quarta-feira, 9 de abril de 2014

CONTROLE SOCIAL: reorganização através de uma reforma intelectual

  O conhecimento não tem fronteiras, e a partir do momento que o homem questiona e anseia por respostas há uma critica aos métodos e teorias já existentes. O método teológico junto ao filosófico tem sua importância, mas a critica desses conhecimentos culminou em outra forma de obter respostas por meio da observação, da razão e da comprovação dos fatos. Há uma intensa critica a filosofia clássica e a teologia, o homem quer respostas que não utilizem o imaginário ou o sobrenatural ele quer algo racional juntamente com a experimentação e a comprovação, pode-se afirmar que há uma mudança na forma com a qual se coleta e interpreta as informações.
  Como podemos compreender oque acontece em nossa volta e no mundo se não nos atentarmos as causas das insatisfações sociais? Nasce uma necessidade de uma ciência que possa estudar a sociedade inicialmente com intuito de controla-la, é essencial que haja um estudo acerca dessas sociedades para que se possa intervir, e resolver as mazelas nela existentes de forma que não se crie uma desordem, a sociologia surge em uma perspectiva de observar, agir e diagnosticar as insatisfações e revoltas sociais.
Augusto Comte propôs no Curso de filosofia positiva que a sociedade precisa se reorganizar através de uma reforma intelectual ate que ela passe do estagio teológico e metafisico para oque ele chama de positivismo que não se baseia mais em divindades ou na imaginação, sendo assim para Comte o ultimo estagio que podemos almejar.
  Criticamos a corrente positivista por alguns de seus aspectos fundamentais como estar ligado á uma evolução permanente em que a sociedade segue condições constantes, e as leis de seu progresso desenvolvimento respectivamente a estática e a dinâmica social assim denominada por Comte. Porem é importante elucidar que o positivismo se faz presente em nossa realidade atual, nos métodos de educação das corporações militares e em tantos outros meios, não nos damos conta que criticamos algo sem ter conhecimento de como ainda é uma característica marcante na sociedade e seguimos na maioria das vezes uma perspectiva estática e dinâmica afinal sem ordem não haveria progresso e vice versa.
É importante salientar que não estou defendendo o positivismo nem estou em consonância com a ideia de uma evolução social retilínea, estou apenas indagando COMO AFIRMAR QUEM É OU NÃO POSITIVISTA? SERÁ QUE O POSITIVISMO NÃO ESTA PRESENTE EM NOSSOS EMBATES COTIDIANOS?
  O movimento republicano Brasileiro apoiou-se em ideias positivistas, para reorganizar os nossos conceitos e a sociedade, para isso seria preciso uma reforma intelectual do homem com intuito de alcançar ordem para obter progresso, e se analisarmos esse positivismo não ficou para traz estamos diante de vários acontecimentos que carregam consigo uma herança positivista para o contexto atual. Desde o fato de uma parcela da sociedade se contrapor á união entre casais do mesmo sexo, ate aos embates do MST (movimento sem terra) em qualquer um desses casos há uma quebra na ordem, na normalidade seja na questão homo afetiva ou na tradição da propriedade privada.
  Portanto não sejamos hipócritas negando a existência do positivismo na atualidade, pois o individuo que integra uma sociedade na qual as leis gerais são peças fundamentais há uma perspectiva de ordem para a manutenção do bem comum, o que devemos ter em mente é que esse progresso ordenado vem para conter o ímpeto de emancipação social e que tal fato só contribui ainda mais para que sejamos controlados.

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades, 
Muda-se o ser, muda-se a confiança: 
Todo o mundo é composto de mudança, 
Tomando sempre novas qualidades.

CAMÕES, Luiz Vaz Mudam-se os Tempos Mudam-se as Vontades.


BIANCA BARBOSA DO VALE 1º ANO SS DIURNO

Positivismo ou o berço da Sociologia

 A emergência de uma ciência da sociedade faz surgir uma espécie de 'física social' ou Sociologia, que é justamente o estudo deste social. Origina-se então o Positivismo de Comte.
 Centralizado no método em oposição ao vazio abstrato da conjectura abstrata, o Positivismo nasce da filosofia de Francis Bacon e de René Descartes, mas é pontual na filosofia de Augusto Comte, onde 'pregará', por assim dizer, o real frente ao quimérico, o útil frente ao inútil, o certo frente ao incerto e por aí vai.
 Portanto, a Sociologia nada mais é do que uma filosofia positiva, carrega a essência da defesa do método, como forma de obter o distanciamento do observador. É a única ciência que não é determinada por leis específicas, ou seja, que não segue um padrão determinado e nem permanente, pois seu objeto de estudo que é o homem em suas relações não tem como ser intacto e inalterável, justamente porque este não se encontra isolado mas sim permeado de questões que envolvem, principalmente, o seu meio social.
 O Estado Positivo, então, é o último estágio da construção do conhecimento, por estar sempre em constante mutação. Tem-se dois estágios que são fundamentais para se alcançar este último, que são o estágio teológico e o estágio metafísico que são necessários para que tal conhecimento amadureça.
 Os estágios teológicos e metafísicos são etapas necessárias ás primeiras conjecturas teóricas sobre o universo. E mesmo estas formas de conhecimento demonstram, em sua evolução, tendência à particularização da explicação.
 A filosofia positiva marca o amadurecimento do espírito humano, faz uma ligação entre a ciência e a técnica, entre a teoria e a prática. Permite que essas duas coisas andem alinhadas.

Letícia Fabreti Dias
1º ano de Serviço Social/diurno