sábado, 1 de novembro de 2014

Pensamento Weberiano

 Através do pensamento de Weber vemos o quanto ele se mostra preocupado com a compreensão dos indivíduos na sociedade, com suas atitudes, na qual a sociologia poderia explicar melhor tais fragmentos da realidade social.
Ao contrário de Durkheim, ele não enxerga a sociedade como um ente acima do individuo e que os padrões e regras acabam se transformando nestas relações sociais entre os mesmos, que através de suas ações é quem constrói a sociedade.
Max Weber acredita que a sociedade é fruto das ações dos homens que fazem suas próprias escolhas, indivíduos que pensam, analisam e que para ele são considerados mais importante já que "dão vida" a sociedade.
Já a ação social é o objeto de estudo dos indivíduos e dentro da sociedade e estão estabelecidos diversos tipos no qual Weber acredita haver algumas mais efetivas, como: ação tradicional, afetiva, racional e também ligada a valores e quando as mesmas é compartilhada se estabelece uma ação social.
Portanto como futuros Assistentes Sociais devemos ir a fundo quando se trata da realidade destes indivíduos,  de seu próprio contexto e assim compreender suas ações, já que a "ciência não pode dizer o que o indivíduo deve fazer" (pensamento contrário ao materialismo dialético), mas fazer uma análise do indivíduo para se chegar ao tipo ideal, em uma construção da realidade.


Monike Campos- 1°SS/Noturno

Weber e o individualismo metodológico

 Muitas pessoas acreditam que o método de Weber é compreensivo porque "tudo aceita, tudo suporta", mas não é nada disso, Weber prega uma sociologia compreensiva no sentido de observar e compreender o indivíduo, colocando-o como foco, entendendo que cada pessoa é envolta de vários valores e costumes. As atitudes são baseadas no contexto que cada um vive, essa linha de raciocínio é chamada de individualismo metodológico, e exatamente por isso coloca o individuo sobre os holofotes. 
 Weber faz uma critica à Marx para com suas afirmações sobre a influência da economia na vida das pessoas, portanto, escolhas pessoais não necessariamente tem ligação direta com o capitalismo ou algum outro fator econômico. 
 A compreensão de Weber compete em analisar os fatos de uma maneira neutra, sem se deixar levar pelas emoções ou conceitos pré-concebidos, nessa investigação ele usa do ''TIPO IDEAL'' que é montar um tipo ideal do assunto observado antes da própria analise e depois comparar com o resultado da pesquisa, que é o resultado concretoEsse método é bastante eficaz, pois a partir dessa observação empírica podemos descobrir o resultado e compara-lo com a imagem ideal, justamente para não ficar iludido com uma falsa realidade (como é o caso de vários marxistas que acreditam que o ideal é o real  
 Acredito que tanto Marx, como Weber boas linhas de raciocínio, se usados em conjunto podem mudar a realidade e transforma-la em algo perto do ideal. 

Marcela Cintra Comassio 
 1º ano de Serviço Social (Noturno)
Tendo em mente que é o ultimo texto, a ultima postagem e a ultima aula, me concedi o direito de fazer um texto mais pessoal, devido ao antagônico sentimento em que me encontro, algo se eu fosse explicar seria uma espécie de nostalgia feliz, por estar acabando um semestre que durou mais do que poderia imaginar, em virtude da greve. Greve que a meu ver foi necessária, mas como o pensamento Weberiano veria a greve?
Sabendo que greve é um fato social podemos analisa-los sociologicamente, talvez se fossemos indagar superficialmente a Greve dos três setores ocorrida este nas Universidades paulistas na qual os protagonistas foram os professores e servidores contra o estado de São Paulo, poderíamos dizer que a greve foi o resultado da luta de classes ocorrida periodicamente na historia da humanidade, na qual os explorados lutam contra os detentores do poder.
Entretanto a visão Weberiana iria mais fundo em busca da objetividade: Desde o século passado a ideologia do Estado provedor do bem estar social foi substituída pela ideologia Neoliberal. Em consequência do fato os investimentos públicos decresceram. E o nosso o estado de São Paulo é claro não fugiu a regra e a tendência mundial. Sem investimento nas Universidades paulistas o atual governo sucateou as universidades paulistas fazendo com o que não sobre capital para o reajuste dos professores e funcionários deflagrando a greve. Porém a filosofia Weberiana não olha apenas para o todo, ela olha também a parte o que cada professor, cada funcionário, sentiu, sofreu até o momento de aderirem à greve, não é apenas a consciência de classe que vez com que eles aderissem à greve, mas também algo interno, pessoal, que apenas a investigação individual pode descrever.
Cheliman Alves Rodrigues – SS/Noturno

