terça-feira, 11 de março de 2014

Qual o caminho a ser seguido !

       René Descartes inicia falando sobre o bom senso e a razão , que todos os homens são iguais mas que existem diversas opiniões entre si , nenhum é maior que o outro , a diferença é que alguns tem um lado mais aguçado , pois os pensamentos são dirigidos por cada um que nada mais é uma nova prova de diferenciar o verdadeiro do falso.
       Transmite que o estudo é uma forma de aprimorar seus conhecimentos e sua inteligência e foi através de suas viagens que nos mostrou dois lados diferenciados , tanto o que levou a oportunidade de conhecer várias culturas , povos , quanto que ao passar do tempo pôde perceber que estava se tornando um estrangeiro em seu próprio país.
       Descartes encontrou uma nova maneira de olhar a realidade , e foi a partir dai que surgiu o principio da duvida , quando ele começou a se questionar de tudo ao seu redor , até de sua própria existência e de tanto se perguntar chegou a conclusão de que '' se penso , logo existo '' , uma frase que ele acabou considerando o primeiro principio de da filosofia que procurava.
       Portanto concluímos que seu tema principal é o método do se chegar a verdade e que a razão é igual em todos os homens , não deixando de lado sua crença em Deus e na alma e que devemos sempre seguir pelo caminho reto do que aqueles que fogem e acabam se afastando.

         ( Monike Costa Campos - 1° ano Serviço Social - Noturno )

Metamorfose ambulante!
Foi uma atitude ousada de Rene Descartes. Pois mesmo naqueles tempos de sábios e mestres, ter as atitudes, idéias, pensamentos e crenças diferente das que os mesmos pensavam era algo extremamente errado e tornavam abaixo, inferiores aqueles que não concordavam ou não seguiam a mesma linha de pensamento. Quando ele viaja buscando por uma verdade, por se desprender de imposições e ideais prontos ele acaba descobrindo que a resposta estava com ele mesmo. Cada um tem as suas verdades e a liberdade para viver livre com seus próprios erros e acertos e assim aprender com eles.
Descartes apresenta também uma temática pertinente para todo ser humano : o que devo ou não devo pensar, apoiar e praticar ! O senso comum que é aplicado em nossas vidas acaba por confundir nossa própria identidade e/ou até mesmo ideologias, onde acabamos por deixar de lado nossos ideais para seguir uma cultura de massa. Porém tal fato se deve ao medo do ser humano errar uma vez que a concepção de certo ou errado já está premeditado entre as entranhas das sociedades, em que os indivíduos mesmo contra vontade tomam atitudes para se sentir parte de um grupo e até mesmo para se sentir “ correto”.
Uma fala de Descartes chama a atenção quando diz que os filósofos se sentiam ricos, felizes e ate poderosos de uma certa forma, pois possuíam o poder do pensamento , do campo das idéias e até mesmo do conhecimento de mundo, enquanto outros poderiam ser providos de riquezas naturais e capitais , porém não tinham o domínio de sua própria vontade.
A atitude de René é bastante proveitosa no campo do conhecimento. Quando anulamos o certo e o errado e todo o conhecimento de massa , e toda a cultura de massa é deixado de lado, a mente humana fica aberta e propícia para novas vivencias, quebra de preconceitos, de próprios conceitos e a nossa experiência fica mais densa e vasta, propiciando assim uma maior autonomia para de fato formarmos uma opinião concreta porém nunca soberana.
Não somos perfeitos e menos ainda donos da verdade, portanto, se quisermos chegar perto da verdade ou da nossa própria existência devemos pensar , pensar de uma maneira diferente do que já pensamos um dia! Existir é você buscar ( uma busca infinita ) por respostas e até mesmo de perguntas que nunca foram indagadas.
E como dizia Raul Seixas :

  “ Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante , do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo “.!

( Aline Rosilei Vanin 1°S.S noturno)

O Questionamento da razão.

   O Discurso do Método de René Descartes busca encontrar a verdade, a razão universal. Segundo o autor todos temos o bom senso, o ato de julgar o que é certo ou errado, o que é verdade ou mentira. E para que esse julgamento ocorra é necessário que questionemos nós mesmos, que tenhamos um auto conhecimento da natureza e de nossa própria razão, mas não deixando de lado o ver de outros pensamentos e conhecimentos, pois é bom e necessário conhecer os hábitos e as culturas de diferentes povos para que julguemos justamente o que nos é diferente, não perdendo a razão para a ignorância.
   Descartes duvidava de tudo, chegou até a questionar a sua própria existência, mas logo concluiu que se ele pensa, logo existe e vice versa. Finalizo a análise com o trecho de uma música da banda Outras Coisas que corresponde bem ao pensamento e julgamento que o autor propõe para que busquemos a verdade: " Questionar pra crer em você, dialogar pra muito entender, pensar pra sempre intervir no que rola solto por aí. Nossos atos tão falhos, necessitam ser questionados, buscando um sentido pra o senso inato, pacato dilema, calar ou agir, pacato dilema, sonhar ou intervir."

(Roberta Santos Martins - 1° ano Serviço Social -Noturno)