domingo, 19 de outubro de 2014

Dialética determina a realidade, Mais-valia não determina nada!

O materialismo dialético, ou somente a dialética nada mais é do que a tese somada a antítese, a qual chega em uma conclusão com o a síntese, esta é neutralização dos dois opostos citados anteriormente, e com essa neutralização, é possível chegar a um consenso, que ameniza a tese.

Além disso, acredita que esse materialismo dialético busque as causas dos acontecimentos, ou seja, busca a experiência histórica e não somente a explicação racional, a resposta para todos os males está na história; além disso, o materialismo serve como forma de adaptador do mundo e das coisas do mundo, isso porque o mundo muda, e a gente necessita “caminhar” junto com o mundo, em suas mudanças, logo as necessidades mudam, os quereres mudam, dessa forma tudo o que nos rodeia, deve mudar também, para que sigamos juntos um progresso, como por exemplo, coisas que estão na Bíblia, são muito antigas, e hoje vivemos em uma conjuntura muito diferente, e dessa forma temos que adaptar.
Produção capitalista também tem os seus modos de trabalho e um deles, é o sistema de mais-valia, o qual só é beneficiado o patrão, isso porque a classe trabalhadora opera mais do que deveria, por exemplo, cada operário trabalha em média oito horas por dia, com uma hora de intervalo, e em menos de uma hora de trabalho, ele já produziu o suficiente para a empresa pagar o salário de um dia, ou seja, o restante do trabalho é entregue de graça ao patrão, esta condição deixa explícito que o trabalhador é explorado demasiadamente. Isso é discrepante!


Maisa Bozelli Vieira – 1º ano SS - Noturno

Pensar cientificamente a igualdade!


O materialismo dialético se trata de uma maneira de analisar a realidade, buscando meios de melhorias para a mesma.

Para Karl Marx e Friedrich Engels o socialismo deve ser um pensamento científico capaz desvendar o capitalismo e assim encontrar um meio de superá-lo. E não uma utopia composta por desejo de mudança, porém sem análise crítica. Para eles o socialismo emergiu naturalmente através da luta das classes presente, o proletariado e a burguesia.

O socialismo é totalmente cíclico e deve ser reconfigurado com o passar do tempo, atendendo assim as necessidades presentes naquele momento. Porém, com a morte de Engels e Marx não houve novas reformulações o que tornou o socialismo algo impraticável. O capital econômico passou a comandar o modo de pensar e agir da sociedade e inclusive, aqueles que são explorados são induzidos ao capitalismo.

Os pensadores anteriores que citaram o socialismo no seu sentido de igualdade são profetas que servem como ponto de partida para o socialismo cientifico, capaz de analisar e ultrapassar os preceitos do capital e suas divisões sociais. 

O socialismo utópico é a destruição de todas as classes. Já o socialismo científico prevê a destruição do poder da burguesia, visando a igualdade.

Marx e Engels como estudiosos sociais pretendiam abranger a modernidade à todos, instaurando uma igualdade entre as partes. Assim seria possível que as pessoas construissem suas histórias baseados nas mesmas oportunidades, visto que dentro do capitalismo nem tudo estava ao alcance de todos. Nós estamos incluídos na vivência capitalismo e com isso acabamos nos desligando de questões históricas e sociais que advém em linhas paralelas ao capitalismo.

Marina Leobina da Silva 1º SS/D








O mundo real

O materialismo dialético de Marx e Engels tenta nos passar a sua visão de como funcionava o modo de existência e produção do homem, ou seja, de como o homem construía a sua realidade, a sua existência, e como um total real se formava. Ele diz DIALÉTICA, pois, da mesma forma que o homem intervém na realidade, a realidade também intervém na vida do homem, pois é um processo da construção da existência. Pra essa concepção que eles nos passam, a realidade é material, não esta contida em um metafísico, pra ele, a realidade existe e esta ali. A realidade não e linear, pois ela muda conforme a evolução do mundo e em diferentes tempos históricos. Como mudam as realidades sociais das pessoas, de como a existência era vista e produzida, assim como vemos também, a diferença de realidade, vista em diferentes partes do mundo, porem, na mesma época. O que muda de um ser humano para outro, são as noções de realidade que ele tem, assim como a realidade social. 
Essa é uma parte muito importante para o trabalho do assistente social, a mudança das realidades sociais, pois devemos nos atualizar sempre e conhecer as diferentes formas de vida, pois a realidade muda com o passar do tempo, assim como novas tecnologias surgem e devemos nos adaptar a elas, para que elas sejam nossa aliada e não que sejamos usadas por ela. Estudamos o materialismo dialético, para podermos ver e tentar entender, a visão deles, em uma época diferente da nossa e que ao mesmo tempo, também nos cabe, para analisar a grande diferença que existe entre burguesia e proletariado, que pode parecer velho, mais que nos vale ate hoje, e para que possamos intervir e ser mais eficazes no nosso trabalho, para tentar ver, mesmo que com utopia, um mundo mais igualitário.  

Isadora S. Mansur
1 ano SS/Noturno. 