Weber, a compreensão acima de tudo


Para Weber, para compreender a ação social é necessário entender o indivíduo e compreender seus valores, pois a sociedade é pluralista e o sujeito é único.
A ação social se manifesta de formas e valores diferentes, não se tem regras, e essas estão em constante mudanças. Essas ações fundamentais são divididas em:
-Racional em relação a um objeto: que compreende o indivíduo através de seus objetivos.
-Racional em relação algum valor: onde o indivíduo corre atrás de seus interesses.
-Emocional: onde através de desculpas e chantagens, o indivíduo procura justificar seus erros.
-Tradicional: conceitos e regras que o indivíduo carrega consigo, como as tradições familiares.
Weber defende acima de tudo a verdade, e para compreender o real é necessário analisar o indivíduo, suas qualidades, defeitos, sua vida passada e tudo o que o cerca hoje, para chegarmos num tipo ideal.
Sendo assim, podemos dizer que o papel do Assistente Social, é analisar e buscar respostas sobre o indivíduo, através do meio onde ele vive, para justificar tal ação, e não fazer um pré julgamento  do indivíduo com métodos já definidos.
Talvez entender as ações dos indivíduos na sociedade é entender um pouco mais, da sua história, do seu meio onde vive, ou seja, não fazer um pré julgamento vazio, sem analisar a ação, como foi feito pela personagem Patricia na charge, olhem:





João Paulo de Carvalho, Serviço Social - Noturno.


Aplicando Weber

O método de Weber em analisar a sociedade é muito inovador quanto as outras propostas. Nada é mera influencia da sociedade, o individuo faz suas escolhas. A sociedade até pode dar essas escolhas, mas é o individuo que segue um caminho. Ele diz que devemos considerar a história, mas não somente a história como também o presente, além da conexão entre elas, devemos considerar também a humanidade dos seres humanos, nada é totalmente racional o ser humano também e feito de emoções, de paixões e diz mais para ser possível entender uma realidade é preciso fazer uma pesquisa de campo, viver o que vivem, saber o que sentem. É necessário compreender o indivíduo. Lembrei-me de uma história real em que um rapaz de família classe resolve viver do seu trabalho artístico nas ruas. Weber chegaria para esse rapaz e indagaria: Por quê você fez essa escolha? O que fez você tomar essa decisão?
Primeiro é necessário entender um pouco da história. A arte na história não era valorizada, os poetas, músicos, pintores eram vistos como boêmios, de vida mansa, burgueses que viviam sustentados pela família, de serem folgados. Fazendo uma comparação entre passado e presente podemos observar que quase nada mudou. Hoje ainda prevalece, ainda mais com o avanço do capitalismo, essa ideologia. Ora, se você não produz nada material, de consumo ou não contribui para a fabricação do mesmo vc não trabalha, é um folgado que vive na sombra da sociedade, e arte não é valorizada ainda mais quando não se tem prestígio. Esse é o caso geral, da cultura de massa, as respostas do individuo mostrarão se essa história se aplica em sua vida individual. Pensando nas possíveis ações sociais, o rapaz poderia: ter lutado para ter se tornado um artista reconhecido, ele poderia ter participado de uma revolução para ter seu lugar no mercado, poderia ter seguido as tradições e a fama de levarem vida boemia ou simplesmente ter feito o que ele fez. Em amor a sua arte, ele abandonou todo seu conforto e sua própria família. Com certeza, ele poderia ter respondido: foi o sistema capitalista, econômico vigente que me tirou fora da sociedade, mas acredito que a melhor resposta seria: fui movido por um sentimento de liberalismo, de liberdade, de poder expressar minha arte do meu jeito e com acessibilidade à todos. Eu amo o que eu faço e não quero sair dessa vida. Isso não é uma utopia, utopia seria imaginar a arte livre nessa sociedade interesseira.
Se Weber fosse assistente social e esse rapaz fosse pedir ajuda, acho que ele ajudaria o bastante para sua sobrevivência, mas nunca ao ponto de mudar seus sonhos. A sociedade pode até mudar o sujeito, mas o inverso também é recíproco.

