quarta-feira, 29 de outubro de 2014

A compreensão do indivíduo.

 Weber ao contrario dos outros filósofos, foge da realidade onde há regras e leis na sociedade, propondo uma ciência geral na sociedade, ou seja, saindo da física social (realidade), que se iguala ao positivismo. Fazendo uma crítica ao materialismo dialético, onde ele diz que a ciência não pode dizer o que o indivíduo deve fazer, mas sim entender a ação social, sem fazer o mau juízo da ação tomada pelo indivíduo. Para o filósofo a sociologia é como uma ciência da realidade, onde se deve compreender a ação do indivíduo, mesmo quando se deve analisar o coletivo, como o Estado, deve estar em foco essa ação.
  Weber propõe quatro tipos de classificação: Onde a primeira ação é racional com relação a um objetivo, que o indivíduo tenta atingir seus objetivos. A segunda  ação é racional com relação a um valor, que o indivíduo é fiel as suas ideias, e aceita os ricos à sua ação. A terceira ação é afetiva ou emocional, o indivíduo é estimulado pelas suas paixões. A quarta ação é tradicional, o indivíduo é induzido pelos seus costumes.
  É preciso indagar o lado social do sujeito, assim entender a ação e os sentidos das atitudes tomadas é mais humano, e entender que essas ações nem sempre são tomadas por um lado econômico, e sim cultural. A compreensão da ação social do indivíduo é necessária, pois a sociedade é pluralista. Assim, Weber torna sua sociologia no Individualismo Metodológico, onde o principal é o sujeito e não todo o conjunto da sociedade, e sua compreensão é uma explicação e analise da ação social. Weber diz também que você é um humano em toda sua vida, então entender os valores dos outros é necessário, não tentar que os outros em uma analise sigam seus valores.

(Mariana de Castro Pereira, 1° SS Noturno)

Autenticidade da ciência weberiana.

    

    Max Weber é um dos principais sociólogos do século XX,e traz como proposta uma sociologia reflexiva e compreensiva,e não meramente ideológica,uma ciência pautada na compreensão da ação social.
   O que conduz Weber a  uma crítica a ideia determinista do materialismo dialético de Marx e Engels,afirmando que ciência e política são duas vocações distintas,em que a política associada a ciência pode inferir para ocultar a compreensão do objeto em sua profundidade e totalidade,é partir dessa reflexão que Weber estabelece como perspectiva o método de buscar a objetividade pura,procurando desvincular ser pesquisador de ser político.
   Ele propõe sobretudo,que para o exercício da investigação é necessário um afastamento dos valores pessoais,e do juízo de valor,para de fato compreender o valor do outro,isso requer ao individualismo metodológico,o método que foca na ação social do indivíduo, para então entender o sentido dessas ações que podem estar condicionadas a cultura,a sua história de vida pessoal,a religião e crenças e ao meio no qual o indivíduo está inserido.
   No entanto, Weber quer esclarecer que não existe apenas uma dialética que explica a sociedade,assim,como relata o materialismo dialético,mas acredita na existência de várias dialéticas,onde todas as ações são mediadas por outros valores e não somente por aqueles que rebatem na estrutura das classes sociais e na relação de produção capitalista, por isso, não pode ser meramente reduzido a um denominador comum, ou a um dogma,mas, deve ser entendida nos seus múltiplos valores,que molda a ação social dos indivíduos, classificada por Weber em quatro tipos:ação racional para atingir um objetivo,ação afetiva conduzida pelos sentimentos,ação tradicional ligada as crenças e hábitos e ação racional em nome de um valor que lhe é moral,são esses os motivos pelos quais a sociedade não pode ser explicada por um único fator.
   Weber mostra os primeiros passos para uma análise profunda e empírica,evidenciando que as leis,ou seja,a teoria deve ser o ponto de partida,o segundo, é analisar os fatos além das relações de produção ,o terceiro é compreender a construção dos valores que determina a ação social e o quarto é tentar entender as possibilidades do futuro.
   Max Weber define as leis como Tipo Ideal,é um recurso metodológico,uma teoria, que precisa ser  executada na realidade e na prática,para não cair no mero erro de torna-lá uma teoria utópica,pois,é somente convertendo teoria em prática que o ápice da verdade científica pode ser alcançado. 
   