Materialismo Dialético e Serviço Social
O Materialismo Dialético consiste num método de interpretar a sociedade a partir da realidade vivida. Só é possível propor uma alternativa para essa sociedade, com o estudo rigoroso da mesma.
Marx e Engels então aparecem com um socialismo embasado no real, o socialismo científico, onde há um estudo do passado, para que se possa compreender as transformações do presente. É na vida real que começa a ciência real.
Ao analisar a sociedade hoje, vemos que esse método de dialética, pode e deve ser ferramenta de trabalho do assistente social, pois este deve ter um olhar crítico da realidade social, e, mesmo ela sendo uma realidade contraditória, deve buscar meios de transformá-la, para melhorar a qualidade de vida das pessoas.
É claro que não chegaremos a uma sociedade ideal, pois vivemos na realidade capitalista, onde as desigualdades vão estar sempre presente, mas podemos sim, através da Dialética, construir uma síntese para as teses e antíteses presentes no nosso mundo.
 Kálita Sousa Barbosa Gomes, 1ºSS Noturno

Para além da utopia: um socialismo amparado na ciência

O movimento iluminista "quebra" com o conservadorismo do "século das trevas" e propõe que o homem seja o centro do universo o que contraria a metafísica, a qual pressupõe que Deus ocupe esse espaço, no qual ele quem rege o curso dos acontecimentos. Apesar de ter como ideal o antropocentrismo ,o iluminismo "peca" ao emancipar uma única classe, a burguesa. É nesse período, das luzes, que começa a expandir um sistema econômico que interfere não só no curso do capital, mas também, na cultura e cotidiano, principalmente, daqueles que começam a vender sua força de trabalho para sobreviver. É em um momento de grande ascensão da classe burguesa, que se mantia por meio da exploração da mão de obra assalariada, que surge o socialismo primitivo, o qual de forma utópica defendia o fim da diferença de classes, e o socialismo científico, que  pretende combater a classe no poder por meio da compressão profunda sobre a sociedade, a fim de modifica-la.
A dialética materialista de Marx e Engels defende o "real" e não a "ideia"  como base da análise científica, essa ideologia da qual eles se referem interpreta que todos possuem a mesma oportunidade, indiferente das condições na qual esta inserido,já o real vai se basear em todo o desenvolvimento histórico do "objeto" a ser analisado, assim se objetem uma tese, ou antítese as quais entraram em conflito dando origem a uma síntese. Exemplificando:  Segundo um ideal aristocrático, todos os indivíduos possuem a mesma oportunidade de ingressar em uma universidade pública, por meio de seu processo seletivo, independente de sua cor, condição financeira ou necessidades especiais (isto poderia ser tido como a tese), mas se forem analisados os alunos que ocupam as cadeiras nestas instituições não será difícil concluir que grande parte delas são ocupadas por "brancos" e por pessoas com certa "segurança" financeira. Surge, então, a antítese que defende que o processo estabelecido não garante a oportunidade de todos ingressarem em uma universidade pública, assim como os negros que ainda sofrem com as marcas deixadas por seu passado histórico. Nasce desse embate a síntese que, no caso aqui apresentado, resultará na criação das cotas raciais e para aqueles que se formaram em uma escola pública.
Vivemos em uma sociedade amparada no positivismo, o qual defende a divisão em classes sociais como forma de estabelecer uma ordem, pensamento contrário ao socialismo mas que se estende ao longo da história e tem força, já que, está é uma regra do capitalismo, um sistema flexível e que se molda as necessidades momentâneas, algo que o socialismo não faz, o que acarreta no seu atraso.

Natasha Naitzk
1 ano de serviço social,diurno

  Aulas 7 e 8.

O nós e não o eu.

  Com o capitalismo crescente a exploração do trabalho se tornou frequente principalmente o trabalho infantil e feminino que se tornou um dos jeitos mais econômicos do estado burguês enriquecer a custa do proletariado. Com o trabalho escravo, mão de obra barata e alienada supriu-se a necessidade do mercado sem exceder os custos para o patrão causando assim a mais valia o lucro excedente do trabalho, ou seja, aquilo que é produzido, mas não é pago ao trabalhador, controlados por uma falsa liberdade que na verdade era direcionada pela e para burguesia o capitalismo dividia a sociedade em duas classes burguesia (dominantes) e proletariado (dominados).
  Marx e Engels foram dois pensadores que defendiam a luta de classes e com isso marcaram uma geração através de suas ideais revolucionarias para a época.
  Defendiam e formularam a antítese do capitalismo, baseavam sua teoria no socialismo cientifico (materialismo dialético), que embasado em estudos e projetos almejava formas de superar através de analises cientifica da evolução humana os problemas sociais causados pelo capitalismo, diferentemente do socialismo utópico que não leva em conta a realidade e as causas do problema existente e por isso não tinha o efeito esperado por eles.
  O socialismo de Marx e Engels defendia um novo sistema social e econômico onde o estado existiria para a defesa e proteção da classe operaria (proletariado) e não da burguesia ocasionando assim o fim da desigualdade social e luta de classes uma real e plena liberdade de consciência para todos.