Você que me critica no seu luxo,
Vem viver no meu barraco
Saia do seu conforto,
Respire o ar aqui fora,
Ande com os pés descalços
Desaproprie dessa sua vergonha
Venha fazer o que gosta
Experimente o que eu vivo
Seja o que eu sou, faça o que eu faço

Venha ser feliz. Venha ver o que é felicidade!

                                             ( Aline Rosilei Vanin 1° SS / Noturno)

A ação social sendo interpretada por Max Weber



A sociologia de Weber é denominada Sociologia Compreensiva, a qual tem o intuito de compreender os movimentos sociais. Ele busca uma objetividade possível por meio da tentativa de separação de duas vocações: a ciência e a política, e seu método de estudo é o individualismo metodológico, que foca na ação social do indivíduo.
Weber compreende a sociedade através de explicações efetivas da ação social de acordo com a conexão de sentido do indivíduo. Sendo que, esse sentido pode ser analisado de três formas diferentes: visando no caso individual, que seria considerar a história; visado em média e aproximadamente, considerando a sociologia em massa e, por último, visando ser construído cientificamente, como um "ideal-típico" para o tipo puro (tipo ideal) de um fenômeno frequente.
Para este sociólogo, todas as ações sociais são mediadas por valores infinitos (escolha de valores) e o juízo de valor é o ponto de partida daquelas, então a função da sociologia, neste caso, seria entender o que está passando na cabeça do indivíduo quando ele pratica (ou pensa em praticar) alguma ação social.
Weber classifica a ação social em quatro tipos possíveis, são eles: ação racional com relação a um objeto, isto é, o ator concebe seu objetivo e combina os meios para atingi-los; ação racional com relação a um valor, ou seja, fiel às suas ideias, o ator aceita os riscos intrínsecos à sua ação; ação afetiva ou emocional, que é estimulada pelas paixões do indivíduo e, a ação tradicional, que é estimulada por hábitos, costumes e crenças.
Suas críticas foram à ideia determinista de ciência e ao materialismo histórico, que no texto ele diz: "jamais pode ser tarefa de uma ciência empírica proporcionar normas e ideias obrigatórias...", também faz crítica ao dogmatismo do materialismo histórico e é oposto à ideia de funcionalismo de Durkheim.
Por fim, o método de estudo weberiano diz que o conhecimento do geral não deve ser tomado no sentido de finalidade da análise e as "leis" são os meios e, não, os fins nessa análise sociológica. As leis ditas são apenas o primeiro passo da análise do objeto, o segundo passo é a análise das combinações de fatores, o terceiro passo é a análise das conexões anteriores e, por último, as constelações de possibilidades para o futuro. E, o "tipo ideal" denominado por Weber é a ferramenta metodológica, o meio para a análise, sendo que esse não corresponde a algo que "deva ser", mas o objetivamente possível e atua como forma de organizar o caos e a complexidade do real. A partir desse parâmetro, decide-se algo e a verdade científica advém da comparação entre os fatos e o tipo ideal.

Débora Araujo Costa - 1º ano SS - Diurno

MAX WEBER E A SOCIOLOGIA COMPREENSIVA

A Sociologia de Max Weber, pensa o individuo através de uma analise profunda, de uma pesquisa para além do que aparenta ser, pensa as conexões anteriores.
Max Weber tenta compreender o individuo, em todo o contexto da sua vida , tanto cultural, como social, familiar ,compreende de forma fragmentada por partes, para entender o todo.
A sociologia deste pensador é de compreender o ser humano e não de ser passivo a vida do mesmo.
Ele faz uma menção acerca do tipo ideal uma ferramenta metodológica para fins de analise , obtém-se o tipo ideal mediante a realidade que existe somente no mundo das ideias , ou seja, na minha cabeça
por um modelo ideal, perfeito que de fato não existe, que este modelo está sujeito as imperfeições, por isso é muito importante a pesquisa , assim como o serviço social , a investigação e pesquisa na vida do usuário é de fundamental importância para ir além, para conhecer as causas, motivos, na realidade que contextualiza sua vida , para além do preconceito do assistente social.



