sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Utopia é tão irreal assim? 

O trabalhador sofre até o fim
Sofre sem menos entender,
sem saber, mas sofre sem ver
que o capital massacra seu viver.
Um homem e outro também,
escreveram num tempo
que parece esse, porém
confunde meus pensamentos.
Oras! Escreveu hoje, ou antes?
Antes mesmo de o mundo evoluir,
Marx e Engels analisou o que ia vir
Em meio a tantas revoluções,
o Mundo criou o salario,
o capital e a mídia
e o que temos hoje?
Pessoas empobrecida
de mente que não se cria
de movimentos iguais,
a maquina substituiu o homem
o homem não sabe fazer mais,
mais do que suas limitações
agora o corpo fala, o corpo cansa
numa jornada destruidora de trabalho.
Mas o homem e o outro
escreveu sobre socialismo,
um modo de vida que terá alegria.
O Materialismo dialético,
três palavrinhas:
tese, antítese e a síntese
me dizem assim que a um problema:
o capital só a enriquecer,
a solução seria uma revolução mundial,
 um socialismo igual
onde não haveria massacre e nem mídia
alienando o mundo,
e não haveria desigualdade.
Ah o socialismo Utópico é tão irreal assim?
Quem diária
 que o negro estudaria,
o homossexual casaria,
e o trabalhador descasaria?
Décadas atrás isso não existia.


(Ana Laura Silva, 1º ano - SS noturno)

A naturalidade do Socialismo

A abordagem teórica política de Marx e Engel propunha o socialismo a partir de uma perspectiva cientifica e não apenas política. Para eles, o poder deveria ser retirado das mãos da burguesia e transferido para aqueles que o produzem, ou seja, a classe trabalhadora. Assim sendo, a classe burguesa não existiria mais, pois todos estariam em um mesmo nível e seriam trabalhadores.
A produção precisaria ser liberta do modo privado.O objetivo de Marx e Engels não é evitar a modernidade , e sim libertar as forças produtivas da forma mirra em que se encontravam.É por isso que eles dizem que fazer a revolução socialista teria o mesmo sentido que transformar o fogo destruidor no fogo que ajuda o trabalho do homem.

Marx diz que para levantar o povo em direção ao socialismo é preciso antes ter uma definição e um estudo exato sobre o que é o capitalismo, ao contrario disso a população seria levada a própria destruição.É preciso entender as forças produtivas para fazer sua racionalização.E era essa a proposta do socialismo, proposta essa que surgiu de um estudo social.O método utilizado por Marx para interpretar a sociedade era o do materialismo dialético.

O materialismo dialético consistia em analisar a sociedade a partir dos seus movimentos.Compreender que o presente não se explica por si mesmo. Leva em consideração a experiência histórica, não a explicação racional.Para ele, as transformações profundas de cada época refletem na forma de produzir de cada época.

Sendo assim, o socialismo para Engel era “produto necessário da luta entre as duas classes formadas historicamente: o proletariado e a burguesia”, ou seja, o socialismo seria um percurso incontornável da historia e não resultado da obra humana. Ele não teria que ser imposto , aconteceria naturalmente.

Sendo assim, por que então não se vive em uma sociedade socialista nos tempos atuais mesmo já se tendo passado um bom tempo dês da “previsão” de Marx ? O que acontece é que o capitalismo tem a capacidade de se reconstruir, se renovar, se adequar as condições da época, enquanto o socialismo continua sendo apenas um dogma. E talvez esse tenha sido o engano de Marx, tentar “prever” o rumo que a sociedade seguiria, esquecendo-se que não existe um caminho determinado para os acontecimentos históricos.

JULIA DE SOUZA CORNE
1º ANO SS-DIURNO

Elogio da Dialética.

A injustiça avança hoje a passo firme
Os tiranos fazem planos para dez mil anos
O poder apregoa: as coisas continuarão a ser como são
Nenhuma voz além da dos que mandam
E em todos os mercados proclama a exploração
E isto é apenas o começo.

