sábado, 15 de março de 2014

Discurso do método na sociedade atual.

Marcela Cintra Comassio (Primeiro ano de serviço social - noturno)






 
Esses meus pensamentos
perdidos e navegantes
nos devaneios mais profundos e impossíveis.
Voando acima de qualquer
superficialidade comum,
duvidando de qualquer verdade intocada

Até mesmo a perfeição
do deus de Descartes 
é inevitavelmente questionada por mim,
a dúvida foi criada e não colocada

Pensar e Agir
duas lógicas aceitas para fugir
de todo esse ceticismo evidente
e traçar caminhos
racionalmente imunes.
 
Ana Caroline Vilioni Santos - Serviço Social Noturno
          A critica das razões não concretas.



     Jamais existira uma razão ou verdade absoluta, mesmo por que cada ser humano tem a sua opinião seja boa ou ruim, e sendo assim sempre teremos que conviver com a duvida.
     As maiores almas já ficaram para o passado; no presente só fica a ilusão de se haver alguma virtuosa alma, restando assim a infâmia do fracasso.
     Andando devagar ou rápido qual o caminho a ser seguido? Qual seria o caminho mais correto se todo caminho que vejo ta igual a um labirinto, pois esta tudo perdido.
     Obedecer as leis do meu país; de que forma se eu vivo no país da injustiça!
     Sera que ha alguma esperança? pois se realmente existir Deus, quem sabe ele não faça algo que mude tudo futuramente.


       José Carlos Duque de Oliveira. 1 ano S.S. Noturno 

Em Busca da Razão

Ideias precoces ao seu tempo.
Afinal, quem na Europa não fazia de outros povos mau julgamento?
Sua obra atemporal parece sobre o futuro expressar.
O que Descartes fez no passado? O que podemos fazer no presente para o mundo como livre tomar?

Julgue falso o que pode lhe supor a menor dúvida.
Permita-se progredir ao máximo para encontrar a verdade, por tantos requerida.
Não se deixe influenciar por erros de sentido ou alucinação.
Vença a si mesmo, crie seus métodos e sinta por tudo isso, satisfação.

Use seu próprio juízo, sabemos o falso e o verdadeiro diferenciar.
Pois a essência de nossa natureza consiste apenas no pensar.
Não se acomode ou se satisfaça com a opinião alheia.
Deseje ser, e não aparecer! Abandone seus castelos de areia.

Mas porque parece ser difícil conhecer sua própria alma e essência?
Por que não colocamos a nossa razão em evidência?
Porque nada consideramos além da imaginação.
E o que nos convence e oferece-nos a certeza não é a razão.

Ivone Carolina Fernandes da Silva - 1º SS Noturno

Essência

                                     
 Com extrema necessidade de conhecimento e de verdades nós já entramos no mundo em uma grande busca por nos mesmo, e em maioria das vezes usamos de nossa observação ao outro para julgarmos suas ações e se conveniente reproduzi-lás, assim podendo nos sentir parte do mundo. Mas talvez isso não seja a melhor forma, pois a cada pensamento somos modificados, nos tornando mais complexos em nossa individualidade.
Para realmente existirmos e sermos conhecedores das inúmeras verdades precisamos colocar nosso “eu” em evidência, não em forma de egoísmo mais sim de modo reflexivo sobre nossa essência, deixando claro quem somos, o que pensamos e quais são nossas inúmeras possibilidades e limitações, pois precisamos conhecer nossa alma, que é o ponto de partida para conseguirmos enxergar tudo a nossa volta, com um olhar mais seguro e sem duvida mais crítico, tendo assim base para se orientar  em todas nossas ações. 

Gabriela Vasconcelos - 1° SS (noturno)

A RAZÃO E SEUS DESVANEIOS

       

RENEÉ DESCARTES , seus discursos são usados com intensidade na 
 sociedade atual, que se atém a razão somente, em que o espiritual ficou esquecido e praticamente abolido pela sociedade dos tempos modernos.
O FILÓSOFO SE REFERE A RAZÃO COMO LÓGICA DOS PENSAMENTOS EM QUE TUDO QUE NÃO TEM PROVA DE VERACIDADE,LOGO NÃO EXISTE ,NEGANDO A EXISTÊNCIA     
 DE DEUS E DA PERFEIÇÃO DO CRIADOR DEUS E A CRIATURA HOMEM.
O que é contestável a partir do raciocínio, em que o homem é criado por DEUS em uma infinita perfeição física e espiritual e que a imperfeição dada a moral, e desvios da alma são consequência do pecado original intrínseco na criatura, ou seja, tudo que se desvia da moral é originário do pecado e não da imperfeição de DEUS e nem da criatura, que são parâmetros diferentes.  



Daiane Marcelino do Carmo Telles , 1ºano  serviço social - noturno .