma diferente pela qual as pessoas não costumam imaginar as teorias dele.

Comte criou o princípio dos três estados: o primeiro é o teológico, o segundo metafísico e o terceiro positivo. Este último é o mais avançado do intelecto humano, pois estava vinculado ao conhecimento científico e fazia parte da realidade do filósofo.

É neste ponto onde o cartoon e o positivismo de Comte se encontram. O último quadrinho onde o personagem Linus fala: “Eu estou nele agora”, critica Augusto, porque foi isso que ele “construiu” em seus princípios, o mundo onde ele vivia era o positivo, o mais avançado, o mais desenvolvido, o melhor.

Para Linus o mundo está melhor do que alguns anos atrás, pois é nesse momento que ele está vivendo, assim como Comte achava a sua realidade mais avançada que os anos passados, já que foi o único período em que ele viveu, pois ele não pôde existir nos anos anteriores ao seu nascimento.

Ao invés de radicalizar e extinguir a teologia e a parte metafísica, devemos estar aptos a receber novas informações e a filtrá-las, verificando quais nos agradam e quais não, pois os questionamentos constroem a nossa opinião.

O pensamento teológico não nos serve? Tudo já foi solucionado e resolvido? Sabemos a origem de tudo? E os mistérios da natureza? Onde está a utilidade do metafísico? Existe ciência incontestável? Qual teoria é correta? ...

Daniela Aparecida da Silva

1º Serviço Social - Matutino
                     Corrente sociológico

Augusto comte

O filósofo tinha como base em suas ideias de que o estado positivo era o último estágio da construção do conhecimento. Acreditava que haviam estágios de amadurecimento do entendimento e esplicação do mundo, estágios são esses chamados de 1 estágio : teológico
                                                                      2 estágio: metafísico
                                                                       3 estágio: Estado positivo
Considerado pai da sociologia positivista, foi um dos fundadores dela, desenvolveu o positivismo corrente sociológico . Organizou as sociedades, falando que estavam em constante processo de evolução, e é visto até que hoje que a sociedade sempre esteve em processo evolutivo o que favorece para sua melhoria, a partir dessa ideia foi que surgiu a frase da bandeira do Brasil : ordem e progresso.


   Camila borges ( 1 S.S Noturno )

Curso de Filosofia Positiva, Augusto Comte.

Para Comte o positivismo é o último estágio da construção do conhecimento, que tem mais os fundamentos teológico e o metafísico, que são necessários  para o amadurecimento do entendimento do mundo. Esse pensamento deixa claro o que é certo e o incerto, consolidando o espírito humano.
O positivismo, assim como outros pensamentos, mostra em sua ideia uma reforma da sociedade, usando sua filosofia como base para essa reforma. Nessa reorganização cada um teria sua função, não podendo questionar, somente obedecer as ordens. E para Comte, é como se alguns princípios fossem separados do lado racional, para que houvesse um amor maior pela sociedade.
Um dos fundamentos da filosofia positiva é o estudo profundo da sociedade, para que se consiga um poder sobre ela, tendo a ordem como base dos estudos sobre a sociedade. Para Comte, o progresso é revelado com a ordem, mas não há ordem sem progresso.

Mariana de Castro Pereira- Primeiro Ano de SS- Noturno.

Positivismo

O positivismo foi criado pelo francês Auguste Comte. Este pensamento defende a ordem e o progresso. Podemos dizer que é um sistema desigual pois quem está na base terá poucas condições de alcançar o topo da piramide, que é o modelo da sociedade. 
O positivismo nos mostra que cada individuo deve ocupar uma função na sociedade para que esta se mantenha em perfeita ordem e equilíbrio, quando vista como um todo, e as leis criadas servem para nos colocar em nosso devido lugar, que nos foi imposto mas abemos que, na realidade, poucos são favorecidos nesse sistema, que são aqueles que detêm o poder, não oferecendo condições para que a maioria, que estão na base, possa ocupar seu lugar, pois a sociedade precisa que cada um exerça sua função. E enquanto isso, diante dos reflexos do positivismo, nos encontramos em uma sociedade cada vez mais desigual.

''Entregue a própria sorte, nessa selva, 
onde a lei é do mais forte, indefeso, carregando todo peso.
O homem não consegue suportar
Não sabe como lidar com a vida que a vida lhe dá
Está de mãos e pés atados, incapacitado de fazer o que é capaz.''

