sexta-feira, 14 de março de 2014

Discurso do Método, Descartes.

 Descartes faz varias considerações à ciências no Discurso do Método, levantando em questão a falta de duvidar, inaugurando uma nova linha de pensamentos que consiste em duvidar de tudo o que é possível, caminhando em direção a reformulação da ciência na idade média.
 O bom senso e a razão são em particular o que cada individuo acredita sempre estar certo, sabendo diferenciar o certo e o errado do seu ponto de vista, e a sabedoria é uma busca interminável que se da através do autoconhecimento.
 No Discurso do Método é transmitido que o estudo é uma forma de aprimorar seus conhecimentos e sua inteligencia, encontrar uma nova maneira para realidade que se da a partir dos sentimentos de duvidas e as respostas para essas duvidas.
 Descartes chegou a duvidar de sua própria existência, mas chegou a conclusão que apenas o ato de duvidar é indubitável, porque se não fosse, alguém que não duvida não pensaria e se pensa, não existe.

(Mariana de Castro Pereira-Primeiro Ano-SS-Noturno.) 
/



A crítica abre caminhos.

   Desde os tempos passados o homem vem se evoluindo, e de certa forma, na atual época moderna, o que vimos é essa evolução muito mais rápida. Com tais ocorrências é necessário, não só que a mudança seja no exterior, mas que seja também no interior do indivíduo.
   Tal pensamento de Descartes, sugere a mudança, onde a crítica e a dúvida seria a melhor forma de se chegar na verdade absoluta. Diante disso, o pensamento humano não deve limitar-se, portanto, está em busca de novas possibilidades, e experiências. Onde a medida que o mundo externo sofre alterações, somos influenciados a segui-lo.
   Como exemplo pode-se citar: movimentos sociais do século passado, onde os cidadãos reivindicaram por melhores condições de vida, trabalho, salário,  e também quando a mulher vai em busca de seus direitos. Onde nessa época, a população passa por uma série de questões na qual ela necessita de novos caminhos, começa a enxergar a realidade e a questionar o porquê de tais fatos. Com isso, há uma mudança de hábitos e pensamentos, que antes eram inibidos, e que a partir de então, precisaram ser reconstruídos para que a sociedade pudesse melhorar suas condições e assim ter seus direitos.
   Contudo, é preciso estarmos abertos a mudanças, e sempre deseja-la, devemos sempre buscar novos conhecimentos e nunca se limitar. Pois não devemos concordar que pouco é o suficiente, porque o conhecimento é imenso, e nunca saberemos de tudo. Devemos sempre querer mais, duvidar mais, e buscar mais, para que possamos fazer de um presente e futuro melhor.




                                  Larissa Gonçalves Ferreira, S.S. Matutino
Contribuindo para minha sobrevivência
  Acontece que muitas pessoas ainda vivem naquele mundo de aceitação infelizmente, são submetidas á “regras” impostas pela sociedade e aceitam aquilo sem nenhum questionamento.
  Porém não é essa atitude que deve ser passada de geração para geração, muito pelo contrário, devemos fazer parte daquele grupo que deseja algo mais dessa jornada chamada vida, e passar isso á diante.
  É necessário que saiamos do comodismo, da rotinização, da mediocridade, e expandirmos.
  Decifrar, exigir, conhecer a nós mesmos não é de fato uma atividade fácil, mas que é necessária acima de qualquer outra coisa que possa existir.
  Interrogar, sim interrogar e estar disposto a encontrar resposta, é certo que nada tem uma verdade absoluta, vivemos em constante mutação, por isso nunca haverá uma razão correta e eterna sobre as coisas, afinal pode haver até uma questão, mas com certeza encontraremos várias respostas e diversas opiniões, que jamais poderão ser julgadas como certas, e nem como erradas, mas buscar por isso já seria uma boa forma de compreensão.
  Seres ignorantes ao conhecimento, e aceitação em relação ás coisas da vida, é nisso que devemos nos vigiar para não nos tornarmos. A partir do momento em que começarmos a questionar, a buscar, a realmente ansiarmos por algo a mais ai sim terá valor e objetivo estarmos vivos.  
(Julia Cristina da Silva - SS - Noturno)
    