Daiane Marcelino do Carmo Telles - 1 ano SS NOTURNO

Há males que vem pra Weber

Para Weber, a ciência não pode dizer oque a sociedade deve fazer, já que, para ele, juízo de valor implica em sociologia como uma ciência empírica. Assim sendo,o papel da sociologia é compreender o sentido social, e não dizer o que o indivíduo deve fazer e/ou ser.
Weber, entende que existe um "leque" de valores, não somente o econômico,mas também valores culturais,religiosos, étnicos, ideológicos etc. Então o indivíduo não pode ser determinado pela posição dele, mas, pelo conjunto de valores do mesmo.
Desta vez, temos um sociólogo (Weber) que pensa pelo viés do individualismo, mas não no sentido de egoísmo e sim, particular/peculiar. Esta sociologia compreende, entende a ação social do indivíduo, não tem a ver com ação individualista, pois analisa e pesquisa os (outros) valores do sujeito.
Ele critica algumas vezes a dialética, mas também  a amplia. O indivíduo tem condicionantes, logo, não são os mesmos da sociedade. Ele conclui que, não se deve generalizar, mas buscar se aproximar da objetividade.
Weber separa a ciência da política; são "duas vocações distintas". Para ele, a ciência traz a ideia, e a política age.
Aquilo que se tem como ponto de partida é importante, serve, mas não se deve ficar só nisso, parar por aí.
É preciso fazer uma pesquisa mais fragmentada, se desdobrar cada vez mais...
O Tipo Ideal é constituído das " leis gerais," a teoria, mas devemos buscar o Tipo Real: o que realmente o é, o que de fato o indivíduo vive " na pele". Da mesma maneira, também, o papel da sociologia é compreender aquilo que dá realidade ao tipo social, convergindo então, à ação social dos indivíduos com a vida real dos mesmos, e não com aquilo que se imaginava antes.
Finalmente, Weber, não acredita que o indivíduo é o reflexo da sociedade, mas, que ele detém outros valores inerentes. Eis o porquê da necessidade de se compreender com objetividade, não aceitando a generalização dos mesmos. Pressupondo que se tem a probabilidade de pensar no futuro, desde que, fazendo conexão com o passado.


Esse Individualismo Metodológico ( da sociologia compreensiva) converge totalmente com o Serviço Social, já que é necessário ir a campo, pesquisar minuciosamente a verdadeira realidade dos indivíduos ( a vida como ela é, e não como se imagina que seja) nem apenas embasar no que se parece óbvio. Concluindo, essa profissão demanda muito esforço, espaço e empenho para analisar cada indivíduo no seu contexto de vida particular e não mediante da sociedade.