(Não da pra ser feliz-Gabriel o pensador)




Tainá Ferreira - SS noturno

Construtores do progresso ordenado

Augusto Conte, tem algo em comum com vários pensadores, uma proposta de reformar a sociedade a qual todos pertencem. Para ele, não chegamos ao saber máximo suportado, sem antes conhecer e vivenciar outros conhecimentos, o teológico , o qual define como primeiro estágio, e o metafísico, segundo estagio. Conte acredita no distanciamento entre o observador e sua pesquisa, afim de não contaminá-la com sua própria concepção.
A sociedade na visão de Conte, deve ser organizada, estática e dinâmica, além de evoluir e progredir, e para que isso ocorra é necessário garantir a ordem social, e para que tal controle aconteça, a sociedade deve contém órgãos responsáveis por mantê-la assim, e somente dessa forma, alcançar o progresso, o qual ele julga ser algo essencial e fundamental.

A ideia positivista de Conte, ainda é vista na sociedade atual, para ele, o papel que cada indivíduo possui na sociedade já esta definido, e é de fundamental importância para seu progresso, cada ser, deve exercer sua função, a qual foi destinado, pois quando alguém deixa de cumpri-lo há uma desordem social, cada classe possui um papel diferente da outra, que não pode ser mudado, pois cada parte possui o seu devido valor para impulsionar o desenvolvimento da sociedade, e deve se sentir parte dele.

Marina Neves Biancini- 1º ano SS- Diurno.
O positivismo, vem em uma tentativa de organizar, ou reorganizar o pensamento do homem. Segue a ideia de que pode-se explicar tudo com a ciência e que o homem tem que abrir mão da metafisica para assim compreender melhor a ciência.
É classifica-se em três estados:
-Teológico: Que acredita em forças divinas;
-Metafísico: A explicação de fenômenos naturais, difere da teologia uma vez que os deuses são substituídos pelo abstrato.
-Positivista: É o momento em que o ser humano começa a observar a ciência, trocando as hipóteses pelo verídico.
Comti via o positivismo como a unica verdade, que almeja o progresso da espécie. Sendo assim, cada um tinha o seu espaço designado, nada havia a fazer, somente aceitar e cumprir seu papel tal qual deveria ser cumprido, mantendo assim, a ordem, para se alcançar o progresso.

"Saber para prever, a fim de prover."

Júlia Carvalho Rodrigues - 1SS/Noturno

Certo ou Errado 



Auguste Comte filosofo francês acreditava que para mudar a sociedade era preciso analisar, entender e assim fazer a mudança. A partir dessa ideia desenvolve a lei dos três estágios, onde se encontra a teologia que acredita nas explicações divinas, o metafisico que segue a filosófica e o positivismo que é a parte racional. Seu enfoque principal é sobre o positivismo, onde prega que se devem observar os fenômenos para assim poder mudar, é necessário entender para coordenar. A sociedade tem que manter uma ordem, aquele que nasceu de uma cultura e ideais tem que continuar no mesmo, sem evoluir ou cair. Apesar do reconhecimento Comte sofre criticas sobre o seu pensamento positivista, pois a quem diga ser muito conservador e ‘’radical’’.
Alem dos três estágios o filosofo ganhou uma grande atenção por criar a sociologia, ciência que estuda o social. Percebendo a necessidade do estudado sobre a necessidade, Auguste cria a ciência que analisa o ser humano.
Alem das criticas  a uma grande mudança na historia da sociedade com o Comte, é um pensamento do passado que tem uma influencia ate os dias de hoje. Se é certo ou não vai do pensamento e visão de cada um. 


"Saber para prever a fim de poder''



Luana Tomaschitz, 1º SS Diurno 

Positivismo = Amadurecimento.

Para Comte a sociedade passa por três estados de evolução social, pois é ai em que a sociedade é organizada e a moral sistematizada. O primeiro estado foi o teológico, o qual o homem explica todas as manifestações do universo por meio de seres sobrenaturais, os deuses; logo em seguida surge o estado metafísico, neste as manifestações são justificadas por meio de ideias filosóficas; e por fim o positivismo é desenvolvido, onde a humanidade explica os fenômenos por meio da ciência sendo o terceiro momento de maior crescimento do conhecimento humano, que coincide ser na mesma época dos acontecimentos das sociedades industriais. O positivismo representa um marco do amadurecimento, não só pela influência que gerou na formação do lema em nossa bandeira “Ordem e Progresso”, mas também pelo método o qual era usado por Comte, que busca entender a origem e o destino de qualquer existência do universo, para isso é necessário fazer o uso do raciocínio e observação.


Maisa Bozelli Vieira – 1º ano SS Noturno.