Mas entre os oprimidos muitos há que agora dizem
Aquilo que nós queremos nunca mais o alcançaremos
Quem ainda está vivo não diga: nunca
O que é seguro não é seguro
As coisas não continuarão a ser como são
Depois de falarem os dominantes
Falarão os dominados 
Quem pois ousa dizer: nunca
De quem depender que a opressão prossiga? De nós
De quem depende que ela acabe? Também de nós
O que é esmagado que se levante!
O que está perdido, lute!
O que sabe ao que se chegou, que há aí que o retenha
E nunca será: ainda hoje
Porque os vencidos de hoje são os vencedores do amanhã.


Bertold Brecht

(Mariana de Castro Pereira, 1° Ano de SS Noturno) 

Dialogando com as imposições

Para o filósofo alemão Hegel, a dialética se dava sem a observação empírica dos fatos, só por meio do ponto de vista histórico e dedutivo dos textos que havia lido e interpretado. Além disso, sua forma de analisar se constituía da seguinte forma: TESE, que é a ideia formada pela maioria, ANTÍTESE, que contraria a ideia da tese e a SÍNTESE, que representa aspectos da tese juntos ao da antítese, superando a contradição e definindo uma conclusão.

A tirinha produzida por Dimitri Bitu exemplifica de forma irônica as faces da tese, antítese e síntese, demonstrando no último quadrinho a junção das duas ideias colocadas nos quadrinhos anteriores.

Para Marx e Engels a dialética só pode ser utilizada de forma a ser comprovada e observada, ou seja, empiricamente, por isso a utilização da palavra materialismo, transformando-se assim em materialismo dialético. Esse método compreende profundamente a sociedade, busca estudar a vida social, consequentemente a luta de classes, e propõe meios de colocar a teoria em prática.

Esses intelectuais ainda afirmam que a ideologia e o subjetivismo de Hegel é um falseamento das coisas e não as coisas em si. Visto que:
“[...] bases são, pois verificáveis por via puramente empírica.” (p.10).

Diante dessa análise do materialismo dialético de Marx e Engels, apresento como exemplo real, um fato ocorrido dentro da faculdade estadual paulista “Júlio de Mesquita Filho” – campus de Marília, com uma Prof.ª Dr.ª do curso de pedagogia. 

De um lado a TESE: a universidade impõe que todos os professores/doutores publiquem o maior número de artigos e textos possíveis dentro de um ano para que tenham seu currículo impecável, logo, sejam professores renomados. De outro a ANTÍTESE: a Prof.ª Dr.ª contrapõe alegando que quantidades de publicações não atestam a capacidade e a qualidade das aulas ministradas pelos docentes daquela unidade. E por fim a SÍNTESE: a Prof.ª Dr.ª para não ser repreendida ou impossibilitada de administrar as suas aulas, utiliza-se do método de recortar pequenas partes da sua tese de doutorado e publicar em diversos congressos. Dessa forma não precisa se preocupar em redigir textos e ao mesmo tempo corrigir provas e trabalhos de seus alunos.

Além de ter como objetivo a busca pela quantidade, como no exemplo anterior, está presente no mundo do capitalismo o conceito chamado de mais-valia, que será representado pela tirinha a seguir, demonstrando que o dono da indústria acaba ficando com grande parte do lucro produzido pelo trabalhador, este que apenas recebe o seu salário fixo e tem que conviver com esse sistema implantado em sua vida e na vida de sua família.


Daniela Aparecida da Silva
1º Serviço Social - Diurno

O materialismo dialético no serviço social.

