quarta-feira, 7 de maio de 2014

AS CAUSAS INDEPENDEM DOS FINS


Na perspectiva Durkheimiana os fatos sociais devem ser compreendidos a partir do que ele denominou de causa eficiente, ou seja, é preciso analisar os fatos e buscar as causas internas. A intensidade das relações sociais vão caracterizar o fato social e sua complexidade.

Quando determinada instituição não cumpre seu papel social como deveria para a manutenção da causa a qual deriva, são abertas lacunas fazendo com que a consciência coletiva atue na resolução de um fato social. É nesse momento que a consciência coletiva tem uma expressão imediata do fato social, finalista, agindo sem compreender a causa eficiente.

Atualmente grupos que se auto intitulam como “os justiceiros” tentam solucionar alguns problemas como a criminalidade de modo finalista sem se atentar as causas e aos fatos sociais que antecedem uma determinada delinquência. A consciência coletiva está atuando de maneira imediatista e sem se atentar ao meio social e sua complexidade, os fatos sociais não podem ser entendidos estritamente a um viés psicológico, para entender e fazer uma analise social é necessário buscar os fatos sociais anteriores.

Percebe-se que as causas independem dos fins, pois a mesma sociedade que não concorda e sofre com a impunidade e a injustiça, julga os outros de maneira ilegal e injusta reproduzindo cada vez mais a violência. 
A mesma sociedade que defende a diversidade, a liberdade de expressão e criminaliza a homofobia também perpetua o preconceito, naturaliza os estereótipos e a desigualdade.



BIANCA BARBOSA DO VALE 1º ANO SERVIÇO SOCIAL - DIURNO.

Fatos sociais=Coisas

"A primeira regra e a mais fundamental consiste em considerar os fatos sociais como coisas." 
                                                                                                                     Émile Durkheim. 

 O fato social também tem o seu lugar na análise científica, é o que trata Durkheim, quando vai além do positivismo e propõe que os fatos sociais sejam vistos como coisas. Afinal de contas, não é nada usual que os fatos sociais sejam tratados cientificamente. Mas se existe uma ciência da sociedade, existe também a descoberta, pois o objeto de a toda a ciência é a descoberta. E toda descoberta, como diz Durkheim, desconcerta mais ou menos as opiniões aceitas.
 Em contraponto ao senso comum que trata os fatos sociais como coisas cuja a natureza, ainda que dócil e maleável, mas incapaz de sofrer mudanças. O fato social apontado por Durkheim tem uma função, função que representa as necessidades gerais e intrínsecas do organismo social.
 A função do fenômeno social nada mais é, então, do que a manutenção da causa da qual deriva, é a parte que cabe a determinado fato social no estabelecimento da harmonia geral, ou seja, precisa haver uma correspondência ou considerar-se tanto o fato social quanto as necessidades do organismo social independentemente de sua intencionalidade.

" A dor é um fato normal, contanto que não seja apreciada; o crime é normal, contanto que seja odiado." 

Émile Durkheim. 




Letícia Fabreti Dias
1º ano de Serviço Social/diurno

Reintegração

Emile Durkheim acredita que a melhor forma de se resolver um problema social é procurar buscar a fundo suas causas, que na maioria das vezes são relacionadas á influencia exercida pela sociedade. Para ele, a individualidade é uma característica dificilmente encontrada na sociedade, já que todos somos influenciados por regras pré estabelecidas e agimos de acordo com as ações de nossos próximos.

Para entender Durkheim, precisamos tirar a lente do positivismo e começar a enxergar além das causas imediatas. Na matéria do site GCN, “centro pop vira lugar de sexo, drogas e brigas” percebemos que população não procura buscar e entender os motivos que levaram o problema a ocorrer, e sim, resolver de forma imediata aplicando alguma forma de punição.Dessa forma a questão social acaba sendo transformada em problemas sociais, e os problemas sociais transformados em patologias.

A matéria publicada na Carta Capital, “Suécia fecha 4 prisões e prova:a questão é social” conta sobre como os investimentos feitos com objetivo de reintegrar os presos na sociedade ajudaram a diminuir a criminalidade e com isso mostra exatamente o que Durkheim afirma em seus discursos.

Se alguma “célula” social não age de acordo com as normas estabelecidas, deve-se trabalhar sobre ela com propósito de aplicar a consciência de que o que foi feito era errado, com essa consciência adquirida o problema não se repetirá, e assim a reintegração com a sociedade é possível. Porem não é isso o que ocorre, a reação imediata de quem se depara com algum problema desse tipo é aplicar uma punição a fim de excluir o problema da sociedade, esse tipo de pensamento se encontra distante do proposto por Durkheim, mas infelizmente é ele que predomina na sociedade moderna.

JULIA DE SOUZA CORNE (1ºSS/DIURNO)