Filosofia Positiva

      Auguste Comte conhecido com o pai da sociologia  criou como linha teórica o positivismo e se preocupava em elaborar um sistema  de valores para a realidade em que se vivia na época do surgimento da Revolução Industrial podendo assim valorizar o ser humano.
      Para ele o positivismo se tornaria ideia chave através da Lei dos Três Estados composta por: Teológico onde o homem tentava explicar a realidade por meio da religião, Metafísico sempre buscando o absoluto através da razão e por ultimo o Positivo onde se busca somente o concreto, encontra as respostas através da ciência.
      Defendia o positivismo como a única forma de conhecimento verdadeiro e que só poderia se afirmar uma teoria se a mesma fosse comprovada através de métodos científicos é por esse motivo que hoje se tem seu sentido completamente inverso pois este foi um modo de solucionar os problemas da sociedade de imediato deixando de lado o que causou tal problema.
      Comte tinha como pensamento que cada um teria sua função não podendo questionar em nada, cumprir ordens, continuar em seus devidos lugares para  então estabelecer ordem e progresso frase que teve forte influência em nosso país que se diz:  "O amor por princípio, a ordem por base, o progresso por fim".

 
 
(Monike Costa Campos- 1° ano SS noturno)

Positivismo: ultima etapa do conhecimento humano?

  Para  Comte a linha do conhecimento se divide em três etapas, e começa através do conhecimento teológico, que é interpretado como conhecimento primitivo, pois acredita em algo sobrenatural. O intermediário entre a primeira etapa e a ultima etapa é o conhecimento metafisico, este conhecimento garante e evita o choque entre o conhecimento teológico e o conhecimento positivista. O terceiro elemento da construção do conhecimento é o conhecimento positivista que para Comte é o grau mais avançado do conhecimento que um indivíduo pode alcançar.
  O positivismo de Comte defende o estudo da sociedade para domina-la, ou seja, a base do positivismo é a ordem instalada através dos estudos sobre determinada  sociedade.  Para o estudo positivista o progresso provém da ordem, porém não há ordem sem o progresso.
  O positivismo também defende uma sociedade estática, ou seja, é como se os “cérebros” da sociedade fossem separados das “mãos” e do “coração” não ocorrendo a oportunidade de mudança entre essa divisão. O amor na humanidade acima do amor próprio também é pregado por positivistas.

  Há influencias do positivismo entre todas as ciências, inclusive sobre a ciência social. O Brasil recebeu grande influencia positivista na época da constituição de sua republica e em seus regimes militares, inclusive em sua bandeira. Ainda hoje há grande influencias do positivismo em nossa sociedade que se aplica também sobre os fenômenos sociais da sociedade atual.
  
Marcela Casagrande Manzolli, 1 ano SS, Diurno

domingo, 13 de abril de 2014


POSITIVISMO DE COMTE

O Positivismo de Comte é uma escola de pensamento que tem como princípio o estudo da sociedade, estuda a sociedade como se a mesma fosse uma ciência exata, ou seja, é o estudo do homem pautado em teorias que façam com que o mesmo se torne mais simples e exato. Comte não levava em conta conhecimentos teológicos e metafísicos, o conhecimento a partir da observação do ser humano era seu principal objeto de trabalho. Para Comte o conhecimento cientifico é a única forma de conhecimento verdadeiro, como o homem já havia passado por estágios de conhecimentos teológicos e metafísicos o mesmo já se encontrava preparado para levar em “consideração” apenas uma ciência que tenha método, que seja exata.

Germayne Silva- 1° SS- Matutino

AUGUSTE COMTE - OS PENSADORES

Amor, ordem e progresso

A sociologia se originou do positivismo, tendo como pai o pensador francês Auguste Comte, que viveu numa época de grandes transformações sociais, entre os séculos XVIII e XIX, o que auxiliou na criação de sua tese. Sua obra pode ser dividida em três estágios.
No primeiro estágio, Comte foi influenciado pela filosofia das ciências, isto é, as ciências naturais, biologia e física. Observou a composição do desenvolvimento de um homem, elaborando as leis dos três estágios: o teológico (que é a explicação dos fenômenos a partir da religião; algo ignorante), o metafisico (o que fica entre o pensamento teológico e o positivista, abrangendo a filosofia) e finalmente o chamado positivismo (que é a explicação para todas as coisas a partir da ciência). É o positivismo que Comte considera como último estágio: o do saber absoluto e real; o principio de todas as ciências sociais – o que move a ideia de progresso.
            A partir daí, Comte começa a pensar em como poderia ser elaborado um estudo da qual explica a sociedade e os mecanismos que mantinham a coesão social, entretanto de forma cientifica, abrangendo também as outras ciências. Surge, então, a segunda teoria: a da classificação das ciências. É nessa fase o nascimento da ideia de sociologia.
            No terceiro e último estágio, a reforma das constituições, Comte pondera que, apesar da teologia atrasar o desenvolvimento humano, a religião tinha que existir, por conta da conduta, moral das pessoas. Criou a religião da humanidade.
Por fim formada a sociologia. Fora criada com o intuito de acelerar o processo de evolução e solução dos problemas da sociedade, mantendo a ordem, isto é, sem qualquer forma de revolucionaria; comparando a sociedade como um corpo enfermo, da qual deve ser sanado para garantir a ordem, pois só a ordem poderia garantir o progresso.