Tatiane Gomes Montes, 1º ano de SS DIURNO.

Sobre um dia comum.

Seis da manhã, resolvo entrar em uma padaria conhecida da cidade, sento-me em uma cadeira inicialmente confortável enquanto espero meu café que pedi a uma garçonete não muito humorada, pois bem, poucos ali estariam bem humorados numa quarta feira de uma semana escaldante, ainda um pouco sonolento observo todas aquelas máquinas de variados tipos de café que ficavam atras daquele balcão, projetado logisticamente para agilizar o serviço dos funcionários e melhor servir seus clientes, á direita, um papel de parede que mostra em uma imagem colossal um trabalhador peneirando o café, um tanto quanto ansioso começo a olhar para a televisão, onde “coincidentemente” retratava a imensidão dos cafezais e suas variadas formas de manuseio. Enfim chega meu expresso, um dos mais baratos, tudo que eu poderia gastar ali em um final de mês. Olho bem ao fundo da xícara, diante todo aquele cenário penso em todas as pessoas que estariam lucrando sobre tal fruto. Observo novamente o papel de parede, um pouco incomodado, questiono-me quantas vezes aquele trabalhador pôde sentar naquela esquina e se deliciar com qualquer café daquele cardápio ? Sua família também trabalhara da mesma forma ? Qual era a necessidade daquele homem para prestar tal serviço ? Percebo que meu café esta se esfriando, tomo um gole, aquela bebida já não tinha o mesmo gosto, cada vez que eu pensava no suor derramado por todos aqueles que participaram do processo de produção e em todos esses questionamentos minha boca amargava, como quem bebia fel, já não poderia mais ficar ali, inquieto, olho no relógio, vejo que estou um pouco atrasado para o trabalho, pago meu café e saio disparado em direção a fábrica que ficava do outro lado da rua. Ana Caroline Vilioni Santos - Noturno

O Materialismo Dialético como Método Cientifico

Marx com o método do materialismo dialético vai propor que a sociedade seja compreendida a partir do que ela realmente é, e dentro dessa perspectiva vai surgir a crítica do modo de se pensar a sociedade partindo apenas de uma reflexão superficial.

Ele vai defender a emancipação da sociedade, principalmente a classe trabalhadora que não tem acesso ao capital, apenas contribui para que cada vez ele aumente através da venda de sua força de trabalho.

De imediato Engels e Marx vão elogiar a ideia do iluminismo, pois é uma forma de emancipação, mas logo após surge à crítica, pois a ideia iluminista favorece apenas a burguesia, essa liberdade se da em torno da liberdade de mercado, agora essa classe é livre para ter a iniciativa de empreender.

Consequentemente a classe operária vai se beneficiar de parte dessa emancipação no aspecto material, mas também razoavelmente. Para explicar eles vão falar das condicionantes que existem  na sociedade.

"Os homens fazem a sua própria historia, mas não a fazem como querem, não a fazem sob circunstancias de suas escolhas e sim sob aquelas com que se defrontam diretamente, legadas e transmitidas pelo passado"

Isso que dizer que todo homem é livre para fazer o que quiser, porem limitado, se ele não tiver acesso ao capital seria impossível que um homem com a sua família por exemplo fosse passar ferias em outro país, mesmo que ele queira isso.

Voltando ao que Marx propõe, de se analisar a sociedade a partir do real, o exemplo acima pode explicar bem a questão da tese/ antítese/ síntese. Há um fato real que seria a tese, uma antítese que é a impossibilidade ou a negação e a síntese que seria a solução.

Gabriela Vasconcelos de Castro 1° ano SS (noturno)


Superação do capitalismo,é possível?

                                                                                             


        A partir da  revolução industrial surge outra camada social na sociedade:a burguesia,camada esta que destruiu os privilégios do clero e da nobreza,através da revolução burguesa,mas ao acabar com estes privilégios,crias os seus próprios.
      Através do socialismo utópico esperava-se alcançar uma sociedade igualitária,mas sem se traçar uma estratégia específica para alcança-la,contando apenas com a suposta bondade das pessoas,ou seja,com a "bondade" da burguesia também.
       Mas para Marx e Engels alcançaria-se uma sociedade mais igualitária somente com uma ação prática e direta contra o sistema burguês e capitalista,que seria o socialismo científico.
        Portanto, observando o contexto da sociedade atualmente,onde as mazelas sociais,as desigualdades econômicas,são visíveis fica claro e evidente que somente através do socialismo científico essas desigualdades seriam superadas.


                    Tamara dos Santos Oliveira-1º Ano SS/Diurno

Entendendo o socialismo...

Para Marx e Engels, o socialismo não é fruto da vontade dos homens, mas sim, da vontade do mundo.
Marx busca entender a sociedade moderna, pois, é na modernidade que surgem os elementos principais de uma nova sociedade.

