quinta-feira, 10 de abril de 2014

A controvérsia da ordem.

"O progresso é a lei da história da humanidade,e o homem está em constante processo de evolução."
                                                                                 Augusto Comte.

   Augusto Comte funda o positivismo para compreender as insatisfações sociais,no contexto social em que a Europa se encontra no auge da revolução industrial, em que os homens competem cada vez mais com as máquinas, período de grandes revoluções e greves.
   Toda essa agitação provocou uma certa inquietação em Comte, que procura dar respostas eficientes a essas mazelas e insatisfações sociais.
   Comte propõe no entanto, uma nova ciência que tenha como objeto de estudo a sociedade; e também que essa ciência seja positiva, pautada na observação e em um estudo sistemático sobre as causas e os efeitos dos vários acontecimentos sociais; Ele quer compreender mais profundamente as leis gerais que determina essa sociedade, e a partir de então, controlar os desequilíbrios da mesma.
   É necessária uma ciência que carregue consigo o método de servir e de organizar a sociedade.
   Para Comte há três etapas do pensamento humano, sendo a sua infância: O Pensamento Teológico, sem autonomia do conhecimento, explicação do mundo dada  pelos deuses sem nenhuma base concreta ; a sua adolescência:O Pensamento Metafísico,conhecimento fundado em abstrações, procura entender a origem da essência; e por fim, O Pensamento Positivo que é quando o pensamento humano atinge a sua maturidade.Que é quando surge o questionamento de como realmente surge os métodos? Essa ciência é baseada em dados exatos ou naquilo que pode ser verificado, pois,para o positivismo tudo o que foge do olhar é coisa da imaginação.Todavia esse estágio final positivista do pensamento humano nos leva a mudar nosso discurso,ao passo em que vamos observando de todos os ângulos o objeto.
    No entanto, para que essa ciência seja eficiente Comte acredita que é preciso observar o objeto sem estar contaminado,seja emocionalmente ou ideologicamente, por isso, é preciso afastar-se ao máximo, distanciar de si mesmo para analisar o mundo.
    É considerado por muitos um autor conservador, pois, apoia a ordem vigente e acredita não ser possível modificar as estruturas sociais, sendo esse um pensamento muitas vezes excludente e simplista.
   Comte divide a sociologia em duas áreas: estática social, estuda as forças que mantêm a sociedade unida (ordem)e a dinâmica social, voltada para as mudanças sociais e suas causas (progresso). Para Comte já há estabelecida uma ordem,uma posição estática e cada sujeito deve cumprir com sua funções sociais. Ele afirma que  não pode haver progresso se os homens se derem ao luxo de inverter os papéis lógicos da sociedade.
   A crítica que podemos estabelecer sobre esse pensamento positivista e por vezes conservador, é essa condição de estagnação que Comte propõe a nossa sociedade, como por exemplo, o fato do filho da empregada doméstica,ou seja, de toda classe trabalhadora não poder sair do baixo padrão socioeconômico disposto em uma pirâmide hierarquizada  para atingir patamares mais altos, porque é preciso manter a ordem e o progresso, ou seja, filho de operário operário é.Mas ai eu lanço a pergunta à quem essa ordem e esse progresso prioriza? Porque limitar essas classes sociais a essa estagnação?Para que ditar regras, estipular instituições a essas classes menos favorecidas ?Para que frustrar os sonhos daqueles que querem sair de suas realidades sociais e adentrar a outras?
  Comte que me perdoe mas, a ordem e o progresso só está na vida daqueles que estão no topo dessa pirâmide, nós classe trabalhadora queremos já que a ordem está na estrutura social que não pode ser mudada,ansiamos por causar a desordem.
  Essa estrutura social pode e deve, ao meu ver, ser modificada,para isso nós sociedade,classe proletária não devemos nos conformar com esse padrão preestabelecido de que "nascemos pobres e vamos morrer pobres", poi, a mudança depende do ser social,se isso for desordem, que possamos então praticar então,a desordem.


Laís Caroline Neves 1° ano de Serviço Social- Diurno

Comte e o último estágio da Evolução Humana

       Com as transformações sociais ocorridas por conta das Revoluções, Comte se viu na necessidade de uma nova ciência que seria possível estudar a sociedade, com o intuito de colocar um fim no descontrole social sendo assim a filosofia positiva é a base sólida para a reorganização social.
        Então Comte criou o positivismo, o terceiro e último estágio mais evoluído do conhecimento da humanidade seguido do teológico e metafísico. O positivismo ajudaria na compreensão do mundo a partir da ciência, seu intuito era ajudar na criação de uma sociedade mais harmônica criando soluções para os problemas sociais; eliminava da metodologia a metafísica e dava preferência ao empirismo.
        Para a sociedade manter a ordem é necessário que todos os homens mantenham o equilíbrio aceitando cada qual no seu lugar social e apenas uma sociedade ordeira é que se caminha para o progresso. Por si a sociedade possui uma estática que estabelece o equilíbrio social e Comte buscaria as leis gerais do funcionamento da sociedade.
        Comte deu o nome a essa ciência de Física Social no início, mas acabou modificando para Sociologia. O positivismo teve grande repercussão na metade do século XIX mas a partir da ação de grupos contrários perdeu sua influencia no século XX.