(Letícia Braga Carrijo – 1° ano SS – Noturno)

Positivismo
Augusto Comte afirmava que o positivismo seria o último estágio da construção do conhecimento humano; e da mesma forma que temos que passar pela infância e pela juventude para chegar à maturidade, Comte defendia que também temos que passar pelos estágios teológico e metafísico, para chegar à ideia final que é o positivismo.
As leis lógicas do espírito humano também poderiam ser desvendadas pelo positivismo, que é o verdadeiro meio racional para chegar ao desenvolvimento humano.
Segundo Comte, cada pessoa tem seu lugar na sociedade, e cada um deveria cumprir seu papel, ou seja, ficar no seu lugar para reestabelecer a ordem, e assim então, chegar ao progresso.
“O progresso não é mais do que o desenvolvimento da ordem”
(Augusto Comte)
Kálita Sousa Barbosa Gomes, 1ºSS noturno


O Positivismo de Augusto Comte

O positivismo é o ultimo estágio do conhecimento,  pensa no coletivo e no amor a humanidade onde cada um deve cumprir seu papel na sociedade, para assim, se manter a ordem e obter o progresso.
Têm-se hoje uma forte crítica ao positivismo, pois sua ideologia procura resolver os problemas da sociedade de modo imediatista, solucionando os sintomas e não buscando o que provocou o tal problema.
Temos um exemplo desse sistema no governo brasileiro, como o bolsa família que dá a população carente uma bolsa em dinheiro, mas é um valor baixo que mal complementa a renda da família, e não se busca o porque daquela família estar naquela situação, porém ao se fazer uma pesquisa com essa população descobre-se que elas estão satisfeitas com o governo, pois, quando se depara com o desespero e a fome o que importa é ter uma oportunidade de poder ter o que dar de comer aos filhos, o governo consegue assim manipular a sociedade para manter a ordem.
 As revoltas é então segundo o método positivista o atraso da sociedade, para evoluir é necessário manter o controle sobre a classe operária, "tapando os buracos" para manter o sistema seguro e sem brechas para o erro, é manter o certo pelo incerto.
Somos todos iguais na sociedade, mas é claro com cada um em seu devido lugar.


A "Física Social", no positismo de Augusto Comte

Positivismo ou Negativismo, eis a questão.

Augusto Conte foi o idealizador do positivismo, sempre em busca do real, do que se podia compreender, foi assim que passou a se pensar no estudo concreto e não mais ficar no abstrato como era na filosofia mais antiga, esse estudo se dava na nova ciencia, a de observar a sociedade de uma forma positiva, ou quem sabe, jeito esse mais fácil de se controlar o povo.

Comte tinha uma visão evolucionista, e por conta das Revoluções e transformações sociais que vinha ocorrendo, ele achou fundamental para a sociedade estabelecer ordem, regras e leis, pois só assim daria soluções para os problemas sociais.

Ao meu ver, Comte é um tanto conservador e não concordo nesta ordem e progresso por ele estabelecido, pois assim só os que estão nos cargos mais altos da sociedade iram perseverar, e a classe trabalhadora na qual eu faço parte, será que esses também não tem direito de crescer, todos tem direito, agora se sair de sua ordem, for desordem, então o mundo de hoje encontrasse em total desordem.

Encontra-se em trechos dessa música, de composição de: Wesley Rangel e interpretada na voz do grupo: As Meninas, algo relacionado ao tema.

Analisando
 Essa cadeia hereditária
Quero me livrar
Dessa situação precária...(2x)
Onde o rico cada vez
Fica mais rico
E o pobre cada vez
Fica mais pobre
E o motivo todo mundo
Já conhece
É que o de cima sobe
E o de baixo desce
E o motivo todo mundo
Já conhece
É que o de cima sobe
E o de baixo desce...
Mas eu só quero
Educar meus filhos
Tornar um cidadão
Com muita dignidade
Eu quero viver bem
Quero me alimentar
Com a grana que eu ganho
Não dá nem pra melar
E o motivo todo mundo
Já conhece
É que o de cima sobe
E o de baixo desce
E o motivo todo mundo
Já conhece
É que o de cima sobe
E o de baixo desce...

João Paulo de Carvalho - S.S. Noturno.