O socialismo deve ser uma ciência e não apenas um grito na garganta.
Marx acredita que não haverá um despotismo, pois o trabalho é eterno e natural. Ele sugere apenas o compartilhamento total do lucro de forma totalmente igual, quer uma apropriação para que todos possam participar e consumir.
O modo de produção capitalista condiciona ações e as condições que determinam as possibilidades. Com isso, os homens fazem a sua própria história, porém, não a fazem como querem, pois cada um faz a escolha que está ao seu alcance.
Para isso, o socialismo deve emergir a partir de uma reflexão profunda da sociedade.
Pensar na interpretação do mundo, é entender a realidade para praticá-la.
A proposta de Marx e Engels é de ampliar a abrangência dos benefícios, emancipando assim, o homem para além de uma classe, tentavam entender como o capital funciona e suas ligações, pensando em uma perspectiva de superação.
Para entendermos o presente, precisamos entender quais fatos do passado estão inseridos no presente e a melhor maneira de enxergarmos a sociedade para interpretá-la é através do método dialético.
A dialética é um movimento reflexivo de constantes mudanças.



Amanda Gomes Caldas - 1º ano. SS/Diurno.


 Materialismo Dialético.



Karl Marx e Friedrich Engels procuravam uma verdade científica, perseguiam uma objetividade. Marx colocou em prática o materialismo, entretanto quem o escreveu e conseguiu aprofundar-se com clareza os métodos foi Engels, que tinha uma vinculação mais direta com o meio operário. Engels traçou as bases do método e fez o socialismo se fundamentar na ciência, em um diagnóstico e em uma interpretação densa.
Para Engels  “ tese mais antítese igual à síntese” era o método mais cabível para o entendimento mais profundo das modificações da sociedade.
O socialismo para ser efetivado deve ter bases nessa análise, caso contrário temos ai, o socialismo utópico, algo que só será eficaz no plano mental de quem o idealista. Para a implementação de uma solução para qualquer problema a qual se passa a de se fazer uma análise no plano do agora, no contexto imediato, pois para Engels a realidade sempre está em mutação e as soluções não estão no passado e sim no presente, no agora.
Partindo desse ponto percebemos que a análise da sociedade contemporânea não se pode partir de bases rígidas do passado, pois a realidade é mutável e, a aplicação de soluções por meio de estudos que se remetem totalmente do passado é passível de equívocos.
  
Thiago Lima Rodrigues 
  1 ano ss Diurno 

Marx e Engels: Conceito de sociedade e materialismo dialético.

Marx e Engels defendiam o socialismo não como uma política, mas como uma ciência a ser estudada, ou seja, o socialismo surge da compreensão científica da sociedade. Marx e Engels acreditavam também que era necessário para entender determinada relação coloca-la em prática, pois o real é a base para um conceito e não as ideias.
Para uma análise científica o conceito não pode vir antes do real, pois o real é algo já vivido e serve de base para a criação do conceito. Para o alcance do método científico proposto pelos intelectuais é necessário uma tese, uma antítese e uma síntese. O confronto entre a tese e a antítese resulta na síntese.
O materialismo dialético segundo Marx e Engels tem a missão de desvendar as leis do desenvolvimento histórico ligando o passado, o presente e o futuro, ou seja, as respostas em relação à sociedade esta na historia por ela vivida. Para Marx acontece uma restrição de liberdade na construção da historia do homem, pois essa história é traçada devido a circunstâncias do passado em que ela foi submetida.
Acontece nos conceitos de Marx e Engels também um elogio ao iluminismo que defende uma ruptura com o passado, sendo considerado a “aurora da humanidade”. O iluminismo prega a liberdade de uma classe da obscuridão trazendo a razão ao invés da revolução divina a sociedade, ou seja, o iluminismo vai contra a ligação entre os poderes políticos com os religiosos. A razão iluminista acaba sendo transformada em racionalidade burguesa, que destruiu os privilégios da antiga classe dominante visando somente os interesses de sua classe.

Marx também ressalta o uso da mais-valia pela classe dominante, ou seja, pela classe burguesa. A mais-valia é um mecanismo de exploração intensificada da classe trabalhadora mantida com o valor que o trabalhador produz que fica nas mãos dos patrões. 

Marcela Casagrande Manzolli, 1 ano ss, diurno

Soneto: Qual é o Método?

O materialismo dialético, para que o socialismo não seja apenas um discurso político,
Mas se fundamente em uma observação concreta
Para obtermos uma interpretação social e conhecer o sistema regente de dentro pra fora, é uma adesão ao método científico,
Pensar dessa forma nos desperta:

Desperta-nos do voluntarismo, utopia e a imaginação;
Desperta-nos para enxergarmos os fatos analisados através de outros prismas,
Para um fim colocarmos no real envolvido por “falseação”
Para aprendermos que a sociedade é um movimento duplo, que carrega em si o passado, mas também um vir a ser do futuro. Se entendermos estes fatos libertamo-nos de cismas.