 Maria Aparecida Alves Caldeira  1º Ano- SS Noturno
   

Pluralismo da vida Social

Como Explicar as mazelas da sociedade?
Talvez a problemática da sociedade possa ser explicada ou embasada por uma teoria evidenciando o capital, mas como entender a vida social das pessoas, como entender as ações dos indivíduos em sociedade? Compreende-los somente através de uma perspectiva capitalista muitas vezes explique e esclareça a vida em sociedade, visto que o capitalismo tem sido deesenvolvido pela exploração de pessoas causando a essas pessoas boa parte de seus problemas, mas só pela perspectiva econômica não se entende o indivíduo.
Weber com seu individualismo metodológico, propõe estudar, investigar mais a fundo o homem em sua vida com a sociedade, diferentemente dos outros sociólogos que se focaram no estudo da sociedade. A sociologia Weberiana é uma sociologia compreensiva possui objetividade, pois tenta aproximar com maior clareza possível a real ação social do indivíduo. Essa metodologia deve ser um dos instrumentos do Assistente Social, que tem que olhar para o individuo não mais como sociedade mas como individuo inerente da sociedade, sendo cada um deles possuidores dos seus próprios valores sejam eles econômicos, religiosos, emocuionais, culturais, políticos,raciais entre outros. Como entender a realidade social de uma mulher sofre agressão e de quem a agride? É perceber que além da influência do capital incidente nessa causa, existam os valores e até mesmo a humanidade de cada um, que muitas vezes prevalece  sobre suas ações. A mulher mesmo sendo agredida tem através da sua realidade social seus valores, pode “aceitar” a agressão durante muitos anos, assim como o homem com seus valores pode agredir normalmente uma mesma mulher durante muito tempo sem lhe causar dor. Não podendo generalizar, cada uma possui uma diversidade de valores diferentes uns dos outros, há aquelas que não “aceitam” e logo denunciam, havendo também aquelas que literalmente tenta entender e aceitar a agressão.
O ser humano é um ser pluralista, múltiplo devendo ser compreendido pela sua diversidade e particularidade. A sociedade é composta por indivíduos, por mais que os problemas se identifiquem num conjunto, no fundo a raíz desses problemas está fundamentada nos valores de cada um.
Para Weber a Ciência e a Política são campos diferentes, e o papel da ciência é somente a compreensão da vida social sendo a política o principal meio de transformação. Já na assistência Social, o profissional deve estudar, pesquisar a fundo a realidade social de seus usuários como também transforma-la, intervir naquela realidade a fim de muda-la não impondo sobre o usuário um modelo para ser seguido ou definindo como deve agir, mas transformando a sua realidade de modo que se ajuste aos seus valores, respeitando a diversidade do ser humano o dirigindo a sua própria emancipação.
Weber fazia do Tipo ideal um instrumento de ponto de partida para dirigi-lo a realidade. Da mesma forma no Serviço Social, não se pode haver um tipo ideal a ser seguido como objetivo final e sim uma realidade a ser descoberta.

Para explicar as mazelas da sociedade tem que direcionar um olhar mais objetivo ao indivíduo, afim de compreende-lo com seus infinitos valores muitos desses impostos por influência externa, já que esses indivíduos são os que compõe a sociedade, e são através de suas ações que se forma a vida e a realidade social.
Larissa Bedo 1º SS Noturno

A concepção Weberiana

  A característica weberiana difere dos demais sociólogos. A sua maneira de pensar o funcionamento de uma sociedade é ligada ao indivíduo, ou seja, a existência do indivíduo antecede à da sociedade. Weber trata da ação social que se refere à um comportamento que é motivado por algo subjetivo, que é intrínseco aos homens. Isso é fundamental para entender a relação individual (subjetiva) com a sociedade (o mundo objetivo). Essa subjetividade serve para explicar ao homem, a si próprio, a sua percepção dos demais do mundo.
   A ação social é, então, um comportamento do homem que é motivado por um sentido que guia as ações dessa pessoa. Weber explica quatro tipos de ação social: ação racional com relação a um objetivo (pessoa define objetivo e utiliza dos meios para atingi-lo); ação racional com relação a valores (a pessoa aceita os riscos que corre para atingir seus ideais); ação afetiva ou emocional (paixões individuais) e ação tradicional (os costumes explicam essa ação).

  Para Weber, na sociologia, os nossos conhecimentos empíricos não podem interferir ou pré julgar uma pessoa pelas suas ações.Sendo assim, o papel do Assistente Social, é compreender o que leva os seres que estão sendo analisados por ele, a fazerem aquele tipo de ação, e não analisá-lo com métodos já definidos.

(Roberta Santos Martins 1º Ano SS - Noturno)

#Somostodosplurais



Analisando a perspectiva weberiana,  notamos primeiramente esta característica, a de que somos todos plurais. Somos todos plurais pelo fato de sermos complexos e  ilimitados a visão positivista, onde o ‘eu’ não se limita a apenas uma moral ou uma base. Mas sim a varias morais, que devem ser analisadas para o entendimento do individuo. Percebe-se que há nesse contexto uma ideia ao qual é de máxima importância destacar, a multidimensionalidade de cada individuo, onde cada um pode ser mil em si, e é necessária uma investigação objetiva com foco principal no individuo e nas suas particularidades.