   
 Kamila Ferreira Alves 1º Ano SS - Diurno

Comte e seus ideais positivistas

 O contexto histórico em que Comte desenvolve suas teorias, é caracterizado por uma imensa insatisfação e desordem social, começou a surgir então, a necessidade de entender as causas dessas inúmeras revoltas que eclodiam pela sociedade, ou seja, uma ciência que tivesse como objetivo compreender a sociedade. Foi assim que passou - se a se pensar no estudo da sociedade como objeto concreto, e não mais de forma abstrata como fazia por exemplo a filosofia.
 Comte introduz o positivismo em suas concepções, de forma que traz a essência da defesa do método, como forma de obter o distanciamento do observador do objeto observado. O pensador tem o propósito de contribuir para a reorganização social, assim, essa ciência deve ter um fim útil e transformador, a partir do estudo da sociedade no seu aspecto concreto, e não mais como a psicologia, que baseia-se em algo sem materialidade e consistência, crítica também feita por Comte.
 Percebemos que a teoria positivista de Comte perdura até hoje, impregnado em nossa sociedade, refletindo nas formas de pensar das pessoas, que mesmo sem saber, são influenciadas pelo positivismo, quando por exemplo usamos a expressão "põe - se no seu lugar", é como se para o bem coletivo, aquele individuo devesse se contentar com a sua determinada posição. Por isso torna -se algo tão importante a ser estudado pelo serviço social que vai lidar diretamente com pessoas que possam ter concepções parecidas com estas, afim de entender porque foi formada essa maneira de pensar.
(Bruna Moreira 1° ano Serviço Social - Diurno)
 

         Ordem e progresso

              " A liberdade é o direito de fazer o próprio dever". (comte)


               Comte tinha o pensamento do positivismo. Um dos seus pensamentos era que cada cidadão tinha sua importância na sociedade, e como cada importância cada um tinha que fazer o seu papel e cumprir as leis para se haver a ordem e assim chegar no progresso.
               Esse pensamento na sua época muito provavelmente era valido, e nesta época ele praticamente acontece, mais basicamente ta ai a revolta da sociedade principalmente as classes que passam dificuldades.
               No século em que vivemos, obviamente é importante as funções que cada um exerce. por exemplo um lixeiro, se não são eles quem vai pegar nosso lixo? um sapateiro se não são eles quem vem fazer nosso calçado? e um médico e um professor... todos com sua importância mais ainda sim á um erro, e o salario? e a valorização que cada um merece? isso não existe nesse país; como eles querem ter progresso se aqui não tem ordem!
               Uma forma de se ter ordem é cumprir a lei, mais novamente a um problema, nossa lei foi feita para bandido, tanto pra aqueles que governam o país como para aqueles que roubam pertences dos outros. ai fica difícil, ai fica indignante... 
               Agora creio que o melhor era a liberdade sem dever nenhum, do que a prisão cumprindo o que a sociedade acha que são leis e deveres.

               

José Carlos Duque de Oliveira 1 ano S.S. Noturno

Sobre educação e evolução

Lendo uma reportagem relativamente antiga no jornal, me peguei criticando inúmeros aspectos da realidade brasileira. Na reportagem, o entrevistado é Brian Schmidt que ganhou o Nobel de Física de 2011 pela descoberta da aceleração contínua do universo.

No decorrer da entrevista, Schmidt fala que para ganhar um prêmio desses é necessário, não só um, mas vários pesquisadores e ótima infraestrutura para o desenvolvimento de  projetos.

É claro que seria ótimo e até revolucionário para o Brasil, adquirir um prêmio desse porte mas é algo muito distante, improvável, uma vez que a educação brasileira é precária, quando se tem! Outro fator é o governo que não disponibiliza recursos, infraestrutura e/ou verbas para desenvolvimento de pesquisas já que existem necessidades mais urgentes (como a saúde pública) a serem tratadas, segundo o mesmo.



Larissa Cristina Oliveira - 1º ano de Serviço Social diurno

A ordem para o progresso

   Augusto Comte propôs uma ciência para estudar a sociedade em conjunto, ao todo. Com isso foi o idealizador do pensamento positivista (Positivo: é aquilo que eu compreendo, que é real), para ele deve se estudar com base no que se pode ser observado, o método desse positivismo baseia-se na observação dos fenômenos. O conhecimento humano passa por três estágios:
   Teológico: o homem explica o mundo pela concepção divina, a revelação divina.
   Metafísica: que é aquilo que está além do físico, apenas na mente humana.
   Positivo: descrever as coisas como são, interpretar aquilo que é observado, é uma junção das etapas.
   Comte tinha uma visão evolucionista, onde a ordem era o fundamental para uma sociedade, ele concordava com o progresso dentro de uma ordem. O indivíduo tem seu papel na sociedade e tem de cumpri-lo corretamente para o andamento de um todo. Podemos observar a influencia do positivismo na construção da república brasileira, onde na bandeira encontra-se o lema: "ordem e progresso''.


(Roberta Santos Martins 1ano SS - Noturno)