Leva-nos a missão desvendarmos os motivos...
E desconstituição do processo de trabalho, de como a sociedade acredita em igualdade
De como chegamos a emancipação se ainda somos cativos

Enfim, leva-nos à missão de desvendarmos como a classe e o modo de produção vigente
Influencia seus comportamentos e padrões de conduta a todo momentos.
Entender como a estrutura condiciona a moral, política e direito normalmente.



Marx e Engels estudaram a sociedade através do materialismo dialético, ou seja, de uma realidade (tese) que sofre com o choque de outra (antítese) originando uma síntese, qualquer fato pode ser explicado e analisado através desse método, porém, devemos nos atentar de novos discursos políticos que se utilizam desta metodologia, pois devemos ter em mente que os estudos de Marx e Engels foram baseados até determinado ponto da história, sendo assim as formulações políticas atuais devem enquadrar um novo contexto e não se utilizar de discursos feitos pelos mesmos.
O contexto em que ambos viveram, foi possível analisar que o socialismo aconteceria, pois todos os fatos levavam a crer na efetivação de tal constatação, mas não foi possível que os cientistas analisassem o desenvolver da história do capitalismo, que este se deparou com uma realidade oposta, originando o próprio capitalismo englobando alguns direitos em que o socialismo aderiria.

Ivone Carolina Fernandes - 1º Ano - SS/Noturno

Até Quando Esperar - Plebe Rude

Não é nossa culpa,
Nascemos já com uma bênção...
Mas isso não é desculpa,
Pela má distribuição!
Com tanta riqueza por aí, onde é que está?
Cadê sua fração?
Com tanta riqueza por aí, onde é que está?
Cadê sua fração?
Até quando esperar?
E cadê a esmola que nós damos sem perceber?
Que aquele abençoado,
Poderia ter sido você!
Com tanta riqueza por aí, onde é que está?
Cadê sua fração?
Com tanta riqueza por aí, onde é que está?
Cadê sua fração?
Até quando esperar a plebe ajoelhar
Esperando a ajuda de Deus?
Até quando esperar a plebe ajoelhar
Esperando a ajuda de Deus?
Posso
Vigiar teu carro
Te pedir trocados
Engraxar seus sapatos
Posso
Vigiar teu carro
Te pedir trocados
Engraxar seus sapatos
Sei...
Não é nossa culpa!
Nascemos já com uma bênção...
Mas isso não é desculpa,
Pela má distribuição!
Com tanta riqueza por aí, onde é que está?
Cadê sua fração?
Com tanta riqueza por aí, onde é que está?
Cadê sua fração?
Até quando esperar?
A plebe ajoelhar...?
Até quando esperar?
A plebe ajoelhar...?
Esperando a ajuda do divino Deus!!!!!

A crítica que a banda Plebe Rude faz com essa música, representa bem a que Marx e Engels também fazem, retrata a realidade como ela é...
"Não é nossa culpa, nascemos já com uma benção..." critica no caso, o comodismo dos operários que se contentam em ser explorados, na maioria das vezes, ou, talvez, simplesmente não enxergam essa exploração. Além de trazer várias indagações, como no trecho "Com tanta riqueza por aí, onde é que está? Cadê sua fração?"  Já que só veem seus patrões enriquecerem, enquanto eles permanecem na mesma situação, sem progresso, sem crescimento, durante toda a música pode-se perceber a indignação do autor, quanto a diferença da plebe e da burguesia, que no caso, é o eixo do pensamento de Marx e Engels, que propõem a igualdade entre as classes.

Júlia Carvalho Rodrigues - 1 Serviço Social/Noturno

Escravidão dialética do Capital

Dialética Capitalista

Apliques e corpão violão 
unhas feitas que beleza
Seja sensual e misteriosa 
Pronto! Está próxima da perfeição!

Não diga isso ou aquilo
feche os olhos para a verdade
finja que não sabe 
comporte-se como donzela
e vende-se para o mundo!
Mas seja aceita,  Mulher!

Um pouco mais de seio
Emagreça sem pudor
Alise já esse cabelo
Mude o tom de pele que está um horror!

Cantai, ó sociedade 
quem determina é o capital
qual será a proxima vaidade
que escraviza a minha imagem?

A imagem virou síntese 
De uma guerra em que a Tese tem ganhado

Raramente passa umas antíteses na rua
que se aceitam como são 
sem ter medo de ficar nua
Sorrindo exalando liberdade 
sem receio de olhar no espelho 
e se ver de verdade

Seja engenheiro
esqueça seus sonhos
Felicidade está na conta bancária
e não no sorriso que exala

Faça poesias e ame a vida
Faça sexo, curta a música
Viva de arte 
e morra de vida
apenas sobreviva

Cantai, ó sociedade 
quem determina é o capital
qual será a novidade 
que escraviza minha mentalidade?

A mente virou síntese
movida pelo dinheiro que a atraí 

As vezes se vê antíteses na rua 
colorindo até o céu por onde passa 
sendo feliz e satisfeito com o que sempre sonhou
(Sobre)vivendo Livre sem esperar no capital

"A ESPERANÇA ESTÁ NO AMANHÃ"! 
Grita a publicidade 
O amanhã é mais um dia na semana 
um dia a mais no ano 
e um dia a menos de vida
Cantai, ó sociedade 
qual será a próxima modalidade 
que escraviza a humanidade?!

