quarta-feira, 19 de março de 2014

Removendo os entulhos do meu pensar

Decidido a despir-me de todo o meu formalismo,abandonei aquelas tantas paginas-que me deixaram vaidoso demais diante de qualquer questionamento-buscando a verdade por meio do viver.
Tomei por falso tudo aquilo que não possuía qualquer tipo de demonstração; abracei a razão; descartei qualquer afirmação desprovida de uma explicação racional(pautadas na alquimia,superstição,mágica),ou seja,o senso comum. Mesmo assim, não deixei os conhecimentos antigos,mas os utilizei para caminhar em busca da razão sem,no entanto,me desviar do meu real objetivo.
Alguns princípios me ajudaram a trilhar a minha busca. Duvidei(até mesmo da minha existência,mas,se penso,existo.);conheci cada parte do meu problemas;segui gradativamente,dos conhecimentos mais básicos até os mais complexos,para assim,relacionar todos o meu saber. Venci meus desejos e consegui,enfim,delegar as novas gerações todo o meu,humilde,conhecimento racional.

Natasha Naitzk; 1°ano SS
Descartes não queria que descartássemos tanto

René Descartes, em sua obra intitulada “O discurso do método” discorre a cerca da razão do homem. Para o filósofo, o homem deve duvidar de tudo, exceto de sua própria existência, pois se pensa, existe (‘’Eu penso, logo existo’’). Na pós-modernidade, a sociedade vive um dilema entre o que é e o que o sistema quer que ela seja, sendo assim, é criado indivíduos que pouco a pouco são transformados, silenciosamente, em uma massa, pelas mãos da mídia que sustenta o sistema.
A pós-modernidade baseia-se no momento em que a capacidade do homem transpassa o mundo real, ou seja, os objetos passam a ter um valor não-físico. O indivíduo compra um objeto não pelo pela sua qualidade e sim pelo nome que carrega. Ideologias como essa estão sendo passadas a cada dia, para pessoas cada vez mais novas, que crescem com o intuito de serem melhores para o próximo e criam uma identidade compacta à do sistema vigente e não com o que ela mesma é.
Com a formação de uma massa que segue os passos da mídia, são formados indivíduos cada vez mais subordinados ao sistema. São indivíduos que não possuem o poder da criticidade, ou seja, aceitam e acreditam em tudo que é passado, sem que se informe ou imponham sua forma de pensar e sua razão não é valorizada. Dessa forma, a sociedade atual deixa de lado o principio da filosofia de Descartes.
Para que haja uma mudança significativa no padrão de vida do homem, é preciso que este entenda sua importância frente ao sistema que vive. E a partir do momento em que entender o significado dele na sociedade, será capaz de expressar seu próprio pensamento, começando a viver a partir daí.

Ana Laura Mateus Pedigone, 1ª ano diurno.

A única certeza que temos é a dúvida?


     A capacidade de utilizar a razão e as informações obtidas de modo a pensar na sociedade e em suas problemáticas fizeram com que o homem realizasse discussões racionalistas com intuito de obter repostas solidas.
    O filosofo considerado o “Pai da filosofia moderna” René Descartes em sua obra Discurso do método abrange diversos questionamentos partindo do pressuposto de que deve haver uma ruptura com as chamadas verdades absolutas e passar a considerar tudo como possibilidades,visto que desde pequenos somos influenciados por ideias ja existentes.
    A razão é considerada para Descartes um instrumento de dominação da natureza, a objetividade, submissão aos demais e o dualismo presente entre corpo e espirito são conceitos predominantes não só em seu discurso mas na historia da humanidade.
    Apesar da obra ser escrita em meados do seculo XVII,suas ideias e questionamentos são trazidos ate os dias atuais e proporcionam debates e analises a cerca da reforma de pensamento e desconstruções do mesmo,visando um olhar crítico da realidade que estamos inseridos.Para que seja possivel uma crítica de nós mesmos é preciso se despir de todo preconceito e estar aberto para novos habitos,custumes,ideologias enfim conhecer outras culturas,etnias,crenças só assim será possivel realizar uma julgamento da nossa propria identidade enquanto ser racional.
      A pratica da retorica, julgamentos, crítica e indagações levaram o homem a duvidar de sua própria existência e de seus sentidos mas pelo fato de pensar em duvidar de todas as coisas compreendeu-se que a existência está condicionada no pensar e para este não necessita lugar especifico ou qualquer coisa material, ou seja “se penso, logo existo”.

 BIANCA BARBOSA DO VALE 1º ANO SS DIURNO.