sexta-feira, 31 de outubro de 2014

                              

                            Max Weber

Weber acredita que para compreender a ação social é preciso saber que a mesma é movida por valores, esses valores são diversos e individuais, se devem a cultura, crença, sentimento, opiniões entre outros, assim, é necessário separara-los s para chegar à ação social esse todo. 
Um ponto importante é as classificações da ação social: relação a um objetivo, a um valor, emocional, tradicional.Cada uma trata a ação social de modo diferente, seus resultados são diversos. Essa é uma critica a ciência empírica porque cada pesquisador tem seus valores e fazem as suas “regras” a partir desses valores. Assim fica claro que a ação social não se pode ter leis. Não se pode definir sobre um olhar. 
Essa objetividade esta sempre em mutação, sempre em dialética, as ciências como a antropologia, sociologia, e filosófica estão em constante mudança. Max tenta explicar e compreender as coisas, acredita que para conhecer o todo é preciso analisar os indivíduos primeiramente pois estes fazem parto do todo. Ao analisar a sociedade se deve deixar de lado seus valores e suas leis e fazer uma analise verdadeira sobre os fatos, Weber defende a verdade a cima de tudo. 

"Poder é toda chance, seja ela qual for, de impor a propiá vontade numa relação social, mesmo contra a relutância dos outros"

Luana Rosada Vieira Tomaschitz - SS - Diurno - 1 ano

Max Weber- A compreensão sociológica e interpretação da ação social


O Individuo como inicio

Há uma sociedade que é alvo de longas  e antigas pesquisas, teorias, estudos, duvidas, etc. , que se fazem com o intuito de explicá-la . Mas a sociedade como sendo um todo abrangente, um conjunto de algo, necessita de existir suas partes e estas são os indivíduos, suas células, o ser humano como ser social que é formador da sociedade e precisa então ser compreendido primeiramente, percebendo isto Max Weber coloca à sociologia esta visão.
A ciência social deve buscar compreender e ter conclusões da sociedade pois, apesar de distintas, a política possa age em prol desta através de suas conclusões. Porém o método que até então se utilizava para chegar a estas conclusões  tinha como análise apenas o coletivo e baseavam apenas em suas teorias estereotipadas e seus próprios valores,  não se atentam aos interesses e realidade dos  indivíduos; tiram conclusões  do que imaginam ser a realidade.
O indivíduo, por mais que o sentido da palavra seja uno, único, possui uma ramificação de valores, de objetividades e subjetividades, uma cultura, impulsos dentro de si diferentes mesmo de um para outro. E esses valores, por mais que mesmo impostos conscientemente e inconscientemente, é que conduzem os indivíduos a fazerem suas escolhas a tomar decisões e ações tanto racionais quanto irracionais e não só individuais, que como interferem também diz respeito ao social, ou seja, a ação social do individuo deve ser interpretada como a que da sentido,  é e deve ser a formadora do social e assim o que deve ser compreendido pela ciência social para  que a conclusão seja de acordo com a realidade do individuo.
Esse “tipo ideal”, como chama Weber, que se baseia em teoria deve ser somente o inicio para análise, é necessário que se comprove se esta teoria é a verdade vivida pelo individuo. Pois na teoria se tem o que deveria ser, mas a realidade mostra o que é, ou seja, que não é o que deveria que é diferente e que a teoria tem que ser modificada. A compreensão deve ir do individuo, que dá o sentido, para sociedade. Só se pode chamar de sociedade a realidade dos indivíduos que a formam através de suas ações nela, que só se saberá se virmos e perguntarmos a eles próprios (Individualismo Metodológico).
 Contudo, esse método não quer dizer que conformemo-nos então com a realidade deste individuo, mas a sociologia precisa compreendê-la (Sociologia Compreensiva)  e ter uma conclusão real (Objetividade) da ação social destes indivíduos, para que a política que busca informação nessa ciência e que pensa em nos valores econômicos possa ter e saber assim responder a esta realidade do individuo que possui vários valores. Se a teoria que se forma na imaginação não corresponde à realidade a conclusão que se possui é errada e assim a ação da política errada também. Aqui se mostra a grande importância da “pesquisa de campo” e da proximidade do Assistente Social com o individuo, pois o primeiro, como o próprio nome diz, dá assistência para que a realidade do último seja levada sem desvios a esta política.

Mariangela Santos de Oliveira- 1º SS/N