Larissa Bedo 1º SS- Noturno

O "real" e não a "ideologia"



A luta da burguesia na França para a quebra do absolutismo reflete no mundo inteiro até hoje, pois com o fim do absolutismo a classe burguesa ganha novos direitos.
O conceito de liberalismo (liberação do mercado) agora é presente e o homem se sente livre, porém a humanidade se torna dependente do mercado.
A abordagem teórica de Marx e Engels procura formas para entender a busca do socialismo, não o socialismo utópico, e sim um socialismo que realmente existisse, para chegar nesse objetivo é necessário procurar entender o capitalismo e mostrar que a sociedade é um movimento dual.
O materialismo dialético busca compreender a realidade através do processo histórico e situações concretas, o texto faz uma critica ao método de Hegel, onde, ele explicava que a mente é real, então tudo que é pensado pode se tornar real, para Hegel o mundo real é uma projeção do que pensamos.
Não podemos ficar apenas pensando devemos superar a especulação, principalmente no Serviço Social onde encontraremos diversas situações reais através da dialética.
Ideologias utópicas não levam a nada, devemos nos prender ao real e aos processos históricos, podendo assim mudar a realidade.


Kelvin V. Silvestre de Lima         Primeiro Ano - SS Noturno

Uma sociedade igualitária



"Os homens fazem a sua própria história, mas não a fazem como querem, não a fazem sob circunstancias de sua escolha e sim sob aquela com que se defrontam diretamente, ligadas e transmitidas para o passado." 

Na frase o filosofo alemão Karl Marx, exemplifica como a falta de oportunidade pode ser determinante na vida do homem. O criador do socialismo cientifico, juntamente com seu amigo Engels, elaborou um conjunto de idéias filosóficas , econômicas, politicas e social, onde procuravam condições para a implantação de uma sociedade sem classes.Para isso buscou estudar a fundo as origens do capitalismo, diferente do socialismo utópico que preocupava em descrever os princípios de uma sociedade ideal sem indicar os meios para alcança-la.
 A luta por igualdade social, assim como no seculo passado, encontra dificuldades para sua implantação, uma vez que o sistema capitalista já está empregando no nosso individual. Ninguém está disposto a dividir seu bens materiais, que conseguiram com o suor de seu trabalho, com aqueles que não tiveram a chance de construir algo de concreto em sua vida.Com esse sentimento de individualismo é impossível destruir o capitalismo.
A forte influência da ileologia marxista no assistente social se deve ao fato de que ambos reconhecem que só é possível entender determinada realidade através de uma pesquisa profundo levando em consideração o cenário como todo em que desenvolveu a sua trajetória, tentando encontrar soluções cabíveis para amenizar a diferença de classes. A partir do momento em que se entende que o acesso a informação para todos, independente de seu poder aquisitivo, e de maneira clara e objetiva, é a forma para a construção de uma sociedade ativa politicamente, onde conhecendo a real história dos fatos, possa-se transformar o mundo em que se vive. A  necessidade da concretização do acesso a educação,saúde, entre outros direito sociais, para todos, é o caminho para o desenvolvimento prático do homem.

Élica Batista dos Santos, 1°ano de SS, diurno

Burguesia x Proletariados, uma história real.

A dialética de Marx e Engels foi criada a muito tempo atrás, mais está muito atual à nossa realidade, e essa dialética propunha o socialismo numa perspectiva científica e não apenas política, para eles, todos deveriam ser trabalhadores, sendo assim não existiria a burguesia mandante e o trabalhador submisso, todos estariam em um mesmo nível social.
Marx e Engels são totalmente a favor da modernidade, porém buscam uma forma para acabar com as desigualdades impostas pelo sistema capitalista, vivido pelos personagens: burguesia e proletariado, personagens vivos de uma história real. A partir dai aplicam o Materialismo Dialético, que tem com base, compreender a realidade social e histórica, que tem como meta o poder e o capital.
Eles criticam as desigualdades sociais do meio capitalista e luta por meio de uma sociedade socialista, onde as classes sociais se tornaria uma só, tendo o fim da desigualdade social.
Diante disso, e de toda essa realidade atual e seus problemas sociais, o profissional de serviço social, entra, buscando melhores condições de vida para os mais necessitados, questionando e analisando a realidade de cada indivíduo da sociedade, assim exercendo seu trabalho.
Através de tudo o que ocorre nessa sociedade, burguesia e proletariados, desigualdades sociais, direitos e deveres, capitalismo e socialismo, o que podemos dizer de: Sermos Livres , será totalmente utópico, pois somos considerados livres, porém essa liberdade se encontra mascarada dentro de um sistema cheio de regras e leis, determinado pela própria sociedade, essa tal liberdade será real/