   Laís Neves 1°ano Serviço Social-Diurno

Função essencial da Sociologia

 A compreensão  do sentido da ação social  é determinado por um sentido e movida por valores. A compreensão sociológica deve levar em conta que, mesmo quando se trata de analisar entes coletivos, refere-se meramente a determinado curso da ação social de indivíduos, efetivo e construído como possível.
 O significado de compreensão é a explicação do curso efetivo da ação de acordo com sua conexão de sentido. Efetivamente visado no caso individual (na consideração histórica) e visado em média e aproximadamente (na consideração sociológica em massa) o significado de compreensão, o sentido ou conexão de sentido a ser construído pondera e escolhe, entre os possíveis valores em questão, aqueles que estão de acordo com sua própria consciência e sua cosmovisão pessoal, ou seja, o juízo de valor é ponto de partida na ação ou decisão para a ação que serve de escolha  de valores. Portanto, a compreensão sociológica e o lugar da ação social é complexa porque a realidade é complexa.
 Weber classifica a ação social em quatro tipos possíveis: ação racional com relação a um objetivo (objetivo concebido e meios para atingi-lo), ação racional com relação a um valor (fiel às suas idéias), ação afetiva ou emocional (paixões) e ação tradicional (hábitos, costumes, crenças).
 A crítica à ideias deterministas, a crítica ao dogmatismo do materialismo histórico passam a se contentar com as hipóteses mais frágeis e com as formulações mais genéricas, pois já foi satisfeita a sua necessidade dogmática, segundo a qual as 'forças' econômicas são as únicas 'autênticas', 'verdadeiras' e 'sempre determinantes em última instância'.
 A aplicação forçada do materialismo histórico e/ou o rebaixamento das demais causas "às vezes amplia o conceito de 'econômico' até o desfigurar, de modo que nele encontram lugar todos aqueles interesses humanos que, de uma ou de outra forma, são ligados aos meios externos ou ao meio ambiente"(Max Weber).
 A metodologia científica e a incompatibilidade da busca da verdade científica com o sistema de leis que explicam os objetos são apenas o primeiro passo na análise dos objetos e o segundo passo é a análise das combinações de fatores, o terceiro passo são as conexões anteriores e o quarto passo é a "constelação de possibilidades" para o futuro.

 Sociologia compreensiva=individualismo metodológico

"Uma ciência epírica não pode ensinar a ninguém o que deve fazer, só lhe é dado - em certas circunstâncias - o que quer fazer." (Max Weber) 

A compreensão sociológica e a interpretação da ação social em Max Weber 

                                     

Letícia Fabreti Dias
1º ano de Serviço Social/diurno




 

  


VISIBILIDADE E PLURALIDADE


O programa “Esquenta” exibido aos domingos em uma emissora de grande visibilidade e apresentado por Regina Casé, que é mulher, forte representante da classe trabalhadora por vezes, sofredora e dos movimentos advindos da periferia, traz uma reflexão positiva acerca da visibilidade dos negros, da igualdade, do rompimento de estereótipos e da mistura de estilos existentes no nosso país e que muitas vezes não é veiculada para o grande público de maneira natural.
Possivelmente na tentativa de combater os preconceitos em relação à sociedade suburbana, o programa cria ícones representativos da periferia, como por exemplo, a imagem da mulher negra que dança o samba ou o funk com roupas curtas, o homem negro que é MC, rapper, sambista ou pagodeiro e ainda “apreciador” das mulheres que são expostas, e acaba com isso, criando uma caricatura da sociedade nascida e criada na favela. Então, fica claro que realmente é importante pensarmos no coletivo e na pluralidade que há nesse meio.
Porém a questão é que, devemos nos atentar ao fato de que essa visão pode nos cegar diante da verdadeira vertente que o programa aborda, a visibilidade da favela e daquilo que é tido como personificação dos moradores dessas áreas.
Comte provavelmente diria que estamos vivendo uma anomia frente à representatividade dos negros na televisão brasileira. Positivistas assim como ele dizem que o programa foge dos padrões, veiculando a cultura de uma “sub população”. Já Durkheim buscaria entender a necessidade de se ter um programa que coloca a mostra essa disparidade entre as classes sócio-raciais e mais, o motivo dessa desigualdade, e com isso ele entenderia os fatos sociais e os assimilaria com o intuito de explicar e reintegrar a sociedade. Diante disso, um estudo poderia ser feito a fim de certificar a efetividade do programa como sendo mais do que um meio de entretenimento.
De modo geral, é interessante ressaltarmos que essa visibilidade agrega força à luta de classe e principalmente ao movimento afro-brasileiro ou negro, mas devemos nos atentar ao exagero, ao extremismo visto que a mídia formadora de opinião que é pode criar equívocos caricatos de uma verdadeira história que muito tem a nos ensinar e que merece ser emancipada diante dos olhos de todos.

Carolina Neves
Marina Leobina
1º SS - Diurno

“Xô, preconceito!”