Na sociedade é importante notar que nessa perspectiva, para se ter uma analise ou um  tipo ideal, ao qual se sonha ou se planeja, faz-se necessário que o individuo seja investigado no seu todo, nas suas qualidades, defeitos, presente, passado, enfim em tudo aquilo que o cerca e o rege. Pra se ter uma  conclusão de cada individuo e seu papel social, é importante basear-se numa conexão com aquilo que ele tem vivido. O papel do assistente social nessa perspectiva entra como um requisito fundamental na emancipação do usuário, onde o assistente  busca nas diversas características do usuário, inclusive no meio em que ele vive, as respostas para a situação ao qual ele esta passando etc. Destaca-se nesse contexto, e é importante a analise, a pluralidade de cada individuo. Somos seres compostos de células e partes minúsculas, estas nos definem, mas não é somente a partir dela que podemos nos limitar, imaginemos a ideia de  Carlos Drummond de Andrade , quando escreve no seu livro, “nova reunião: 19 poesias”, Ninguém é igual a ninguém. Todo ser humano é um estranho ímpar.”, somos todos diferentes uns dos outros ideologicamente, moralmente, socialmente , enfim, somos únicos e complexos, impares e plurais.


Pedro Paulo Pereira Cardoso 1° ano SS.Noturno

Weber no Serviço Social

 "Uma ciência empírica não pode ensinar a ninguém o que deve fazer...". Nesta frase Weber deixa claro o que para ele é o papel da Sociologia, esta deve compreender o real, e não julgar ou emitir sua opinião sobre ele.
 A crítica de Weber ao materialismo dialético vai de encontro ao Serviço Social na perspectiva de que uma ciência empírica (Ex.: Serviço Social) não deve impor ideias e nem ditar regras. Mas também, existem diferenças entre o pensamento de Max Weber e o Serviço Social, enquanto Weber acredita que o Sociólogo não deve interferir nas situações pesquisadas, o papel do Assistente Social passa a ser o oposto.
 Analisar e conhecer uma sociedade é um trabalho complexo, não se pode fazer uma análise superficial e concluir a pesquisa, porque consequentemente se terá um resultado superficial e falso. O papel do Sociólogo é ir até as entranhas da sociedade para se obter um resultado mais próximo possível do real.

Alessandra Ferreira Figueiredo - SS diurno

As ações sociais e seus Valores


       A função do sociólogo na visão de Max Weber, era de compreender as ações sociais. Entende-se que ações imitativas, nas quais não se confere um sentido para agir, não são ditas ações sociais. Para ele a ação social, pode ser dividida em quatro ações fundamentais: ação racional com relação a fins, ação racional com relação a valores, ação social afetiva e ação social tradicional.
        Weber visa que, a ação social é aquela que é orientada ao outro. No entanto, há algumas atitudes coletivas que não podem ser consideradas sociais. No que se refere ao método sociológico, Weber difere de Durkheim  (que tem como método a observação e a experimentação, sendo que esta se dá a partir da analise comparativa). Ao tratar os fatos sociais como coisas, Durkheim queria mostrar que o cientista precisa romper com qualquer pré-noção, ou seja, é necessário desde o começo da pesquisa sobre a sociedade, o abandono dos juízos de valores que são próprios aos sociólogos. Portanto  para Weber, na medida em que a realidade é infinita e quem a estuda faz nela apenas um recorte a fim de explicá-la. Para ele a pesquisa histórica é essencial para a compreensão das sociedades. Essa pesquisa baseada na coleta de documentos e no esforço interpretativo das fontes, permite o entendimento das diferenças sociais, que seriam para Weber, de gênese de formação, e não de estágios de evolução.
        Enfim, Max Weber foca na ação social do individuo, se importa com os seus valores, mas sem deixar com que o seu pensamento e o seu valor próprio, interfira na ação social do outro.                                         “ É a descoberta de um novo problema e não um novo objeto, que aliado a um novo método cria uma nova ciência” (polêmica com o positivismo)

                                                                                       Gabriela Teixeira 1° Noturno.