João Paulo de Carvalho, S.S. Noturno

O Materialismo Dialético no Serviço Social

O assistente social, visa compreender a sociedade como um todo, participar ativamente das lutas contra as desigualdades sociais, buscar um caminho para evolução da sociedade onde todos tenham as mesmas oportunidades, mas como conseguir, sem que se torne apenas uma utopia? O pensamento ideológico muitas vezes encobre a vida real, as verdadeiras necessidades dão lugar a uma filosofia imaginária que acaba criando uma ditadura, onde é imposto o que você acredita ser melhor para o ser social, assim pensavam os primeiros filósofos que acreditavam-se superiores e capazes de mudar a sociedade através de um socialismo utópico, que se perdia quando posto na sociedade. Surge então, o materialismo dialético de Engels e Marx, que busca compreender a sociedade através de um processo histórico da humanidade. Utilizar essa dialética no serviço social se torna interessante, estuda de forma científica e através da história, nos da a oportunidade de conhecer os fatos sociais que ocorreram, como se deu as lutas de classes, a ascensão da burguesia por exemplo, compreender as mudanças que se deram através das revoluções industriais, dos pós guerras, cada fator ocorrido muda a sociedade, muda as necessidades, as novas tecnologias e a evolução dos meios de produção e comunicação, muda o ser social e as relações sociais. Tudo isso faz com que o profissional conheça melhor o campo que está estudando, como se iniciou o ciclo social no qual pretende atuar, tem de estar atento a real necessidade, sem impor o que pensa ser melhor para cada grupo social, não nos cabe julgar como cada ser se encontra, e tendo o conhecimento histórico compreenderemos o porque existe tantas diferenças sociais e como cada momento da história faz com que a sociedade mude, ao invés de idealizarmos a mudança, sairmos em luta, por em pratica todo conhecimento científico e fazer a revolução social. Mais do mesmo (Legião Urbana) Ei menino branco o que é que você faz aqui Subindo o morro pra tentar se divertir Mas já disse que não tem E você ainda quer mais Por que você não me deixa em paz? Desses vinte anos nenhum foi feito pra mim E agora você quer que eu fique assim igual a você É mesmo, como vou crescer se nada cresce por aqui? Quem vai tomar conta dos doentes? E quando tem chacina de adolescentes Como é que você se sente? Em vez de luz tem tiroteio no fim do túnel. Sempre mais do mesmo Não era isso que você queria ouvir? Bondade sua me explicar com tanta determinação Exatamente o que eu sinto, como penso e como sou Eu realmente não sabia que eu pensava assim E agora você quer um retrato do país Mas queimaram o filme E enquanto isso, na enfermaria Todos os doentes estão cantando sucessos populares. (e todos os índios foram mortos). Lilian Greice de Paula 1° Ano SS/noturno


O Serviço Social e Marx

  Diante de cenários contraditórios, com muitas teses e antíteses, a função do assistente social deve ser extremamente importante na constante luta por igualdades em todos os seus contextos. Por mais que a utopia esteja sempre como principal possibilidade de consequência, já que a maioria das pessoas são embasadas por pensamentos, até radicais, religiosos ou então pelo senso comum, a crítica nunca foi bem-vinda. O embate da minoria contra a maioria é a prova de que não é uma luta fácil e por mais que um mundo inexistente pareça ser o único caminho, esse mesmo embate revela as contradições do capitalismo em relação à economia, politica e sociedade. São essas contradições que, como jatos de gasolina, dão a possibilidade para o fogo se alastrar, ou seja, deixam evidentes as cruéis características do sistema, para que só assim outro sistema possa ser aderido. 
  Mesmo com a dialética sendo atemporal e algumas sínteses desses confrontos aparecendo por aí, principalmente quanto aos negros e homossexuais, a resistência de uma maioria conservadora e preconceituosa é muito grande, portanto aqueles que têm a oportunidade de estudar e formar uma opinião diferenciada da comum, principalmente os que interferem diretamente no meio social, não devem ter medo de enfrentar a desigualdade capitalista com suas incríveis adaptações e reajustes. 
  O marxismo como ideologia continua firme até os dias atuais, porém algumas adaptações que seriam necessárias para possíveis reorganizações das ideias contrárias ao capitalismo não são feitas e o discurso mantêm-se o mesmo do século XIX, sendo que o cenário de operários aglomerados em fábricas já foi completamente alterado diante das constantes modificações viciosas do sistema. 
  Portanto, apesar da dificuldade em executar projetos e não acostumar-se com tudo que há de errado na sociedade, o assistente social segue o mesmo pensamento de justiça e igualdade de Marx, desde que, como já colocado, as ideias de um período histórico diferente sejam engessadas nos dias de hoje e isso acaba enfatizando a contrariedade da profissão desde sua emergência no cenário capitalista.