Assistimos ao programa “Esquenta!”, do dia 05/11, o qual relatou blocos de diversos tipos de músicas, dentre elas: samba, pagode, rap, rock, funk e instrumental; como também, mostram trabalhos realizados na rua, artes feitas com materiais dos mais improváveis, entre outras coisas. Além disso, por ser um programa alegre e acolhedor, que tem o intuito de juntar culturas e pessoas de diversos lugares do Brasil e do mundo, traz consigo a participação de artistas e da plateia, fazendo assim, com que um aprenda com o outro, de um jeito engraçado e divertido. O programa tem o seu "lema" que é o "Xô, preconceito!", que enfatiza mais ainda a ideia de acabar com qualquer tipo de preconceito. Desde seu início, existe um projeto de incentivo à leitura, ou seja, o convidado que irá participar de tal dia do programa, pode levar um livro favorito e autografado explicando a importância da leitura, e colocá-lo na “Biblioteca do ‘Esquenta!’. Cada programa mescla diversos gêneros musicais, ou seja, um cantor de samba canta uma música de um canto de rock e vice-versa. E, por exemplo, nesse dia, dois rockeiros participaram de uma brincadeira e cantaram músicas da Alcione, que é um grande destaque do samba e, também, o cantor de rap, Marcelo D2, cantou uma música do samba, como cantores do samba cantaram músicas dele. O Esquenta! é uma mistura, uma miscigenação pura que só traz aprendizado tanto para quem participa do programa quanto para quem assiste.
Todo este tema relatado no programa é possível relacionar tanto com Durkheim, quanto com Comte, isso porque ambos os sociólogos visam a sociedade, conhecê-la a fundo para poder “curar” os males que este coletivo apresenta; enquanto Durkheim mantém um equilíbrio entre o POSITIVISMO e o NÃO POSITIVISMO, Comte se restringe apenas à ideias POSITIVISTAS. Durkheim acredita que a sociedade mantém uma ordem, a qual pertence a cada ser, e não á sociedade, ou seja, cada um tem a sua própria ordem em sua essência, então seria teoricamente impossível mudar as ideias de um grupo, já que todos são diferentes, e dessa forma ele começa a se preocupar muito mais com a instituição da qual se trata, do que com o indivíduo. Qualquer tipo de mudança dentro da sociedade atinge o grupo, como por exemplo, apresentado no programa, a questão das festas de rua, as quais são conhecidas popularmente como “Fluxo”, que ocorrem em centros públicos da cidade, o que deveria não prejudicar ninguém, porém, não é bem assim na prática, estas festas ocorrem de sextas-feiras e finais de semana, em horários noturnos, o que causa incomodo e estresse para os moradores das regiões próximas, os quais precisam descansar depois de um dia de atividades, não tem sossego nem em sua própria casa.
Enquanto para Comte a sociedade é regida por leis imutáveis, que seria a ordem que serve para a manutenção das coisas e que o desenvolvimento da sociedade depende dessa ordem, e o programa já vem desconstruindo isso, com suas misturas de classes, pessoas, estilos músicas, culturas, entre outras coisas, afinal para ele seria mais fácil manter a ordem fazendo da população à imagem e semelhança da Classe Burguesa, e o programa já tem o papel de mostrar o lado oposto, deixando transparecer que a população em si não se assemelha, como neste programa mostra bailes funk nas ruas, homens que moram na favela ganhando prêmios e escrevendo livros, e o programa vem para fazer essa mistura entre as pessoas, não importando com sua cor, seus gostos, sua cultura ou sua classes social e isso para Comte já desarmonizava a sociedade e assim não conseguiria manter a ordem.

Caroline Alves Miranda – 1º ano SS – Diurno
Débora Araújo Costa – 1º ano SS – Diurno
Maisa Bozelli Vieira – 1º ano SS - Noturno

Aldovano Barbosa 1º Ano SS Diurno
Programa Esquenta sob o olhar de Comte


O programa Esquenta, comandado por Regina Casé apresenta as diferenças de classes sociais, econômicas e intelectuais. Essa distinção  torna-se evidente quando as ajudantes de palco entram em cena com suas roupas provocantes, reforçando a ideia de que a mulher é um objeto e que a forma ideal para ela conseguir elevação de status ela precisa se comportar de tal forma. 
Soma-se a isso o fato de músicas populares  entre a massa serem  mescladas  com  MPB, onde músicos, letra e melodia são trocados, porém continua a ênfase de que o ritmo periférico pode alcançar outros níveis mas nunca permanecerá entre a elite, pois esta  se diverte com os ritmos da periferia, entretanto a periferia não combina com seu cotidiano.
 Comte analisaria o programa como um meio que  provoca  o caos, pois para ele, para manter-se  a ordem seria necessário deixar cada um em seu devido  meio . O positivismo analisaria o programa como um meio que interfere na ordem, mas essa interferência e supérflua e insignificante .
Apesar do programa fusionar cultura de massa e cultura da elite e pontuar alguns problemas  da rotina do brasileiro, ele também transmite a mensagem subliminar de que está tudo bem assim, os negros continuam na periferia, as mulheres continuam sendo simples mercadoria, o pobre continua sem instrução e condição de pensar por ele próprio, necessitando de uma pessoa ( apresentadora)  que a conduza para o melhor caminho. 
Ao apresentar as situações divergentes  de  forma sucinta, o programa se identifica com o positivismo, pois assim como o positivismo faz uma análise da situação sem considerar o contexto, o programa não se aprofunda em questões sociais.