terça-feira, 25 de março de 2014

Francis Bacon
Novum Organum ou Verdadeiras indicações acerca da interpretação da natureza
   Através do uso da ciência e do aprofundamento em seu estudo, vê-se que a descoberta das novas ciências traz a certeza dos fatos, de forma a propor que não podemos confiar em nossa própria mente e em nossos próprios sentidos, pois os mesmos podem nos levar a devaneios, ou seja, a ausência de razão. Para que os estudos da ciência continuem a ser aprofundados, precisa contar com a ajuda do homem, que é grande fator responsável por esses estudos e pelo desenvolvimento das novas tecnologias, sendo que, sem o homem, não se poderia realizá-los.
   A natureza, entretanto trabalha por si só, uma vez que não depende do homem para que realize suas funções. Neste caso, vemos que ocorre de forma contrária, onde o homem, ser pensante e racional é totalmente dependente da natureza e de suas matérias, sem as quais não haveria sobrevivência humana. 
   Pode-se notar que os elementos: ciência, natureza e homem estão interligados. Ao analisar a situação de que o homem é ser contribuinte para a ciência, vemos que deve-se agir de forma totalmente racional, pois a racionalidade impõe objetivos, fator essencial para que haja desenvolvimentos nas ciências, de forma a não se deixar levar pelo desejo de seguir suas próprias aspirações, onde muitas delas, são buscadas na natureza.

Laís Andrade Garcia - 1º ano SS (noturno)