Vitor Veiga Corne, 1ºSS/D



                                       Da Utopia a Realidade 

 Décadas atras, utopia era se pensar:
que as mulheres teriam direitos
que concorreriam o mercado de trabalho com os homens
que homossexuais se beijariam, sem que sejam espancados
que os mesmos se casariam e adotariam seus filhos 


que o trabalhador teria dia de descanso...
férias... 13° salario ....
O capitalismo, quem sabe causador de todos problemas sociais,
faz do trabalhador uma máquina.
Onde trabalha sem saber pra quem,
sofrem em troca de trocados a serem pagos e devolvidos ao Estado
seja na compre de alimentos ou em pagamentos de contas.
Marx e Engels refletiram... ''chegam'' ao materialismo dialético,
formado por 
O conceito nunca vem antes do real .
O mundo precisa de evolução, chega de limitação.
a sociedade é formada por pessoas manipuladas e ao mesmo tempo individualistas,
que não se unem em um movimento
uma revolução mundial,
algo transformador !
um socialismo não utópico,
onde a mídia não teria espaço pra manipular
e o povo iria governar
sem desigualdade
sem massacre.... da utopia a realidade.


Maria Carolina Paulo Almeida 1° Ano SS- Noturno
A história do homem é a história da Luta de classes

  Mostrando-se como um prosseguimento em sua forma teórica o socialismo apresenta um aspecto mais desenvolvido e mais consequente do que os grandes pensadores do século XVIII colocaram.
  O socialismo surge como uma verdade a ser revelada pela visão de alguns homens especiais, estes primeiros pensadores socialistas foram considerados "homens iluminados" eles clarearam suas mentes, ou seja, tiveram uma inspiração e empregaram uma atitude revolucionária.
  Para pensar em como seria uma sociedade ideal precisaram primeiramente entender a dinâmica do capitalismo, por isso a necessidade de se observar o fenômeno em seu processo de nascimento e caducidade. Para compreender a dinâmica das transformações históricas foi preciso que Marx e Engels se apropriassem do materialismo dialético. O socialismo continha em si como ideia principal a destruição das diferenças de classe que o capitalismo tem embutido.
  Juntos os dois observaram que o avanço técnico aumentou o poder humano sobre a natureza e foi responsável por progresso e o acumulo de riquezas, em contradição a isso trouxe a exploração do proletariado, cada vez mais empobrecida que tinha como bem apenas sua próle.
  O segredo da produção capitalista e principal mecanismo de exploração da classe trabalhadora era o mais valia o que trazia por conseguinte a luta de classes, que nada mais é que o atrito ente dois grupos, Burguesia que possuía os meios de produção e proletariado que possuía a força de trabalho sendo este a essência do homem.
  Pela Revolução do proletariado, os trabalhadores destruiriam o capitalismo e consequentemente a desigualdade social que atualmente encontra-se nos quatro cantos do mundo, em alguns lugares em mais evidência e em outros menos.


Caroline dos Santos 1º SS - Noturno
 
 

As consequências da história


A nossa história está diretamente relacionada ao futuro, onde este será reflexo do que vivemos, e diante ao qual muitas vezes não temos a escolha. Ou seja, será uma consequência.
Marx e Engels utilizam do materialismo dialético, onde este consite nas condições de existencia, em compreender o desenvolvimento histórico através do científico que é voltado à transformação. Onde o real supera a filosofia idealista e prega a pratica.
Elogiam também o iluminismo onde este teve um papel importante de transformação, mas também por outro lado temos o início de uma nova classe que passará a ser a elite. Com isso, ele critica o capitalismo como os meios de produção, onde estes são alienados, e "irracionas", são submissos ao mundo capitalista. Onde não tinham escolha, pois precisavam sobreviver e os trabalhos precários era o que tinha ao alcançe dessa população. Sendo assim, a produção se torna a base da ordem social.
Com isso, os males que estão presentes na sociedade tem seu início na sua história passada, onde fomos submissos aos acontecimentos, sem direitos e sem melhorias.

Larissa Gonçalves Ferreira, 1° SS diurno.

Materialismo dialetico como método cientifico

   Pensar do ponto de vista materialista e você interpretar a sociedade, onde propõem um método para estudar a sociedade, sua ações, onde as leis de pensamento são iguais as leis da realidade, onde os dois caminham juntos, e tenta um compreender o outro, e entender a sociedade e suas causas. Onde ela busca libertar o povo, onde tenta emancipar o homem de suas limitações.
   Essa nova sociedade ela nos modifica, nos transforma, onde se busca uma liberdade a todos, pois todos somos iguais perante a lei. Mas como a classe proletariado e a mais desvalorizada , e a luta da burguesia e a destruição dos poucos privilégios da classe, onde eles mesmo criam seus próprios privilégios.
   Essa nova sociedade ela nos modifica, onde ela tenta entender nossa capacidade, onde ela busca uma liberdade comum a todos, onde ela busca tirar o privilegio de poucos, para ser comum a todos. Mas para que seu pensamento tenha significado, passaram a observar que era preciso modificar o socialismo e situa-lo mas na realidade. Com os conceitos de tese, antítese, onde uma complementa a outra, onde podemos compreender a sociedade humana e suas relações. Fazermos pensar em como estas relações fazem com que pequenos homens possam ser considerados grandes, na luta pelo seus direitos.

Andréia Aparecida da Silva 1º ano S.S. Noturno