 O materialismo dialético de Marx e Engels é um método atual (apesar de ter sido escrito a vários anos), cabe muito na realidade em que vivemos e deveríamos utilizada-lo frequentemente em nosso cotidiano, tanto em casa, como na escola, no trabalho.. A dialética proposta por Marx e Engels cai como uma luva na função do assistente social, que diariamente lida com problemas da sociedade, esse profissional precisa analisar a realidade o tempo todo, discutir os pontos opostos e ligar todos os fios para criar um bom resultado. 
 Exemplo: Crianças carentes não vão ganhar presente de natal (tese). Os pais preferem ganhar e comprar comida no natal pois é o mais importante (antítese). Criamos uma campanha de arrecadamento de brinquedos e alimentos não perecíveis (síntese). Claro que esse não é o único exemplo, na aula falamos do Levy Fidelix e das cotas nas universidades, estamos cercados de materialismo dialético, pois este não é um método que fica no campo das idéias e nos livros, ele está presente na nossa viva... ajudando a obter resultados satisfatórios a partir de dois pontos opostos.
 O interessante desse método é que ele nunca acaba, a partir desta solução, uma nova tese se cria, gerando a antítese, depois a síntese e assim por diante. Um ciclo que é bem proporcional a nossa realidade, que está sempre mudando e se transformando. 
 Sendo assim acredito que o materialismo dialético serve sim como método para os assistentes sociais saberem lidar com a realidade, não só pensar a realidade, mas muda-la.

Marcela Cintra Comassio - 1º ano de serviço social (noturno)

Socialismo 

Com a desigualdade do capitalismo se vê necessário uma nova forma de organização econômica mais igualitária a todos, pensando assim surge o socialismo. 
 As duas formas do socialismo são: Socialismo utópico e o socialismo cientifico. Socialismo utópico criticado por Marx e Engels é uma expansão da revolução francesa que queria uma sustentação econômica consistente e uma mudança lenta e extensa, ficou conhecido como uma luta da burguesia e não teve resultados positivos. Já o socialismo cientifico defendido por Engels e Marx tinha como base a critica ao capitalismo, defendia as  lutas da classe trabalhadora e uma total mudança na sociedade.
 Apesar dos dois terem fundamentos concretos e justos o socialismo não consegue se manter. A grande busca pelo dinheiro torna o capitalismo cada vez mais forte e insubstituível, é isso que esta movendo o mundo e suas consequências são mínimas para aqueles que querem o total poder. A ideia do socialismo é muito coerente com a necessidade da população mais humilde, porem, a massa burguesa não consegue aceitar uma politica igualitária para todos.
 Talvez se o socialismo mudasse alguns dos seus princípios poderia ser melhor aceito pela massa burguesa, ate hoje nenhuma forma de luta socialista foi concluída com exito. A grande luta da sociedade sempre sera entre a classe trabalhadora que é explorada e vive em situações precárias e a classe da burguesia que comanda e acha justo o capitalismo. 

Luana Rosada Vieira Tomaschitz - 1 ano - SS - Diurno 

Capitalismo selvagem


Homem primata
Capitalismo selvagem,
Ou homem magnata
Socialismo uma miragem.

Neste capitalismo de crueldade
Só se valoriza os capitais,
O povo fica na desigualdade
E a burguesia querendo mais.

No socialismo da idéia
Me vem a mente o fascismo,
Vai ver deve ser a Coréia
Com seu espirito de comunismo.

Agora o socialismo cientifico
Esse sim traria a igualdade,
Ele sim seria empirico
Ja imagino vivermos em uma civilidade!

Mas ai infelismente vem a realidade
Como não gostar do bem material,
Não aprendemos a viver em comunidade
Preferimos aquilo que é concorrencial.

José carlos Duque de oliveira 1 ano S.S. Noturno



Materialismo dialético -Marx e Engels no Serivço Social e seus rebatimentos.

Na dialética de Marx e Engels, onde o capitalismo já estruturado refere-se a tese, um tipo de sociedade dominante e calcada na exploração do trabalho e no lucro exorbitante por parte das grandes empresas e do Estado que está para servir essas empresas. O serviço social entra nesta dinâmica de conflito entre o opressor e oprimido tentando amenizar as consequências do capitalismo feroz que gera miserabilidade , pauperização da população trabalhadora , através de politicas sociais , que ajudam a amenizar este quadro imposto.
Certamente a antítese do capitalismo seria o socialismo, mas para Marx o socialismo utópico, deveria ser reformulado e assim surge o socialismo cientifico que tem por base real e fundamentada , no qual a sociedade seria justa, sem divisão de trabalho, sem produção de mais valia, o homem viveria do seu trabalho sem exploração , a igualdade neste sistema seria prezada.



Daiane Marcelino do Carmo Telles  1ano serviço social noturno.