sexta-feira, 11 de abril de 2014

O positivismo visto como negativo

   A sociologia surgiu em torno de 1.830, em um mundo urbano-industrial, com o filósofo August Comte. Era uma época em que havia grande insatisfação da classe trabalhadora, pois vivia em péssimas condições; como forma de entender o que acontecia na população, Comte se dedica a formar uma ciência que estude as transformações e suas consequências na vida do ser. A teoria de Comte ficou conhecida como ‘’positivismo’’, que tem como base estudar a sociedade de forma crua a fim de poder controlá-la.
Uma das propriedades fundamentais do Positivismo é a concepção da estática (ordem) e dinâmica (progresso), a primeira está relacionada com tudo aquilo que torna apto uma sociedade a se equilibrar e o segundo seria uma consequência da ‘’ordem’’, um padrão de evolução. De forma geral, a expressão ‘’ordem e progresso’’ traz uma visão de uma sociedade que precisa se adaptar ao status quo para poder evoluir, dessa forma, os homens não são vistos de forma individual, apenas coletiva, e que estão a serviço do Estado.
  Por muitas vezes quando estudamos filósofos e sociólogo, deixamos de aplicar a teoria de forma prática, ficando, assim, apenas no plano intelectual e supomos que aquilo que foi escrito séculos atrás não se enquadra mais no padrão de vida que levamos. Entretanto, analisando e formando uma visão crítica das teorias, pode-se perceber que nos enganamos se suposto que não há uma familiaridade com os acontecimentos atuais. Um grande exemplo disso é perceber que a teoria positivista é trazida até os dias atuais e tem seu reflexo em vários contextos cotidianos.
 Como foi citado anteriormente, o positivismo quer manter uma ordem, que levará a população a um progresso. Mas quando essa suposta ordem em que a população está inserida é quebrada, ocorre um grande caos (desordem) ou grande agitação, pois foge daquilo que é comum.
  Dentro disso, essa ‘’ordem’’ quando quebrada se manifesta de muitas formas na sociedade brasileira, por exemplo, quando um estudante de escola pública consegue um bom desempenho em um vestibular, é sempre um estampo, pois esse indivíduo conseguiu alterar a ‘’ordem’’. Outro exemplo que é bastante discutido é o homossexualismo, afinal, para os positivistas o correto – a ordem – seria a formação de uma família a partir de um casal heterossexual. Percebe-se, então, o quanto é fechada, conservadora e preconceituosa a visão do positivismo seguido na teoria, pois não percebe que a ordem pode ser alterada para melhores resultados.

Por fim, quando analisamos o positivismo na atualidade, concretiza-se que é uma teoria que não valoriza o ser humano como indivíduo, com suas emoções, fragilidades e opiniões, mas sim que trata como ‘’desordem’’ algo que pode ser muito bem natural e aceitável. É preciso conhecer teorias como a de August Comte – que talvez ao formulá-la não pensou que poderia trazer consequências que diminuíssem o homem como ser - mas não para segui-las e sim para analisar de forma crítica e saber como se desfazer delas.

Ana Laura Mateus Pedigone, 1º ano de Serviço Social - Diurno