segunda-feira, 24 de março de 2014

 
                                                NOVUM ORGANUM


          Não existe um saber absolutamente seguro; Jamais podemos parar no tempo como os antigos faziam, temos ir além das descobertas, temos que ir em busca de novas ciências.
          Mas infelizmente estamos piores que os antigos porquê paramos na metodologia mais fácil de se pensar, ou melhor dizendo nem pensamos mais apenas ficamos no senso comum.
          Um método de procurar um saber seguro, é aprender com a natureza, é aprender a observar e compreender ela; mais literalmente somos orgulhosos preferimos ignorá-la, destruir-la...

                             
                                               
                                      JOSÉ CARLOS DUQUE DE OLIVEIRA - 1 ANO S.S. NOTURNO

O caminho da verdade

    René Descartes em ''Discurso do Método'' conta que optou em abandonar o estudo das línguas e ir viajar,para conhecer diferentes pessoas,a diversidade de culturas,viver novas experiências,por acreditar que encontra mais verdade naqueles que criam seu próprio raciocínio ao longo da vida,a partir de experiências vividas,do que aqueles ''homens de letras'' que passam a vida toda trancados em seus gabinetes.
    O método que Descartes diz ter obtido para sua vida,é o de questionar e duvidar de tudo aquilo que dizem ser verdade ou mentira sem terem nenhuma razão concreta para provar ou convence-lo de tal,e se basear sempre em conhecimentos racionais e científicos.
    Descartes nos fala para questionar o senso comum,que é todo conhecimento que a sociedade tem e leva consigo de anos e anos,gerações em gerações e nos conduz a acreditar no mesmo,sem termos garantia nenhuma se é verdadeiro ou não e que através da razão e do ato de questionar e duvidar chegaremos ao conhecimento verdadeiro.
                                                                                                Júlia Fonseca-1° SS noturno
                                                                                         (René Descartes-Discurso do Metódo)

NOVUM ORGANUM (Francis Bacon)

Francis Bacon se diferenciava dos demais filósofos por não acreditar em uma causa final. Procurava a descoberta de novos caminhos, afirmando que não era possível descobrir coisas novas a partir de caminhos já conhecidos, pois assim seriam apenas combinações das descobertas anteriores.

Ao seu pensar, o intelecto humano não é totalmente confiável, pois recebe influência de suas vontades e de seus sentidos (que são confusos e enganosos), e sempre tende a aceitar por verdade aquilo que prefere, por isso o comparava ao espelho, que reflete a realidade de uma forma desigual, distorcendo e corrompendo sua forma original.

Segundo Bacon, o homem é um intérprete da natureza, e toda verdade deve ser buscada à sua luz, porque a natureza é eterna e está sempre a nos superar e, portanto, só a vencemos quando lhe obedecemos.

KÁLITA SOUSA BARBOSA GOMES – 1ºSS noturno

Buscando conhecimento por meio de Descartes

Para Descartes, o uso da razão era a base para se obter o conhecimento. Em seu "Discurso do Método", ele diz que a razão diferencia o homem dos demais seres vivos, e que o método cartesiano nos diferencia do senso comum. Este senso comum é tudo aquilo que está dentro da gente logo quando nascemos, e que é visto como verdade absoluta para a sociedade, mas que não conseguimos explicá-lo racionalmente. Descartes duvidava de tudo, chegou até mesmo duvidar de Deus e sua existência. Por isso então, em seu discurso enfatizava a ideia de que devemos duvidar de tudo, de nossos sentidos que às vezes nos enganam, da nossa própria dúvida e do senso comum, que é algo dito e visto como verdade, mas que pode ser uma verdade equivocada. Logo, duvidando das nossas análises dos objetos, questionando e usando a razão, nos afastamos do senso comum, e assim, buscamos o verdadeiro conhecimento das coisas. Para Descartes, era desse jeito, com esse método, que poderíamos ter a nossa própria opinião e o conhecimento, sem que nada nem ninguém colocasse à força em nosso pensamento algo que realmente não conhecemos e não sabemos se era verdade ou não. 

Débora Araujo Costa, 1º ano Serviço Social (Matutino)

Imaginação x Razão

                         Imaginação x Razão

Desde que nascemos nos é incutido conceitos religiosos e culturais que carregamos pela vida.
Mas no decorrer de nossa existência aprendemos a discernir o que é real do que é imaginário utilizando a Razão, pois é através da Razão que o ser humano adquire conhecimento e assim é capaz de encontrar soluções para evoluir.