quinta-feira, 27 de março de 2014

Ciência da observação e execução

     O método indutivo de Bacon consiste que através da observação e coleta de dados chegará a um resultado, muito diferente do método dedutivo que fica só no pensamento e papel, por isso Bacon é tão atual, ele quer que a ciência saia dos escritórios e passe a ser vivida! Nós como futuros Assistentes Sociais devemos realmente levar em consideração as palavras de Bacon, pois precisamos antes de tudo conhecer os usuários, saber de suas necessidades, suas dificuldades e forças, precisamos entender e só depois formar um conceito... Ninguém quer ficar ouvindo “Vocês tem direitos, corram atrás, mudem o mundo” as pessoas querem alguém que diga como correr atrás e como conseguir resultados.  Diferente da maioria dos filósofos gregos que Bacon chamou de “tagarelas” que só falavam, falavam e não faziam nada para mudar, pensavam antes pra conhecer depois.
    Para Bacon os “ídolos da mente” também são grandes vilões que atrapalham a busca da nossa razão e da ciência, pois eles não nos deixam pensar com clareza,  sendo eles: os ídolos da tribo (próprio da condição humana, são as emoções e paixões ) Ídolos das cavernas (aquilo que o homem trás da cultura dele, geralmente aprende com a família como costumes, hábitos) ídolos da feira (são as influencias que recebemos, como amigos, que fazem acreditar em novas ideologias, achando que só ela é a correta) e ídolos do teatro (que são representações teatrais como astrologia e magia). Estamos cercados de “ídolos” por todas as partes e épocas de nossas vidas, é necessário observação e questionamento para saber se não estamos nos alienando e nos prendendo em nossas “cavernas”.
    Quando li o texto fiquei um pouco confusa, mas depois da aula pude perceber quanto Francis Bacon é atual, por isso ele é considerado uma grande influência na ciência moderna. Ele rompe as barreiras do comodismo, usa a sua ciência não só fazer para ficar arquivada em alguma gaveta e sim ser usada no dia-a-dia, pois é disso que as pessoas precisam, soluções que resolvam seus problemas e não discursos bonitos que não levam a lugar nenhum!





O valor da experiência

Em sua obra Novum Organum, Bacon afirma que para chegar à uma resposta exata sobre algo, é mais importante fazer experimentos para isso, do que apenas fazer deduções sobre uma possível resposta. Era necessário ter um objeto empírico como fonte de estudo.
Por isso criticava os gregos e sua filosofia, pois dizia que eles eram capazes apenas de "tagarelar" e nunca faziam experiências para fundamentar suas conclusões; segundo Bacon, a sabedoria dos gregos era "farta de palavras, mas estéril em obras."
Bacon sugeria uma possível "cura da mente humana", cujo objetivo era quebrar com todas as deduções, superstições e preconceitos que nos foram introduzidos desde muito cedo e buscar através da pesquisa, do estudo e da experimentação conclusões advindas de nossa própria concepção.


Carolina Neves - 1º SS - diurno


Conhecimento através da experiencia

Verdadeiras indicações acerca da interpretação da natureza ou Novum Organum é um método que descartar somente a dedução das coisas e se aprofunda no conhecimento através daquilo que se vê. O conhecimento não pode ser baseado somente pela razão e nem mesmo pela pré-noção, para interpretar é preciso da experiência, pesquisa, exploração. Só consegue atingir a sabedoria aquele que usa da ciência, unindo a mente com as mãos. Através da ciência é capaz de enxergar a intenção divina, fazer uma conexão com Deus.
Na sociedade temos quatro tipos de percepções do mundo, chamadas de ídolos. Os ídolos da tribo, onde defendem que os sentidos dos homens é a o certo. Os ídolos da cavernas, que o individuou vai em busca do seu conhecimento fora da sociedade, no seu mundo. Os ídolos do forro, que unem o individuo com suas associações. E por fim os ídolos de teatro,  que adotam filosofias e fabulas.
Bacon faz uma critica a filosofia, essa que toma como base somente o pensamento, não vai atrás da verdade. Então nos apresenta dois métodos para a ciência: o cultivo das ciências que são pensamentos de filósofos, e o que realmente acredita, a descoberta cientifica que tem a interpretação da natureza ultrapassando os limites. É preciso mudar a mente humana, revendo os conhecimentos antigos e formando novos conhecimentos. 

