domingo, 2 de novembro de 2014

Max Weber 

Com o indivíduo no foco dos estudos, Weber analisa suas ações perante a sociedade, não somente com base no meio em que esse indivíduo vive, mais procurando estudar todo o contexto para entender como e partindo de onde esse mesmo indivíduo chegou a determinada ação, Weber o centraliza, até porque cada ser possui em sua bagagem histórica: culturas, vive de uma determinada maneira, possui costumes possui conceitos.
Weber faz a seguinte pergunta: será que toda ação social está mesmo ligada ao capitalismo? 
E respondendo a pergunta: não. Não, porque estamos sim inseridos em um modelo de sistema capitalista, porém somos seres para além disso, para além da questão econômica, agimos também com a emoção, agimos com base em questões pessoais.
Max Weber usa também como base de seus estudos o que chamamos de "tipo ideal", uma linhagem que estuda com base na própria sociedade o que seria o tipo ideal de determinado fator, e depois de encontrado o "tipo ideal" vem o estudo da sociedade em si, a realidade concreta, o que vemos ao sair pelas ruas, no ônibus, no ambiente de trabalho, enfim a realidade como dizemos "nua e crua". Assim fica bem mais claro e fácil desmistificarmos o real e o "não real/não existênte".
Podemos dizer que com base em seus estudos, e a forma que Weber centraliza o indivíduo e estuda suas ações, o que podemos dizer é que ele considera os valores humanos, e quebra um pouco dessa falsa sensação que temos de que tudo sempre ter haver com a economia, com o capital.

(Aline Neiland - SS- noturno)

Nenhum comentário:

Postar um comentário