“... E, assim sendo, de que a diversidade de nossas opiniões não se origina do fato de serem alguns mais racionais que outros, mas apenas de dirigirmos nossos pensamentos por caminhos diferentes e não considerarmos as mesmas coisas...” (Descartes, 1637, p.1).
Esta observação de Descartes em 1637 do homem de sua época equivale também ao Homem do século XXI que nos mostra que algumas características humanas são atemporais, o que torna seu discurso ainda mais veraz.
 A cada 2 minutos no Estado de São Paulo acontecem um roubo e isto ocorre justamente pelo o que Descartes relatou que apesar de todos nos possuirmos  o poder  de discernir o que é  certo e o que é errado, a maioria destes criminosos não considera  estes delitos como algo errado.
 Portanto se o Homem de 1637 e o Homem de 2014 apesar de séculos de diferenças ainda continuam com a mesma essência o que se deve mudar pra diminuir a criminalidade é a forma de discernir seus atos.


    Cheliman Alves Rodrigues -  1º ano - S S Noturno 
 Cogito ergo sum:
     Na obra " Discurso do Método " Descartes conta sobre os fatos e reflexões que o fizeram buscar um princípio seguro para edificar as ciências. Descreve também os passos que o levaram à fundação de seu método (o percurso). Ele enfatiza a capacidade humana de construir seu próprio conhecimento.
    René Descartes apresentava a ideia de que a razão deveria percorrer todos os domínios da vida humana, afinal quanto mais gira a roda da vida, mais se descobre novas razões e verdades. Visto que cada ser humano possui sua razão e verdade, porém inexistem pessoas mais racionais que outras. Não é daí que originam-se os pensamentos divergentes, mas sim de direcionarmos nossos pensamentos por horizontes distintos.
    René identificou  que a coisa melhor distribuída no mundo é o bom senso, pois mesmo aquelas pessoas mais complicadas de satisfazer são convictas de ser muito bem providas neste aspecto. O domínio de julgar de maneira correta e divergir entre o verdadeiro e o falso, é denominado bom senso ou razão.
    Não adianta ter o espírito bom, se o mais relevante é aplicá-lo bem. Descartes formulou um método pelo qual fosse possível aumentar de forma gradativa o seu saber, e de conduzi-lo aos poucos ao mais alto nível, a que a ignorância de seu espírito e a curta duração de sua vida lhe permitiam alcançar.
    Cogito ergo sum (latim) "Penso logo existo". Tal proposição condensa em poucas palavras o espírito de René Descartes. Seu método tinha o objetivo de obter a clareza e a distinção, Descartes nunca estava satisfeito com o que já possuía de conhecimento, acreditava que poderia alcançar sempre mais. A dúvida é preciso, afinal, é ela que nos impele a buscar respostas que acrescentam cada vez mais ao nosso espírito. O conhecimento é um dos bens maiores do ser humano, um tesouro incalculável !

Trecho da música CONHECIMENTO - Xeg |

Informação e conhecimento
Não te contentes de ver as coisas por fora
Tenta ver as coisas por dentro (8)


Caroline dos Santos - Serviço Social, 1º ano, noturno

Conhecimento



                                          

     Todos nós temos o poder do bom senso, do julgamento e discernimento das coisas, independentemente da forma na qual a usamos. O que estimula a ter um juízo correto é a ânsia do saber, o conhecimento e a curiosidade. Para que assim não passamos a ter um julgamento incorreto e tomemos de ridículo um costume contrário a nossa razão, levando em conta que a verdade varia de pensamentos, já que cada individuo  possui a sua virtude

(Gabriela Teixeira SS Noturno)