``O homem deve criar as oportunidades e não somente encontra-las´´


Luana Tomaschitz, 1º SS Diurno

O viver empírico

   
Francis Bacon,em sua obra Novum Organum , propõe uma outra concepção de ciência , outros instrumentos para se fazer ciência , ele questiona de maneira acirrada a filosofia tradicional,retórica e pouco prática,orientada pelos clássicos da filosofia grega ,pois,para ele, a ciência não deve ser meramente contemplativa,que nada explica ,mas, uma ciência que penetre fundo no desvendamento dos enigmas do mundo por meio de uma experimentação científica.
      Para Bacon,transformar a condição humana ,deve ser a perspectiva central da ciência e não apenas uma abstração.Por isso,ele propõe esse novo método, de uma suposta "cura da mente humana" em que sua intenção é desmistificar tudo aquilo que a nossa mente, de maneira muitas vezes erronia, deduz,pois, para ele,é preciso primeiro conhecer para depois podermos formar um juízo próprio ,ele também é enfático ao relatar que é por meio da pesquisa,da indução,da experiência e da observação ,que encontraremos respostas reais e racionais ,mas para isso,é necessário desfazer-se de preconceitos e de prenoções.
     Bacon,deixa claro que é preciso abandonar as falsas percepções do mundo,que nos foram inculcados até então e que nos leva a caminhos por vezes ilusórios e fictícios para podermos entender esse novo método proposto.
      Ele também, afirma que a ciência só é capaz de evoluir se for organizada à partir de métodos que conduza a resultados práticos.A razão deve ser a base do pensamento indutivo, evitando qualquer fenômeno imaginário,sensitivo,ou seja ,que não seja pautado pela experimentação.
       Portanto,Bacon nos propõe investigar,fazer o exercício da experiência para podermos construir um conhecimento à partir de uma dimensão empírica.


Laís Caroline Neves 1° ano de Serviço Social-Diurno
     
Nada somos hoje se não fosse o ontem.

Diante dessa humanidade tão evoluída, com novos conhecimentos e conceitos, na qual fazemos parte, estamos sempre em busca de melhoras, com isso há uma grande importância quando se diz  respeito a nossa evolução e novos saberes.
Buscando analisar as mudanças que sofremos desde os povos antigos, podemos perceber que, diante dessa trajetória no qual nossos antepassados passaram, é de suma importância seus conhecimentos adquiridos naquela determinada época.
Diante desse conhecer, que é a base para tudo que possuímos hoje, tanto material quanto imaterial não podemos ignorar o passado.Pois para chegarmos à perfeição é necessário que antes haja uma longa caminhada de descobertas, erros e experiencias.
Contudo, devemos tomar por lições e conhecimentos o passado, para não cometermos os mesmos erros.

Larissa Gonçalves Ferreira, 1º matutino SS
 

Ver para acreditar.

   Nenhum saber é absolutamente e complemente seguro, precisamos encontrar caminhos com princípios verdadeiros. Francis Bacon quer a interpretação do mundo pela experiência. Ele então desenvolveu seu método, o Novum Organum, que propunha o domínio da natureza pelo conhecimento de suas leis, melhorando a vida do ser humano, da sociedade. Para isso, ele deve entrar em contato com ela para compreendê-la, interpretá-la e conhecê-la de forma experimental.
   Para Bacon, a ciência deve contribuir para melhorar a condição de vida dos seres humanos, mas trazendo implicações práticas, deixando de lado as ideias, trazendo assim os fatos, as observações e as obras. Ele tentou mostrar as principais falhas para se chegar ao verdadeiro conhecimento, que são os ídolos: da tribo, da caverna, de foro e do teatro. Estes bloqueiam nossa mente para a verdade plena. Concluo então que Francis Bacon pensava que nada é válido sem a experimentação.
                                                 
                                                              (Roberta Santos Martins 1°ano SS - Noturno)
FRANCIS BACON
NOVUN ORGANUM

                 Francis Bacon um filósofo que velava que nenhum saber é absolutamente seguro, que deveríamos nos despir de qualquer conhecimento já tido como uma verdade ou convicção própria para podermos atingir a verdade plena e absoluta. Deveríamos olhar de fora da nossa própria caverna, ou seja, de fora de nossas estruturas de idolatria.

                       São quatro gêneros os ídolos que bloqueiam a mente humana, são estes a saber: ídolos da tribo; ídolos da caverna; ídolos do foro; e ídolos do teatro.

                      A conclusão que leva este filósofo é que a indução nos leva a pesquisar e ser induzido por uma verdade pesquisada e assim afastando todos das doutrinas dos ídolos e fazendo com que busquemos a verdade a parte de qualquer interferência do labor da mente.


                        Francis Bacon dizia que a mente humana tinha que ser curada para que possamos conhecer a verdade plena.




                         Daiane Marcelino do Carmo Telles - 1º ano SS noturno.
      FRANCIS BACON
     NOVUN ORGANUM

                   Francis Bacon um filósofo que velava que nenhum saber é absolutamente seguro, que deveríamos nos despir de qualquer conhecimento já tido como uma verdade ou convicção própria para podermos atingir a verdade plena e absoluta. Deveríamos olhar de fora da nossa própria caverna, ou seja, de fora de nossas estruturas de idolatria.

                   São quatro gêneros os ídolos que bloqueiam a mente humana, são estes a saber: ídolos da tribo; ídolos da caverna; ídolos do foro; e ídolos do teatro.

                   A conclusão que leva este filósofo é que a indução nos leva a pesquisar e ser induzido por uma verdade pesquisada e assim afastando todos das doutrinas dos ídolos e fazendo com que busquemos a verdade a parte de qualquer interferência do labor da mente.

                   Francis Bacon dizia que a mente humana tinha que ser curada para que possamos conhecer a verdade plena.



Daiane Marcelino do Carmo Telles - 1º ano SS noturno.